conecte-se conosco


Política Nacional

Marcha dos Prefeitos mobiliza lideranças políticas em torno das pautas municipalistas

Publicado

Temas como reforma tributária, saúde pós-pandemia, lei de improbidade e licitações, Marco Regulatório do Saneamento, assistência social e política agrícola nacional serão debatidos durante a programação

Entre os dias 25 e 28 de abril, acontece em Brasília (DF), a XXIII Marcha dos Prefeitos, um dos maiores eventos municipalistas do país. A iniciativa reúne prefeitos, vice-prefeitos, vereadores, secretários e lideranças comunitárias de todo Brasil, além de parlamentares e governadores de todas as regiões, para debaterem as principais políticas públicas que impactam o desenvolvimento territorial brasileiro.

Desde 2008, o Sebrae é parceiro da Marcha dos Prefeitos e participa ativamente do evento e de sua programação. Nesta edição, o presidente do Sebrae, Carlos Melles, integrará o time de autoridades que realizará a abertura da Marcha, no dia 26, a partir das 9h. O Sebrae também terá um espaço criado especialmente para atender os líderes municipais, onde iniciativas como “Cidade Empreendedora”, e seus eixos temáticos de compras governamentais, desburocratização, educação empreendedora, inovação e gestão municipal serão apresentadas.

A expectativa é que mais de 5 mil pessoas participem do evento, que tem extensa programação voltada às pautas municipalistas. Temas como reforma tributária, reforma previdenciária municipal, mobilidade, saúde pós-pandemia, lei de improbidade e licitações, Marco Regulatório do Saneamento, assistência social e política agrícola nacional serão debatidos com os presidenciáveis que participarão das eleições 2022.

Leia mais:  STJ afasta desembargador do Rio acusado de vender sentença por R$ 50 mil

Também haverá a realização de painéis sobre educação empreendedora nas escolas, finanças municipais, habitação, cultura, turismo, agropecuária, gestão ambiental, sustentabilidade e inovação. Para o presidente do Sebrae, Carlos Melles, a Marcha dos Prefeitos é um dos mais significativos eventos democráticos do país. “É uma grande oportunidade para a democracia, para a política e para a economia, especialmente nesse momento que estamos vivendo. Neste ano o Sebrae completa 50 anos e já vislumbra como serão os próximos 50 anos”, afirma.

Melles destaca que durante a Marcha dos Prefeitos, os líderes municipais poderão conhecer ou se aprofundar mais sobre iniciativas desenvolvidas pela instituição. “Temos mais de 5,5 mil cidades em todo Brasil, nas quais o funcionamento da economia se dá basicamente pela atuação dos micro ou pequenos negócios, que hoje respondem a 99% das empresas brasileiras, quase 30% do Produto Interno Bruto e 44% da massa salarial. Ações como o crédito assistido, Cidade Empreendedora e Agentes Locais de Inovação (ALI) são fundamentais para impulsionar o desenvolvimento econômico e territorial”, observa. As inscrições para a Marcha dos Prefeitos podem ser feitas aqui, o evento é aberto ao público em geral.

Leia mais:  Senado instala comissão de juristas para revisar Lei do Impeachment

Sobre o Sebrae 50+50

Em 2022, o Sebrae celebra 50 anos de existência, com atividades em torno do tema “Criar o futuro é fazer história”. Denominado Projeto Sebrae 50+50, a iniciativa enfatiza os três pilares de atuação da instituição: promover a cultura empreendedora, aprimorar a gestão empresarial e desenvolver um ambiente de negócios saudável e inovador para os pequenos negócios no Brasil. Passado, presente e futuro estão em foco, mostrando a evolução desde a fundação em 1972 até os dias de hoje, com um olhar também para os novos desafios que virão para o empreendedorismo no país.

publicidade

Política Nacional

TCU abre investigação sobre denúncias de assédio sexual contra Pedro Guimarães

Publicado

Funcionárias do banco denunciaram casos de assédio sexual e moral por parte do ex-presidente da Caixa

O TCU (Tribunal de Contas da União) abriu procedimento para investigar as denúncias de crimes de assédio sexual e moral que teriam sido cometidos por Pedro Guimarães, ex-presidente da Caixa. A apuração foi aberta após representação do Ministério Público junto ao TCU (MPTCU) feita no último dia 30. Guimarães deixou a presidência do banco no dia 29, depois de diversas denúncias serem relatadas por funcionárias do banco.

O pedido do MPTCU foi assinado pelo subprocurador-geral Lucas Rocha Furtado. No documento, ele afirma que os fatos denunciados são de extrema gravidade. De acordo com o subprocurador, as denúncias sugerem que a conduta de Guimarães foi “reprovável e incompatível com o exercício de presidente de uma das mais importantes instituições financeiras estatais”.

Rocha ainda afirmou que “o assédio sexual e moral contamina o ambiente de trabalho tanto nas empresas privadas como na administração pública”. “Quando praticado no âmbito da administração pública, o assédio gera a percepção, na sociedade, de que as instituições estatais não se pautam em valores morais nem são conduzidas segundo elevados padrões de conduta”, disse o subprocurador.

Leia mais:  “Já temos recurso para o Contorno do Mestre Álvaro até o final do ano, colocado pela Rose de Freitas”, afirma ministro no ES

De acordo com as denúncias, Guimarães teria assediado funcionárias do banco em eventos e viagens de trabalho, especialmente em ações do Caixa Mais Brasil, programa criado pelo governo federal para dar visibilidade à Caixa em todo o país. Há denúncias de aproximação física e toques indesejados.

Investigações foram abertas no MPF (Ministério Público Federal) e no MPT (Ministério Público do Trabalho), que também iniciou uma apuração sobre suspeita de assédio moral.

Antes de pedir demissão e um dia após as denúncias serem reveladas, Pedro Guimarães participou de evento público em Brasília, no qual fez um discurso breve sobre a vida pessoal, mas não citou diretamente as denúncias. “Tenho muito orgulho do trabalho de todos vocês e da maneira como sempre me pautei em toda a minha vida. Quero agradecer a presença de todos vocês, da minha esposa. São quase 20 anos juntos, dois filhos e uma vida inteira pautada pela ética”, afirmou.

Em nota divulgada à imprensa, a Caixa confirmou que recebeu as denúncias de assédio e informou que estava investigando o caso desde maio deste ano, mas que o tema vinha sendo tratado de forma interna e em sigilo.

Leia mais:  'Fui traído', diz Bolsonaro sobre vazamento de conversa telefônica

“A Caixa repudia qualquer tipo de assédio e informa que recebeu, por meio do seu canal de denúncias, relatos de casos desta natureza na instituição. A investigação corre em sigilo, no âmbito da Corregedoria, motivo pelo qual não era de conhecimento das outras áreas do banco”, disse a nota.

Continue lendo

Política Nacional

Em Salvador, Bolsonaro participa de motociata e critica governadores por não baixarem o ICMS

Publicado

Presidente afirmou que chefes dos executivos estaduais devem autorizar a redução do ICMS sobre combustíveis

O presidente Jair Bolsonaro participou de uma motociata em Salvador na manhã deste sábado (2). Ele chegou ao local para as comemorações da independência da Bahia, ocorrida em 2 de julho de 1823. Em discurso que durou cerca de cinco minutos, o chefe do Executivo criticou governadores do Nordeste.

O presidente se posicionou contra uma ação dos governadores no STF (Supremo Tribunal Federal) para tentar barrar a redução do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços).

“É inadmissível que os governadores da região Nordeste entrem na Justiça contra a redução do ICMS. Os governadores da região que dizem ser a favor do povo”, afirmou o presidente. Ele visitou o farol da Barra, onde está localizado o Museu Náutico, mantido pela Marinha.

Lei sancionada em junho pelo presidente limita a cobrança do ICMS sobre combustíveis a 17%. No entanto, governadores afirmam que o imposto não é a causa do aumento dos preços da gasolina e do diesel e dizem que a limitação do imposto vai provocar perda de arrecadação.

Leia mais:  Senado instala comissão de juristas para revisar Lei do Impeachment

Apoiado por Bolsonaro, João Roma (PL), pré-candidato ao governo da Bahia, voltou as críticas ao governador Rui Costa (PT). “Rui Costa, baixe o ICMS dos combustíveis”, disse em discurso ao lado do chefe do Executivo. De acordo com os organizadores, a previsão era que 15 mil pessoas participassem da motociata. 

Pré-candidatos

Outros pré-candidatos à Presidência também estiveram nas comemorações da independência da Bahia. Lula, Ciro Gomes e Simone Tebet participam de eventos em Salvador. As agendas de todos os políticos, inclusive Bolsonaro, ocorrem em um raio de 4 quilômetros.

Durante as passeatas nas ruas, Ciro e Simone Tebet se encontraram. Ambos postaram fotos com o adversário de campanha nas redes sociais. “Bahia é terra de todos. Democracia e civilidade. Adversário não é inimigo. O Brasil precisa de tolerância e respeito”, escreveu Tebet nas redes sociais, em foto com Ciro.

Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana