conecte-se conosco


Moda e Beleza

Moda praia capixaba ganha espaço em feira internacional

Publicado

As empresas capixabas de moda praia Borana, Mr. Captain e Verônica Santolini, participantes do Programa de Qualificação para Exportação (PEIEX-ES), iniciativa da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), em parceria com a Secretaria de Desenvolvimento (Sedes) e a Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Espírito Santo (Fapes), vão ter a oportunidade de ampliar contatos em uma feira de negócios em Portugal, prevista para acontecer entre os dias 23 e 30 de novembro, totalmente on-line devido à pandemia do novo Coronavírus (Covid-19).

A feira internacional, intitulada Missão Portugal, é uma das etapas do Programa de Aceleração de Exportações, iniciativa da gerência de Competitividade da Apex-Brasil, que tem por objetivo promover o acesso mais rápido das empresas ao mercado internacional, por meio da participação em ações de promoção comercial customizadas. Durante o evento, as empresas participam de rodadas de negócios com os compradores locais e de visitas técnicas virtuais com players do setor produtivo português para a troca de experiências.

A empresa Mr. Captain já recebeu o seu Plano de Exportação e agora se prepara para participar da feira internacional. A marca do segmento de moda masculina casual e praia, localizada em Vitória, que já realizou algumas vendas para a Austrália e com o auxílio do PEIEX-ES, pretende exportar para o Uruguai e para a Alemanha. A sócia da empresa, Laís Kamaz Vinhosa Jardins, acredita que participar da Missão Portugal será uma oportunidade para aprender ainda mais sobre os processos de exportação. 

“Estamos muito felizes e animados por ter essa chance de ter contato com o mercado exterior. Faremos pesquisas de preços, mercado e contatos com as pessoas de fora. Investimos muito em redes sociais, como o Instagram, e passamos a usar o inglês para poder alcançar outras pessoas além dos brasileiros. Nos preparamos para que a empresa seja bem vista no exterior. Queremos acelerar o ritmo e aproveitar essa oportunidade para dar mais gás ao nosso cronograma”, afirmou Laís Jardim.

Outra marca que também já recebeu o Plano de Exportação é a empresa Verônica Santolini, localizada em Jerônimo Monteiro. Com quatro lojas, entre atacado e varejo, e capacidade de produção de até 10 mil peças por mês, a empresa comercializa seus produtos em todo o Estado, além da região norte do Rio de Janeiro, sul da Bahia e Minas Gerais. Agora, a marca já se prepara para exportar sua produção.

O gerente administrativo e financeiro da empresa, Roger Borges dos Santos, explica que participar da Missão Portugal representa a possibilidade de comercializar seus produtos no mercado externo. “O nosso Plano de Exportação prevê Portugal, com os melhores resultados de exportação para a nossa marca, e como a missão é no País, estamos muito animados com a oportunidade de participar do evento. Como é a nossa primeira vez em contato com o mercado externo, estamos confiantes para conseguir fechar contatos e possíveis vendas”, destacou Borges dos Santos.

Fundada pela família Aguiar há 10 anos, a Borana participou do ciclo 2016/2018 do PEIEX-ES. Desde então, exporta para Portugal, Japão, Moçambique, Grécia, Itália, Espanha, Estados Unidos, Líbano e França, entre outros países, e adquiriu conhecimentos ao atuar em feiras internacionais como a ColombiaModa, em Medellín, e a Cabanas e Swimming, em Miami, nos Estados Unidos.

Para Jorge Aguiar, gerente de assuntos estratégicos e produção da marca, os anos de dedicação alcançaram resultados notáveis no mercado externo. “Participar do programa foi bastante enriquecedor, pois abriu mercado para a nossa marca e nos proporcionou conhecimento técnico em relação aos procedimentos de exportação. Conquistar o mercado internacional leva tempo e dedicação, mas depois das capacitações e treinamentos do PEIEX-ES, alcançamos bons resultados. Hoje, a Borana exporta para vários países e pode participar de feiras de negócios. Com isso, a nossa expectativa para a Missão Portugal é a melhor possível. Estamos felizes e realizados por essa oportunidade”, disse Aguiar.

De acordo com o monitor do PEIEX-ES Francisco Ramaldes, as empresas selecionadas já tiveram a oportunidade de participar, em setembro, de uma mentoria individual com consultoria local especializada. Teve início na última quarta-feira (21) e terminou nesta terça-feira (27), acontece uma semana de qualificação, com seminários preparatórios integralmente on-line e com conteúdos exclusivos para as empresas.

O subsecretário de Estado de Atração de Investimentos e Negócios Internacionais da Sedes, e coordenador do PEIEX-ES, Gabriel Feitosa, celebra a parceria de trabalho com a Apex-Brasil. “Esse contato constante do programa com a Agência é de extrema relevância para as empresas capixabas, já que a Apex-Brasil promove diversas ações, inclusive missões comerciais e rodadas de negócios com compradores estrangeiros para apoiar os empresários que têm o interesse em iniciar o processo de exportação”, contou Feitosa.

Para o secretário de Estado de Desenvolvimento, Marcos Kneip, a participação das empresas em feiras, que têm foco no comércio exterior, contribui para fortalecer as atividades que o PEIEX-ES já desempenha junto aos empresários. “A aproximação das empresas inscritas no programa, com novos clientes e fornecedores de outros países, favorece o desenvolvimento da cultura exportadora no Espírito Santo. Além disso, coloca em evidência, nos âmbitos nacional e internacional, os produtos e serviços produzidos no nosso Estado”. 

Sobre o PEIEX-ES

O programa oferece às empresas, de forma gratuita, orientação técnica sobre as melhorias que a organização deve implementar para comercializar produtos e serviços no mercado internacional. 

Sobre a Apex-Brasil

A Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) atua para promover os produtos e serviços brasileiros no exterior e atrair investimentos estrangeiros para setores estratégicos da economia brasileira. A Agência apoia, atualmente, cerca de 15 mil empresas em 80 setores da economia.

Leia mais:  Esmalte vencido, como identificar? Principais perigos de usá-lo
publicidade

Moda e Beleza

Conheça os tipos de olheiras e como tratar cada uma delas

Publicado

Escurecimento na área dos olhos está associado a diversos fatores e por isso exige diferentes procedimentos, dizem especialistas

Quando se fala em skincare e prevenção ao envelhecimento facial, a área dos olhos tem sido a maior fonte de angústia estética durante a pandemia. Afinal, são as olheiras que denunciam os primeiros sinais de cansaço e stress causados pela pandemia.

Mas você sabia que nem todas as olheiras são iguais – e existe um tratamento adequado para cada uma delas? É o que explica a dermatologista Pâmela Ribeiro. Segundo a especialista em cosmiatria, área voltada para o tratamento e prevenção de problemas estéticos na pele, existem diferentes fatores para o aparecimento das olheiras.

“No caso de pigmentos e vasinhos arroxeados, o tratamento com luz pulsada é uma boa opção, assim como peeling. Já para profundidade, o mais indicado é o preenchimento com ácido hialurônico”, diz.

A área dos olhos é a mais sensível aos efeitos do tempo, clima e das emoções justamente por se tratar de uma pele mais fina, explica a dermatologista Luciana Garbelini.

“Para se ter uma ideia, a pele do restante do corpo pode vir a ter cerca de 2 milímetros de espessura, enquanto a pele da região dos olhos tem em média 0,5 milímetro. Por isso, essa área está mais favorável ao aparecimento de colorações escuras”, explica.

Quais são os tipos de olheiras?

• Olheiras profundas: são recorrentes em pessoas com o globo ocular naturalmente mais profundo, por questões genéticas, ou por perderem o preenchimento natural devido ao envelhecimento ou perda intensa de peso.

• Olheiras vasculares: podem apresentar tons azulados, arroxeados ou avermelhadas e aparecem devido à má circulação do sangue depois de noites mal dormidas.

• Olheiras pigmentares: geralmente são identificadas pelos tons amarronzados e são mais frequentes em pessoas com excesso de melanina ao redor dos olhos.

• Olheiras mistas: é o tipo mais comum entre as possíveis olheiras, são as olheiras que possuem mais de uma causa e que, muitas vezes, estão associadas ao seu desenvolvimento, como genética, bolsas de gordura ou flacidez, acúmulos de vasos, entre outros.

Leia mais:  Juliana Paes aproveita quarentena para deixar cabelo natural
Continue lendo

Moda e Beleza

Conheça os riscos da banalização da harmonização facial

Publicado

Especialista alerta para precauções que devem ser tomadas ao se optar por tratamentos que prometem rejuvenescer o rosto

A grande procura por procedimentos de harmonização facial, que tem como objetivo corrigir assimetrias e alterações em relação a contornos e ângulos no rosto dos pacientes, chama a atenção de todos. De acordo com a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP), no ano de 2020, ocorreu um aumento de aproximadamente 50% na procura por esses procedimentos estéticos, em plena pandemia. Isso se dá por diversos fatores, sendo um deles a menor exposição social, o que favorece maiores cuidados com a cicatrização durante o pós-operatório.

Nesses momentos de maior demanda também aumenta o número de problemas relacionados, principalmente quando a tomada de decisão sobre o procedimento é feita de forma brusca, sem pesquisa aprofundada.

“É preciso saber selecionar com qual profissional você vai realizar sua harmonização e discutir com ele suas expectativas e reais possibilidades em atendê-las”, afirma Fábio Ricardo Loureiro Sato, médico especialista em cirurgia bucomaxilofacial.

Expectativas irreais causam frustração nos pacientes

Com o intuito de auxiliar os pacientes que procuram esses procedimentos estéticos, o profissional dá algumas dicas de cuidados:

• O barato pode sair caro

O aumento da procura pelos procedimentos faz com que muitos profissionais migrem para essa área, então é preciso tomar cuidado para não cair em armadilhas. Converse com um cirurgião especializado, analise suas qualificações e fale com outras pessoas que já fizeram o mesmo procedimento com o profissional escolhido. Não acredite em preços muito abaixo do padrão desse segmento.

• É preciso ser realista

Um dos pontos importantes é entender a expectativa que cada um tem em relação à harmonização, compreendendo que, como qualquer tratamento, existem limites. Muitas pessoas possuem expectativas elevadas que não podem ser atingidas e alguns profissionais prometem atingir o que foi idealizado, frustrando a todos diante do resultado. A conversa entre ambos precisa ser franca e realista.

• Tudo o que é demais, sobra

Quando se fala de procedimentos estéticos, é muito comum lembrarmos de casos famosos pelos excessos, que levam a resultados indesejados. De acordo com Fábio Sato, uma das funções do profissional é fazer com que os pacientes saibam os limites dos resultados que podem ser atingidos, pois há quem comece a realizar o tratamento e fique eternamente insatisfeito, querendo sempre mais.

• A pressa é a inimiga da perfeição

Nem sempre é aconselhável fazer todos os procedimentos em um único momento. Hoje em dia é muito comum a chamada harmonização “full face” que visa fazer um rejuvenescimento facial de toda a face através de uma combinação de técnicas (preenchimento, fios, bioestimuladores, bichectomia, lipo de papada, entre outros). Porém, nem sempre ela é indicada a todos os pacientes. “Muitas vezes pequenos procedimentos acabam tendo bons resultados”, afirma Fábio. Além disso, antes de fazer uma nova cirurgia no rosto, é preciso aguardar o resultado final do que foi feito anteriormente, o que pode demorar algumas semanas ou meses.

“A obsessão pela imagem de perfeição leva as pessoas a desejarem algo irreal, descompassado com a realidade. Por isso, consulte sempre um profissional experiente e discuta com eles seus objetivos e possibilidade de tratamento para o caso”, finaliza o especialista.

Leia mais:  Óleo para cabelos: ideais para cabelo cacheado, ressecado, crescer e baratos!
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana