conecte-se conosco


Moda e Beleza

Os novos tratamentos que fazem bem para a pele com probióticos

Publicado

Todos os anos é a mesma história: quando chega o inverno e as temperaturas são mais frias, a pele é posta à prova. Secura, desequilíbrios, vermelhidão, perda de brilho, coceira, aperto … No verão, a mesma observação: as crises são bem diferentes, mas é sempre a pele que é a primeira a ser atingida. Nos últimos meses, esses fenômenos recorrentes e naturais foram ainda mais acentuados pelo uso de máscara ou mesmo pelo estresse: ataques adicionais à pele, que parece ter dificuldade em se recuperar. Felizmente, alguns segredos de beleza podem nos ajudar a remediar isso … Você já deve ter conhecido os probióticos por seus benefícios comprovados em nossa flora intestinal, mas você sabia que eles também podem ser benéficos para nossa pele e assim integrar nosso cuidado diário? Neste artigo, fazemos um balanço desta nova geração de cosméticos que nos quer bem.

O que é a microbiota?

Cada um de nós tem, desde o nascimento, o que se chama de flora microbiana, ou seja, vários bilhões de microorganismos, bactérias, fungos, leveduras … que investem nosso corpo, tanto dentro como fora. Assim, nossa pele fica absolutamente coberta por bactérias, é a flora cutânea, também chamada de microbiota.

Se for do lado da flora intestinal, o conhecimento científico é particularmente avançado, no que diz respeito à pele, tantas possibilidades permanecem por explorar! De qualquer forma, uma coisa é certa: as dezenas de bilhões de bactérias que protegem nossa flora cutânea são tão importantes quanto aquelas que habitam nossos intestinos. Para uma pele sã, que irradie beleza ao longo do ano, é portanto imprescindível garantir o equilíbrio da microbiota, que aí está precisamente para a proteger de agressões, infecções, inflamações, envelhecimento precoce…

microbiota-cutanea-beneficios

Por que a flora da pele está desequilibrada?

Embora certos parâmetros – como idade, sexo ou genética – sejam conhecidos por influenciar o equilíbrio de nossa microbiota, sem poder fazer muito a respeito, outros elementos externos também são uma fonte de perturbação. Entre eles encontramos, por exemplo, o clima, a poluição, o estresse, o cansaço ou a temperatura corporal, mas também os ataques que “deliberadamente” aplicamos na pele. Entre os piores inimigos da nossa flora cutânea, está de fato o uso de produtos muito agressivos, que deterioram totalmente o equilíbrio da pele, sem separar as bactérias boas das más que ali se encontram. Dois constituintes principais da barreira cutânea são, portanto, impactados diretamente: o pH e o filme hidrolipídico da pele.

cosmeticos-com-probioticosCosméticos microbióticos, valem à pena?

Probióticos são microrganismos vivos, que anteriormente eram possíveis de ingerir na forma de suplementos alimentares, para ser tomado como uma cura (como se faria com vitaminas, por exemplo). Mas agora, recentemente, novas possibilidades estão disponíveis para nós. De fato, as marcas passaram a introduzir probióticos na formulação de alguns de seus produtos cosméticos, para uma ação cada vez mais estimulante e protetora do sistema imunológico da flora cutânea. Usá-los diariamente promove consideravelmente a diversidade microbiana da pele, fortalecendo a proliferação de bactérias boas. 

Os resultados assim obtidos prometem ser consideráveis: não só para pessoas com tendência a problemas de pele (eczema, acne, rosácea, ressecamento da pele, etc.), mas também para todos aqueles que desejam uma pele radiante de saúde e beleza.

Leia mais:  Rolinho de Jade – O que é, como funciona, benefícios e como usar
publicidade

Moda e Beleza

Conheça os tipos de olheiras e como tratar cada uma delas

Publicado

Escurecimento na área dos olhos está associado a diversos fatores e por isso exige diferentes procedimentos, dizem especialistas

Quando se fala em skincare e prevenção ao envelhecimento facial, a área dos olhos tem sido a maior fonte de angústia estética durante a pandemia. Afinal, são as olheiras que denunciam os primeiros sinais de cansaço e stress causados pela pandemia.

Mas você sabia que nem todas as olheiras são iguais – e existe um tratamento adequado para cada uma delas? É o que explica a dermatologista Pâmela Ribeiro. Segundo a especialista em cosmiatria, área voltada para o tratamento e prevenção de problemas estéticos na pele, existem diferentes fatores para o aparecimento das olheiras.

“No caso de pigmentos e vasinhos arroxeados, o tratamento com luz pulsada é uma boa opção, assim como peeling. Já para profundidade, o mais indicado é o preenchimento com ácido hialurônico”, diz.

A área dos olhos é a mais sensível aos efeitos do tempo, clima e das emoções justamente por se tratar de uma pele mais fina, explica a dermatologista Luciana Garbelini.

“Para se ter uma ideia, a pele do restante do corpo pode vir a ter cerca de 2 milímetros de espessura, enquanto a pele da região dos olhos tem em média 0,5 milímetro. Por isso, essa área está mais favorável ao aparecimento de colorações escuras”, explica.

Quais são os tipos de olheiras?

• Olheiras profundas: são recorrentes em pessoas com o globo ocular naturalmente mais profundo, por questões genéticas, ou por perderem o preenchimento natural devido ao envelhecimento ou perda intensa de peso.

• Olheiras vasculares: podem apresentar tons azulados, arroxeados ou avermelhadas e aparecem devido à má circulação do sangue depois de noites mal dormidas.

• Olheiras pigmentares: geralmente são identificadas pelos tons amarronzados e são mais frequentes em pessoas com excesso de melanina ao redor dos olhos.

• Olheiras mistas: é o tipo mais comum entre as possíveis olheiras, são as olheiras que possuem mais de uma causa e que, muitas vezes, estão associadas ao seu desenvolvimento, como genética, bolsas de gordura ou flacidez, acúmulos de vasos, entre outros.

Leia mais:  Noivas deslumbrantes que dispensaram os vestidos brancos
Continue lendo

Moda e Beleza

Conheça os riscos da banalização da harmonização facial

Publicado

Especialista alerta para precauções que devem ser tomadas ao se optar por tratamentos que prometem rejuvenescer o rosto

A grande procura por procedimentos de harmonização facial, que tem como objetivo corrigir assimetrias e alterações em relação a contornos e ângulos no rosto dos pacientes, chama a atenção de todos. De acordo com a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP), no ano de 2020, ocorreu um aumento de aproximadamente 50% na procura por esses procedimentos estéticos, em plena pandemia. Isso se dá por diversos fatores, sendo um deles a menor exposição social, o que favorece maiores cuidados com a cicatrização durante o pós-operatório.

Nesses momentos de maior demanda também aumenta o número de problemas relacionados, principalmente quando a tomada de decisão sobre o procedimento é feita de forma brusca, sem pesquisa aprofundada.

“É preciso saber selecionar com qual profissional você vai realizar sua harmonização e discutir com ele suas expectativas e reais possibilidades em atendê-las”, afirma Fábio Ricardo Loureiro Sato, médico especialista em cirurgia bucomaxilofacial.

Expectativas irreais causam frustração nos pacientes

Com o intuito de auxiliar os pacientes que procuram esses procedimentos estéticos, o profissional dá algumas dicas de cuidados:

• O barato pode sair caro

O aumento da procura pelos procedimentos faz com que muitos profissionais migrem para essa área, então é preciso tomar cuidado para não cair em armadilhas. Converse com um cirurgião especializado, analise suas qualificações e fale com outras pessoas que já fizeram o mesmo procedimento com o profissional escolhido. Não acredite em preços muito abaixo do padrão desse segmento.

• É preciso ser realista

Um dos pontos importantes é entender a expectativa que cada um tem em relação à harmonização, compreendendo que, como qualquer tratamento, existem limites. Muitas pessoas possuem expectativas elevadas que não podem ser atingidas e alguns profissionais prometem atingir o que foi idealizado, frustrando a todos diante do resultado. A conversa entre ambos precisa ser franca e realista.

• Tudo o que é demais, sobra

Quando se fala de procedimentos estéticos, é muito comum lembrarmos de casos famosos pelos excessos, que levam a resultados indesejados. De acordo com Fábio Sato, uma das funções do profissional é fazer com que os pacientes saibam os limites dos resultados que podem ser atingidos, pois há quem comece a realizar o tratamento e fique eternamente insatisfeito, querendo sempre mais.

• A pressa é a inimiga da perfeição

Nem sempre é aconselhável fazer todos os procedimentos em um único momento. Hoje em dia é muito comum a chamada harmonização “full face” que visa fazer um rejuvenescimento facial de toda a face através de uma combinação de técnicas (preenchimento, fios, bioestimuladores, bichectomia, lipo de papada, entre outros). Porém, nem sempre ela é indicada a todos os pacientes. “Muitas vezes pequenos procedimentos acabam tendo bons resultados”, afirma Fábio. Além disso, antes de fazer uma nova cirurgia no rosto, é preciso aguardar o resultado final do que foi feito anteriormente, o que pode demorar algumas semanas ou meses.

“A obsessão pela imagem de perfeição leva as pessoas a desejarem algo irreal, descompassado com a realidade. Por isso, consulte sempre um profissional experiente e discuta com eles seus objetivos e possibilidade de tratamento para o caso”, finaliza o especialista.

Leia mais:  Noivas deslumbrantes que dispensaram os vestidos brancos
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana