conecte-se conosco


Cidades

Maio Amarelo alerta sobre atitude de cada um frente aos riscos invisíveis nas vias

Publicado

O Maio Amarelo, movimento que tem o objetivo de conscientizar as pessoas sobre a importância de atitudes positivas no trânsito para a redução do número de acidentes, terá abordagem exclusivamente digital neste mês devido à necessidade de distanciamento social por causa da pandemia do novo Coronavírus (Covid-19). Com o tema “Perceba o risco. Proteja a vida”, o Departamento Estadual de Trânsito do Espírito Santo (Detran|ES) coloca no ar, nesta terça-feira (12), uma campanha que retrata o inimigo invisível em uma analogia entre os riscos do trânsito e a pandemia, levando em consideração que em ambos os casos a atitude de cada pessoa é fundamental para a proteção da vida.

Por meio de um filme para a televisão, spot para emissoras de rádio e posts nas redes sociais, o Detran|ES transmite mensagens educativas para destacar que todos os cidadãos têm de utilizar a prudência e atitudes preventivas para combater, no trânsito, as possíveis ameaças.

“Neste momento de pandemia, é imprescindível reforçarmos a abordagem educativa para que acidentes de trânsito sejam evitados. Vale lembrar que no primeiro trimestre deste ano houve uma redução de 40 vítimas fatais se comparado ao mesmo período do ano passado, de acordo com dados da Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social, e que devemos seguir nesta tendência de redução porque, além de preservar vidas, quanto menos acidentes, menos leitos serão ocupados nos hospitais, o que permitirá que o atendimento possa ser reforçado para pacientes infectados pelo novo Coronavírus”, explica o diretor geral do Detran|ES, Givaldo Vieira.

O gestor acrescenta que a linha de comunicação adotada pelo Órgão para o Maio Amarelo é leve, com ilustrações e o fato de ser digital permite uma interação maior com os internautas.

“A pandemia causa um ambiente de tensão entre as pessoas e, por isso, suavizamos na abordagem para mostrar que nossa atitude no trânsito muda tudo, assim como no combate à Covid-19. Orientamos os servidores e os usuários que só saiam de casa em extrema necessidade e, para os atores do trânsito que precisam estar nas ruas devido ao trabalho ou para comprar produtos essenciais, que voltem para casa em segurança. Incentivamos, também, que todos vistam peças com a cor amarela para marcar a mensagem do Maio Amarelo e que prefeituras, empresas e instituições também façam ações, como tem feito a Prefeitura de Santa Leopoldina ao iluminar de amarelo os pontos turísticos da cidade”, afirma Givaldo Vieira.

No primeiro semestre de 2019, mais de cinco mil pessoas foram atendidas pelo Samu e pelos Bombeiros por serem vítimas de acidentes de trânsito no Espírito Santo, de acordo com dados da Secretaria da Saúde (Sesa) e do Corpo de Bombeiros. E, em 2020, até março, 154 pessoas perderam a vida nas vias capixabas, conforme relatório do Observatório Estadual de Segurança Pública, que pode ser obtido aqui.

Campanha digital

Seguindo o tema nacional do Maio Amarelo definido pelo Conselho Nacional de Trânsito (Contran) em consonância com o Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) e o Observatório Nacional de Segurança Viária (ONSV), “Perceba o risco. Proteja a vida”, o Detran|ES utilizará, a partir dessa semana e por todo o mês de maio em suas redes sociais, posts orientativos, lançando mão de personagens que adotam as medidas de segurança frente ao novo Coronavírus, utilizando os conceitos da importância do uso do cinto de segurança, do respeito aos limites de velocidade, da não mistura da direção com bebida e com celular, bem como a conscientização sobre o uso da cadeirinha para as crianças e do capacete para os motociclistas.

Diretores do Detran|ES e servidores realizarão também lives nas redes sociais, com instituições que atuam no universo do trânsito, como o Movimento Capixaba para Salvar Vidas no Trânsito (Movitran), para debater sobre temas relacionados ao Maio Amarelo.

O Detran|ES registra que o investimento em educação de trânsito é uma obrigatoriedade prevista no Código Nacional de Trânsito (CTB) e é feito com recursos proveniente de multas de trânsito.

Leia mais:  Vila Velha: Guarda Municipal homenageia mulheres com prática de tiros para as agentes
publicidade

Cidades

Projeto da prefeitura de Barra de São Francisco garante alimentação para mais de 8 mil pessoas

Publicado

Em 12 dias servindo alimentação as famílias carentes de Barra de São Francisco, desde de seu início em 29 de março de 2021, até esta sexta-feira (09), 8.213 pessoas se alimentaram no Centro de Apoio Alimentar da prefeitura de Barra de São Francisco.

A iniciativa de oferecer alimentação as famílias carentes, é da prefeitura de Barra de São Francisco. O alimento (marmitex), é fornecido de segunda a domingo, inclusive feriados.

É obrigatório o uso de máscaras ao chegar no local para pegar o alimento. É feito higienização nas mãos das pessoas que chegam para pegar o marmitex.

Pessoas atendidas até o presente momento:

Segunda feira (29/03/2021) 440 pessoas

Terça Feira (30/03/2021) 612 pessoas

Quarta Feira (31/03/2021) 750 pessoas 

Quinta feira (1º/04/2021) 750 pessoas 

Sexta feira (02/04/2021) 610 pessoas 

Sábado (03/04/2021) 760 pessoas 

Domingo (04/04/2021) 720 pessoas 

Segunda Feira (05/05/2021) 728 pessoas 

Terça feira (06/04/2021) 700 pessoas 

Quarta feira (07/04/2021) 764 pessoas

Quinta feira (08/04/2021) 819 pessoas  

Sexta feira (09/04/2021) 560 pessoas 

Leia mais:  Governo Federal aprova crédito de US$ 27,6 milhões para Vila Velha

Total: 8. 213

 

Continue lendo

Cidades

No ES família enterra corpo trocado de mulher vítima da Covid

Publicado

O caso ocorreu em São José do Calçado. Ana Maria de Souza Fonseca morreu de Covid-19 depois de ficar 20 dias internada. Família diz que vai processar os envolvidos.

Uma família de São José do Calçado, no Sul do Espírito Santo, tomou um susto ao enterrar uma familiar que foi vítima da Covid-19. Eles descobriram horas depois do sepultamento, que aconteceu nesta quarta-feira (7), que o corpo dela foi trocado e que eles enterraram o corpo de outra pessoa.

Ana Maria de Souza Fonseca, de 77 anos, vítima da Covid-19, teve corpo trocado com o de outra vítima — Foto: Reprodução/TV Gazeta

Ana Maria de Souza Fonseca tinha 77 anos e ficou 20 dias internada no Hospital São Vicente de Paula, em Bom Jesus do Itabapoana, no Noroeste do Rio de Janeiro.

Os familiares fizeram um ato rápido, sem velório, na quarta. O caixão estava lacrado e enrolado em um plástico.

Só que, horas depois, na madrugada desta quinta (8), os parentes descobriram que aquele que tinha sido sepultado não era o corpo de Ana Maria.

Eles foram de novo ao cemitério. Ao chegar lá, tomaram outro susto. O jazigo da família estava aberto e sem nenhum caixão dentro.

“Fomos para o cemitério para recebê-la. Chegou aqui, o carro da funerária disse que não poderia abrir o caixão, por ser Covid. Fizemos a oração, nos despedimos, ela foi enterrada e fomos embora. De madrugada, minha prima recebeu uma ligação do hospital, de que os corpos foram trocados. Não era a tia Nana. Nós corremos para vir ver o que estava acontecendo. A família do corpo enganado, que é do Rio de Janeiro, já tinha vindo aqui, pego, e levado para seus familiares. O buraco ficou ali, aberto, e ficamos esperando a tia”, descreveu uma sobrinha da vítima, Luciana Dias.

Quando a Polícia Militar chegou ao local, além dos familiares, estavam ainda o procurador do município, o secretário de Obras e o advogado do Hospital São Vicente de Paula. O corpo da mulher foi, então, encaminhado para o hospital para fazer a troca de cadáveres.

No início da tarde do mesmo dia, o corpo de Ana Maria chegou ao cemitério. A família disse que o funcionário da funerária não usava equipamentos de proteção, o caixão não estava enrolado no plástico e a tampa de madeira que cobre o vidro da urna foi aberta. Assim como da primeira vez, foram os familiares que carregaram o caixão.

Agora, a família quer justiça. Eles dizem que vão entrar com um processo judicial contra os envolvidos na troca dos corpos.

Por telefone, a dona da funerária disse que eles não vão se pronunciar e que apenas o hospital vai responder.

A Prefeitura de São José do Calçado informou por meio de nota que a troca dos corpos ocorreu na cidade vizinha, em Bom Jesus do Itabapoana, e que o cemitério de Calçado apenas recebeu.

Ainda de acordo com a prefeitura, o responsável pelo cemitério local foi notificado para prestar esclarecimentos em relação a sua vestimenta, pois, segundo o município, a prefeitura disponibiliza todo o equipamento de proteção. Se houver necessidade, o mesmo será implicado nas diretrizes administrativas, informou a prefeitura.

O município disse ainda que registrou um boletim de ocorrência e acionou a Polícia Militar.

A direção do hospital disse em nota que instaurou uma sindicância para poder apurar o fato.

“Todos os familiares foram contactados pelo hospital, que ofereceu total auxílio as famílias de imediato. Lamentamos profundamente a dor dos familiares pela perda de seus entes queridos e apura o equívoco feito pela funerária. Tão logo sejam apuradas mais informações, poderemos seguir com uma nova nota de esclarecimento”, diz parte da nota.

Leia mais:  Proposta objetiva desassoreamento de rios
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana