conecte-se conosco


Cidades

Movimento internacional ressalta transparência adotada pela Suzano em relato de tema climático

Publicado

Empresa tem projeto apresentado como estudo de caso na plataforma do TCFD

Suzano, referência global na fabricação de bioprodutos desenvolvidos a partir do cultivo de eucalipto, é a primeira empresa mundial do setor de papel e celulose a protagonizar a divulgação de um estudo de caso por parte da Taskforce for Climate Related Financial Disclosure (TCFD), a Força-Tarefa Sobre Divulgações Financeiras Relacionadas ao Clima. A exposição comprova a transparência dada pela Suzano a temas relacionados às questões climáticas dentro da Central de Indicadores, uma plataforma interativa onde são apresentados dados quantitativos e qualitativos sobre as operações e os impactos da empresa.

A Força-Tarefa é um movimento internacional composto por 31 membros de diversas organizações, selecionadas pelo Conselho de Estabilidade Financeira (Financial Stability Board – FSB), que atua em favor de divulgações financeiras voluntárias relacionadas ao clima. O FSB, por sua vez, é um órgão internacional que coordena a regulamentação financeira das maiores economias mundiais e faz recomendações sobre o sistema financeiro global, incluindo o desenvolvimento de políticas regulatórias.

Criada em 2015, o TCFD Knowledge Hub, página onde são divulgadas iniciativas relacionadas às recomendações da Força-Tarefa, já expôs 14 estudos de caso, lista composta principalmente por empresas dos setores financeiro e não financeiro. Além de ser a primeira do setor de papel e celulose, a Suzano é também a primeira companhia não financeira da América Latina a ter seu trabalho apresentado no hub.

“Há um movimento crescente de conexão entre questões climáticas e impactos financeiros nas empresas e na economia global, e o compartilhamento de nossas práticas pela mostra que a Suzano está no caminho correto na adoção de melhores práticas para divulgar a interdependência desses temas”, afirma Marcelo Bacci, diretor executivo de Finanças e Relações com Investidores da Suzano.

A Central de Indicadores foi desenvolvida neste ano e possui uma página específica com informações financeiras relacionadas às mudanças climáticas, em linha com as recomendações de mensuração e transparência de resultados propostas pela TCFD. Constam dados como consumo de água e combustíveis de fontes renováveis e não-renováveis, gestão de resíduos e emissões, entre outros indicadores.

A plataforma será atualizada com dados anuais e permitirá aos públicos com os quais a Suzano possui relacionamento analisar dados históricos da companhia. O objetivo é proporcionar a todos um acesso a informações relevantes de forma consistente, transparente e clara.

Para conhecer a página da Central de Indicadores com esses e outros dados, acesse http://centraldeindicadores.suzano.com.br/tcfd/. O hub com os estudos de caso apresentados pela TCFD pode ser acessado no link https://www.tcfdhub.org/case-study/.

 

Sobre a Suzano

A Suzano, empresa resultante da fusão entre a Suzano Papel e Celulose e a Fibria, tem o compromisso de ser referência global no uso sustentável de recursos naturais. Líder mundial na fabricação de celulose de eucalipto e uma das maiores fabricantes de papéis da América Latina, a companhia exporta para mais de 80 países e, a partir de seus produtos, está presente na vida de mais de 2 bilhões de pessoas. Com operações de dez fábricas, além da joint operation Veracel, possui capacidade instalada de 10,9 milhões de toneladas de celulose de mercado e 1,4 milhão de toneladas de papéis por ano. A Suzano tem mais de 35 mil colaboradores diretos e indiretos e investe há mais de 90 anos em soluções inovadoras a partir do plantio de árvores, as quais permitam a substituição de matérias-primas de origem fóssil por fontes de origem renovável. A companhia possui os mais elevados níveis de Governança Corporativa da B3, no Brasil, e da New York Stock Exchange (NYSE), nos Estados Unidos, mercados onde suas ações são negociadas.

Leia mais:  Prefeito Max Filho lança pedra fundamental dos quiosques da orla de Itaparica e Itapuã
publicidade

Cidades

Navio encalhado é retirado de Porto em Aracruz

Publicado

A operação aconteceu na noite de sexta-feira (22); a embarcação, carregada de celulose, seguia para Singapura

O navio mercante Saga Morus, carregado de celulose e que havia encalhado ao tentar uma manobra de saída do Porto de Barra do Riacho, em Aracruz, foi retirado do local na noite de sexta-feira (22). 

A embarcação seguia para Singapura e, segundo a Capitania dos Portos do Espírito Santo, assim que houve o anúncio do encalhe, foram deslocadas duas equipes até o local, sendo uma por terra e outra por via marítima. 

A análise da Capitania concluiu que o navio não oferece risco à navegação. Também não foram encontrados indícios de danos estruturais ou vazamento de resíduos poluentes. Os tripulantes passam bem.

Em razão do acidente, foi instaurado inquérito administrativo para apurar as causas, circunstâncias e responsabilidades do ocorrido. 

Segundo o site Marine Traffic, o navio tem bandeira de Hong Kong e atracou em Portocel na última quarta-feira (20), vindo do Porto de Vila do Condé, no Pará.

Leia mais:  Governo do Estado entrega nova rodovia entre Ecoporanga e Ponto Belo
Continue lendo

Cidades

Enfermeira de hospital em Vitória será investigada após dizer que só tomou vacina para viajar

Publicado

Ela publicou um vídeo nas redes sociais debochando da eficácia do imunizante CoronaVac, dizendo que havia “tomado água”

Uma enfermeira do Hospital da Santa Casa de Misericórdia de Vitória será investigada por dizer que só tomou a vacina CoronaVac porque “precisava viajar”. Nathanna Faria Ceschim publicou um vídeo nas redes sociais, após ter sido vacinada, debochando da eficácia do imunizante. Ela também postou vídeos em que aparece trabalhando no hospital sem o uso da máscara. Nathanna foi denunciada junto ao Conselho Regional de Enfermagem do Espírito Santo. 

A profissional atua com pacientes infectados por coronavírus e recebeu a vacina na última terça-feira (19). O vídeo foi publicado nesta sexta (22). “Tomei por conta que quero viajar, e não para me sentir mais segura. Uma vacina que dá 50% de segurança para mim não é uma vacina. Tomei foi água”, diz Nathanna.

Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) informou que lamenta o posicionamento de qualquer profissional da saúde que desacredite da ciência em prol da vida. 

Ela se referia ao índice de eficácia da CoronaVac. Na verdade, o imunizante possui 50,38% de eficácia geral, para todos os casos. Além disso, a vacina tem 77,96% de eficácia contra manifestação de sintomas e 100% contra casos graves da doença, segundo o Instituto Butantan.

Leia mais:  Rodovias estaduais interditadas em Rio Novo do Sul e Alfredo Chaves
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana