conecte-se conosco


Brasil

MPF investiga responsabilidade de queda de falésia de praia no RN

Publicado

Em inquérito, MPF solicita à prefeitura de Tibau do Sul mapeamento das áreas de falésia e a situação de cada ponto. Nova vistoria é feita em praia

Um nova vistoria será realizada na falésia da praia de Pipa, no Rio Grande do Norte, onde uma família morreu soterrada na terça-feira (17). Uma parte do paredão rochoso que dá acesso a um dos principais pontos turísticos do litoral norte-rio-grandense se desprendeu, matando um casal e uma criança que estavam na areia, sob a sombra da falésia.

Um inquérito público foi instaurado para investigar a responsabilidade nesse desabamento. No documento, o órgão solicita à prefeitura de Tibau do Sul um mapeamento das áreas de falésia e a situação de cada ponto. O local permanece interditado.

O enterro da família atingida pela queda de uma falésia ocorreu na quarta-feira (18). As vítimas são uma família, formada pelo pai, Hugo Mendes Pereira, a mãe, Stela Marinho e Sol Marinho, bebê do casal. Hugo, morava em Pipa, mas nasceu em Jundiaí, no interior de São Paulo. A família não informou se o corpo será levado ao estado para o sepultamento.

Segundo informações, a queda da falésia teria sido provocada pela maré e pela falta de sinalização no local. A mãe foi encontrada abraçada junto ao bebe de 7 meses. Os corpos chegaram as 16 horas da terça-feira no Instituto Técnico e Científico de Perícia. Uma força tarefa foi montada para a necrópsia e os corpos foram liberados 23h30.

Às 10h da quarta-feira ocorre uma reunião com o Ministério Público Federal, o Ministério Público do Estado, Defensoria Público e a Defesa Civil. Às 12h, esse grupo irá até a praia quando a maré baixar. A Defesa Civil dará celeridade a um estudo de georreferenciamento na área em que ocorreu o desabamento.

Leia mais:  MG, homem anuncia assalto, é ignorado e desiste
publicidade

Brasil

Profissionais de transportes entram no grupo prioritário da vacinação

Publicado

Medida vale para categoria trabalhadores em transportes terrestres, aéreo, ferroviário e aquaviário, diz Infraestrutura

Os profissionais do setor de transportes foram incluídos no grupo prioritário para receber a vacina contra a covid-19. Segundo nota do Ministério da Infraestrutura, entram nesta categoria trabalhadores em transportes terrestres, aéreo, ferroviário e aquaviário.

Também estão no grupo caminhoneiros, trabalhadores em portos, empregados de companhias aéreas, funcionários de empresas de trens e ferrovias e motoristas e cobradores de ônibus tanto metropolitanos quanto intermunicipais e interestaduais.

Para ter direito à vacinação, os profissionais deverão comprovar, por meio de documentação, que são funcionários de empresas de alguns destes segmentos.

A nota do Ministério da Infraestrutura não detalha em que fase da vacinação esses trabalhadores serão incluídos. A data para o início da imunização dos profissionais do setor de transportes ainda deverá ser divulgada pelo Ministério da Saúde.

Leia mais:  MG, homem anuncia assalto, é ignorado e desiste
Continue lendo

Brasil

Pazuello afirma que estados podem iniciar vacinação hoje às 17h

Publicado

Ministro da Saúde afirmou que estados podem iniciar a campanha a partir das 17h. Evento deu início à distribuição das doses da CoronaVac, vacina do Instituto Butantan em parceria com o laboratório chinês Sinovac, para os demais estados do país.

O Ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, disse nesta segunda-feira (18), que a vacinação contra a Covid-19 será iniciada a partir das 17h em todo o país. O anúncio foi feito após ele sofrer pressão dos governadores, que pediram para antecipar o início da aplicação das doses, inicialmente previsto para esta quarta-feira (20), conforme informou a colunista Andréia Sadi.

“Acho que podemos começar hoje até o fim do expediente, a partir das 17h”, declarou o ministro.

O horário foi proposto, segundo ele, para dar tempo de todos os estados receberem as doses da CoronaVac, vacina do Instituto Butantan em parceria com o laboratório chinês Sinovac.

Em cerimônia em São Paulo, Pazuello deu início à distribuição das doses pelo país. As caixas saíram do centro de distribuição de logística do Ministério da Saúde em Guarulhos, na Grande São Paulo.

“A todas as famílias das vítimas, recebam a nossa solidariedade. É muito difícil perder alguém que amamos. Está dado o primeiro passo para a maior campanha de vacinação do mundo”, afirmou o ministro.

Das 6 milhões de doses, 4.636.936 serão enviadas pelo governo federal aos estados brasileiros. As outras 1.357.640 serão distribuídas pelo estado de SP.

Veja divisão das doses da CoronaVac para cada estado:

Região Norte

  • Rondônia – 33.040
  • Acre – 13.840
  • Amazonas – 69.880
  • Roraima – 10.360
  • Pará – 124.560
  • Amapá – 15.000
  • Tocantins – 29.840

Total de doses – 296.520

Região Nordeste

  • Maranhão – 123.040
  • Piauí – 61.160
  • Ceará – 186.720
  • Rio Grande do Norte – 82.440
  • Paraíba – 92.960
  • Pernambuco – 215.280
  • Alagoas – 71.080
  • Sergipe – 48.360
  • Bahia – 319.520

Total de doses – 1.200.560

Região Sudeste

  • Minas Gerais – 561.120
  • Espírito Santo – 95.440
  • Rio de Janeiro – 487.520
  • São Paulo – 1.349.200

Total de doses – 2.493.280

Região Sul

  • Paraná – 242.880
  • Santa Catarina – 126.560
  • Rio Grande do Sul – 311.680

Total de doses – 681.120

Região Centro-Oeste

  • Mato Grosso do Sul – 61.760
  • Mato Grosso – 65.760
  • Goiás – 182.400
  • Distrito Federal – 105.960

Total de doses – 415.880

Governadores

O evento, que contou com a presença de alguns governadores, não teve a participação do governador João Doria (PSBD). O vice-governador, Rodrigo Garcia, representou o estado de São Paulo.

Em coletivas de imprensa simultâneas, Doria e Pazuello trocaram acusações neste domingo (17).

Pazuello disse que o governo de São Paulo fez uma “jogada de marketing” ao iniciar a vacinação simbólica em profissionais da Saúde logo após a aprovação da vacina.

O uso emergencial das 6 milhões de doses prontas vindas da China foi aprovado neste domingo (17) pela Anvisa.

Por volta das 5h, caminhões de carga refrigerados começaram a deixar o centro de distribuição escoltados por carros da Polícia Federal. Cem caminhões farão o transporte da vacina.

As doses da CoronaVac também serão distribuídas em aviões da Força Aérea Brasileira (FAB) e companhias aéreas que farão o transporte gratuitamente.

De acordo com o governo federal, os estados serão responsáveis pela distribuição aos municípios para o início do plano nacional de vacinação na quarta-feira (20).

Novo pedido

O Instituto Butantan vai entregar nesta segunda-feira o pedido de uso emergencial para as doses da CoronaVac envasadas no país.

Aprovada na Anvisa

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou neste domingo (17), por unanimidade, o uso emergencial das vacinas Coronavac e da Universidade de Oxford contra a Covid-19. A reunião que discutiu o tema durou cerca de 5 horas.

Leia mais:  Eduardo Cunha e Claudia Cruz podem estar com câncer, segundo revista
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana