conecte-se conosco


Brasil

Ministério da Saúde investiga caso suspeito de coronavírus em MG

Publicado

Paciente é uma estudante que viajou para Wuhan, na China. Segundo o ministro da Saúde, ela está em um hospital e passa bem.

O Ministério da Saúde investiga um caso suspeito de coronavírus em Minas Gerais. Nesta terça-feira (28), o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, informou que a pasta investiga uma paciente que apresentou sintomas compatíveis com os da doença. Além disso, agora o ministério orienta que brasileiros evitem viajar à China ou embarquem somente em casos de extrema necessidade.

A paciente cujo caso está sob investigação médica é uma estudante de 22 anos que viajou para Wuhan, na China. Ela chegou em território brasileiro no dia 24 de janeiro. Segundo o ministro, a estudante está em um hospital de alta organização na área de infectologia. Todas as 14 pessoas que tiveram contato com a estudante também estão sendo monitoradas.

Agora, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) está levantando os outros viajantes que estavam no voo que viajou da China até o Brasil – escalas foram feitas em Paris e Guarulhos.

Paciente passa bem

De acordo com Mandetta, a paciente monitorada relata não ter ido ao mercado de peixes da cidade, não ter tido contato com nenhuma pessoa doente e não ter procurado nenhum serviço de saúde enquanto estava na cidade. Segundo a Secretaria de Estado da Saúde de Minas Gerais, a jovem passa bem.

Nesta terça, representantes do Ministério da Saúde vão participar de uma reunião com a Organização Mundial da Saúde (OMS) sobre o tema. Mandetta disse que o Instituto Butantã participará de um “esforço internacional” para a produção de uma vacina contra o coronavírus.

‘Perigo iminente’

O Ministério da Saúde elevou a classificação de risco do Brasil para o nível 2, que significa “perigo iminente” – até segunda-feira (27) o país estava em nível 1 de alerta. A mudança de patamar faz parte de um protocolo envolvendo a escala, que vai de 1 a 3 – o nível mais elevado só é ativado quando são confirmados casos transmitidos em solo nacional.

  • Nivel 1- alerta
  • Nível 2 – perigo iminente
  • Nível 3 – emergência em saúde publica

O Ministério diz ter recebido, desde o início do surto de coronavírus na China, “mais de 7 mil rumores” de infecção, segundo Mandetta. Desse total, 127 exigiram verificação do órgão e apenas um se confirmou como suspeita.

O ministro da Saúde afirmou que o governo federal “está preparado” para detectar o vírus. “Não é um sistema que está sendo preparado agora. Temos o plano de contingência e o que vamos fazer é atualizar.”

Mandetta destacou que a Organização Mundial da Saúde (OMS) passou a classificar como “elevado” o risco internacional de contaminação pelo novo coronavírus – antes, considerado “moderado”. Segundo o ministro, com o novo status, o Brasil amplia o monitoramento dos casos. Ele explica que antes, o governo monitorava pessoas que passaram pela província de Wuhan, onde estão concentrados os casos na China.

Brasileiros na China

Ao ser questionado sobre o pronunciamento do presidente, Mandetta afirmou que já conversou com Bolsonaro, explicando a classificação da OMS e a necessidade de ampliação da vigilância no país. Já sobre a retirada de brasileiros da China, afirmou que compartilha do mesmo posicionamento do chefe do Executivo.

“Quando temos uma situação como essa, recomendamos que a pessoa tem que está onde ela está. Não é orientado remoção, até porque você não tem um tratamento específico para essa doença. Primeiro se esclareça o caso para depois fazer qualquer tipo de movimentação”, defendeu.

O ministro se referiu à família brasileira que está nas Filipinas, mas que passou por Wuhan, na China. Trata-se de um casal e um filho de 10 anos. A criança está com suspeita de contaminação e foi colocado em isolamento. Os pais da menina também estão isolados por precaução.

Ministério ‘desaconselha’ viagem para a China

Mandetta foi questionado sobre o posicionamento do Ministério da Saúde, em “desaconselhar” viagens à China. Ao comentar, o ministro negou que haja “proibição”.

“Nós estamos desaconselhando, não estamos proibindo. Faça viagem só se for estritamente necessário. Você não sabe qual é a característica do vírus”, disse.

Segundo o ministro, a orientação visa proteger o próprio cidadão e outros brasileiros em território nacional. “Não é recomendável que a pessoa se exponha e depois retorne ao Brasil e exponha mais pessoas”, disse.

Fonte: G1.

publicidade

Brasil

Doutor Peludo: médico do ES será investigado por filmar sexo em consultório e divulgar na internet

Publicado

O médico é infectologista, natural do Espírito Santo, mas atuava em uma clínica no Distrito Federal

Um médico capixaba, natural de Vila Velha, está sendo investigado pelo Conselho Regional de Medicina do Distrito Federal (CRM-DF) por divulgar imagens de sexo na internet, supostamente, filmadas em consultórios, envolvendo pacientes e colegas de trabalho.

Numa rede social, ele mantinha uma conta aberta ao público, com conteúdos descritos para maiores de 18 anos. Cenas explícitas de sexo eram publicadas em fotos e vídeos, sempre em ambientes que lembravam um consultório. Ele ainda usava jaleco e um estetoscópio nos vídeos. As informações são do portal Metrópoles.

O médico é infectologista e atuava em uma clínica em Brasília, no Distrito Federal. Ele possui registro no CRM ativo na Capital Federal, no Espírito Santo, no Rio de Janeiro e em São Paulo.

Na quarta-feira (25), o perfil dele no Twitter já está desativado. Identificado como “PeludoAN” (sendo “AN” uma abreviação para “Asa Norte”, bairro de classe média alta de Brasília), ele publicava os vídeos explorando fetiches com direito a legendas provocativas: “Consultório me dá tesão da p*”, escreveu em uma postagem.

Leia mais:  STJ nega pedido de João de Deus para anular provas

Vídeos incluiam de sexo oral a fetiches com homens casados

Nos vídeos, bastante explícitos, o infectologista registrava de cenas de sexo oral a relação sexual completa, ou “happy end”, como ele dizia.

Os homens que faziam sexo com ele eram de perfis variados: loiros, morenos, cabeludos, carecas. 

O médico tinha um fetiche especial por homens casados. Ter uma aliança dourada na mão esquerda fazia do parceiro da filmagem uma atração especial. “C* de casado é bom demais pra cair de cara”, escreveu numa das legendas.

“Consultório, já viu: tesão na certa, com o tanto de macho gostoso que passa comigo”, diz ele em outra postagem. 

Entre os posts, há também registros de sexo grupal com outros homens. Estes, porém, feitos em ambiente doméstico.

Ele é especialista em tratamento de infecções sexualmente transmissíveis (ISTs). Apesar disso, em diversos vídeos, preservativos não eram usados. Todas as relações foram supostamente consentidas.

Segundo apuração do Metrópoles, a clínica onde ele atendia em Brasília informou que ele não faz mais parte do quadro de funcionários desde terça-feira (24). 

Leia mais:  Costureira restaura bonecas do lixo e faz doação para crianças carentes

No entanto, a conta do Instagram segue aberta, mas com postagens comuns, que mostram viagens e o dia a dia do especialista.

Médico pode perder registro profissional em todo o Brasil

Procurado, o Conselho Regional de Medicina do Distrito Federal informou que o profissional denunciado será investigado por meio de uma sindicância. “O procedimento correrá em sigilo para verificar se há indícios de infração ética”, afirmou.

Já o Conselho Regional de Medicina do Espírito Santo (CRM-ES), informou que, como o caso teria acontecido em Brasília, somente o CRM-DF deve apurar. “No caso de alguma penalidade, ela é aplicada em todos os Regionais em que o infectologista estiver inscrito”.

Continue lendo

Brasil

Suzano abre inscrições para programa de qualificação de jovens em Mucuri

Publicado

Suzano, referência global na fabricação de bioprodutos desenvolvidos a partir do cultivo de eucalipto, inicia as inscrições do processo seletivo para a capacitação de jovens pelo Programa Formare, em Mucuri.

Desenvolvido pelo programa Voluntariar em parceria com a Fundação Iochpe, o Formare é uma iniciativa com o objetivo de capacitar jovens em situação de vulnerabilidade social para a educação profissional e para o mercado de trabalho.

Em Mucuri, o Formare ofertará 20 vagas para jovens no curso de Operador de Processo de Produção. Interessados e interessadas em participar do programa podem se inscrever até 13 de junho.

É preciso atender alguns pré-requisitos, como ter 18 anos ou 19 anos completos até 31 de julho de 2022; ter renda per capita de até um salário-mínimo por pessoa da residência; não ser filho de colaborador da empresa; ter Ensino Médio completo ou estar cursando o 2º ou 3º ano em escola pública entre outros.

BENEFÍCIOS – Dentre os benefícios oferecidos pelo programa, estão a capacitação profissional gratuita com carga horária média de 1.200 horas, uniforme, material escolar e seguro de vida. As aulas são ministradas por voluntários capacitados pela Fundação Iochpe que compartilham talento e experiência com os jovens. Durante o curso os jovens terão disciplinas práticas e teóricas, proporcionando maior oportunidade de aprendizado e crescimento profissional para o mercado de trabalho.

Leia mais:  Santander lança campanha de renegociação e oportunidades de acesso a crédito para dar fôlego financeiro aos clientes

“O Formare prepara jovens para o mercado de trabalho e isso reforça o nosso compromisso de fortalecer o protagonismo social e seu papel transformador na sociedade por meio da educação. Acreditamos que só é bom para nós se for bom para o mundo, e com o programa conseguimos fomentar nossos valores e renovar o nosso olhar para o futuro em prol de uma sociedade mais justa e com melhores oportunidades” destaca Elisabete Flores Pagliusi, coordenadora de Voluntariado e Projetos de Formação da Suzano.

Para participar do processo seletivo, candidatos e candidatas devem conferir todos os pré-requisitos e se inscrever por meio da plataforma AVA até 13 de junho e as etapas do processo acontecerão remotamente.

Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana