conecte-se conosco


Segurança

Novo golpe: criminosos clonam contas de WhatsApp para extorquir

Publicado

Grupos usam fotos disponíveis na internet para simular uma nova conta do aplicativo em outro número de celular e roubar dinheiro das vítimas

A empresa de cibersegurança Kaspersky divulgou um alerta nesta semana sobre a ação de criminosos que estão clonando o WhatsApp de usuários para extorquir dinheiro de pessoas conhecidas das vítimas. 

A grande diferença desta nova modalidade de golpe é que a pessoa dona do perfil ‘clonado’ ou ‘falsificado’ não fica sabendo que os criminosos estão usando sua identidade para aplicar a extorsão. Nos casos em que a conta é roubada, golpe que teve um grande número de casos registrados, a pessoa sabe que foi vítima de um crime virtual porque perdeu o acesso à conta.

Para realizar este novo golpes, tudo que os golpistas precisam é de um chip de celular, uma foto de perfil do usuário e informações sobre amigos e familiares da vítima. Então, enviam uma mensagem dizendo “troquei meu celular”.

Após uma rápida troca de mensagem para ludibriar a vítima, o criminoso pede um empréstimo de dinheiro para pagar uma conta ou realizar uma compra e o novo celular é a desculpa perfeita para a falha na transferência. 

O golpe é aplicado com os esforços de dois tipos de infratores: os que roubam dados e os comercializam na deep web e os que compram esses dados e praticam a extorsão.

Em setembro deste ano, a Polícia Civil de Goiás realizou a operação Data Brookers, e prendeu criminosos que conseguiram R$ 500 mil com as extorsões envolvendo a clonagem de WhatsApp.

Algumas medidas que podem ser tomadas para evitar esse transtorno são alterar as configurações de privacidade do aplicativo para que a foto de perfil seja mostrada apenas para os contatos, não usar a mesma imagem em todas os perfis na internet e sempre desconfiar de mensagens suspeitas, além, de manter a dupla autenticação do WhatsApp ativada. 

Leia mais:  Mulher é presa suspeita de atropelar e matar o marido após discussão em Linhares
publicidade

Segurança

Operação Maria’s de combate à violência contra mulher já realizou 240 prisões de homens autores de violência

Publicado

Seis homens foram presos durante a 6ª fase da Operação Maria’s, realizada pela Divisão Especializada de Atendimento à Mulher (Div-Deam), na manhã dessa quarta-feira (02). As prisões aconteceram em Guarapari, Serra, Viana e Vila Velha. Uma espingarda de fabricação artesanal calibre.22 LR foi apreendida durante a operação no município de Cariacica.

Todos os detidos nesta fase tinham mandados de prisão em aberto. Cinco dos mandados foram expedidos por violência doméstica e um suspeito tinha mandado de prisão em aberto pelo crime de estupro.

Em todo o ano 2019, a Operação Maria’s realizou a prisão de 389 homens autores de violência contra a mulher. Neste ano, as operações realizadas até outubro somam mais de 240 homens autores de violência presos. Os dados, incluindo a 6ª fase, serão inseridos com as estáticas de novembro. Os dados ficam disponíveis após o dia 15 do mês subsequente.” 

A titular da Div-Deam, delegada Claudia Dematté, destacou que é preciso que a sociedade entenda que o combate à violência contra a mulher não é uma luta só das mulheres, mas da sociedade como um todo. “Precisamos desconstruir esses valores machistas ainda existentes na sociedade, que levam homens a praticarem atos absurdos, inaceitáveis, de violência contra mulher” disse Claudia Dematté.

A delegada frisou que o trabalho da Polícia Civil vai continuar “com toda a veemência e rigor na repressão desses atos de violência, praticados contra as mulheres, mas também na prevenção. Para isso, nós precisamos de todo comprometimento da comunidade”, destacou.

A autoridade policial orientou que as mulheres que forem vítimas de violência doméstica e familiar que não se calem, mas que denunciem desde a primeira violência sofrida. “Assim, toda a rede de proteção e atendimento à mulher vai poder agir e evitar que crimes mais graves ocorram. Violência jamais será demonstração de amor. Quem ama não xinga, não humilha, não subjuga, não agride, não mata. Quem ama tem carinho, respeito, companheirismo, reciprocidade e amor”, afirmou Claudia Dematté.

16 dias de Ativismo pelo Fim da Violência Contra as Mulheres

A operação Maria´s, idealizada por meio da Divisão Especializada de Atendimento à Mulher e da Polícia Civil do Espírito Santo (PCES), acontece sob o comando da Superintendência de Polícia Especializada, por meio do delegado José Lopes Pereira. A ação acontece com participação dos policiais das Delegacias Especializadas de Atendimento à Mulher da Grande Vitória.

Essa 6ª fase é uma das ações da Divisão Especializada de Atendimento à Mulher na campanha anual da Organizações das Nações Unidas (ONU) de 16 dias de Ativismo pelo Fim da Violência Contra as Mulheres, que começa no dia 25 de novembro, Dia Internacional pela Não Violência Contra a Mulher, e vai até o próximo dia 10 de dezembro, Dia Internacional dos Direitos Humanos. No Brasil, a campanha ganhou cinco dias extras e começou no Dia Nacional da Consciência Negra, 20 de novembro.

“A data foi criada com o objetivo de expandir e aprofundar o debate sobre a violência contra as mulheres na sociedade, visando assim a sua eliminação. É muito importante ressaltar que em todo o mundo Mulheres sofrem violência e discriminação simplesmente por serem mulheres. A violência contra as mulheres se apresenta de muitas formas, não apenas física, mas psicológica, sexual, moral e patrimonial”, disse a chefe da Div-Deam, Claudia Dematté.

Canais de Denúncia:

 ─ Telefone Disque-Denúncia 181;

─  Site disquedenuncia181.es.gov.br ;

─  Delegacia on-line https://delegaciaonline.sesp.es.gov.br/deon/xhtml/solicitarregistroocorrencia.jsf

─ Delegacias físicas https://pc.es.gov.br/enderecos-e-telefones-das-delegacias-especializadas-de-atendimento-a-mulher

Leia mais:  Mulher é presa suspeita de atropelar e matar o marido após discussão em Linhares
Continue lendo

Segurança

Sejus recebe 11 veículos do Departamento Penitenciário Nacional

Publicado

Na quarta-feira (02), a Secretaria da Justiça (Sejus) recebeu do Departamento Penitenciário Nacional (Depen), 11 veículos que serão utilizados para movimentação carcerária no Espírito Santo. Ao todo, são nove furgões e dois ônibus adaptados para o transporte de presos que irão ampliar o trabalho realizado pela Diretoria de Segurança Penitenciária (DSP) da Sejus.

Uma equipe composta por 12 servidores da Gerência de Logística (Gelog) da Sejus foi responsável pelo recebimento dos veículos. A entrega foi realizada pelo Depen, em São Paulo. Com capacidade para transportar 28 internos, os ônibus possuem compartimentos de cela, sistema de CFTV e sinalização acústica e visual, além de adaptações no compartimento de escolta. Os recursos permitem maior comodidade e segurança para os servidores responsáveis pela escolta de presos. Já os furgões têm capacidade para transportar oito internos e oito inspetores penitenciários.

Para o secretário de Estado da Justiça, Luiz Carlos Cruz, as doações são significativas para o Estado. “Os veículos que recebemos irão contribuir para otimização das operações realizadas pela área de movimentação carcerária. Isso aumenta nossa capacidade de trabalho com o aumento da frota destinada a transportar presos para audiências criminais e com veículos adaptados que garantem a segurança de todos os envolvidos”, ressaltou Luiz Carlos Cruz.

A doação do Depen atende às resoluções do Conselho Nacional de Política Criminal e Segurança Pública (CNPCP) e Conselho Nacional de Trânsito (Contran). Também foram contemplados os Estados do Acre, Amazonas, Mato Grosso, Bahia, Ceará, Maranhão, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Paraná, Rio Grande do Norte, Rondônia, Roraima e Rio Grande do Sul. Em 2020, o Depen investiu R$ 106 milhões em veículos para transporte de presos para aparelhamento das unidades federativas. Desde o início do ano, já foram entregues 16 ônibus e 150 furgões.

Leia mais:  Secretário de Segurança do ES recebe ameaças em rede social
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana