conecte-se conosco


Internacional

Paciente transplantada morre de covid-19 após receber pulmões infectados

Publicado

Antes da cirurgia tanto a paciente quanto o órgão passaram por uma testagem onde não foi identificada a presença do vírus

Em Michigan, nos Estados Unidos, uma mulher morreu em virtude da covid-19 dois meses após receber o transplante de um pulmão infectado. Inicialmente, tanto a paciente que recebeu o órgão, quanto o próprio órgão deram negativo para a presença do vírus. O caso foi registrado no segundo semestre de 2020 e o cirurgião responsável por cuidado do pulmão também testou positivo.

Trata-se do único caso confirmado de infecção adquirida por transplante, mas de acordo com o diretor do serviço de doenças infecciosas de transplantes da Michigan Medicine, Daniel Kaul, a ocorrência alerta para a necessidade de testes mais rigorosos em órgão transplantados como o recolhimento de amostras da parte interna do pulmão.

De acordo com informações do jornal USNews, a doadora do órgão morreu em virtude de uma lesão cerebral após sofrer um acidente de carro. Já a paciente que recebeu o pulmão sofria de uma doença pulmonar obstrutiva crônica.

Três dias após a cirurgia, a paciente receptora do órgão apresentou febre e exames apontaram diagnóstico de infecção pulmonar. O quadro se agravou e a paciente apresentou choque séptico. Após a situação, a equipe médica decidiu realizar um novo teste de covid-19, o qual apresentou resultado positivo. Em dúvida sobre a origem da infecção, os médicos realizaram exames mais profundos com fluidos do órgão e também detectaram a presença do vírus.

Leia mais:  Opositor de Putin sai do coma induzido após envenenamento
publicidade

Internacional

Baixa procura por vacina contra covid preocupa Uruguai

Publicado

Último país da América do Sul a iniciar a vacinação ainda não conseguiu fazer deslanchar a campanha de imunização

A inscrição dos uruguaios para receber a vacina contra a covid-19 da farmacêutica chinesa Sinovac foi menor que o esperado, o que gerou nesta quarta-feira (3) críticas por parte das autoridades, que mais uma vez defenderam a eficácia do imunizante.

O presidente da Administração dos Serviços de Saúde do Estado (Asse), Leonardo Cipriani, declarou que a CoronaVac é altamente eficaz e que a vacina pode evitar “praticamente 100%” que uma pessoa morra em decorrência da doença causada pelo vírus SARS-CoV-2.

Em testes realizados no Brasil pelo Instituto Butantan, a vacina da Sinovac teve 50,38% de eficácia global, percentual que sobe para 78% quando se trata de casos leves de Covid-19 e 100% contra casos graves e mortes. Nesta quarta, a Universidade Hacettepe, da Turquia, país que também usa a CoronaVac, divulgou uma eficácia global de 83,5%.

Pedido de cooperação

Cipriani destacou que a forma como a vacina foi negociada permitirá ao Uruguai, com 3,5 milhões de habitantes, se tornar um dos primeiros a imunizar toda a população, apesar de ter iniciado o processo depois de outros países.

“O Uruguai vai ser capaz de fazer uma boa surpresa se as pessoas cooperarem”, afirmou o presidente da Asse, que acredita que até o meio do ano 80% da vacinação poderia ser concluída.

Nesse contexto, o Ministério de Saúde Pública do Uruguai planeja distribuir as sobras de doses para grupos de prisioneiros e moradores de rua. Esses grupos começariam a ser vacinados na terceira semana do plano, juntamente com residentes de asilos e casas de repousos e funcionários desses espaços, trabalhadores da área da saúde e pessoas com menos de 60 anos com doenças crônicas.

Os centros de vacinação abriram suas portas na última segunda-feira para administrar as 192 mil doses da CoronaVac a policiais, militares, bombeiros, professores e trabalhadores do Instituto Nacional da Criança e do Adolescente (Inau) com menos de 60 anos de idade.

Os trabalhadores da saúde começarão a ser vacinados na próxima segunda-feira, quando chegará ao país vizinho o primeiro lote de imunizantes da Pfizer, procedente dos Estados Unidos.

O Uruguai, que é o último país da América do Sul a iniciar a vacinação, registrou 59.171 casos de coronavírus até hoje, dos quais 7.189 são considerados ativos. Há 75 pessoas internadas em unidades de terapia intensiva, e 617 pessoas morreram de Covid-19.

Leia mais:  Ilha no Pacífico nunca teve casos de covid-19 e inicia vacinação
Continue lendo

Internacional

Cinzas do vulcão Sinabung chegam a 5.000 metros de altura na Indonésia

Publicado

Autoridades indonésias elevaram o nível de alerta para três de uma escala que vai até quatro e limitaram acesso a até 5 km de distância do local

O vulcão Sinabung, na Indonésia, entrou em erupção nesta terça-feira (2) e chegou a expelir fumaça a 5.000 metros de altura nos céus da localidade de Karo, no norte da ilha de Sumatra.

Uma fazendeira da região trabalha normalmente enquanto as cinzas do vulcão do Monte Sinabung, na Indonésia, dominam os céus de Karo, ao norte da ilha de Sumatra neste terça-feira (2)

Uma fazendeira da região trabalha normalmente enquanto as cinzas do vulcão do Monte Sinabung, na Indonésia, dominam os céus de Karo, ao norte da ilha de Sumatra neste terça-feira (2).

Nesta outra imagem, donos das terras da região tentaram seguir a vida normalmente

Nesta outra imagem, donos das terras da região tentaram seguir a vida normalmente.

A Agência Geológica da Indonésia liberou imagens da erupção do vulcão Sinabung 

As autoridades indonésias elevaram o nível de alerta para o vulcão, que já está no terceiro de uma escala de quatro.

As autoridades indonésias elevaram o nível de alerta para o vulcão, que já está no terceiro de uma escala de quatro

Os cientistas registraram mais de 13 projeções que alcançaram 5.000 metros de altura sobre a ilha de Sumatra.

Leia mais:  Reino Unido convoca embaixador do Irã em Londres
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana