conecte-se conosco


Brasil

‘Mágico’ do crime se fez de carteiro e motorista para roubar mansões no RJ

Publicado

Quem é o chefe de uma quadrilha especializada em assaltar residências de luxo na Barra e na Zona Sul do Rio, que acabou preso pela polícia na última terça (23)

Bem vestida, uma dupla de criminosos desceu de um SUV Hyundai preto fortemente armada e rendeu um caseiro em um condomínio de alto padrão na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio, por volta das 15h do último dia 10. Em dezembro passado, na manhã do dia 18, um assaltante vestido de carteiro ingressou em uma casa no Humaitá, na Zona Sul da capital fluminense, após relatar à empregada doméstica que tinha uma encomenda para entregar. Em comum, as ações expõem o modus operandi de um dos maiores especialistas em roubo a residências de luxo no estado, preso na noite da última terça (23).

Heric dos Santos Baltazar, conhecido como Haiti ou Mágico, usava disfarces e armamento pesado na companhia de comparsas para assaltar mansões e apartamentos de alto padrão em bairros de elite nas Zonas Sul e Oeste do Rio, como Gávea, Humaitá, Jardim Botânico e Barra da Tijuca. Apontado como chefe do esquema, o assaltante é ligado à maior organização criminosa do estado e responsável por planejar uma série de roubos dessa natureza.

A última investida, que culminou em sua prisão na última terça, ocorreu em uma residência no Jardim Botânico, onde reside um casal de idosos. Na ocasião, sob posse de informações privilegiadas e um aparato bélico que incluía pistolas de ponta — uma delas com kit rajada —, carregadores sobressalentes e três granadas, Mágico e outros dois comparsas amarraram os moradores e seus cuidadores para saquearem o local. O trio levou joias, laptops da Apple, celulares e mais de dez relógios, além de obrigar a dona da residência a transferir R$ 50 mil para suas contas correntes.

Heric dos Santos Baltazar, o Haiti ou Mágico, disfarçado de motorista de aplicativo Foto: Reprodução

Heric dos Santos Baltazar, o Haiti ou Mágico, disfarçado de motorista de aplicativo.

No mesmo dia, porém, o bando foi surpreendido por policiais da 24ª DP (Piedade) quando passava de carro pela Ponte da Joatinga. Além de Mágico, os agentes prenderam também Andrei Fernando Sorrilha Andrade, o PH, e Marcos da Silva Aires Júnior, conhecido como Jota — todos do Complexo do Alemão, na Zona Norte do Rio.

De acordo com o delegado Tiago Venturini Antunes, titular da 24ª DP, há pelo menos entre 15 a 20 inquéritos relacionados a ações do grupo capitaneado por Mágico. A detenção inclusive foi comemorada por moradores do bairro Jacarepaguá, um dos principais alvos da quadrilha.

“O Heric era o 01 em toda a articulação desses roubos a residência e tem uma extensa ficha criminal nesse sentido. Eles não iam aleatoriamente em uma residência. Tudo era planejado para êxito da ação criminosa: o perfil da vítima, o melhor dia, o melhor horário. Diante de todos esses elementos que arrecadamos após a captura, pode-se falar que ele, senão o maior, é um dos maiores especialistas em roubo a residência do estado do Rio”, afirmou o delegado.

Quadrilha do Complexo do Alemão presa após assalto no Jardim Botânico; Heric está à direita Foto: Reprodução

Segundo Antunes, além de carteiro, Mágico se passou também por motorista de aplicativo em suas ações. Quando não se disfarça, ele e seu bando já haviam feito uma análise prévia bem detalhada do local. O grupo ainda costumava ameaçar as vítimas e portar armamento de ponta durante os assaltos.

“Ele praticava outros roubos sem disfarce, porém com essa análise prévia de diagnosticar quem é a vítima, o local, por onde entrar, por onde sair. Sempre durante o dia para não alertar, pois geralmente as pessoas estão mais tranquilas em casa. À noite, acaba chamando um pouco mais de atenção”, disse o delegado. “Sempre usando de agressividade, de grave ameaça, até pelo material bélico que utilizam. Implantam o terror por onde eles passam”, acrescentou.

Além de anotações criminais por roubo, Mágico tem passagens na polícia por tráfico de drogas. Também é tido como homem de confiança do traficante Luiz Claudio Machado, o Marreta. Preso em 2011, Heric foi condenado a mais de 11 anos de reclusão em 2017. Conforme dados consultados por ÉPOCA, ele teria sido solto no ano passado. Procurada, a Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (SEAP) não confirmou a informação até a publicação desta reportagem.

Leia mais:  Senador é suspeito de estuprar jovem de 22 anos em São Paulo
publicidade

Brasil

Banestes mantém a menor taxa de juros do Brasil no crédito imobiliário, mesmo após alta da Selic

Publicado

A condição promocional, com taxas a partir de 6,20% ao ano + TR, foi prorrogada até o dia 15 de maio.

O Banco do Estado do Espírito Santo (Banestes) anunciou, nesta semana, que, mesmo com a recente alta da taxa básica de juros, a Selic, para 2,75%, irá manter a melhor condição atual disponível no mercado de crédito imobiliário do Brasil, taxas a partir de 6,20% ao ano + taxa referencial (TR). A promoção foi prorrogada até o próximo dia 15 de maio.

A decisão leva em consideração a alta procura pela modalidade de crédito no banco. “A procura em 2020, quando comparada ao ano de 2019, teve aumento de 300%. Temos focado na modernização e automatização na concessão do crédito imobiliário no Banestes, para garantir aos clientes uma experiência ainda melhor no processo de contratação. Somos um banco estadual que atualmente ocupa uma posição de destaque neste mercado no cenário nacional, com a melhor opção ofertada no País”, enfatiza o diretor-presidente do Banestes, Amarildo Casagrande.

O financiamento pode chegar a até 90% do valor do imóvel, com até 35 anos para pagar. Além disso, os valores gastos com o Imposto sobre a Transmissão de Bens Imóveis (ITBI) e com o Registro do Imóvel podem ser financiados juntamente com o crédito imobiliário, respeitando o limite de 5% do montante total.

A linha de crédito permite ainda a utilização do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) para financiamento de unidades de até R$ 1,5 milhão. E o valor da tarifa de avaliação de imóvel do Banestes é uma das menores do mercado.

Além do Crédito Imobiliário Residencial, o Banestes oferece uma linha específica para financiamentos de lotes urbanos, outra para imóveis comerciais e também a opção de Portabilidade para o Crédito Imobiliário.

Portabilidade do Crédito Imobiliário

O momento é oportuno ainda para quem já possui um crédito imobiliário contratado em outra instituição financeira e deseja reduzir a mensalidade paga mensalmente e, com isso, fazer uma boa economia. Para isso, basta contratar a Portabilidade de Crédito Imobiliário com o Banestes e, com isso, garantir condições melhores para o financiamento.

Na maioria dos casos, o valor mensal da prestação cai significativamente. De acordo com o diretor de Negócios do Banestes, Hugo Gaspar, o momento é extremamente vantajoso para realizar a portabilidade, devido à redução da taxa no Banestes. “Temos casos em que um imóvel financiado de R$ 500 mil teve redução de R$ 1,3 mil na prestação mensal, com a portabilidade para o Banestes. Temos casos em que a economia total chega a R$ 200 mil no valor do contrato”, ressalta.

Os interessados em contratar o crédito imobiliário ou realizar a portabilidade para o Banestes devem entrar em contato com uma das agências do banco. Todas as propostas estarão sujeitas ao processo de análise de crédito.

 

Saiba mais sobre as condições especiais do Crédito Imobiliário Residencial Banestes:

  • Taxa de juros a partir de 6,20% ao ano + Taxa Referencial (TR), a melhor condição atualmente no Brasil.
  • Financiamento de até 90% do valor do imóvel pela tabela SAC.
  • ITBI e Registro do Imóvel financiados juntamente com o crédito imobiliário (até o limite de 5%).
  • Prazo máximo de financiamento: até 420 meses (35 anos).
  • Promoção prorrogada até o próximo dia 15 de maio.
  • Pessoas que já possuem crédito imobiliário contratado em outra instituição financeira podem realizar portabilidade para o Banestes e, com isso, reduzir o valor mensal das prestações, com taxas mais atrativas.

Confira – Novas condições para financiamento de Lotes Urbanos no Banestes:

  • Redução da taxa de juros efetiva mínima de 11% para 8,40% ao ano.
  • Aumento do prazo de financiamento de 120 para até 240 meses.
  • Aumento do valor máximo do imóvel de R$ 350 mil para até R$ 1 milhão.
  • Financiamento de até 80% do valor do lote pelo Banestes.

Crédito Imobiliário Empresarial e Comercial Banestes:

  • Taxas a partir de 8,29 % ao ano + TR.
  • Valor pode ser parcelado em até 240 meses (20 anos).
  • Percentual de financiamento de até 80%.
  • Para imóveis avaliados até R$ 2 milhões.

Leia mais:  Bolsonaro diz que vai pagar auxílio emergencial por mais 3 meses
Continue lendo

Brasil

‘Herdeira’ do tráfico no Rio de Janeiro é alvo de operação policial no sul do Brasil

Publicado

Mulher é suspeita de gerenciar os bens de traficante morto em 2019, dois anos após assinar delação premiada

Uma mulher apontada como “herdeira” do tráfico de drogas no Rio de Janeiro é alvo de uma operação policial contra ex-aliados de Léo do Aço, traficante assassinado em 2019, dois anos após fechar um acordo de delação. 

A ação cumpre nove mandados de busca e apreensão, um deles no endereço de Carla Oliveira de Melo. A suspeita de gerenciar os bens de Léo vive atualmente em uma casa em Jurerê Internacional, em Florianópolis. 

A força-tarefa da Operação Rainha de Copas, que envolve policiais civis do Rio de Janeiro e de Santa Catarina, identificou que Carla e outros supostos laranjas movimentaram RS 15 milhões, desde 2019. 

Segundo as investigações, o grupo abriu empresas de fachada para lavar dinheiro e montou uma rede para passar ao tráfico informações sigilosas da polícia. A Justiça também determinou o sequestro de R$ 7,4 milhões em bens dos suspeitos.

Além de Carla, são alvos o ex-marido dela, o ex-PM do Batalhão de Operações Especiais (Bope), Silvestre Andre da Silva Felizardo, e Hanna de Oliveira, apontada como uma laranja.

A polícia investiga duas supostas empresas de fachada montadas pelo grupo. Uma delas, um negócio de material descartável, movimentou R$ 2,5 milhões nos últimos três anos, e uma agência de aluguel de lanchas, criada em dezembro do ano passado com capital de R$ 800 mil.

Segundo a força-tarefa, os alvos ostentavam uma vida de luxo nas redes sociais publicando fotos com lanchas, motos aquáticas, Harley Davidsons e carros conversíveis, além de viagens internacionais.

Os mandados foram expedidos pela Vara Especializada de Combate ao Crime Organizado do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro. A polícia espera reunir documentos que expliquem a atividade financeira do grupo. Não há pedidos de prisão.

Leia mais:  Coronafest na casa de empresário acaba em pancadaria
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana