conecte-se conosco


Medicina e Saúde

Medicamento usado para tratar piolho pode matar o coronavírus

Publicado

Pesquisadores australianos descobriram que a ivermectina, medicamento que está amplamente disponível, pode matar células do COVID-19

Cientistas do mundo inteiro estão atrás de uma cura: um medicamento que possa acabar com o novo coronavírus, que já infectou mais de 1 milhão de pessoas. A última esperança foi dada por cientistas australianos: um antiparasitário para piolhos, disponível em todo o mundo, teria matado o vírus da Covid-19 no laboratório em apenas 48 horas.

O estudo, publicado na Antiviral Research e liderado por especialistas da Universidade Monash, demonstrou que uma dose única do medicamento Ivermectina pode interromper o crescimento do vírus SARS-CoV-2 na cultura de células. “Descobrimos que mesmo uma dose única poderia remover essencialmente todo o RNA viral (material genético do vírus) em 48 horas e que, mesmo às 24 horas, havia uma redução realmente significativa”, disse a Kylie Wagstaff, do Instituto Monash Biomedicine Discovery, segundo o Daily Mail. A ivermectina é um medicamento antiparasitário aprovado pela FDA (que corresponde a Anvisa dos Estados Unidos) que também se mostra eficaz in vitro contra vírus como HIV, dengue e influenza.

O próximo passo é determinar a dosagem humana correta para garantir que o nível usado in vitro seja seguro. “No momento em que estamos tendo uma pandemia global e não há um tratamento aprovado, um composto que já está disponível em todo o mundo poderia ajudar as pessoas mais cedo”, completou. Os cientistas esperam que os estudos levem pelo menos mais um mês até que os testes sejam feitos em humanos. Além disso, é necessário financiamento para realizar testes pré-clínicos e ensaios clínicos. 

O QUE DIZEM ESPECIALISTAS BRASILEIROS?

A otorrinolaringologista Maura Neves, do Hospital Universitário da Universidade de São Paulo (USP), explica que a Ivermectina é um antiparasitário que também tem ação contra o vírus, assim como a cloroquina. “Atualmente, a usamos para pediculose e escabiose. O estudo mostrou um teste em laboratório no qual o medicamento tem ação contra o Sars cov 2. Já há evidências de que a ivermectina tenha ação contra o vírus SV40, algumas proteínas do vírus da dengue, vírus da encefalite equina venezuelana e até influenza. Mas não age contra o zika vírus por exemplo. No entanto, a pesquisa prova apenas que ela atua contra o coronavírus atual e que diminui a replicação viral de maneira importante em 48 horas. O que se deve entender é que, até o momento, isso é uma evidência fraca para uso em humanos. Trata-se de uma possibilidade. Mas pode ser que, devido à pandemia, seja considerado em humanos antes que estudos robustos sejam feitos”, conclui.

Leia mais:  Coronavírus: veja quando procurar atendimento básico ou emergência
publicidade

Medicina e Saúde

Suco de uva integral: Benefícios para baixar o colesterol entre outros; Veja como preparar

Publicado

Todos nós já ouvimos falar dos benefícios que a uva e o vinho podem trazer para a saúde, mas nem todo mundo sabe que o suco de uva integral tem as mesmas propriedades nutricionais.

Isso acontece porque existe uma ideia de que os sucos em geral são carregados de açúcares e podem contribuir para o aparecimento de doenças. Mas, se consumidos com moderação, eles podem ser tão benéficos quanto as frutas in natura.

Então, vamos conhecer os benefícios do suco de uva para a saúde e aprender a preparar uma receita de suco de uva integral.

Isso acontece porque existe uma ideia de que os sucos em geral são carregados de açúcares e podem contribuir para o aparecimento de doenças. Mas, se consumidos com moderação, eles podem ser tão benéficos quanto as frutas in natura.

Então, vamos conhecer os benefícios do suco de uva para a saúde e aprender a preparar uma receita de suco de uva integral.

Benefícios do suco de uva

O suco de uva é rico em diversos nutrientes, e, assim como a uva in natura, pode trazer muitos benefícios para a saúde.

Veja abaixo a composição de macronutrientes por porção de 100 g de suco de uva integral.

Componente Valor por 100 g
Calorias 61 kcal
Carboidratos 14,8 g
Proteína 0,37 g
Gorduras 0,13 g
Fibra alimentar 0,2 g

. É rico em antioxidantes

O principal antioxidante presente nas uvas, e consequentemente no suco, é o resveratrol.

Esse composto é responsável por diversos benefícios à saúde, uma vez que combate os danos causados pelos radicais livres, ajudando a prevenir uma série de problemas de saúde, como:

  • Degeneração macular: Assim como a pele, os olhos também sofrem bastante com a ação dos radicais livres, e o consumo de alimentos ricos em antioxidantes é essencial para a manutenção da saúde ocular. Um desses problemas é a degeneração macular, doença que atinge principalmente idosos, e pode levar à cegueira;
  • Envelhecimento precoce da pele: A pele é um dos órgãos mais sensíveis à ação dos radicais livres e da radiação solar. Assim, o consumo regular de antioxidantes como o resveratrol é uma ótima forma de evitar os danos à pele, e mantê-la com aparência jovem por mais tempo;
  • Inflamações: Esse efeito se deve à ação dos antioxidantes na regulação do sistema imunológico, contribuindo assim para a prevenção de doenças inflamatórias e autoimunes;
  • Doenças neurodegenerativas: Embora esse efeito ainda esteja sendo estudado, os pesquisadores acreditam que o resveratrol pode ajudar a reduzir a neuro-inflamação e o declínio das funções cognitivas de pacientes com Alzheimer.
  • Veja também: 11 poderosos antioxidantes para pele

2. Redução da pressão arterial

Os antioxidantes presentes no suco de uva contribuem também para a redução da pressão arterial, assim como a presença de potássio.

Em conjunto esses nutrientes ajudam manter a pressão arterial em níveis saudáveis, reduzindo assim o risco de hipertensão e outras doenças cardiovasculares.

3. Ajuda a proteger o coração

O suco de uva, da mesma forma que a uva in natura e o vinho, contribuem para a manutenção da saúde cardiovascular.

O suco de uva, da mesma forma que a uva in natura e o vinho, contribuem para a manutenção da saúde cardiovascular.

Receita de suco de uva integral 

Ingredientes: 

  • 350 g de uvas vermelhas ou verdes sem caroços;
  • Açúcar ou adoçante a gosto (opcional);
  • 2 a 3 colheres de sopa de suco de limão natural e fresco;
  • 1 pitada de sal;
  • ½ xícara de água gelada;
  • Cubos de gelo.

Modo de preparo:

  • Lave as uvas com água corrente;
  • Então, bata as uvas no liquidificador juntamente com o açúcar ou adoçante e a água gelada até adquirir uma consistência uniforme;
  • Depois, adicione a pitada de sal, o gelo e o suco de limão e misture.

Atenção: é importante tomar o suco natural de uva imediatamente depois do seu preparo, uma vez que a bebida logo perde as suas propriedades nutricionais e, portanto, os seus benefícios. Fonte: mundoboaforma)

Tabela nutricional

Porção de 100 g de suco de uva integral.

Componente Valor por 100 g
Calorias 61 kcal
Carboidratos 14,8 g
Proteína 0,37 g
Gorduras 0,13 g
Fibra alimentar 0,2 g
Gorduras saturadas 0,03 g
Gorduras poli-insaturadas 0,02 g
Cálcio 11 mg
Ferro 0,25 mg
Sódio 5 mg
Magnésio 10 mg
Fósforo 14 mg
Potássio 104 mg
Zinco 0,07 mg
Cobre 0,02 mg
Tiamina 0,02 mg
Riboflavina 0,02 mg
Niacina 0,13 mg
Vitamina B6 0,03 mg
Vitamina C 25 mg
Fonte: Tabela Brasileira de Composição de Alimentos (TACO)

Leia mais:  Por que pessoas com duas doses da vacina da Covid-19 ainda podem contrair a doença?
Continue lendo

Medicina e Saúde

Confira seis dicas para praticar exercícios em dias quentes

Publicado

Treinar de manhã ou à noite, ingerir mais água, utilizar roupas funcionais e investir em filtro solar são algumas das recomendações de especialista

Para muitas pessoas, treinar ao ar livre e em dias quentes pode ser difícil e desagradável. E para te ajudar nessa missão, Liora Bels, especialista em bem-estar, separou algumas dicas que farão toda diferença para quem quer praticar atividades físicas em dias quentes e sem preocupações.

De acordo com Bels, com a chegada do verão, os praticantes de exercícios físicos devem ficar mais atentos a alguns riscos inerentes à estação, como queimaduras solares, picadas de insetos, desidratação e, no pior do casos, até mesmo insolação. 

“Mas até sintomas menos graves, como náuseas, tontura ou cãibras, podem aparecer e afetar a performance. Além desses contratempos, vale ressaltar que os treinos de alta intensidade aumentam muito a frequência cardíaca, o metabolismo e a temperatura corporal em um curto espaço de tempo. Com a temperatura elevada, muitas pessoas experienciam uma susceptibilidade maior a problemas cardiovasculares. Então vale diminuir o tempo de exposição aos raios solares”, explica.

Para evitar qualquer tipo de risco, a especialista separou seis dicas. Confira:

1. Treinos na sombra

A maioria das pessoas faz isso de forma automática. 

“Treinos sob altas temperaturas e em dias ensolarados devem sempre ser feitos na sombra. No entanto, é recomendável se planejar antes. A área de sombra é suficiente no lugar de treino? Quanto espaço será necessário? É possível ir a um bosque ou parque? Qual é a direção do sol? Planejar é essencial e pode evitar a necessidade de procurar um lugar alternativo durante a atividade ou que a pessoa tenha que treinar no sol escaldante”.

2. Treinos matutinos e noturnos

Enquanto que no inverno e em dias frios é aconselhável que os treinos sejam feitos no meio do dia, a fim de aproveitar ao máximo a luz solar, no verão a recomendação é exatamente fugir desse momento e mudar o treino para a parte da manhã ou à noite. 

“Nessas horas, as temperaturas são mais agradáveis e a exposição à radiação solar é menor. De manhã cedo, o ar é mais fresco e torna o começo do dia igualmente refrescante”, destaca a especialista.

3. Quantidade adequada de ingestão de água

Altas temperaturas são acompanhadas de uma maior perda de líquidos por meio da transpiração. É por isso que a especialista aconselha a tomar um litro adicional do normal de água. 

“A capacidade física já diminui com um défice de água de 2% do peso corporal, já que a água é o meio de reação e transporte número 1 do nosso corpo. Uma ingestão adequada de água é necessária para garantir que os minerais perdidos na transpiração sejam repostos, pois são necessários para o funcionamento correto dos músculos”. 

Com uma deficiência de minerais, a cãibra é apenas uma opção de sintoma que pode ocorrer. 

“O risco de desidratação e cãibras durante e depois do treino é especialmente alto, por isso é aconselhável aumentar a ingestão de líquidos antes do treino. E já que não é agradável treinar com o estômago cheio de água, a recomendação é tomar dois copos aproximadamente 30 minutos antes do treino”, completa.

4. Roupas funcionais

Especialmente no verão, utilizar roupas funcionais pode ser muito útil durante os exercícios. 

“Materiais que dissipam o suor e que mantêm o corpo frio por meio de ventilação são as melhores alternativas, assim como roupas justas que criem o menor atrito possível. As roupas devem cobrir a maior parte do corpo, a fim de evitar queimaduras solares e picadas de insetos. Além disso, as pessoas devem proteger o rosto do sol. Um boné é ideal para cobrir a maior parte do rosto e, ao mesmo tempo, a área dos olhos”.

5. Filtro solar

No verão, a pele é extremamente exposta à radiação ultravioleta durante o dia, também na sombra. 

“Ainda que a aplicação correta de filtro solar no verão seja uma recomendação geral, é preciso dar destaque especial à ela. Os riscos de queimaduras solares são conhecidos por todos e a sua prevenção deve ser levada a sério”, alerta a especialista.

6. Repelentes

Mosquitos, vespas e moscas durante os treinos podem distrair e irritar. 

“O verão é a alta estação dos insetos. Por isso é aconselhável aplicar um repelente antes de treinar”.

Leia mais:  Por que pessoas com duas doses da vacina da Covid-19 ainda podem contrair a doença?
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana