conecte-se conosco


Medicina e Saúde

Mais quatro hospitais no Estado se tornam referência para atendimento a casos suspeitos do Covid-19

Publicado

A Secretaria da Saúde (Sesa), por meio do Centro de Operações Estratégicas (COE), publicou no Diário Oficial desta terça-feira (03) a inserção de mais quatro hospitais no Espírito Santo, da rede estadual e filantrópicos, para serem referências no atendimento a casos suspeitos do novo coronavírus, chegando a seis o número de hospitais referenciados para atendimento a estes pacientes.

Agora, passam a ser referências o Hospital Estadual Infantil Nossa Senhora da Glória (HINSG), em Vitória; Hospital Estadual Jayme Santos Neves (HEJSN), na Serra; Hospital Estadual Roberto Arnizaut Silvares (HRAS), em São Mateus; Hospital Estadual Silvio Avidos (HESA), em Colatina – estes da rede estadual. Também foram inseridos os hospitais Santa Casa de Misericórdia de Cachoeiro de Itapemirim (SCCI) e Infantil de Cachoeiro de Itapemirim, ambos filantrópicos.

Com a inserção desses hospitais no referenciamento de atendimento a casos suspeitos do Covid-19, todas as regiões do Espírito Santo passam a ter cobertura de assistência hospitalar.

Na tarde desta terça-feira (03), o secretário de Estado da Saúde, Nésio Fernandes, juntamente com representantes do Centro de Operações Estratégicas (COE), esteve reunido com conselhos de entidades de saúde para tratar sobre as medidas de enfrentamento à emergência de saúde pública e para apresentar as medidas adotadas de bloqueio à nova doença. Participaram do encontro representantes da Sociedade de Infectologia do Espírito Santo (SIES), Conselho Regional de Enfermagem (Coren-ES), Conselho Regional de Psicologia da 16ª Região/Espírito Santo (CRP-ES), Conselho Regional de Medicina (CRM) e Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional da 15ª Região (Crefito 15). 

Também participaram o subsecretário de Estado da Assistência em Saúde, Fabiano Ribeiro dos Santos, e o subsecretário de Estado da Saúde para Assuntos de Regulação e Organização da Atenção à Saúde, Gleikson Barbosa. Durante a reunião, o secretário Nésio Fernandes falou aos presentes sobre a experiência que o Estado teve ao ser notificado do primeiro caso da doença. Segundo ele, mesmo as equipes da atenção básica e hospitais já terem passado pelo processo de treinamento, essa primeira suspeita foi importante para praticar e organizar o atendimento.

Já o coordenador do Centro de Operações Estratégicas, Luiz Carlos Reblin, falou sobre a formação do comitê e destacou a importância de os profissionais dos conselhos entenderem o Plano de Contingência criado no Espírito Santo. “Estamos trabalhando com transparência e é importante que as informações sejam repassadas com veracidade”, disse.

Na sequência, o coordenador do Laboratório Central do Espírito Santo (Lacen-ES), Rodrigo Rodrigues, fez uma apresentação da situação do Covid-19 no mundo e apontou estimativas de casos para o Espírito Santo. O subsecretário Fabiano Ribeiro dos Santos abordou a questão do atendimento hospitalar, a ampliação no número de hospitais referenciados para atendimento a casos suspeitos e em quais situações o paciente deve ser encaminhado a essas unidades.

 

Leia mais:  Apesar de raro, câncer de mama evolui mais rápido em homens

Orientações sobre COVID-19 são atualizadas em reunião com diretores hospitalares na Sesa

Em sua terceira reunião com diretores da rede hospitalar (estaduais, privados e filantrópicos), o secretário de Estado da Saúde, Nésio Fernandes, e o coordenador do Centro de Operações Estratégicas (COE), Luiz Carlos Reblin, passaram atualizações a respeito da atuação do Estado em relação ao Covid-19.

Com a presença de diretores de hospitais da rede estadual, representantes das Organizações Sociais e Filantrópicos, o secretário Nésio Fernandes falou sobre a importância de se combater as Fake News e lembrou que é “preciso acreditar na epidemiologia clínica para poder ter segurança institucional e assistencial na condução dos casos”.

O coordenador do COE apresentou as atualizações dos casos suspeitos no Estado e o Plano de Contingência – já disponível no site da Sesa, e explicou sobre a solicitação do Ministério da Saúde em identificar outras unidades regionais de referências. “O Ministério da Saúde analisou o nosso plano e nos pediu que identificássemos outras unidades. Fizemos esse trabalho junto aos superintendentes regionais de Saúde, que contataram os hospitais. Entretanto, a solicitação poderá ser revista em função dos casos que forem aparecendo”, explicou Reblin.

Na ocasião, também foram discutidos assuntos sobre regulação de leitos e sobre o programa “Melhor em Casa”.

Para ter acesso ao Plano Estadual de Prevenção e Controle do SARS CoV2 (COVID-19), clique aqui.

Leia mais:  Covid-19: Hidroxicloroquina reduz risco de morte em 30%, diz estudo
publicidade

Medicina e Saúde

Estadual de Urgência e Emergência ‘São Lucas’ realiza primeira captação de coração da unidade em 2021

Publicado

Na última quinta-feira (21), o Hospital Estadual de Urgência e Emergência ‘São Lucas’, em Vitória, realizou a primeira captação de um coração, que foi destinado para um paciente da fila de transplantes do Espírito Santo.

Além do coração, o mesmo doador ainda pode ajudar a salvar a vida de mais pacientes, já que foram doados as duas córneas e os rins, que ficaram no Estado, e o fígado, que foi enviado a um paciente compatível em Minas Gerais.

A enfermeira da Comissão Intra-Hospitalar para Doação de Órgãos e Tecidos para Transplantes (CIHDOTT), Karla Coelho, explica que as doações só podem ser realizadas com o consentimento da família, por isso, é de extrema importância que as pessoas manifestem em vida o desejo de serem doadoras.

Quem também reforça a importância de conversar sobre o assunto é a diretora geral do hospital, Cynthia Milanez. “É difícil falar de morte, especialmente quando estamos saudáveis, mas é importante conversar sobre a doação de órgãos e evitar que o tema seja um tabu, afinal de contas, por mais doloroso que seja, a morte é inevitável. Entretanto, a doação é uma forma de transformar dor e sofrimento em esperança e amor para outras famílias”, disse.

Dados sobre transplantes
Segundo dados da Central Estadual de Transplantes do Espírito Santo (CET-ES), até esta segunda-feira (25), a Central contabilizou 1.489 pacientes aguardando por um órgão no Estado, sendo 1.024 para rim, 448 para córneas, 14 para fígado e três à espera de um coração.

Leia mais:  Governo antecipa vacinação de idosos acima de 90 anos no Espírito Santo
Continue lendo

Medicina e Saúde

Veja 5 alimentos que ajudam no processo de aprendizagem das crianças

Publicado

Estudo afirma que alimentos mais leves e saudáveis proporcionam mais disposição e melhor funcionamento do cérebro infantil

Um estudo realizado com 60 pessoas, pela Universidade de Illinois, nos Estados Unidos, aponta que quem consome uma quantidade maior de luteína, presente em verduras e frutas como mamão, laranja, pêssego e milho, possui uma memória e raciocínio mais afiados

Alimentos integrais e ricos em fibras proporcionam digestão mais lenta, mais saciedade e energia prolongada. Tanto profissionais, quanto autoridades de saúde afirmam que não é indicado oferecer opções ultraprocessadas para crianças e que a alimentação saudável deve ser uma realidade dentro e fora de casa. 

Para a nutricionista, Dayanna Miranda Camizão, é indispensável que os pais e responsáveis estejam sempre atentos ao que seus filhos consomem e sempre busquem novas maneiras de introduzir bons alimentos na dieta das crianças. 

“Infelizmente, tem se tornado cada vez mais comum o consumo de refeições industrializadas por parte das crianças. Alimentos naturais, como as famosas hortaliças verdes, contém um mix de substâncias que auxiliam no sistema nervoso e consequentemente no rendimento da criança. O espinafre fornece bastante luteína, por isso, deve estar presente no prato dos pequenos. Além dele, o brócolis, a rúcula e a couve também são reconhecidos por atuarem em prol do DNA das células cerebrais. É importante ter consciência que uma alimentação não adequada nessa fase pode causar diversos problemas, como anemia, emagrecimento ou até obesidade”, ressalta a nutricionista.

Veja quais são os alimentos que podem proporcionar melhor memória, aprendizado e concentração para a criança:

Arroz Integral – contém vitaminas do complexo B, essenciais para o bom funcionamento do cérebro. As fibras presentes nos carboidratos integrais liberam glicose no organismo aos poucos;

Castanhas – ajudam na liberação da serotonina, neurotransmissor que atua de forma positiva sobre o humor da criança, além de manter as artérias cerebrais saudáveis;

Banana – a fruta é rica em potássio e triptofano, substâncias que ajudam a relaxar e acalmar as atividades cerebrais. Desse modo, a criança terá uma boa noite de sono e se sentirá mais disposta no dia seguinte;

Frutas vermelhas – contém flavonóides, compostos bioativos com propriedades antioxidantes e anti-inflamatórias que são benéficos ao aprendizado e memória, devido a sua capacidade de proteger os neurônios e reverter déficits de memória;

Ovos – são fontes diretas de colina, nutriente ligado à função cerebral que, participa da formação de neurônios, repara as células avariadas e produz acetilcolina, neurotransmissor fundamental para memória e aprendizado

Leia mais:  O que é o norovírus, doença infecciosa presente em mais de 25 cidades do Rio Grande do Sul
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana