conecte-se conosco


Política e Governo

Partido Verde defende nova postura política nas próximas eleições

Publicado

Daniel Gonçalves (Presidente do PV) e Wellington Secundino (pré-candidato a prefeito).

O Partido Verde (PV) de São Mateus quer fazer a diferença nas próximas eleições municipais e para isso vem tendo o cuidado de trazer novos quadros com novos nomes, sem vícios políticos e que se enquadram nos critérios adotados pela coordenação da campanha. Pelo menos é o desejo do presidente, Daniel Pinto Gonçalves, que junto ao secretário de Direitos Humanos e Diversidade e Coordenador Geral da Campanha, Herikson Locatelli estão trabalhando nesse sentido junto aos seus filiados e pré-candidatos.

“Faremos uma campanha limpa, honesta, com pouco recurso, sem atacar ou menosprezar os nossos adversários. Nesta pré-campanha, os nossos pré-candidatos estarão dialogando com suas bases eleitorais e com a sociedade civil de modo geral, projetos e soluções, com objeto de entender e identificar as demandas, para elaborar e apresentar durante a campanha um programa de governo para o município que seja o reflexo do desejo do povo mateense. Faremos uma campanha Ecologicamente Correta, 95% Digital. Um diferencial do Partido Verde de São Mateus”, discorre o presidente Daniel”.

Segundo ele, é consenso a insatisfação com o atual governo municipal e ao dialogar com algumas lideranças dos bairros e periferias, afirma que se percebe “grande rejeição do eleitorado com o prefeito”. Com essa percepção, o PV entende a importância de se posicionar com relação à disputa eleitoral majoritária, propondo um nome competitivo, propício a se tornar a terceira via alternativa e viável para o município de São Mateus, tendo como meta torna-se uma opção para os eleitores. Almeja apresentar uma nova liderança política, dessa forma “pretendemos acolher inclusive outros pré-candidatos que já exerceram algum tipo de mandato, na condição de conselheiros e apoiadores de uma nova era na política mateense”.

O PV de São Mateus já tem um nome, segundo seu presidente, um recém filiado ao partido, que foi bem avaliado e escolhido para ser pré-candidato a Prefeito de São Mateus, o engenheiro agrônomo, Wellington Secundino. “Percebemos em sua conduta e postura ao chegar no partido, muita humildade e simplicidade, que é qualificado e está preparado para este desafio”, enfatiza o presidente. E acrescenta que “Os integrantes do partido sabem da dificuldade de enfrentar a velha guarda da política, pessoas que articulam para que o povo não tenha uma nova opção, tudo é articulado para que a sociedade escolha o menos pior, dentre as figuras repetidas. Dessa forma, percebemos que este nome, Wellington Secundino, tem plenas condições de representar essa nova liderança, pois possui um excelente currículo em áreas com agricultura, pesca, obras, administração, educação, cooperativismo, dentre outras, está comprometido em fazer parte de um projeto para nossa cidade, a elaborar em conjunto com o PV, os nossos pré-candidatos a vereador, as lideranças políticas locais e com os diversos grupos sociais, um plano de governo viável para o município e tem sabedoria para escolher uma equipe de governo alinhada com as nossas propostas e fundamentado nos princípios ideológicos do partido”.

Demonstra capacidade de representar a todos os munícipes sem distinção alguma, pautado no desejo de governar amplamente para todos. O PV e seus pré-candidatos querem viabilizar sem gana de ganhar, mas de ser uma opção de voto nas urnas. Wellington Secundino é Engenheiro Agrônomo com Especialização em Gestão Ambiental e Mestrado em Agricultura Tropical. Principais atividades desenvolvidas: Chefe do Escritório Local do Incaper nos período de 1989-1991 e 1998-2000; Foi Secretário Municipal de Agricultura de São Mateus no período de 2001-2008, atingindo o maior PIB agropecuário do estado em 2006/2007; Ajudou na organização e desenvolvimento do setor agrícola mateense, apoiando a criação de mais de 30 associações de produtores; Foi Coordenador do Programa Estadual de Desenvolvimento de Pimenta-do-Reino (2003-2014), elevando São Mateus a um dos maiores polos mundiais de Pimenta do Reino do

Espírito Santo; Sócio fundador da COOPBAC – Cooperativa dos Produtores da Bacia do Cricaré; Coordenou a vinda do SICOOB para o município, sendo Delegado do mesmo no período 2006-2007; Implantou o maior programa municipal de eletrificação rural do estado, o Programa Luz no Campo Municipal, onde foram atendidos 400 produtores rurais de um total de 580; Sócio fundador do Projeto Pró Reciclagem do Lixo; Sócio fundador do Programa SOS Plantas Medicinais; Sócio Fundador da Adersama – Associação para Desenvolvimento e Recuperação do Rio São Mateus; Fez parte da Comissão Pró Ceunes e Coordenou e articulou a criação do curso de Engenharia Agronômica; Sócio Fundador do Projeto Semeando a Liberdade – Projeto de Ressocialização de Detentos._

Outra questão abordada pelo presidente Daniel Pinto Gonçalves, foi chapa de Vereadores. “Uma chapa bem eclética, com pessoas da área urbana e rural. Pessoas do cotidiano, conhecedores da realidade do nosso município e do seu povo. Nomes novos, nomes limpos, sem vícios políticos e comprometidos em fazer política e não politicagem. Todos em reais condições de se elegerem, dentro de uma disputa interna do partido ou mesmo na disputa com candidatos de outros partidos ou com vereadores de mandato”. Ele destaca que trabalharam para formar uma chapa igualitária, com 50% das vagas entre mulheres e homens, através de um processo democrático e transparente dentro do partido. ‘Ainda é cedo para mencionar alguns nomes, temos até o dia 05/08, prazo final para as convenções municipais, para definir a composição dos nomes da nossa chapa de vereadores”.

O Partido Verde vem dialogando com vários grupos e partidos, pois “sempre teve autonomia de decisão, porém está sempre alinhado com a executiva estadual do partido, com os nossos Deputados Estaduais, Luciano Machado e Marcos Garcia, buscando articular uma forte composição para a chapa majoritária com o objetivo de apresentar resultados”.

Um fato que o presidente destaca é a dificulta dessa construção nas relações com os grupos políticos locais porque o desejo é de derrubar o atual prefeito. “Quando o PV se posiciona contrário a essa conduta, não significa que compactuamos com o atual governo, e sim, estamos pensando como uma nova liderança e devemos adotar uma postura propositiva e não reativa. Os demais grupos reagem ao atual mandato, apontando falhas, nós do Partido Verde preferimos propor um novo projeto, apontando soluções e mesmo que seja difícil, vamos constituir uma equipe política com o mínimo de competência técnica, pois mediante o atual cenário econômico e político de nosso país, exige de todos os líderes partidários o abandono de vaidades e ganancia de poder e abre espaço para o comprometimento e a responsabilidade com a vida das pessoas”

Outra dificuldade apontada pelo presidente do partido é que as eleições deste ano serão bem diferente de todas as outras, pelo fato da pandemia impondo um isolamento e afastamento social, dificultando a realização de encontros e contato com o eleitor durante esta pré-campanha. “O momento é delicado e requer cuidados para preservar a saúde e a vida de todos, também pelo fato de não se poder fazer coligações na disputa proporcional, sendo assim, formação de chapas individuais. Isso fez que alguns grupos políticos abrissem mão de suas de seus partidos e se mesclaram com outros grupos políticos em um determinado partido para conseguirem formar uma chapa de vereadores para não ficarem de fora do processo”. E finaliza dizendo esperar “uma eleição onde os eleitores votem nos candidatos, a prefeito e vereadores, que apresentarem os melhores projetos para o município e que sejam capacitados para exercerem um bom mandato. São Mateus precisa andar para a frente, buscar novos rumos, se desenvolver. Gerar oportunidades e riquezas para os seus munícipes. Só quem pode mudar isso é o eleitor, através do seu voto”.

Leia mais:  Deputado Da Vitória consegue investimentos de mais de R$ 4 milhões para a agricultura capixaba
publicidade

Política e Governo

R$ 445 mil direcionados por Majeski para reforçar trabalhos em hospitais

Publicado

Dos R$ 445 mil direcionados pelo deputado estadual Sergio Majeski (PSB), por intermédio de emendas parlamentares, para reforçar os trabalhos em 11 instituições com atuação na saúde pública do Espírito Santo em 2021, R$ 330 mil estão com os termos de fomento assinados entre o Governo do Estado e a instituição beneficiada com o repasse do recurso.

São R$ 180 mil para o Hospital Concórdia (Santa Maria de Jetibá), R$ 30 mil para o Hospital Rio Doce (Linhares), R$ 30 mil para a Associação Feminina de Educação e Combate ao Câncer (Vitória), R$ 30 mil para o Hospital Santa Casa (Vitória), R$ 25 mil para o Hospital Santa Casa (Cachoeiro de Itapemirim), R$ 25 mil para o Hospital Infantil (Cachoeiro de Itapemirim) e R$ 10 mil para Fundação Clínica Carmem Lúcia (Vila Velha).

“Mesclamos o direcionamento dos recursos com as emendas para contemplar instituições que oferecem serviços relevantes à sociedade. Sempre é importante lembrar que o dinheiro é público, do próprio cidadão. Além dos hospitais, também estão em nossa prioridade escolas, Apaes e Pestalozzis, por exemplo. Indicamos o repasse e rotineiramente vamos às instituições para verificar as estruturas e conferir o atendimento que é ofertado às pessoas”, destaca Majeski.

Para efetivar na totalidade os recursos direcionados pelo deputado Majeski às instituições que oferecem serviços em saúde, falta o Governo do Estado assinar os termos de fomento para o repasse de R$ 115 mil aos hospitais Padre Máximo (Venda Nova do Imigrante), Madre Regina Protmann (Santa Teresa), Nossa Senhora da Penha (Santa Leopoldina) e São Brás (Itarana).

Leia mais:  Governo lança chamada pública para fomentar o empreendedorismo de mulheres capixabas
Continue lendo

Política e Governo

Secult debate participação na 4ª Conferência Nacional de Cultura

Publicado

A Secretaria da Cultura (Secult) já está participando das articulações para a realização da 4ª Conferência Nacional de Cultura, com previsão para ser realizada em dezembro de 2022. As etapas municipais e estaduais devem ocorrer entre fevereiro e junho do próximo ano, e as discussões vão girar em torno de atualizações do plano nacional de cultura e os rumos do setor no pós-pandemia.

O secretário de Estado da Cultura, Fabricio Noronha, presidente do Fórum Nacional de Secretários e Dirigentes Estaduais de Cultura reuniu-se com a presidente do Fórum Nacional de Secretários e Gestores de Cultura das Capitais e Municípios Associados, Ana Cristina de Castro, em Curitiba, para tratar da participação dos dois fóruns na organização da 4ª Conferência Nacional de Cultura. Ana Castro é presidente da Fundação Cultural de Curitiba, no Paraná, que tem status de secretaria.

Durante a reunião, os presidentes conversaram com o secretário nacional da Economia Criativa e Diversidade Cultural, Aldo Valentim, visando a acertar detalhes da composição da 1ª Câmara Temática para a Conferência Nacional, da qual Fabricio Noronha será titular e Ana Castro suplente.

Ambos participam na condição de representantes do poder público e seus nomes serão ratificados na próxima reunião plenária do Conselho Nacional de Políticas Culturais, prevista para ser realizada nesta quarta-feira (1º).

A Conferência Nacional de Cultura reunirá, como nos anos anteriores, agentes culturais de todo o Brasil para debates das políticas culturais. Nas três edições anteriores, a conferência chegou a ter representantes de 26 estados.

Leia mais:  Deputado Da Vitória consegue investimentos de mais de R$ 4 milhões para a agricultura capixaba
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana