conecte-se conosco


Mundo Cristão

Número de divorciados que frequenta a igreja dobrou nas últimas décadas

Publicado

Pesquisa foi realizada nos EUA com dados de 1978 a 2018

Através dos dados da Pesquisa Social Geral realizada nos Estados Unidos desde a década de 70 é possível afirmar que hoje há o dobro de divorciados nas igrejas do que nos primeiros anos de estudo.

Como mostra uma reportagem do Christianity Today, ao mesmo tempo que as igrejas lutam para manter suas convicções sobre o matrimônio, também precisam se esforçar para acolher os divorciados que estão cada vez mais presentes na comunidade.

Pelos dados de 2018 é possível afirmar que os jovens cristãos estão adiando o casamento ou permanecendo solteiros para sempre, e os dados mostram que os cristãos de hoje têm duas vezes mais chances do que em 1978 de nunca se casarem (24%). Mas eles também têm duas vezes mais chances de se divorciar (17%).

O divórcio é uma questão delicada para as igrejas, muitas ainda adotam a visão teológica de que o divórcio é um pecado mesmo em casos de abandono ou adultério, impedindo que divorciados tenham papel de liderança.

Segundo a pesquisa, ainda que a mulher divorciada enfrente problemas financeiros e tenha que arcar com as responsabilidades dos filhos, elas não são impedidas de frequentar a igreja pela tradição cristã.

“No geral, as mulheres divorciadas têm maior probabilidade de comparecer regularmente do que os homens divorciados”, diz a reportagem.

Evangélicos divorciados de ambos os sexos têm mais probabilidade de frequentar a igreja regularmente hoje do que há 40 anos. Para as mulheres evangélicas, o aumento é de 10 pontos percentuais, mas para os homens é ainda maior – 17%.

O estudo pode indicar que, embora as tradições religiosas apoiem uma visão conservadora do casamento, o estigma sobre os divorciados pode estar mudando nas igrejas.

Igreja protestantes tradicionais e a Igreja Católica possuem menos participantes divorciados que as igrejas evangélicas (pentecostais e neopentecostais).

Leia mais:  “As igrejas produzem um serviço que o Estado não dá conta”, afirma antropólogo
publicidade

Mundo Cristão

Vídeo do pastor José Carlos Lima falando sobre casamento viraliza

Publicado

O pastor José Carlos Lima, da Assembleia de Deus na Paraíba, é conhecido por sua forma franca e objetiva de expor seus pensamentos e conduzir os sermões. Um vídeo com um recorte de uma pregação, falando sobre casamento, se tornou viral.

“Dois meses foi o nosso namoro e noivado. Com dois meses. Nós estamos casados há quarenta e cinco anos. Que os irmãos tomem exemplo para vocês. Esse negócio de casa [e em] cinco, seis anos [dizer] ‘não gosto mais de você’… toma vergonha na cara, rapaz. A gente casa para viver e só a morte separar ou a vinda de Jesus com o arrebatamento”, diz o pastor no trecho recortado.

No Instagram, inúmeros usuários comentaram as palavras do pastor em um sermão de dois anos atrás. Lima é também o 2° vice-presidente da Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil (CGADB).

Lima, recentemente, esteve no centro de outra polêmica por uma entrevista sua concedida à emissora TV Diário, em que afirmou que não admite que uma mulher mande no marido ou se intrometa nos papeis masculinos.

“Eu não admito que a mulher mande no homem. O homem é o cabeça da mulher. A Sagrada Escritura diz assim. Então, se há qualquer dificuldade, sentem-se os dois, procurem conciliar o problema, mediar a situação”, declarou o pastor assembleiano.

Em seguida, Lima reiterou que a família é um projeto de Deus e Suas diretrizes são indispensáveis para que essa instituição seja bem-sucedida: “Procurem viver em paz. Nós estamos no tempo do fim. É muito deselegante ver um casal brigando, em litígio. É horroroso isso”.

“Não quero dizer que aqui na igreja não exista alguém nessa situação. Mas, quando eu tomo conhecimento, eu chamo [para aconselhamento]”, encerrou.

Leia mais:  Filmes e música têm um impacto maior na visão de mundo de uma criança do que a escola, diz pesquisador cristão
Continue lendo

Mundo Cristão

Pastora é assassinada em frente igreja com golpes de barra de ferro

Publicado

Odete Rosalina Machado da Costa tinha 82 anos; suspeito do crime seria usuário de drogas

Uma pastora da Assembleia de Deus, de 82 anos, foi morta na porta da igreja, em Goiânia. O acusado do crime estaria sob o efeito de drogas.

Uma multidão se reuniu na porta da igreja evangélica logo após o crime. A família da pastora Odete Rosalina Machado da Costa estava desesperada.

Pastora de 79 anos é assassinada em igreja com golpes de barra de ferro, em  Goiânia

A pastora estava reunida com um frequentador da igreja, quando um homem apareceu no portão, que estava trancado. Sem roupas e gritando muito, ele pulou o muro, quebrou uma porta de vidro e passou a atacar os dois com uma barra de ferro. A pastora tentou pedir socorro ao vizinho, mas foi golpeada novamente e morreu.

Antes do crime, sistemas de segurança gravaram o homem, de 22 anos, caminhando nu pela cidade. Em um vídeo, ele parece discutir com uma câmera. Em outro, ele é visto segurando uma faca.

O rapaz foi preso em um terreno baldio. Ele seria usuários de drogas e teria deixado uma clínica de reabilitação há dois meses. O suspeito mora com a mulher e uma enteada e, na madrugada desta sexta, segundo a polícia, entrou em surto antes de sair de casa. O homem que estava com a pastora no momento do ataque teve ferimentos leves.

Um dos filhos de dona Odete Rosalina é o cantor e compositor Delino Marçal, ganhador do Grammy latino de 2019, na categoria música gospel.

Leia mais:  Homem morre cantando louvor sobre a volta de Jesus durante evangelismo
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana