conecte-se conosco


Internacional

Nasa quer lançar, até 2023, robô que vai procurar água na Lua

Publicado

Com o tamanho de um carinho de golfe, a sonda pretende coletar informações e buscar por recursos para a sobrevivência da humanidade

A Nasa divulgou nesta segunda-feira (25) um pedido de ajuda financeira a seus parceiros para conseguir enviar a sonda espacial Viper à Lua até 2023. O objetivo é procurar gelo de água sobre a superfície do satélite.

 O robô Viper tem o tamanho de um carro de golfe e conta com ferramentas para explorar a superfície lunar, como uma broca de um metro para coletar informações do solo e, principalmente, procurar água e recursos no lado inexplorado da Lua. A  expedição deve durar 100 dias.

Esta será a primeira missão com o objetivo claro de encontrar recursos que justifiquem a exploração humana no local. A agência espacial americana pretende adiantar ao máximo o projeto para verificar a possibilidade de recursos. 

Caso exista água, facilitaria seu próximo projeto — a Artemis, que pretende enviar astronautas para a Lua em 2024, 50 anos após o momento histórico em que Neil Armstrong pisou em solo lunar.

Nasa pede Investimentos de parceiros

A agência possui um núcleo chamado de “Commercial Lunar Payload Services”, um serviço de entregas para a Lua que conta com 14 empresas dispostas ajudar a investir na pesquisa aeroespacial, como o envio de sondas e satélites, tudo sob o guarda-chuva do projeto Artemis.

Como troca, essas empresas que investiram terão prioridade nos recursos e investimentos disponíveis na Lua, caso o projeto tenha sucesso.

“O projeto Artemis integra os desejos e necessidades de explorar, e nossos parceiros nos ajudam a fazer isso com uma abordagem que seja sustentável financeiramente”, a o administrador do setor de exploração e ciência da Nasa Steven Clarke.

Leia mais:  Homem contrai infecção mortal e gangrena após lambida de cachorro
publicidade

Internacional

Em caso raríssimo, mulher dá à luz 9 bebês

Publicado

A nova mãe e seus bebês devem voltar para casa apenas em algumas semanas

Halima Cisse pensava estar grávida de 7, o que por si só já era uma gestação difícil. Por conta de todos os riscos, ela foi transferida do Mali, onde mora, para um hospital do Marrocos – mas o que ela não esperava é que daria à luz 9 bebês, em um caso raríssimo de nônuplos.

Todo o procedimento foi organizado por meio da cooperação internacional entre os dois países. O Ministério da Saúde do Mali confirmou, nesta terça-feira (4), o nascimento dos 9 pequenos – 5 meninas e 4 meninos – e garantiu que todos passam bem.

Em nota, o governo do Mali informou que Cisse esteve por duas semanas internada em um hospital local para acompanhamento dos médicos, mas que no fim de março foi transferida para uma maternidade no Marrocos que se encarregou do procedimento de risco.

“Agradecemos o apoio da família Cisse, voluntários e de todo o povo do Mali”, disse a ministra da Saúde, Fanta Siby, em um comunicado. “Damos os parabéns às equipes médicas do Mali e do Marrocos cujo profissionalismo fez com que o resultado desta gravidez fosse tão feliz.”

A nova mãe e seus bebês devem voltar para casa apenas em algumas semanas.

A nota do governo do Mali não informou o peso dos bebês ou após quantas semanas de gestação eles nasceram.

Casos anteriores

Há registro de casos anteriores de gestação de nônuplos, mas com problemas de saúde graves. Em 1971, Geraldine Brodrick, de 29 anos, teve 9 bebês num hospital da Austrália – dois deles nasceram já sem vida, e os demais acabaram morrendo no decorrer de uma semana, segundo registro da época do jornal “The New York Times”.

Houve ainda um nascimento de nônuplos em março de 1999, na Malásia, mas nenhum deles sobreviveu.

Leia mais:  Loja no Canadá paga R$ 160 por hora para experimentar doces
Continue lendo

Internacional

Menina de 5 anos desenha de caneta em bolsa Chanel de R$ 15 mil da mãe

Publicado

Imagina o susto que uma mãe levou ao encontrar sua bolsa branca da Chanel, avalida em R$ 15 mil, com um desenho feito em caneta?

Foi isso o que aconteceu com uma mulher, moradora do Reino Unido, que viu a obra de arte de sua filha de cinco anos em uma de suas bolsas.

“O que você faria se sua filha fizesse um desenho com caneta na sua bolsa Chanel?”. Foi assim que uma loja de restauração local perguntou aos seguidores no TikTok, fazendo o vídeo viralizar na rede social, e mostrando o acessório desenhado com uma mulher e duas estrelas ao lado, com tinta na cor azul.

Mas calma que a história teve um final feliz: a restauradora mostrou que conseguiu apagar o desenho, sem deixar marcas na it bag.

 

Leia mais:  Nasa anuncia a descoberta de água na superfície da Lua
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana