conecte-se conosco


Mundo Cristão

Justiça proíbe livro cristão sobre educação infantil de Simone Quaresma

Publicado

Uma polêmica foi gerada contra a educadora cristã Simone Quaresma, que aborda em seu livro “O que toda Mãe Gostaria de Saber sobre Disciplina Bíblica”, a possibilidade de que crianças sejam educadas com castigo físico.

A interpretação errada da obra fez com que a 1° Vara da Infância, da Juventude e do Idoso, do Rio de Janeiro, proibisse a venda do livro em todas as lojas, além de publicações em sites e palestras sobre o conteúdo em questão, segundo o juiz Sergio Luiz Ribeiro de Souza.

Em sua sentença, o magistrado entendeu que o livro incita a violência contra crianças e adolescentes.

“A ré tem plena ciência de que o que prega é contrário à lei, tanto assim que ensina os pais a baterem em locais que não sejam visíveis, bem como a orientar seus filhos a não delatar as agressões. O perigo de dano é evidente, haja vista que os livros e vídeos incitando os pais a agredirem seus filhos estão acessíveis ao público, colocando em risco a integridade física de crianças e adolescentes”, afirmou Souza, segundo a Conjur.

À Associação Nacional de Juristas Evangélicos (ANAJURE) entrou em cena para avaliar a questão, e concluiu que a decisão judicial viola a liberdade intelectual e de expressão de Simone Quaresma, visto que o seu livro é de caráter doutrinário cristão, além de que, na prática, o castigo físico em questão não diz respeito aos abusos contra crianças e adolescentes.

“Respeitamos a decisão judicial, mas afirmamos, categoricamente, que não há qualquer ilegalidade nas ações orientadas pela Sra. Simone Quaresma, respeitada escritora e conferencista no meio cristão evangélico”, diz Edmilson Almeida, advogado e assessor Jurídico da ANAJURE.

“A nosso juízo, uma decisão liminar, dada num contexto em que sequer se ouviu os argumentos da escritora, proibindo-se o livre exercício da sua atividade intelectual, a própria liberdade de expressão da autora, é temerária e impactante”, ressalta Almeida.

Simone Quaresma é casada com Orebe Quaresma, pastor da Igreja Presbiteriana Ponta D’Areia, no Rio de Janeiro. Ela possui quase 30 anos de dedicação ao ensino cristão. Em seu site oficial, a escritora explica que o livro trata da educação segundo à perspectiva bíblica.

“Simone a aborda a necessidade que os filhos têm da correção com vara. Com farta demonstração de texto bíblicos, ela evidencia como a criação e a correção dos filhos são um reflexo da repreensão de Deus, um Pai amoroso”, diz uma sinopse.

O termo “vara” citado é uma linguagem figurativa, também usada na Bíblia para se referir à correção, não necessariamente física, mas podendo ser física dentro de alguns contextos e sob critérios específicos, jamais endossando abusos, mas sim o bom senso dos pais.

Para a ANAJURE, a decisão coloca em risco um direito fundamental de Simone Quaresma, que é o da liberdade de expressão, consciência, crença e de produção intelectual, visto que a sua visão está expressa em uma obra literária.

“Num momento em que a liberdade de expressão é debatida na Suprema Corte e Parlamento do nosso país, é triste reconhecer que não se tem mais receio de violação de liberdade civil fundamental tão básica. Vamos esclarecer os fatos ao Magistrado e recorrer ao Tribunal de Justiça que, certamente, levará em conta esta grave violação de direito humano fundamental perpetrada”, conclui a entidade.

Leia mais:  Igrejas transformam distribuição de máscaras em oportunidade de evangelismo
publicidade

Mundo Cristão

Mulher conhecida como “Bruxa da Cracolândia” tem a vida transformada

Publicado

Reconhecer a vontade de Deus para a própria vida não é algo que todos fazem desde o começo. Muitas vezes o caminho é árduo e repleto de dificuldades, até que não resta outra alternativa, senão se entregar ao Senhor. Foi o que fez uma mulher que ficou conhecida como a “Bruxa da Cracolândia”.

Bruxa da Cracolândia: De drogada à uma vida transformada por Jesus

Quem conheceu Silvia Regina na época em que ela vivia nas ruas, perambulando pela região conhecida hoje como “Cracolândia” devido ao grande número de dependentes do crack, em São Paulo, não diz que ela é a mesma pessoa de hoje.

Isso porque, após passar 14 anos dependente da droga, Regina teve a oportunidade de ingressar no projeto de recuperação para viciados mantido pela Convenção Batista Brasileira, chamado “Cristolândia“.

A mudança na vida de Regina foi tão radical que ela virou matéria de uma reportagem do programa Fantástico, da TV Globo, em 2017. Agora com 63 anos e longe das drogas, a ex-Bruxa da Cracolândia investiu em seus estudos. Ela concluiu recentemente a sua graduação em Missões pelo Centro Integrado de Educação e Missões (CIEM).

“Obrigada a você, que investiu em mim e investe em mais pessoas. Estou muito feliz. Jesus está aqui comigo; na hora que Ele entrou no meu coração, tudo mudou, até um diploma eu ganhei!”, disse ela ao concluir seus estudos. “Deus é maravilhoso. Vou fazer o Ide de Jesus.”

A história de Silva Regina foi contada também pelo site oficial da Missões Nacionais, onde foi destacado o importante trabalho desenvolvido pela Cristolândia em vários estados do Brasil, recuperando a vida de pessoas que desejam sair do mundo das drogas.

“Silvia agora se prepara para escrever mais um capítulo de sua história, que tem como autor Deus, aquele que é capaz de tudo. Louvado seja Deus!”, diz a organização. Para conhecer melhor a história de Regina, assista a reportagem completa abaixo:

Leia mais:  “Não tem o que fazer a não ser se entregar a Deus”, diz Périssé
Continue lendo

Mundo Cristão

Papa Francisco e Papa emérito Bento XVI são vacinados contra Covid-19

Publicado

Anúncio foi feito pelo Vaticano; Pontífices fazem parte do grupo de alto risco do novo coronavírus por conta da idade avançada

O Papa Francisco, de 84 anos, e o Papa emérito Bento XVI, 93, foram vacinados contra a Covid-19, informou nesta quinta-feira o porta-voz da Santa Sé em um comunicado.

O Pontífice argentino recebeu a primeira dose da vacina ontem, enquanto o Papa emérito alemão foi vacinado esta manhã, como parte de uma campanha de vacinação que começou na quarta-feira para os funcionários do Vaticano, segundo o porta-voz da Santa Sé, Matteo Bruni.

Na semana passada, Francisco havia anunciado que se vacinaria contra o novo coronavírus. Em uma entrevista à rede Canale 5, transmitida no último sábado, o Papa criticou o que chamou de “negacionismo suicida” daqueles que se opõem a esta ferramenta contra a pandemia

— Acredito que do ponto de vista ético todos devem ser vacinados, porque você não só põe em risco a sua saúde, a sua vida, mas também a dos outros — afirmou o Pontífice. — Quando eu era criança, lembro-me da epidemia de poliomielite, que deixou muitas crianças paralisadas e todo mundo esperava ansiosamente pela vacina.

Diante de suspeitas infundadas em torno dos imunizantes desenvolvidos pela Covid-19 alimentadas por determinados segmentos da sociedade, Francisco enfatizou que é preciso se nortear pela ciência no Âmbito da pandemia: 

— Crescemos na sombra das vacinas, contra o sarampo, contra isso, contra aquilo … vacinas que davam para crianças. Não sei por que alguns dizem ‘não, a vacina é perigosa’, mas se os médicos a apresentam como algo que pode ser bom, que não apresenta riscos particulares, por que não fazê-lo?

Francisco, além de compor o grupo de maior risco por conta de sua idade avançada, teve um pulmão removido por conta de uma doença durante sua juventude na Argentina.  Já Bento XVI, que renunciou ao Papado em 2013, sofre de diferentes doenças em razão da idade, incluindo artrite.

O Vaticano registrou pouco menos de 30 casos da Covid-19 desde o início da pandemia. A maior parte deles ocorreu entre integrantes da Guarda Suíça, que vivem em alojamentos. 

Leia mais:  “Os prazeres de comer e do sexo vêm de Deus”, diz papa Francisco
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana