conecte-se conosco


Internacional

OMS: Não há provas de que covid-19 se espalhou em Wuhan em 2019

Publicado

Equipe que está na China para investigar causas da pandemia também informou que coronavírus não surgiu em laboratório

Os especialistas chineses e da OMS (Organização Mundial da Saúde) que investigam a origem do novo coronavírus em Wuhan anunciaram, nesta terça-feira (9), que não há evidências suficientes para determinar que a covid-19 se disseminou pela cidade, localizada no centro da China, antes de dezembro de 2019.

“Não há indicação da transmissão do Sars-Cov-2 [vírus que causa a covid-19] na população do período anterior a dezembro de 2019”, disse o chefe da equipe da China, Liang Wannian, em entrevista coletiva hoje. Wannian acrescentou que “não há evidências suficientes” para determinar se o vírus já havia se espalhado na cidade antes disso.

Wuhan é considerada o marco zero da pandemia por ter registrado os primeiros casos de coronavírus no fim de 2019. Desde então, a pandemia matou mais de 2,3 milhões de pessoas no planeta.

O especialista chinês considerou “improvável” que houvesse transmissão do vírus nos dois meses anteriores a dezembro e afirmou que o início da circulação do coronavírus ocorreu várias semanas antes de serem detectados os primeiros casos, o que “pode explicar a falha de sua detecção em outras regiões” fora da China. 

A equipe da OMS também informou que não conseguiu identificar a espécie animal que pode ter sido responsável por transferir o vírus aos seres humanos. A transmissão de um animal para o homem é provável, mas “não se identificou ainda”, disse o chefe do grupo de cientistas.

Peter Ben Embarek, um especialista em vírus da OMS, também disse que o trabalho para identificar as origens do coronavírus aponta para uma reserva natural em morcegos, mas é improvável que eles estivessem em Wuhan, onde o surto foi descoberto em 2019.

Vírus não veio de laboratório

Chefe da missão da OMS deu detalhes da apuração

Chefe da missão da OMS deu detalhes da apuração.

A teoria de que o vírus da covid-19 foi gerado em um laboratório na cidade chinesa de Wuhan e se espalhou para o exterior por um erro é “extremamente improvável”, declararam os especialistas.

“A hipótese de um acidente em um laboratório é extremamente improvável para explicar a introdução do vírus no homem”, declarou Peter Ben Embarek.

“Na verdade, não faz parte das hipóteses que sugerimos para estudos futuros”, acrescentou, minimizando uma declaração do ex-presidente dos Estados Unidos Donald Trump, que acusou o Instituto de Virologia de Wuhan de ter deixado o vírus escapar, de forma consciente ou não.

Leia mais:  Astronauta Christina Koch fica 288 dias no espaço e bate recorde
publicidade

Internacional

Baixa procura por vacina contra covid preocupa Uruguai

Publicado

Último país da América do Sul a iniciar a vacinação ainda não conseguiu fazer deslanchar a campanha de imunização

A inscrição dos uruguaios para receber a vacina contra a covid-19 da farmacêutica chinesa Sinovac foi menor que o esperado, o que gerou nesta quarta-feira (3) críticas por parte das autoridades, que mais uma vez defenderam a eficácia do imunizante.

O presidente da Administração dos Serviços de Saúde do Estado (Asse), Leonardo Cipriani, declarou que a CoronaVac é altamente eficaz e que a vacina pode evitar “praticamente 100%” que uma pessoa morra em decorrência da doença causada pelo vírus SARS-CoV-2.

Em testes realizados no Brasil pelo Instituto Butantan, a vacina da Sinovac teve 50,38% de eficácia global, percentual que sobe para 78% quando se trata de casos leves de Covid-19 e 100% contra casos graves e mortes. Nesta quarta, a Universidade Hacettepe, da Turquia, país que também usa a CoronaVac, divulgou uma eficácia global de 83,5%.

Pedido de cooperação

Cipriani destacou que a forma como a vacina foi negociada permitirá ao Uruguai, com 3,5 milhões de habitantes, se tornar um dos primeiros a imunizar toda a população, apesar de ter iniciado o processo depois de outros países.

“O Uruguai vai ser capaz de fazer uma boa surpresa se as pessoas cooperarem”, afirmou o presidente da Asse, que acredita que até o meio do ano 80% da vacinação poderia ser concluída.

Nesse contexto, o Ministério de Saúde Pública do Uruguai planeja distribuir as sobras de doses para grupos de prisioneiros e moradores de rua. Esses grupos começariam a ser vacinados na terceira semana do plano, juntamente com residentes de asilos e casas de repousos e funcionários desses espaços, trabalhadores da área da saúde e pessoas com menos de 60 anos com doenças crônicas.

Os centros de vacinação abriram suas portas na última segunda-feira para administrar as 192 mil doses da CoronaVac a policiais, militares, bombeiros, professores e trabalhadores do Instituto Nacional da Criança e do Adolescente (Inau) com menos de 60 anos de idade.

Os trabalhadores da saúde começarão a ser vacinados na próxima segunda-feira, quando chegará ao país vizinho o primeiro lote de imunizantes da Pfizer, procedente dos Estados Unidos.

O Uruguai, que é o último país da América do Sul a iniciar a vacinação, registrou 59.171 casos de coronavírus até hoje, dos quais 7.189 são considerados ativos. Há 75 pessoas internadas em unidades de terapia intensiva, e 617 pessoas morreram de Covid-19.

Leia mais:  Reino Unido convoca embaixador do Irã em Londres
Continue lendo

Internacional

Cinzas do vulcão Sinabung chegam a 5.000 metros de altura na Indonésia

Publicado

Autoridades indonésias elevaram o nível de alerta para três de uma escala que vai até quatro e limitaram acesso a até 5 km de distância do local

O vulcão Sinabung, na Indonésia, entrou em erupção nesta terça-feira (2) e chegou a expelir fumaça a 5.000 metros de altura nos céus da localidade de Karo, no norte da ilha de Sumatra.

Uma fazendeira da região trabalha normalmente enquanto as cinzas do vulcão do Monte Sinabung, na Indonésia, dominam os céus de Karo, ao norte da ilha de Sumatra neste terça-feira (2)

Uma fazendeira da região trabalha normalmente enquanto as cinzas do vulcão do Monte Sinabung, na Indonésia, dominam os céus de Karo, ao norte da ilha de Sumatra neste terça-feira (2).

Nesta outra imagem, donos das terras da região tentaram seguir a vida normalmente

Nesta outra imagem, donos das terras da região tentaram seguir a vida normalmente.

A Agência Geológica da Indonésia liberou imagens da erupção do vulcão Sinabung 

As autoridades indonésias elevaram o nível de alerta para o vulcão, que já está no terceiro de uma escala de quatro.

As autoridades indonésias elevaram o nível de alerta para o vulcão, que já está no terceiro de uma escala de quatro

Os cientistas registraram mais de 13 projeções que alcançaram 5.000 metros de altura sobre a ilha de Sumatra.

Leia mais:  Fechada por covid-19, Disney doará comida a restaurantes populares
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana