conecte-se conosco


Mundo Cristão

Ludmila Ferber revela milagre em meio ao câncer: “Minhas cordas vocais continuam intocáveis”

Publicado

A cantora gospel e pastora Ludmila Ferber, que trava uma batalha contra o câncer, disse em uma entrevista recente ter testemunhado um grande milagre em uma parte do seu corpo, inclusive muito usado por ela nas ministrações.

A cantora, que completou 56 anos de idade neste domingo (08/08), concedeu uma entrevista ao Portal Gospel Minas na última sexta-feira (06/08). Ela falou da sua luta contra o câncer no pulmão, inclusive com metástases no fígado e nos ossos. A cantora disse que ainda sofre com a quimioterapia e medicações, mas revelou que tem presenciado um milagre de Deus na região de suas cordas vocais.

Segundo Ludmila Ferber, uma de suas filhas, se formou recentemente em fonoaudiologia, então, ela resolveu levar a mãe para realizar um exame específico a fim de observar a região das cordas vocais. Ao fim do exame, notou-se que a região examinada estava intacta e não foi prejudicada pelo câncer, bem como a quimioterapia que a pastora realiza.

UM GRANDE MILAGRE EM MEIO AO CÂNCER

“A minha filha ficou estatelada e falou assim: ‘Isso é impossível, Isso não existe. Mamãe, pensa em algo bem impossível. Pois sabe o que deu em seus exames? Absolutamente nada’”, disse a pastora à entrevistadora Camila Campos, entendendo assim ser um grande milagre de Deus.

Leia mais:  18 de outubro: Dia do Médico é inspirado no apóstolo Lucas

Segundo Ludmila Ferber, suas cordas vocais estão completamente intocáveis, o que tem possibilitado a pastora de ministrar por muito tempo nos locais em que ela prega/canta. Além disso, se confirma de fato o milagre, tendo em vista que sua voz não apresenta qualquer modificação em suas ministrações e canções lançadas recentemente.

“É um testemunho. Isso para mim vejo como um sinal. Eu fico me atendendo aos pequenos sinais até ter consumado o milagre de Deus. Então estou vendo os pequenos sinais”, disse ela.

Ludmila ainda revelou que seus batimentos cardíacos, apesar de altos, se parecem aos batimentos de uma criança.

“Eu comecei com 150 batimentos, batimentos de bebê. As cordas vocais originais, meu coração bate como se fosse de um bebê. Ao invés de eu inverter a situação para o negativo, eu reverto ela para a Glória de Deus positivamente. Então meu coração bate acelerado como de uma criança. Isso é vida!”, terminou a pastora. Assista o testemunho no final:

Leia mais:  ‘Fofocas são piores que a covid’, diz papa Francisco

TRATAMENTO

Em junho deste ano, Ludmila Ferber anunciou a suspensão do tratamento contra a doença após ineficácia. Segundo ela, percebeu-se através de exames e consultas de que o quarto tratamento na qual deu início em março, a base da medicina nuclear, não está surtindo o efeito desejável.

Atualmente Ludmila realiza um outro tratamento, o quinto desde o início da descoberta do câncer. No entanto, havia informado que essa nova fase exigiria muitos cuidado

publicidade

Mundo Cristão

Missa em memória das vítimas de trânsito será celebrada no Convento neste domingo

Publicado

A celebração, com início marcado para às 9 horas, marca o Dia Estadual em Memória das Vítimas de Acidentes de Trânsito

A tradicional “Missa em Memória das Vítimas de Trânsito” será celebrada no próximo domingo (07). O evento, que completa 16 anos de realização, acontece no Campinho do Convento da Penha, em Vila Velha, e também será transmitido nas redes sociais do Convento.

A celebração, com início marcado para às 9 horas, marca o Dia Estadual em Memória das Vítimas de Acidentes de Trânsito, estabelecido conforme a Lei Estadual nº 9.689/2011, e é uma oportunidade de reforçar a importância de a população refletir sobre a defesa de um trânsito seguro.

“Há 16 anos nos unimos, de forma solidária, à dor das famílias que perderam seus entes queridos, vítimas da fatalidade, mas também da imprudência e do descaso com o trânsito de nossas cidades e rodovias. A dor de quem perdeu alguém fica para sempre em nossa memória e em nossos corações! Infelizmente, vidas abreviadas, histórias interrompidas, sonhos sepultados abruptamente. A Missa do Convento da Penha quer fazer memória e recordar aqueles que partiram, mas também quer expressar nosso compromisso com a vida e a paz no trânsito. Nos esforcemos para construir cada dia mais, um trânsito mais humano, mais gentil, seguro e cidadão. Devemos ser, especialmente no trânsito, os semeadores de paz e de bem”, explica o Frei Djalmo Fuck, guardião e reitor do Convento da Penha.

Leia mais:  Idolatria às máquinas: pastor diz que Inteligência Artificial tenta substituir Deus

A Missa é um ato de fé que vai além da religião. A organização destaca que a construção da paz no trânsito deve ser um objetivo comum a todos, pois envolve a segurança e a vida das pessoas.

Continue lendo

Mundo Cristão

Entidades cristãs emitem nota de repúdio contra exposição que promove blasfêmia contra Cristo

Publicado

Unigrejas e Instituto Brasileiro de Direito Religioso se posicionaram contra as peças que ofendem a fé cristã

Entidades cristãs emitem nota de repúdio contra uma exposição do Museu da Arte Contemporânea do Rio Grande do Sul, em Porto Alegre, chamada “Ensaios sobre a Dádiva, Expurgo e Promessa”, do artista pernambucano Renato Valle, com curadoria de Lilian Maus.

As obras selecionadas trazem, na verdade, críticas à fé cristã de uma forma que chega a ser considerada blasfêmia. É isso que escrevem os advogados Jean Marques Regina e Thiago Rafael Vieira em um artigo para o jornal Gazeta do Povo.

Os juristas cristãos, que são responsáveis pelo Instituto Brasileiro de Direito e Religião (IBDR) também emitiram uma nota de repúdio contra a exposição.

Na nota, eles afirmam que a mostra “utiliza-se de símbolos considerados sagrados para a fé Cristã, tais como o crucifixo, a cruz de Cristo, e a manipulação da imagem do próprio Jesus de maneira jocosa e degradante, desrespeitosa à imagem e aos objetos considerados de natureza sacramental para a fé católica”.

Leia mais:  APAC do Estado integra ação nacional de oração

Uma das peças citadas na nota de repúdio é o uso de cruzes invertidas. Além de afrontar a fé católica, esse símbolo significa a morte do apóstolo Pedro, crucificado de cabeça para baixo.

Por falar em mártires cristãos, junto da exposição foi também lançada uma revista, chamada Bandido Bom é Bandido Morto, em que o artista explora imagens de “mártires do cristianismo e fundamentalismo religioso executados ao longo da história”.

Outras peças da mostra utilizam a cruz, uma delas com espaço para colocar dinheiro. Em outras, Cristo crucificado aparece várias vezes sem a cruz, como se estivesse dançando. Outra ainda mostra cruzes recheadas de latas de Coca-Cola abertas, manchando as cruzes.

Além do IBDR, a Unigrejas também emitiu uma nota de repúdio contra a exposição. O documento assinado pelo bispo Eduardo Bravo cita o artigo 208 do Código Penal e pede que a exposição do Rio seja cancelada.

“Não pode a manifestação cultural se dar e ser mantida quando constitui desrespeito ao sagrado do próximo em ataque à sua consciência religiosa”.

Leia mais:  História dos Apóstolos: Bartolomeu, o discípulo que Jesus viu orar embaixo da figueira

Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana