conecte-se conosco


Segurança

Operação Estado Presente resulta em sete prisões no sul do Estado

Publicado

Na última quarta-feira (20), forças de segurança deflagraram a Operação Estado Presente, no sul do Estado. Polícias Civil (PCES) e Militar (PMES), Bombeiros e Guarda Municipal de Cachoeiro de Itapemirim (GMCI) reuniram esforços no cumprimento de mandados de prisão e de busca e apreensão, especialmente em desfavor de homicidas e traficantes de drogas. O resultado foi a prisão de sete pessoas e o cumprimento de nove mandados de busca e apreensão. Ainda foram apreendidos uma arma de fogo, entorpecentes e munições.

As diligências começaram ainda pela manhã. Divididos em 16 viaturas, 41 policiais civis das Delegacias Regionais de Alegre, Cachoeiro de Itapemirim e Anchieta, e das Delegacias de Polícia de Piúma, Marataízes, Castelo e Guaçuí, chefiados pela Superintendência de Polícia Regional Sul (SPRS), deram início à operação e cumpriram nove mandados de busca e apreensão, com duas prisões por cumprimento de mandado e quatro em flagrante. 

No período da tarde, a Polícia Militar realizou também cumprimento de mandado de busca e apreensão, que resultou em uma prisão em flagrante. Foram apreendidos 500 pontos de LSD, pinos com droga sintética em líquido e outras substâncias ainda desconhecidas. 

O secretário de Estado da Segurança Pública e Defesa Social, coronel Alexandre Ramalho, acompanhou as ações na parte da tarde e à noite, em Cachoeiro de Itapemirim, com abordagens em bairros de vulnerabilidade social e intenso tráfico de drogas, além de fiscalização a estabelecimentos comerciais.

A ação foi integrada e contou com participação do Corpo de Bombeiros Militar e da Guarda Municipal local. “Essa foi a primeira edição da Operação Estado Presente e esperamos robustecer cada vez mais essas ações, visando a proporcionar segurança à população e combater a criminalidade, conforme nos orienta governador Renato Casagrande. Agradeço a todos os envolvidos pela dedicação e comprometimento”, afirmou o coronel Ramalho.

Suspeito de matar frentista preso

A equipe da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) de Cachoeiro de Itapemirim, com apoio da Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF/PCERJ), prendeu um homem de 20 anos, suspeito de envolvimento no crime que vitimou o frentista Reginaldo dos Santos Ramos, no dia 15 de outubro de 2020, no Bairro Guandu.

O suspeito foi preso na localidade de Nova Campinas, em Duque de Caxias (RJ), após levantamentos do Setor de Inteligência da DHPP de Cachoeiro de Itapemirim/ES, associado às diligências de campo realizadas pela PCERJ.

Uma equipe da DHPP de Cachoeiro de Itapemirim foi até o Estado vizinho para trazer o detido para o Espírito Santo, onde prestou depoimento.

Reunião de alinhamento

Na manhã desta quinta-feira (21), a Secretaria de Segurança Pública e Defsa Social (Sesp) ainda organizou e realizou a reunião de alinhamento do programa Estado Presente em Defesa da Vida na Região Integrada de Segurança Pública (Risp) Sul. Os representantes das forças policiais se reuniram para avaliar os resultados e metodologias utilizados no combate à criminalidade.

“Sempre temos que manter essa metodologia de avaliação e metas. Não é uma cobrança ou fiscalização e estamos nas regiões pessoalmente para ouvir exatamente os anseios dos nossos policiais, assim entendendo o que é preciso para melhorar os trabalhos a serem realizados”, destacou o secretário Alexandre Ramalho.

Leia mais:  Plano Estadual de Segurança Pública é entregue durante reunião do Programa Estado Presente
publicidade

Segurança

Hacker suspeito de criar vírus que controla celulares é preso no ES com R$ 7,2 milhões em casa

Publicado

O suspeito foi solto após pagar uma fiança no valor de R$ 110 mil

Um homem de 32 anos suspeito de liderar uma quadrilha responsável por fraudes bancárias, e considerado um dos maiores hackers do Brasil, foi preso no início do mês pela Polícia Federal em um condomínio de luxo localizado em Cachoeiro do Itapemirim, no Espírito Santo. Segundo informações passadas pela PF, o homem era responsável por um vírus que oferece ao invasor controle total sobre os smartphones por meio de acesso remoto.

De acordo com a Folha de São Paulo, os agentes apreenderam a maior quantia em espécie da história da PF no combate a fraudes bancárias. Foram encontrados na casa do suspeito, R$ 7,2 milhões, separados em bolos de notas de R$ 100 e de R$ 50. No local, os agentes também descobriram 1 kg de ouro em barras.

Para a polícia o dinheiro encontrado na casa do suspeito faz parte dos esquemas de invasões a celulares. O suspeito estava sob o radar da Polícia Federal desde maio de 2015.  O programador foi solto após pagar fiança no valor de R$ 110 mil.

Leia mais:  Plano Estadual de Segurança Pública é entregue durante reunião do Programa Estado Presente

Continue lendo

Segurança

Polícia prende principal suspeito do assassinato do diretor do Sine de Nova Venécia

Publicado

A Polícia Civil, com o apoio do serviço de inteligência do segundo batalhão da Polícia Militar de Nova Venécia, conseguiu localizar e prender o principal suspeito de assassinar o diretor do Sistema Nacional de Emprego (Sine) de Nova Venécia, Dionízio Gonzaga de Oliveira, de 42 anos.
  
O delegado de Polícia Civil de Nova Venécia, William Dobrovosk Simonelli Daniel, titular da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa, confirmou a prisão. De acordo com informações, o assassino é acusado de cometer outros homicídios e reside no município de Pinheiros. Entretanto, ele estava escondido na cidade de Boa Esperança.
O suspeito será encaminhado para a 17ª Delegacia Regional de Nova Venécia, onde será ouvido. A Polícia Civil deverá conceder uma entrevista coletiva ainda na tarde desta sexta-feira (26), para falar sobre o caso.

Leia mais:  Polícia Militar apreende adolescentes com cocaína em Pinheiros
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana