conecte-se conosco


Segurança

Operação contra lavagem de dinheiro é realizada no Espírito Santo e em outros três estados

Publicado

Entre as ordens de busca e apreensão foram encontrados 12 imóveis, 3 veículos de luxo, 12 motos aquáticas e 11 embarcações

Uma operação para apurar crimes de organização criminosa, lavagem de dinheiro e falsificação de documentos foi desencadeada, na manhã desta terça-feira (15), pela Polícia Civil do Espírito Santo (ES) e pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público do Espírito Santo (MPES).

A ação, batizada de Pìanjú, também ocorre simultaneamente no Espírito Santo, Ceará e Alagoas. Em São Paulo, até o momento, três alvos foram presos e conduzidos ao Departamento de Operações Policiais Estratégicas (DOPE), na Sede da Polícia Civil, no centro de São Paulo.

A Polícia Civil do Espírito Santo, com apoio das polícias de São Paulo, Alagoas e Ceará, realiza uma operação para desarticular um grupo criminoso, que atuava de forma estruturada com a finalidade de praticar diversos crimes, entre eles: organização criminosa, lavagem de dinheiro, falsificação de documentos públicos e particulares, inserção de dados falsos em sistemas informatizados, falsidade ideológica, estelionato e falsa comunicação de crime.

A operação ocorreu de forma simultânea no Espírito Santo (Vitória, Vila Velha, Serra e Cariacica), em São Paulo (Capital, Santos e Jaguariúna), Ceará (Fortaleza) e Alagoas (Maceió), tendo sido empregados 118 agentes das Polícias Civis dos Estados do Espírito Santo, São Paulo, Ceará e Alagoas.

Foram expedidos 126 mandados judiciais, sendo, 18 mandados de prisão preventiva, 5 mandados de prisão temporária, 30 mandados de busca e apreensão, 23 sequestros de embarcações, 43 ordens judiciais de bloqueio de contas bancárias e 2 ordens judiciais de suspensão de atividades econômicas.

Entre as ordens de busca e apreensão foram encontrados 12 imóveis, 3 veículos de luxo, 12 motos aquáticas e 11 embarcações.

Durante dois anos de investigação, a polícia comprovou que a organização criminosa, que atuava no Estado do Espírito Santo, composta por dois grandes empresários capixabas (além de diversos outros membros), agia como “prestadora de serviços” de lavagem de capitais para outras organizações, inclusive, com ligação com empresas e pessoas investigadas e denunciadas em fases da operação Lava Jato.

Segundo a polícia, foram cumpridos os mandados de prisão expedidos dos membros responsáveis pelo esquema de lavagem de capitais, que era realizada por meio de empresas de fachada e fictícias, que eram criadas com de identidades falsas, expedidas pelo setor de identificação da Policia Civil do Estado do Espírito Santo.

 

Leia mais:  PM apreende pés de maconha em Vila Valério

publicidade

Segurança

Quase 13 mil aparelhos que burlam sinais de TV por assinatura são apreendidos pela Receita Federal

Publicado

Nos últimos quatro meses de 2020, a Receita Federal apreendeu cerca de 900 mil aparelhos do tipo

A Receita Federal apreendeu, nesta segunda-feira (25), um total de 12.800 aparelhos que burlam sinais de transmissão de canais de TV por assinatura, os conhecidos TV Box. A apreensão encontrou diversos modelos do aparelho no Porto Seco de Nova Iguaçu, no Rio de Janeiro.

O trabalho foi resultado do trabalho da Divisão de Vigilância e Repressão ao Contrabando e Descaminho da Receita Federal na 7ª Região Fiscal, que compreende os estados do Rio de Janeiro e do Espírito Santo.

Esta não é a primeira apreensão do tipo. Nos últimos quatro meses de 2020, a Receita Federal apreendeu cerca de 900 mil aparelhos do tipo. Apenas no Rio de Janeiro foram aproximadamente 800 mil unidades, o equivalente a um prejuízo de R$ 600 milhões para o crime organizado.

Uma das apreensões aconteceu em outubro do ano passado. Na época, mais de 60 mil aparelhos foram apreendidos no Porto de Itaguaí e nos Portos Secos de Nova Iguaçu e Resende, em todo o Estado do Rio de Janeiro. A apreensão representou um prejuízo superior a R$ 50 milhões ao crime organizado, especificamente a grupos de milicianos que se dedicam ao contrabando e a essa modalidade criminosa.

Leia mais:  Novo golpe: criminosos clonam contas de WhatsApp para extorquir
Continue lendo

Segurança

Irmão de um dos traficantes mais procurados do ES é preso

Publicado

Thiago Moraes Pereira Pimenta, mais conhecido como “Panda” é irmão do “Marujo”, que segundo a polícia, é responsável por comandar o tráfico de drogas nos bairros Da Penha e São Benedito

Durante a nova fase da Operação Sentinela, da Polícia Militar, seis suspeitos foram detidos na tarde desta segunda-feira (25) no Bairro da Penha, em Vitória. Entre eles está o irmão de um dos homens mais procurados do Espírito Santo.

Thiago Moraes Pereira Pimenta, mais conhecido como “Panda”, é irmão do “Marujo”, que segundo a polícia, é responsável por comandar o tráfico de drogas nos bairros Da Penha e São Benedito, na capital. Thiago já possuía dois mandados de prisão em aberto por tráfico de drogas.

A polícia também informou que esta é uma detenção de suma importância para desarticular o tráfico de drogas no Bairro Da Penha. Segundo o comandante da PM, Coronel Caus, o irmão do Marujo também chefia o tráfico de drogas no bairro e estaria diretamente ligado ao irmão.

Além dos suspeitos, a polícia também apreendeu três armas de fogo, sendo duas pistolas de 9mm e uma pistola 380, seis celulares, crack, maconha, haxixe, rádios comunicadores e munições de vários calibres. Ainda de acordo com informações da polícia, todo material apreendido foi encontrado em casas onde estavam o Thiago e os outros cinco homens detidos.

Leia mais:  Casal de idosos é mantido em cárcere privado por filho e nora
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana