conecte-se conosco


Internacional

Mulher quase perde nariz e lábio após preenchimento dar errado

Publicado

A britânica Leah Morton teve necrose depois que o produto usado no procedimento foi injetado dentro de um vaso sanguíneo 

A britânica Leah Morton, de 26 anos, quase perdeu o nariz e o lábio por causa de um preenchimento mal feito. O produto utilizado no procedimento foi injetado dentro de um vaso sanguíneo e impediu sua irrigação. O bloqueio causou necrose, ou seja, a morte de células da região. As informações são do Daily Mail.

A bancária conta que realizou o preenchimento em 29 de abril. “Não fui informada de quaisquer riscos. Simplesmente, injetaram o produto diretamente no meu nariz”, lembra.

Ela afirma que à noite, quando já estava em casa, começou a sentir muita dor e pressão no nariz. “Não dormi nada porque era muito desconfortável. No dia seguinte, quando me olhei no espelho, vi que a ponta do nariz estava totalmente branca. Ao tocá-la, percebi que também estava gelada”, descreve.

A jovem, então, resolveu mandar uma mensagem para a profissional que realizou o procedimento e perguntou se isso era normal. A mulher tranquilizou Leah, mas passou o contato de uma amiga dela, que é enfermeira, caso houvesse algum problema. 

Leah procurou a enfermeira para tentar desfazer o preenchimento, pois tinha certeza que algo estava errado. “Eu nunca senti uma dor assim. Era uma pressão intensa nos olhos e comecei a chorar quando ela massageou meu nariz para dissolver o produto”, contou.

Ela pensou que depois de todo esse sofrimento, o problema estaria resolvido. Mas estava enganada. “Acordei no domingo de manhã com muitas bolhas brancas em volta do meu nariz, e descobri que isso era o começo de uma necrose”, afirma.

 “Fiz algumas pesquisas nas redes sociais e encontrei uma garota que havia passado por uma situação parecida. Ela me indicou uma clínica e fui imediatamente para lá”, acrescentou.

Os profissionais da instituição liberaram o vaso sanguíneo que estava obstruído, mas confirmaram a necrose e disseram que Leah precisava ir ao pronto-socorro para tratar o problema de maneira adequada.

No hospital, a bancária passou por exames. “Os médicos disseram que nunca tinham visto nada parecido e precisavam agir rápido. A ponta do meu nariz e a região próxima ao lábio superior estavam completamente brancas por causa da falta de sangue. Eu fiquei desesperada”, relata.

A equipe recomendou a realização de oxigenoterapia hiperbárica durante 30 dias. Durante o  tratamento, o paciente é submetido à inalação de oxigênio puro em uma pressão maior que a atmosférica, dentro de uma câmara hermeticamente fechada.

Leah está afastada do trabalho e em recuperação. Embora não tenha perdido o nariz e o lábio, ela já sabe que ficará com cicatrizes no rosto. “‘Minha ansiedade está no limite e eu estou muito estressada. Nunca mais farei preenchimento no nariz”, declarou.

Daily Mail entrou em contato com o salão onde Leah realizou o procedimento, mas não obteve resposta até a publicação da reportagem.

Leia mais:  Rússia planeja lançar sua 2ª vacina contra covid-19 até outubro
publicidade

Internacional

Hospital nos EUA faz transplante de rim em paciente errado

Publicado

Um hospital de Cleveland (Ohio, EUA) reconheceu um grave erro: uma equipe médica realizou recentemente um transplante de rim em paciente errado. A fila de espera apontava outro receptor do órgão.

A direção do hospital universitário se desculpou pelo erro e informou que dois funcionários foram colocados em licença administrativa. Incrivelmente, o rim dado ao paciente errado se mostrou compatível e se espera que a pessoa que o recebeu no lugar de outra se recupere totalmente, disseram autoridades locais, segundo afiliada da rede Fox.

A cirurgia do outro paciente foi adiada. Autoridades disseram que o hospital abriu sindicância para descobrir como o erro ocorreu e evitar erros semelhantes no futuro. Os nomes dos envolvidos não fooram divulgados.

“Oferecemos nossas sinceras desculpas a esses pacientes e as suas famílias”, disse o porta-voz do hospital, George Stamatis, em um comunicado. “Reconhecemos que eles nos confiaram seus cuidados. A situação é totalmente inconsistente com 0 nosso compromisso de ajudar os pacientes a voltarem à saúde e viverem a vida plenamente”, acrescentou ele.

O hospital notificou a United Network for Organ Sharing, que gerencia o sistema nacional de transplantes e que é a responsável pela distribuição dos órgãos na fila de espera.

Leia mais:  Índia gera polêmica ao recomendar gengibre contra o coronavírus
Continue lendo

Internacional

Japão prorroga estado de emergência por covid-19

Publicado

País registra um aumento de casos da doença uma semana depois do início dos Jogos Olímpicos de Tóquio

O Japão prorrogou nesta sexta-feira (30) a emergência sanitária por covid-19 em Tóquio e a ampliou para outras quatro regiões, após o aumento dos contágios, uma semana depois do início dos Jogos Olímpicos.

“Decretamos o estado de emergência para Saitama, Chiba, Kanagawa e Osaka”, afirmou o primeiro-ministro Yoshihide Suga, antes de acrescentar que a medida, já em vigor em Tóquio e Okinawa (sul), foi estendida até 31 de agosto.

Na quinta-feira (29), o Japão registrou mais de 10 mil casos de coronavírus pela primeira vez, o que levou autoridades e especialistas a advertirem para o risco que implica a propagação da variante Delta.

O surto no país é comparativamente pequeno. Desde o início da pandemia, foram registradas 15.000 mortes, e o governo nunca adotou medidas de confinamento rígido. Apenas 25% da população está completamente vacinada.

O recorde de casos acontece em pleno desenvolvimento dos Jogos Olímpicos de Tóquio. Nas últimas 24 horas, foram registrados 27 novos contágios, o maior número diário desde o início do evento esportivo, segundo o comitê organizador.

“O contágio está se espalhando a uma velocidade nunca antes vista”, especialmente dentro e ao redor da região de Tóquio, disse o primeiro-ministro Suga.

“A variante delta altamente contagiosa se impõe rapidamente e, se o aumento de infectados, não parar é possível que os hospitais fiquem lotados”, alertou.

Anteriormente, a ministra da Saúde, Norihisa Tamura, afirmou que o governo queria enviar uma “mensagem forte” ao prorrogar o estado de emergência, já que a variante Delta agora responde por “mais de 50% dos casos” em Tóquio.

O atual estado de emergência em Tóquio restringe o horário de funcionamento de bares e restaurantes e proíbe a venda de bebidas alcoólicas. Os especialistas alertam para um relaxamento de seu cumprimento e um aumento de casos entre os jovens.

Leia mais:  Índia gera polêmica ao recomendar gengibre contra o coronavírus
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana