conecte-se conosco


Segurança

Operação Colheita completa 50 dias com apreensão de armas, drogas e prisão de 25 criminosos no Estado

Publicado

Cerca de dois meses após o início das ações, a Operação Colheita, lançada pelo governador Renato Casagrande, no Espírito Santo, apresenta resultados para a população das zonas rurais do Estado. Com o trabalho de visitas tranquilizadoras e operações, realizado pela Polícia Militar em propriedades do interior, 25 mandados de prisão foram cumpridos, sendo três deles com recaptura de fugitivos do sistema prisional, 15 armas de fogo e 849 unidades de drogas apreendidas, além de 95 pessoas conduzidas a delegacias por alguma suspeita de crime.

O resultado da operação é fruto do investimento do Governo do Estado em um patrulhamento dedicado exclusivamente à proteção dos produtores rurais capixabas. A Operação Colheita foi iniciada em maio e até novembro serão investidos quase R$ 1,5 milhão em Indenização Suplementar de Escala Operacional (Iseo), com objetivo de remunerar os policiais da própria região, que já têm proximidade local, com escalas extras para prestar o serviço de patrulhamento dessas áreas.

De acordo com o secretário de Estado da Segurança Pública e Defesa Social, coronel Alexandre Ramalho, a proteção do produtor rural é uma das prioridades do programa Estado Presente em Defesa da Vida, tendo em vista que a agricultura é um importante elo da economia capixaba.

Leia mais:  Unidade prisional de Barra de São Francisco utiliza estúdio de TV para transmitir mensagens religiosas aos internos

“Nós temos uma área rural enorme no Espírito Santo e buscamos melhorar a segurança dos nossos produtores rurais, que não podem sofrer nas mãos de criminosos. Infelizmente, não temos como colocar uma viatura em cada propriedade, mas, pela primeira vez na história do Estado, temos um policiamento com recurso financeiro exclusivo, dedicado somente a essas áreas. Apresentamos essa ideia ao governador Renato Casagrande que, de pronto, entendeu a necessidade e realizou o investimento necessário para essa proteção extra no período importante como é a colheita dos alimentos”, afirmou Ramalho.

O comandante-geral da Polícia Militar do Espírito Santo, coronel Douglas Caus, destacou que os resultados da Operação Colheita são frutos de um trabalho estratégico, onde, além das visitas tranquilizadoras aos produtores rurais, em que o policial levanta informações relevantes sobre indivíduos que possam estar circulando ou trabalhando nas propriedades, também são montados diversos pontos de abordagens com paradas de veículos de todos os tipos e pessoas, que também contribuem para o bom resultado das ações. “Foram 2.081 visitas tranquilizadoras, 15.757 abordagens, 95 pessoas conduzidas, 15 armas de fogo apreendidas, 22 mandados de prisão cumpridos, inclusive de um indivíduo com mandado em aberto do Estado de São Paulo por homicídio e, também, 468 autos de infração de trânsito registrados”, relatou o comandante.

Leia mais:  Criminosos aterrorizam passageiros e apontam arma para criança durante assalto a ônibus

Já o secretário de Estado da Agricultura, Paulo Foleto, reforçou que o período de colheita promove não só uma migração entre os municípios, mas também a chegada de pessoas de outros estados, por isso o reforço do policiamento se faz muito necessário para diminuir os crimes contra o patrimônio. “Esse reforço da Polícia Militar com a escala especial é fundamental, somos gratos ao secretário, coronel Ramalho, e ao Governador Casagrande que liberou o orçamento. A cafeicultura é especial para o Espírito Santo”, lembrou o secretário da agricultura.

O policiamento empregado na Operação Colheita atua com ênfase na ação preventiva, baseado na filosofia do policiamento comunitário, realizando visitas tranquilizadoras às propriedades rurais, orientando os residentes sobre as possibilidades de denúncias anônimas por meio do Disque-Denúncia, estimulando a criação de grupos de comunicação por meio de redes sociais para o compartilhamento de informações úteis à comunidade e disponibilizando outros canais de comunicação com a Polícia Militar e demais órgãos. Ao todo, nos 50 primeiros dias, foram 2.081 ações realizadas pelas equipes.

publicidade

Segurança

Internos da Penitenciária Agrícola realizam reforma em casa de acolhimento para crianças de Viana

Publicado

Material usado foi totalmente custeado pelos internos

Internos da Penitenciária Agrícola do Espírito Santo (Paes) foram os responsáveis pela transformação dos ambientes da Casa de Acolhimento Provisório (CAP) de Viana, que abriga crianças e adolescentes vítimas de violência ou abandono. A reforma do espaço contemplou a restauração das paredes e as pinturas artísticas, permitindo tornar o local mais acolhedor. O espaço será inaugurado nesta terça-feira (16), às 14 horas.

Ao todo, sete internos do regime semiaberto participaram do trabalho, que faz parte do projeto “Trabalho Externo com Monitoramento Eletrônico”, da Vara de Execuções Penais de Viana. A iniciativa tem como objetivo promover a ressocialização por meio do trabalho, uma vez que os detentos beneficiados com o uso da tornozeleira devem reverter o valor do equipamento a entidades sociais.

O material usado para a reforma da CAP, como tintas, cimento, entre outros, foi custeado pelos internos. Eles também foram os executores de todo o trabalho de reparos na alvenaria e a pintura de ambientes com desenhos temáticos.A diretora da Penitenciária Agrícola, Leizielle Marçal, destacou que os apenados passam por cursos de qualificação profissional o ano inteiro dentro da unidade prisional. “Ações como essa possibilitam que os internos coloquem em prática o que aprenderam nos cursos, além de conduzi-los a um processo de profunda reflexão ao verem o resultado desse trabalho para quem tanto precisa”, salientou.

Leia mais:  Unidade prisional de Barra de São Francisco utiliza estúdio de TV para transmitir mensagens religiosas aos internos

Há seis anos, a Casa de Acolhimento Provisório de Viana recebe doações da Penitenciária Agrícola. As ações incluem a doação de brinquedos produzidos na unidade prisional, além de legumes e hortaliças cultivados por internos da penitenciária.

Serviço:

Reforma da Casa de Acolhimento Provisório (CAP) de Viana

Horário: 14 horas

Local: Rua Colatina, Nº 25, Marcílio de Noronha, Viana (primeira rua à direita depois da garagem Santa Zita. Casa verde em frente à pracinha).

Continue lendo

Segurança

Mulher denuncia assédio no Transcol e suspeito é preso em Cariacica

Publicado

A vítima seguia de Vila Velha, quando se sentou ao lado de um homem. Pouco tempo depois, ele começou a se esfregar na perna dela

Um homem foi detido suspeito de assediar uma passageira do Transcol. Tudo aconteceu durante uma viagem entre Vila Velha e Cariacica. Outros passageiros ficaram revoltados e até agrediram o suspeito. O motorista seguiu viagem até a delegacia de Cariacica.

O suspeito foi identificado pela polícia como Pedro Ribeiro de Amorim, 49 anos. Ele afirmou ter problema de visão e caminha com certa dificuldade. Ele foi detido porque teria tocado, sem autorização, no corpo de uma passageira.

A vítima é uma mulher de 37 anos. Ela afirma que embarcou em Vila Velha e o homem já estava no coletivo. Segundo ela, quando se sentou ao lado dele, o suspeito afirmou estar com uma caixa térmica no chão, o que fazia com que ele estivesse com as pernas mais abertas.

Segundo a vítima, pouco tempo depois, ele começou a roçar a perna dele na dela. A mulher conta que olhou para ele, fazendo com que parasse. Pouco tempo depois, no entanto, o homem voltou a incomodar e teria aproveitado que ela estava de olhos fechados. A mulher conta que ficou ainda mais assustada quando ele tentou agarrá-la.

Leia mais:  Justiça decreta prisão preventiva de suspeito de matar capoeirista em Itaúnas

Cerca de 20 minutos se passaram até que a vítima se levantou e saiu de perto do homem. Outra mulher se aproximou do assento liberado, mas foi alertada por ela sobre o comportamento do passageiro ao lado.

Passageiros que ouviram o relato e outras que teriam visto as cenas decidiram agir e o homem chegou a ser agredido dentro do coletivo. Ele tentou desembarcar, mas o motorista não abriu as porta e só parou quando chegou em frente à Delegacia Regional de Cariacica. Um passageiro desceu e chamou agentes da Guarda Municipal que estavam na rua.

A vítima trabalha como gerente em uma loja em Cariacica. Por isso, todos os dias utiliza os ônibus do sistema Transcol. Muito abalada, ela conta que nunca tinha passado por algo parecido e que ainda não se recuperou.

Após ter sido conduzido para a delegacia, o homem foi encaminhado ao presídio. A vítima afirma que não teria coragem de denunciar se não fosse a ajuda de outros passageiros.

Em nota, a Polícia Civil informou que o suspeito foi conduzido à Delegacia Regional de Cariacica, onde foi autuado em flagrante pelo crime de importunação sexual e, posteriormente, foi encaminhado ao Centro de Triagem de Viana (CTV). 

Leia mais:  Sejus e Copas dialogam sobre iniciativas de atenção à saúde psicossocial dos profissionais

Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana