conecte-se conosco


Mundo Cristão

Pastor diagnosticado com morte cerebral sobrevive, após médicos desligarem aparelhos

Publicado

O pastor Michael Napier sobreviveu a um derrame grave provocado por sequelas da Covid-19

Um pastor do Tennessee (EUA) foi prova de um milagre de Deus após se deparar com a morte, devido a sequelas graves da Covid-19.

Michael Napier sobreviveu a uma dura batalha contra o coronavírus em outubro de 2020, depois de 19 dias internado na cidade de Knoxville, respirando através de um ventilador mecânico.

Ele teve que passar por fisioterapia para voltar a andar e estava tomando anticoagulantes. “Eu tive alguns coágulos sanguíneos nas minhas pernas, mas os médicos disseram que não era uma trombose profunda e, por isso, eu provavelmente sairia dela”, disse Michael à emissora local WATE-TV.

Uma semana depois de parar de tomar a medicação para afinar o sangue, o pastor Michael acordou no meio da noite com tonturas, náuseas e forte dor de cabeça. Sua esposa, Linda Napier, tentou ajudar a aliviar a dor com alguns medicamentos.

Percebendo que seu quadro era um pouco mais sério, Linda chamou uma ambulância e seu marido foi levado ao hospital, em 13 de março deste ano. Mais tarde, os médicos deram o diagnóstico à família: Linda teve um derrame grave.

No início da internação, Michael estava bem, segundo sua esposa. Mas com o passar dos dias, ele passou a ter delírios. Os médicos então decidiram fazer uma cirurgia, em 19 de março, para aliviar a pressão do inchaço no cérebro, causada pelo derrame.

“Eles tiveram que cortar parte do meu crânio para aliviar a pressão no meu cérebro e colocar um filtro no meu estômago para tentar parar os coágulos sanguíneos. Tive vários coágulos sanguíneos”, relata Michael.

Diagnóstico de morte cerebral

Michael ficou em coma induzido e foi colocado em um respirador. Em 24 de março, os médicos disseram à família que o pastor provavelmente teria tido morte cerebral, já que não estava respondendo à dor, toque ou comunicação. 

Segundo a família, o médico disse ainda que podia contar nos dedos os casos de pessoas que sobreviveram a este tipo de derrame. Sendo assim, a família teve que tomar uma decisão.

“Eles ligaram para minha família e pediram que decidissem sobre me desconectar do suporte de vida. Disseram que eu seria um vegetal pelo resto da vida, que isso destruiria meu cérebro”, disse Michael.

Linda sabia que seu marido não gostaria de viver naquele estado e toda a família decidiu desligar os aparelhos. “O médico disse que ficaria chocado se ele saísse disso, e eu disse a ele, disse: ‘Você vai ficar chocado’”, conta a esposa.

Reviravolta milagrosa

A família foi informada de que Michael provavelmente não sobreviveria mais de 12 horas depois de ter desligado os aparelhos. Mas, algumas horas depois, um milagre aconteceu. Michael começou a fazer movimentos por conta própria.

“Deus ainda não queria levá-lo”, disse Linda.

Michael ficou no hospital por algumas semanas antes de iniciar o tratamento de reabilitação. Ele e sua família reconhecem que sua vida foi poupada por Deus.

“Não quero tirar nada do que os profissionais fizeram. Os médicos foram fantásticos. Acredito que Deus usou os enfermeiros e os médicos para fazer um trabalho tremendo em minha vida”, disse Michael.

O pastor disse que sabia o tempo todo que Deus estava com ele e cuidando dele. “Sou grato por ter a oportunidade de dar glória a Ele hoje”, disse. “Oro para que através desta história alguém se aproxime Dele”.

“Deus tem sido incrível”, disse Linda. “Os médicos pensaram que ele ficaria paralisado pelo menos do lado esquerdo. Ele não ficou. Eles pensaram que ele teria alguns problemas cognitivos. Ele não tem”.

Michael precisará continuar tomando anticoagulantes pelo resto de sua vida, mas é um pequeno preço a pagar para se estar vivo. “O Senhor me lembrou que Ele me deu uma chance”, disse.

Leia mais:  Musical cristão será lançado na Netflix em março
publicidade

Mundo Cristão

Centenas se reúnem em adoração e chuva cai sobre cidade atingida por incêndio nos EUA

Publicado

Sean Feucht acredita que a chuva foi uma resposta de Deus às orações feitas para que cessem os incêndios florestais

O líder de louvor cristão, Sean Feucht, junto de sua equipe de adoração, fizeram uma nova turnê, que teve início na quinta-feira (29), em Montana, EUA. 

Com o movimento “Let Us Worship”, eles revelam que estão vendo muitos milagres acontecendo. Num vídeo compartilhado pelo Instagram, Sean contou que começou a chover durante a primeira música do ensaio. 

Para o cantor, isso foi um sinal de Deus, já que o estado vem lutando contra incêndios florestais e a chuva só estava prevista para domingo (01).

“Começou a chover bem no momento em que tocamos o primeiro acorde, na noite de ensaio. Essa foi uma resposta às orações feitas por causa dos incêndios florestais que assolam este estado”, disse. 

Sobre o movimento

Com uma população de quase 6 mil pessoas da pequena cidade de Lewistown, centenas se reuniram em campo aberto e foi possível ver que muitos estavam em busca do poder de Deus e de cura. Alguns se emocionaram e caíram de joelhos, com lágrimas escorrendo pelo rosto.

O movimento “Let Us Worship” viajou para a cidade de Kalispell na sexta-feira, onde o Espírito de Deus se espalhou sobre milhares de pessoas, no condado de Flathead.

“Deus está incendiando até mesmo as cidades mais remotas. Quase 4 mil pessoas derramaram seus corações em adoração, nesta noite”, Sean postou em seu Instagram.

A turnê em Montana, continuou seguindo para Great Falls, no sábado e terminou em Billings, no domingo.

Testemunho

Sean compartilhou uma história inspiradora de um jovem chamado Aaron, que estava perdido, mas entregou sua vida a Cristo um ano atrás. Ele permanece sóbrio desde então.

Segundo Sean, a mãe de Aaron participou de um evento “Let Us Worship” no verão do ano passado, na Califórnia, quando ela pediu ao cantor que orasse por seu filho, que era viciado em drogas e vivia nas ruas.

“Oramos com urgência naquela noite para que Deus encontrasse seu filho. Aaron se tornou a representação do ‘filho pródigo’ que seria o troféu da graça de Deus. Ele se tornou um avivalista ardente desde aquele momento levando muitos a Jesus”, disse Sean, que conheceu o jovem pessoalmente, no último sábado.

“Nós comemoramos juntos e celebramos Jesus. Waw, Aaron é a imagem profética de uma geração inteira que se voltará para Deus. Não podemos parar de orar”, exclamou o líder da banda.

Aaron teve a oportunidade de compartilhar seu próprio testemunho, explicando que ele era um “fantoche de Satanás” e que estava “destinado à morte”. 

“Quando despertei, pensei: ‘O que estou fazendo da minha vida?’ Imediatamente, comecei a chorar e a falar com Deus — ‘Eu quero te conhecer, eu quero te amar, Pai.’ E eu pude sentir o poder descendo sobre mim. Eu sabia que estava seguro”, compartilhou.

Aaron conta que, depois dessa experiência, entregou a vida a Cristo. “Eu me rendi a Ele e compreendi que não fazia mais sentido deixar o mal habitar em meu corpo”, disse.

O jovem convertido contou que está consertando seu próprio trailer e que planeja viajar pelo país para divulgar o Evangelho. 

Let Us Worship (Deixe-nos adorar)

Sean começou o movimento “Let Us Worship” no ano passado, enquanto os estados estavam reprimindo as igrejas e proibindo os cultos dominicais. 

Foi então que o cantor passou a fazer eventos de adoração ao ar livre, viajando de um estado para outro, como forma de protesto e como estratégia para espalhar o avivamento pela América, como ele mesmo explica.

O cantor disse que não tem planos de parar com os eventos, que descreve como “cheios do Espírito e que levam esperança e cura para tantos”. 

“Let Us Worship” continuará a viajar pelos Estados Unidos durante o mês de agosto e, em seguida, vai se preparar para o “The National Mall”, em Washington, de 11 a 12 de setembro.

Mais de 35 mil pessoas se reuniram no icônico gramado em outubro passado, onde Sean proclamou para a multidão que “Deus está se movendo na América”. 

Leia mais:  Nego do Borel é batizado nas águas em igreja
Continue lendo

Mundo Cristão

“Só reafirmamos a Bíblia: Deus criou homem e mulher”, diz Jorge Linhares após depor no MP

Publicado

Pastor diz que foi surpreendido com manifestação em seu favor, com o apoio de cristãos, pastores e representantes de várias denominações.

Depois de ser intimado por compartilhamento de vídeo que defende valores cristãos, o pastor e diretor do Colégio Batista Getsêmani, Jorge Linhares, compareceu ao Ministério Público de Minas Gerais, acompanhado de sua filha, Daniela Linhares, na segunda-feira (02) e prestou depoimentos.

Em entrevista ao Guiame, Daniela disse que o pai estava tranquilo e em paz. “Ele entende que esse pronunciamento representa a opinião de todos os cristãos que estão alinhados com a Bíblia e a palavra de Deus”, afirmou.

Sobre a conversa com o promotor: “Ele estava bem chateado pela proporção que o caso ganhou e pelas manifestações que viu na internet”, disse ao se referir a alguns vídeos publicados em defesa de Jorge Linhares.

“O promotor [Mário Konishi] recebeu muitos e-mails com vídeos e lives sobre o assunto, porque, de fato, ocorreu uma mobilização nacional. Ele não esperava por isso, se sentiu ofendido e queria desmarcar a audiência. Mas, meu pai insistiu em conversar”, disse.

Na ocasião, promotor e pastor se conheceram, ambos são pais de família, com filhos e netos. “Meu pai teve oportunidade de falar sobre seu trabalho de 40 anos no ministério, cuidando de vidas e se preocupando com as crianças. Além disso, ele dirige o Colégio Batista Getsêmani há 30 anos, prezando pelos valores bíblicos e cristãos”, detalhou.

“Não houve discurso de ódio”

Segundo Daniela, que também é pastora e diretora da revista Get Up, a conversa entre os dois foi produtiva e respeitosa. “Meu pai explicou que o vídeo compartilhado não foi feito pelo Colégio, mas foi somente compartilhado por estar em harmonia com a nossa confissão de fé”, explicou.

“Meu pai entende e respeita que cada um tem a sua escolha e esclareceu ao promotor que ‘jamais o Colégio ou a Igreja Batista Getsêmani, ou ele mesmo como pastor, incitariam o ódio’. Mas, ele não é obrigado a aceitar que esse ensino [ideologia de gênero] seja imposto nas escolas”, resumiu.

Na saída do Ministério Público, abordado por jornalistas, o pastor Jorge Linhares disse que conseguiu esclarecer que não havia nenhum indício de homofobia em suas ações. “Nós só reafirmamos o que a Bíblia diz, que Deus criou o homem e a mulher”, ressaltou.

Daniela ainda esclarece que o vídeo é claro ao dizer que “Deus não errou ao criar meninos e meninas. “Além de aprendermos isso através da Bíblia, a ciência também afirma o mesmo quando nasce uma criança. Se nasce um menino, a ciência diz que é menino; e se nasce menina, a ciência diz que é menina”, simplificou.

“A conversa foi esclarecedora e agora demanda o fechamento disso tudo. Aguardamos o desfecho do promotor — se o caso vai ser encaminhado para um processo ou se será arquivado”, continuou.

O advogado de defesa, que representou Jorge Linhares e o Colégio Batista Getsêmani, Dr. Oswaldo Fernandes, acredita que a denúncia será arquivada. “Fomos muito bem recebidos pela promotoria e tivemos oportunidade de esclarecer todos os fatos. Deus estava ali conosco. Glória ao Senhor Deus por ter dado tudo certo”, disse ao Guiame.

Manifestação cristã

“Nós tivemos uma surpresa ao chegar no Ministério Público porque vimos vários pastores e representantes de ministérios. Logo na porta, havia uma bandeira enorme do Brasil. Depois eu soube que era uma bandeira do exército, levada pelo militar e pastor Jeferson, enviado por Renê Terra Nova”, mencionou. 

Entre os cartazes com mensagens de apoio, Daniela disse que reparou na quantidade de crianças presentes na manifestação. “Também vi muitos cartazes com as frases: ‘Deus nunca erra’, ‘Menino é menino, menina é menina’, ‘Não vamos nos calar’ e ‘O Senhor é o nosso juiz’. Foi gratificante”, sublinhou. 

Jorge Linhares

Manifestação de cristãos em frente ao Ministério Público (MG) em apoio ao pastor Jorge Linhares.

Os representantes de pastores de Minas Gerais também estiveram presentes, além de líderes, evangelistas e professores e pedagogos. “As pessoas cantavam o hino nacional, o ambiente foi inundado pela presença de Deus e tudo isso encheu o nosso coração de paz e alegria”, lembrou.

 “Com sabedoria e graça, meu pai falou sobre o trabalho dos evangélicos, representando todas as igrejas do Brasil, todas as escolas cristãs e todas as famílias que concordam com o ensino bíblico de que Deus criou meninos e meninas”, concluiu. 

Apoio de lideranças

Entre vários apoiadores, está o presidente do PTB, Roberto Jefferson, que emitiu uma nota de apoio, no domingo (01), ao pastor Jorge Linhares, mencionando que “vivemos uma guerra de valores” e que está em jogo a desconstrução da família.

“Há uma diferença entre educar (papel dos pais) e ensinar (tarefa da escola). Nossa sociedade foi estabelecida sobre os alicerces do cristianismo, e essa construção familiar jamais será neutra. Para a ideologia de gênero, o sexo é uma construção cultural e social que pode ser modificada até chegar a uma completa igualdade, na qual não haja mais famílias”, escreveu.

O texto ainda diz: “Fica evidente que a ideologia de gênero pretende o esvaziamento jurídico do conceito de homem e mulher” e reforça “estamos posicionados para defender nossos valores cristãos e a proteção de nossas crianças, futuro dessa nação”. 

O pastor e político Magno Malta também se manifestou através de suas redes sociais. “Pastor Jorge, nós estamos aqui para trazer a nossa solidariedade e aplaudir a sua coragem”, disse.

O teólogo e arqueólogo Rodrigo Silva também se manifestou através do Instagram e se disponibilizou a orar pelo pastor. 

“Dias piores virão em que o mundo estará cada vez mais dividido e politizado. Não se esqueçam, a famosa guerra da luz contra as trevas reverbera todos os dias na história humana. De que lado você estará?”, escreveu ao final do texto.

Leia mais:  Igreja cria “varal solidário” com máscaras para doação
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana