conecte-se conosco


Entretenimento

O que querem os artistas sertanejos que se reuniram com Bolsonaro

Publicado

O cantor Sorocaba foi o porta-voz dos representantes de diversas áreas do entretenimento na reunião

Cerca de cinquenta profissionais do setor do entretenimento, principalmente do mercado sertanejo, se reuniram com o presidente Jair Bolsonaro e alguns ministros para pedir um posicionamento sobre o setor, que sofre a crise financeira gerada pela pandemia de coronavírus. O encontro aconteceu na última quarta-feira (27).

O encontro entre a classe e Bolsonaro aconteceu em uma churrascaria em Brasília, e durou cerca de uma hora e meia.

Parado desde março, o setor pleiteia uma linha de crédito e organiza mais propostas que serão apresentadas em uma próxima reunião a Gilson Machado, ministro do Turismo, e a Mário Frias, secretário de Cultura.

Entre os artistas presentes estavam Sorocaba (da dupla com Fernando), Rick (da dupla com Renner), os cantores Amado Batista e Naiara Azevedo e a dupla Diego e Arnaldo.

Nas imagens divulgadas nas redes sociais, os participantes aparecem sem máscara, mesmo em momentos em que não estão comendo. Segundo a Secretaria de Proteção da Ordem Urbanística, do Governo do Distrito Federal, a máscara só pode ser retirada quando a pessoa não estiver bebendo ou comendo.

Questionado via assessoria sobre o motivo de nenhum participante estar usando máscara durante o encontro, o cantor não deu retorno até a última atualização deste texto.

“Foi uma movimentação apartidária, um movimento em que a gente foi reivindicar junto a quem está governando benefícios para o setor, com uma retomada justa e correta quando puder voltar. E a gente sabe que vai precisar esperar pelo menos parte da população ser vacinada. Fomos buscar linha de créditos. Linha de crédito não pro Gusttavo Lima, não é para os pesados. É para quem não tem gordura para queimar. Para quem não tem saída“, diz Sorocaba.

“O segmento engloba milhões de pessoas, desde a senhorinha do camarim até a comunidade circense”, completa o cantor.

“Enquanto tinha auxílio emergencial, boa parte do setor estava tocando a vida, mas agora estão passando necessidades. A ponto de a gente receber ligação de pessoas do segmento passando fome.”

Sorocaba explicou que durante a reunião informal não foi definida a aprovação de nenhuma proposta. “A gente só levantou os posicionamentos para posteriormente começar um bate-papo com o ministério e tudo mais. Eles se mostraram muito solícitos com a causa do entretenimento”, explica o sertanejo.

Entre alguns pontos levados ao governo no evento estão:

  • Busca de linha de crédito para o setor. “A gente não quer dinheiro dado nem voltar a fazer show agora, mas o setor precisa de crédito. Principalmente aqueles que mantiveram seus funcionários.”
  • “E a gente gostaria que as prefeituras se movimentassem, quando voltar a fazer shows, para contratar artistas regionais, municipais e nacionais, em aniversários de cidades. A prefeitura de tal cidade tem uma verba, que tenha um teto, para gastar com um artista nacional, alguns artistas regionais e muitos artistas do município”, diz Sorocaba.

 

Leia mais:  A pedido da mulher, Ludmilla fecha sala de cinema para ver 'Minha Mãe é Uma Peça 3'

“A gente não foi reivindicar pra voltar a fazer show. Não podemos fazer shows? Tudo bem. O setor mais atacado foi o setor do entretenimento? Maravilha, tudo bem. Só que a gente tem que ter subsídio, como o setor agrícola tem quando vai mal, como a mineração tem quando vai mal.”

“Não estou nem falando de artistas grandes. A gente foi lá defender as outras pessoas. Cara da equipe, o cara de baixo, o iluminador, técnico, roadie, os artistas que não conseguiram segurar a barra e mandaram centenas de pessoas embora”, explica o sertanejo.

publicidade

Entretenimento

Agnaldo Timóteo deixa R$ 8 milhões para filha de criação, irmãos do cantor querem anular testamento

Publicado

O valor deixado para a filha do cantor corresponde a metade dos R$ 16 milhões deixados pelo artista

Um mês antes de morrer por complicações da Covid-19, aos 84 anos, Agnaldo Timóteo fez um testamento deixando metade do seu patrimônio, avaliado em R$ 16 milhões, para a filha Keyty Evelyn, de 14. A menina foi criada pelo cantor desde os 2 anos de idade e se tornou sua maior herdeira. Ainda de acordo com a vontade do músico, os outros 50% dos bens terão que ser divididos entre dois afilhados (10% cada um) e dois dos seus seis irmãos.

Na época, Agnaldo nomeou como inventariante e também tutor da menina em sua ausência o seu advogado, Sidney Lobo Pedroso, amigo do cantor há 45 anos. Apesar do amor que tinha pela filha, a adoção não chegou a ser formalizada enquanto o músico ainda estava com vida. No fim do ano passado, depois de sofrer um AVC e ficar quase dois meses internado em São Paulo, ele solicitou ao advogado que desse entrada no processo de adoção, o que ocorreu em janeiro.

Em vídeo enviado por ele ao seu advogado em 23 de dezembro, o cantor pede que Sidney Lobo legalize oficialmente Keyty como sua filha e a cita como sua herdeira.

“Dr. Sidney, essas fotos que eu mandei para você, são da minha filha, que eu adoro desde março de 2008, quando a conheci, na porta do meu gabinete, ao lado da mãe, quando eu era vereador em São Paulo. Preciso legalizá-la para que ela seja Keyty Evelyn Timóteo. Ela já tem um documento como minha herdeira, mas quero que ela seja minha filha oficial. Gostaria que você providenciasse tudo. Ela é a razão da minha vida”, disse o cantor nas imagens (assista abaixo).

A ação da adoção corre em segredo de justiça em São Paulo, mas o Ministério Público, provisoriamente, já deu um parecer favorável para a guarda da menina, determinando que o advogado do cantor seja o tutor de Keyty, conforme o desejo de Agnaldo em testamento.

Agnaldo Timóteo com a filha Keyty, que hoje está com 14 anos

Irmãos contestam

Acontece que os irmãos do cantor querem pedir a anulação do testamento, alegando que Agnaldo estava confuso na época em que manifestou o seu desejo sobre a partilha de bens. A irmã Ruthinete chegou a apresentar uma declaração de um médico em que diz que o cantor estava desorientado, sem ter como responder pelos seus atos. Ela ainda pediu que fosse nomeada inventariante do cantor, mas a Justiça negou.

“Como inventariante, só quero que a vontade de Agnaldo seja respeitada, me colocando como tutor da menina, para que eu cuidasse dela até os 18 anos”, diz o advogado do cantor. “O primeiro pedido do Agnaldo foi que eu fosse o tutor da Keyty. Tutor voluntário, eu não recebo um centavo para ser tutor dela. Ele me deixou também como inventariante. Ao mesmo tempo, abrimos uma ação de testamento para saber quem são os beneficiados”, explica.

A filha de Agnaldo está atualmente em São Paulo com avó materna. Uma amiga do cantor, que frequenta a casa dele há 25 anos, relata o descaso de Ruthinete, irmã do artista, com a menina após a morte do músico. “Ela disse a seguinte frase: ‘A Keyty tinha vindo do lixo, e pro lixo ia voltar’. Essa menina era tudo na vida do Agnaldo, e isso me deixou muito triste”, diz a testemunha.

Sobrinho e ex-assessor de Agnaldo Timóteo, Timotinho conta que Keyty nunca foi aceita pelos irmãos do cantor. Ele chama atenção ainda para o fato de que se Ruthinete conseguir anular o testamento e for concedido a adoção póstuma da menina, Keyty poderá herdar 100% dos bens do artista, e não só a metade.

“Os irmãos de Agnaldo nunca aceitaram a menina. E agora, depois de todo esse episódio de saber que ela tem direito a 50% do patrimônio dele, e que, possivelmente, concluída a adoção, ela, possivelmente, pode levar 100% dos bens, os irmãos estão querendo dificultar”, diz ele.

Entre os bens deixados pelo cantor estão uma casa na Barra da Tijuca, um apartamento em Vila Valqueire, ambos na Zona Oeste do Rio, um imóvel em São Paulo, uma sala comercial em Copacabana, além de alguns carros e direitos autorais.

 

Leia mais:  Ana Maria diz que sempre vai se lembrar de Tom Veiga, o Louro José

Continue lendo

Entretenimento

Huck prepara o aviso: renova com a Globo e desiste de candidatura

Publicado

Nos interiores da Globo, incluindo-se por aí alguns dos principais setores, já existe a certeza que Luciano Huck irá renovar o seu contrato.

Só uma questão de dias. Está “nos finalmentes”.

Ao mesmo tempo, pessoas muito próximas também garantem que ele, Luciano, desistiu da política ou de se candidatar no ano que vem.

Talvez numa ocasião.

E que seu próximo destino será as tardes do domingo, como se imaginava e com o “Caldeirão” mesmo, em um formato um pouco diferente do atual. Chance até de exibição ao vivo.

Há o entendimento, inclusive, que essa comunicação, a de continuar na televisão e desistir da eleição, irá acontecer ao mesmo tempo. Na mesma hora.

A melhor maneira para isso é que ainda está sendo buscada.

Por isso, vindo a acontecer, colocará um ponto final em mais dois suspenses: um, de ordem política, e, outro, que vem desde o anúncio da saída do Faustão.

Leia mais:  Repórter da Record descobre que está infectada com covid-19 ao vivo
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana