conecte-se conosco


Brasil

Menor colégio eleitoral elege prefeito por diferença de 18 votos

Publicado

Araguainha (MT), a 471 km de Cuiabá, elegeu o candidato do PSL, Chiquinho; 464 eleitores o escolheram, e 446 queriam a reeleição de Silvinho (DEM)

A eleição do novo prefeito de Araguainha, município com menor colégio eleitoral do país, foi definida pela diferença de apenas 18 votos.

No domingo (15), os eleitores da Araguainha, cidade localizada a 471 quilômetros da capital mato-grossense, Cuiabá, elegeu o candidato do PSL, Chiquinho. Ele recebeu 464 votos e derrotou o atual prefeito, Silvinho (DEM), que ficou com 446 votos.

De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE)  o município tem 946 habitantes, e 1.001 eleitores estavam aptos a votar na eleição deste domingo (15).

O número de eleitores de Araguainha contrasta com o da cidade de São Paulo, município com maior colégio eleitoral no país. Na capital paulista, estavam aptos a votar 8.986.687, número que supera individualmente o eleitorado de 21 estados brasileiros e do Distrito Federal.

Após o fechamento das urnas, a totalização dos votos foi finalizada pouco depois das 19h10, segundo dados da página do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). No final da apuração, Chiquinho teve 50,99% dos votos, contra 49,01% de Silvinho, o segundo colocado.

Com a vitória de ontem, Chiquinho devolveu a derrota para Silvinho nas eleições municipais de 2016. Na ocasião, Chiquinho recebeu 364 votos, o que representou 41,04% dos votos válidos, contra 523 de Silvinha, que terminou o pleito com 58,96% dos votos válidos.

O prefeito eleito tem 46 anos e é solteiro. Ao TSE, ele disse que tem ensino superior incompleto e que trabalha como motorista particular. Chiquinho declarou ter patrimônio no valor de R$ 197 mil. Adiel, do Republicanos, é o vice-prefeito.

Na eleição deste ano em Araguainha, apenas duas pessoas votaram em branco (índice de 0,21%) e 21 anularam o voto (2,25%). O índice de abstenção foi de 6,79%, com 68 eleitores que não compareceram à votação. Os eleitores elegeram ainda nove vereadores.

Leia mais:  Governo cria programa para levar energia elétrica a 70 mil famílias em áreas remotas
publicidade

Brasil

Aposentados do INSS começam a receber novo piso de R$ 1.100

Publicado

Calendário de pagamento de aposentadorias e pensões começa nesta segunda, para quem ganha salário mínimo

O INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) começa nesta segunda-feira (25) o calendário de pagamentos de 2021 para os aposentados, pensionistas e beneficiários do auxílio-doença. Cerca de 35 milhões de segurados vão receber de hoje ao dia 5 de fevereiro. Segundo o INSS, os depósitos seguirão a mesma sequência de anos anteriores.

Para aqueles que recebem um salário mínimo, o valor começa a ser pago hoje, atualizado com o novo piso, de R$ 1.100, um reajuste de 5,26%. Já os segurados que recebem benefícios acima do mínimo terão pagamento a partir de 1º de fevereiro, com reajuste maior, de 5,45%. 

Isso ocorre porque o aumento do piso foi definido no final de dezembro, com a projeção da inflação de 2020, antes de sair o INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor), que serve como base para este cálculo, divulgado em 12 de janeiro pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Com o reajuste, o teto do INSS – valor máximo das aposentadorias pagas pela Previdência Social – possou para R$ 6.433,57.

A orientação do INSS é que os segurados fiquem atentos: a data de depósito dos benefícios depende do número final do cartão de benefício, sem considerar o último dígito verificador, que aparece depois do traço, para aqueles que foram concedidos recentemente ou a data que já habitualmente recebia para aqueles que possuem seu benefício há algum tempo.

Veja o calendário de pagamento:

Leia mais:  Advogado escreve receita de pamonha na petição para provar que juiz não lê os autos
Continue lendo

Brasil

Estudantes podem pedir reaplicação do Enem a partir desta segunda-feira

Publicado

Inep recomenda que pedido seja feito pela internet

Candidatos que não puderam participar do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) por estarem com sintomas de covid-19 ou de outra doença infectocontagiosa e aqueles que não conseguiram fazer as provas por problemas logísticos podem, a partir de hoje (25), pedir para participar da reaplicação do Enem na Página do Participante. O sistema ficará aberto até o dia 29.

As provas do Enem impresso foram aplicadas nos dias 17 e 24 de janeiro. Nas semanas que antecederam cada uma das aplicações, os candidatos puderam enviar exames e laudos médicos ao Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). Aqueles que ainda não o fizeram poderão, agora, acessar o sistema online. As provas da reaplicação serão nos dias 23 e 24 de fevereiro.

Além da covid-19, podem solicitar a reaplicação participantes com coqueluche, difteria, doença invasiva por Haemophilus influenza, doença meningocócica e outras meningites, varíola, Influenza humana A e B, poliomielite por poliovírus selvagem, sarampo, rubéola, varicela.

Segundo o Inep, para a análise da possibilidade de reaplicação, a pessoa deverá inserir, obrigatoriamente, no momento da solicitação, documento legível que comprove a doença. Na documentação, deve constar o nome completo do participante, o diagnóstico com a descrição da condição, o código correspondente à Classificação Internacional de Doença (CID 10), além da assinatura e da identificação do profissional competente, com o respectivo registro no Conselho Regional de Medicina (CRM), do Ministério da Saúde (RMS) ou de órgão competente, assim como a data do atendimento. O documento deve ser anexado em formato PDF, PNG ou JPG, no tamanho máximo de 2 MB.

Problemas logísticos

Também poderão pedir a reaplicação estudantes que tenham sido prejudicados por problemas logísticos. De acordo com o edital do Enem, são considerados problemas logísticos, por exemplo, desastres naturais que prejudiquem a aplicação do exame devido ao comprometimento da infraestrutura do local, falta de energia elétrica, falha no dispositivo eletrônico fornecido ao participante que solicitou uso de leitor de tela ou erro de execução de procedimento de aplicação que incorra em comprovado prejuízo ao participante.

No primeiro dia de aplicação, participantes foram impedidos de fazer o exame por causa da lotação dos locais de prova. Devido à pandemia do novo coronavírus, as salas deveriam ter até metade da lotação máxima. Em alguns locais, não foi possível acomodar os inscritos. De acordo com o Inep, esses casos foram relatados em pelo menos 11 locais de prova em Florianópolis (SC), Curitiba (PR), Londrina (PR), Pelotas (RS), Caxias do Sul (RS) e Canoas (RS).

Também terão direito à reaplicação os 160.548 estudantes que fariam a prova no estado do Amazonas, 2.863 em Rolim de Moura (RO) e 969 em Espigão D’Oeste (RO). O exame foi suspenso por causa dos impactos da pandemia nessas localidades. Ao todo, segundo o Ministério da Educação, foram quase 20 ações judiciais em todo o país contrárias à realização do Enem.

Os pedidos de reaplicação serão analisados pelo Inep. A aprovação ou a reprovação do pedido de reaplicação deverá ser consultada também na Página do Participante. Os participantes também podem entrar em contato com o Inep pelo telefone 0800 616161. O Inep recomenda, no entanto, que os candidatos façam a solicitação pela internet.

Enem 2020

O Enem 2020 tem uma versão impressa, que foi aplicada nos dois últimos domingos, 17 e 24, e uma digital, que será realizada de forma piloto para 96 mil candidatos, nos dias 31 de janeiro e 7 de fevereiro.

O Inep divulgará, até quarta-feira (27) os gabaritos das questões objetivas do Enem. Mesmo com o gabarito em mãos não é possível saber quanto se tirou no exame. Isso porque as provas são corrigidas com base na teoria de resposta ao item (TRI). A pontuação de cada estudante varia, entre outros fatores, de acordo com o desempenho do próprio candidato no exame.

O resultado final será divulgado no dia 29 de março. Os candidatos podem usar as notas para concorrer a vagas no ensino superior, por meio de programas como o Sistema de Seleção Unificada (Sisu), que oferece vagas em instituições públicas de ensino superior, e o Programa Universidade para Todos (ProUni), que oferece bolsas de estudo em instituições privadas. 

Leia mais:  Ministério da Saúde investiga possível paciente com coronavírus em SP; caso foi para contraprova
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana