conecte-se conosco


Medicina e Saúde

Nova atualização amplia grupos prioritários na Campanha de Vacinação contra Covid-19

Publicado

Alguns municípios capixabas iniciaram a vacinação da população idosa na faixa etária abaixo de 90 anos, ou seja, de 85 a 89 anos, conforme prevê a Resolução CIB 13/2021. Até esta terça-feira (16), é o caso de Afonso Cláudio, Piúma, Sooretama, Serra, Cariacica, Pancas, Conceição do Castelo, Vila Pavão, Ponto Belo, Pedro Canário.

A Resolução Nº13/2021, da Comissão Intergestora Bipartite (CIB), foi publicada no último dia 10 e atualizada em edição extra publicada no Diário Oficial desse sábado (13).  O documento amplia o público-alvo para vacinação contra o novo Coronavírus (Covid-19), seguindo o escalonamento de idades para idosos e a ampliação dos trabalhadores da saúde.

A decisão garante que, havendo nova disponibilidade de doses no Espírito Santo encaminhadas pelo Ministério da Saúde, seguirá a ordem prioritária:

I. 85 a 89 anos;

II. 80 a 84 anos;

III. 75 a 79 anos;

IV. 70 a 74 anos;

V. 65 a 69 anos;

VI. 60 a 64 anos.

Estão contemplados ainda, entendendo como profissionais e trabalhadores da saúde, aqueles dos serviços exclusivos de saúde conforme Cadastro Nacional de Estabelecimento de Saúde (CNS), que atua em  estabelecimentos de assistência e vigilância em saúde como, por exemplo, fisioterapeutas, biólogos, psicólogos, trabalhadores do setor administrativo, motorista de ambulância, cuidadores de idosos etc.

A vacina também será ofertada para acadêmicos em saúde estudantes da área técnica em saúde em estágio hospitalar, em Atenção Básica, clínicas e laboratórios, tendo que apresentar no ato da vacinação crachá, mais declaração do serviço de saúde que atua, contracheque, contrato trabalho, carteira de trabalho, carteira do conselho de classe. A resolução considera os estagiários em regime intensivo, com jornada semanal de 20 horas de trabalho direto em serviços de saúde.

Faça o Download  da versão atualizada da Resolução CIB 13/2021.

Leia mais:  Doações de sangue caem durante a pandemia
publicidade

Medicina e Saúde

Outubro Rosa: ações de prevenção contra o câncer são realizadas nas unidades femininas do Estado

Publicado

A Secretaria da Justiça (Sejus) desenvolve ações de prevenção e diagnóstico precoce do câncer de mama no sistema prisional no mês de outubro. Na Grande Vitória, a ação irá beneficiar 42 internas do Centro Prisional Feminino de Cariacica (CPFC), com a realização de exames de mamografia. Como em anos anteriores, a Sejus mantém a parceria com a Associação Feminina de Educação e Combate ao Câncer (Afecc), com a oferta do exame que será realizado no Hospital Santa Rita, em Vitória.

As internas que apresentarem alguma alteração no exame serão encaminhadas para consultas com médicos especialistas. A subgerente de Enfermagem do Sistema Penal, Camila Leal Cravo Duque, explica que para obter uma boa resposta ao tratamento contra o câncer de mama, é necessário o diagnóstico precoce.

“Há vários tipos de câncer de mama. Alguns se desenvolvem rapidamente e outros, não. A maioria dos casos tem boa resposta ao tratamento, principalmente quando diagnosticado e tratado no início. O câncer de mama é o tipo mais comum no Brasil e acomete, em especial, as mulheres. De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (Inca) é recomendado que mulheres de 50 a 69 anos façam uma mamografia a cada dois anos, ou sempre que houver indicação médica. É possível reduzir o risco de câncer de mama mantendo o peso corporal adequado, praticando atividade física e evitando o consumo de bebidas alcoólicas. A amamentação também é considerada um fator protetor e deve ser estimulada pelo maior tempo possível”, afirma.

Além da mamografia, exames de colpocitologia, que identificam o câncer de colo do útero, também estão sendo realizados durante todo o mês em 100% das custodiadas. Além dos procedimentos, palestras sobre a prevenção e os fatores de risco do câncer de mama também são desenvolvidas nas unidades prisionais femininas em Cariacica, Cachoeiro de Itapemirim, Colatina e São Mateus.

Interior

O Centro Prisional Feminino de Colatina (CPFCOL), em parceria com a Santa Casa de Misericórdia do município, realiza exames de mamografia em cerca de 20 mulheres custodiadas na unidade. A ação de prevenção inclui ainda a coleta de preventivo, bem como palestras educativas sobre prevenção e autocuidado.

No último dia 11, internas puderam assistir à exposição do filme “Ma Ma”, que narra a história de uma mulher que luta contra o câncer de mama. Após a exibição, uma roda de conversa sobre o assunto foi realizada. O relato de vida de uma convidada e paciente acometida pelo câncer também ganhou destaque na ação.

Já no Centro Prisional Feminino de Cachoeiro de Itapemirim (CPFCI) e na ala feminina da Penitenciária Regional de São Mateus, internas receberam encaminhamentos para realização da mamografia pelo serviço de saúde dos municípios. Os exames preventivos são realizados nas unidades prisionais, pelo corpo técnico do Instituto Vida e Saúde (Invisa).

Leia mais:  Doações de sangue caem durante a pandemia
Continue lendo

Medicina e Saúde

Apesar de raro, câncer de mama evolui mais rápido em homens

Publicado

Doença representa apenas 1% dos casos entre homens, sendo mais comum a partir dos 60 anos; veja quais são os sintomas

Em 2021, mais de 66 mil novos casos de câncer de mama foram diagnosticados, segundo dados do Inca (Instituto Nacional do Câncer). Deste total, a estimativa é de que apenas 1% tenha sido entre homens que, apesar da rara incidência, podem experienciar uma evolução mais rápida do tumor, de acordo com o mastologista Alexandre Pupo.

“Em princípio, a doença é muito semelhante em homens e mulheres, o processo em homens se dá por uma mutação de um gene e, pelo tamanho da mama ser muito menor, o câncer evolui muito mais rápido”, explica.

Segundo Pupo, o câncer de mama se dá por um crescimento desordenado e contínuo de células da glândula mamária, que, ao passar do tempo, ganham a capacidade de extrapolar os limites do órgão, podendo se espalhar pelo corpo. Nos homens, a doença ocorre por conta da mutação do gene BRCA2 e representa 1 a cada 100 diagnósticos. 

O especialista ressalta que a doença é mais comum em homens entre a faixa etária de 60 e 85 anos, porque, devido a idade avançada, o corpo se torna propenso a mutações genéticas. 

“A incidência de casos é muito menor em homens por conta do menor tecido mamário, tendo muito menos células que possam sofrer mutações, além dos estímulos sexuais femininos, como o estrogênio, que é produzido em quantidade muito inferior em homens”, explica.

Pupo recomenda que, caso o homem sinta a presença de um nódulo, mesmo que pequeno, assim como secreções no mamilo, busque um mastologista, médico especializado em mama, a fim de realizar exames para diagnosticar uma possível presença do câncer.

O especialista aponta que no caso de homens que tenham ocorrência de câncer de mama antes dos 50 anos na família, é aconselhado que se faça um acompanhamento genético. “Nesse caso, é necessário buscar um oncogeneticista, para avaliar quais os riscos de desenvolvimento de um câncer”, explica.

Em 2019, 227 homens morreram em decorrência do câncer de mama, indicam os dados do Inca. O SUS (Sistema Único de Saúde) oferece, em 317 unidades hospitalares especializadas espalhadas pelo Brasil, tratamento gratuito para portadores da doença.

Cerca de 30% dos casos de câncer de mama podem ser evitados com a adoção de hábitos saudáveis, segundo o Inca. Pupo recomenda a busca por uma dieta equilibrada, assim como a prática de exercícios físicos, para evitar o surgimento da doença no corpo.

“Para prevenir o câncer de mama é recomendado medidas gerais de qualidade de vida, uma dieta equilibrada, com baixa taxa de gordura, evitando alimentos muito passados e tostados, evitar ambientes altamente poluídos e procurar evitar o sobrepeso, praticando atividades físicas e aeróbicas. No caso dos homens, o recomendado é se atentar às mudanças do corpo, e as mulheres precisam realizar os exames de prevenção anuais”, explica. 

O tratamento do câncer de mama em homens é similar ao realizado em mulheres, Pupo explica que a principal diferença está na questão estética da remoção da mama.

“Do ponto de vista cirúrgico é muito similar, é utilizada a mesma técnica para remoção de mama em homens e mulheres, com a remoção da aréola, mamilo e todo o tecido mamário. A principal questão envolvida é a estética, a mama no homem possui uma percepção menor em relação a sua percepção de gênero do que em mulheres”, ressalta.

Leia mais:  Doações de sangue caem durante a pandemia
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana