conecte-se conosco


Internacional

Navio de carga volta a flutuar no Canal de Suez

Publicado

Cargueiro de bandeira panamenha bloqueava desde 23 de março uma das principais rotas de comércio marítimo do mundo

O navio cargueiro Ever Given voltou a flutuar parcialmente nas primeiras horas da madrugada desta segunda-feira (29). O desencalhe ocorre quase uma semana após o supercargueiro de bandeira panamenha, com 400 metros de comprimento, bloquear totalmente a passagem de uma das principais rotas de comércio marítimo do mundo.

Vídeos postados na internet por operários envolvidos na operação de desencalhe mostram que a popa, a parte traseira do navio, foi deslocada e está voltada para o canal. A situação da proa, ou a parte da frente da embarcação, ainda não foi confirmado. A Autoridade do Canal de Suez (SCA) ainda não confirmou oficialmente o desencalhe do navio.

Dragas, escavadeiras e rebocadores trabalham na operação para desencalhar o supercargueiro, mas a liberação total pode levar semanas, segundo o chefe de uma das equipes de resgate.

O canal, que responde pelo tráfego de 10% do comércio marítimo, permite que os navios encurtem a viagem entre a Europa ou a costa leste americana e a Ásia em milhares de quilômetros, economizando uma semana ou mais.

Os responsáveis pela SCA informaram que equipes internacionais trabalhavam ininterruptamente desde a última terça-feira (23), quando o superargueiro de bandeira panamenha encalhou. A operação de resgate para liberar a embarcação envolveu dezenas de homens, rebocadores e dragas.

A escavação do canal provocou a remoção de mais de 27 mil metros cúbicos de areia e lama das margens para que o porta-contêineres de 224 mil toneladas e 400 metros de comprimento fosse desecalhado. Segundo autoridades, uma maré alta prevista para a tarde deste domingo (28) acabou por facilitar os trabalhos.

Contudo, mesmo com a confirmação de que o Ever Given esteja parcialmente flutuando novamente, não ficou claro quando a hidrovia estaria aberta ao tráfego, ou quanto tempo levará para liberar o congestionamento formado por mais de 450 navios parados à espera de uma solução para o caso.

A enorme fila de embarcações bloqueadas pelo navio cargueiro encalhado aumentou ainda mais a tensão para as cadeias de abastecimento globais, já afetadas pela pandemia do novo coronavírus.

O Canal de Suez é uma via navegável artifical que corta o Egito e liga o Mar Vermelho ao Mar Mediterrâneo. A passagem marítima é por onde passa cerca de 12% do comércio global. Alguns navios já optaram pela longa e cara viagem ao redor do extremo sul da África em vez de Suez.

Bloqueio causa prejuízo estimado em US$ 3 bilhões todos os dias

Custos e alternativas

O valor total das mercadorias bloqueadas ou que precisam adotar uma rota alternativa difere de acordo com as estimativas. São US$ 3 bilhões diários, segundo Jonathan Owens, especialista em logística da universidade britânica de Salford, mas podem chegar a até US$ 9,6 bilhões de acordo com a revista Lloyd’s List.

As autoridades do canal calculam que o Egito perde entre US$ 12 milhões e US$ 14 milhões por dia com o fechamento. Quase 19 mil navios usaram o canal em 2020, de acordo com informações da SCA.

À espera da retomada do tráfego, grandes empresas de transporte marítimo como Maersk e CMA CGM, decidiram alterar a rota de seus navios para o Cabo da Boa Esperança, um desvio de 9.000 quilômetros e ao menos 7 dias a mais de navegação.

Apesar de o incidente ter sido atribuído em um primeiro momento aos fortes ventos combinados com uma tempestade de areia, Rabie afirmou no sábado que uma possível “falha humana” foi um dos motivos do bloqueio.

Leia mais:  Explosões no porto de Beirute, Líbano, causam grande destruição
publicidade

Internacional

Depois de expulsar Universal, governo de Angola suspende TV Record no país

Publicado

O governo de Angola suspendeu a programação da TV Record no país por “inconformidades” em relação aos requisitos legais para o exercício da atividade jornalística em Angola. O ministério alega por exemplo “que a empresa Rede Record de Televisão (Angola), Limitada, que responde pela TV Record África, tem como diretor-executivo um cidadão não nacional”.

A suspensão vem no rastro da expulsão da Igreja Universal do Reino de Deus (IURD) daquele país, após denúncias de pastores e fiéis.

A IURD é comandada por Edir Macedo, brasileiro que se autointitula ‘bispo’. Ele atualmente vive entre Miami (EUA) e São Paulo.

As polêmicas envolvendo a IURD já atingem a Argentina, que também vem estudando a possibilidade de expulsar a igreja e Portugal, onde uma série de reportagens mostrou um escandaloso esquema de adoção ilegal de crianças.

Leia mais:  EUA registram 4.591 mortes em 24h, número recorde
Continue lendo

Internacional

Gato é capturado após tentativa de introduzir drogas em presídio

Publicado

Substâncias ilícitas foram amarradas com pano junto ao corpo do felino, para serem distribuídas em centro penitenciário do Panamá

O gatinho acima foi capturado por autoridades panamenhas após tentar introduzir drogas no Centro Penitenciário Nova Esperança, na província de Colón. O “Narcogato”, como ficou conhecido, foi surpreendido por agentes penitenciários e policiais ainda do lado de fora da prisão, que comporta cerca de 1.700 detentos.

As substâncias ilícitas foram amarradas com tiras de pano ao redor do corpo do felino. Em entrevista ao canal Telemetro, o promotor Eduardo Rodríguez disse que gato possivelmente transportava cocaína, crack e maconha.

A engenhosidade dos criminosos fez com que o Ministério Público do Panamá anunciasse nas redes uma força-tarefa, que investigará o uso de animais na transferência de drogas para dentro presídio em questão.

Até o momento, as autoridades suspeitam que os bichos usados nessa modalidade são atraídos por meio de alimentos.

Andrés Gutiérrez, diretor do Sistema Penitenciário do Panamá, afirmou que apreensões do tipo são baseadas nos esforços para evitar que substâncias ilegais e itens proibidos cheguem aos presídios do país.

“Não vamos baixar a guarda”, disse ao jornal Panamá América, “e assim manter um ambiente adequado para o desenvolvimento de programas de ressocialização.”

Quanto ao “Narcogato”, fontes do governo local afirmam que ele foi entregue aos cuidados de uma fundação de defesa dos animais.

Aparentemente, ele não sofreu nenhum ferimento durante a operação de resgate e passa bem.

Leia mais:  Eleição dos EUA 2020: Trump se recusa a admitir derrota: 'Está de longe de terminar'
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana