conecte-se conosco


Política e Governo

Pesquisa aponta empate técnico entre Coser e Gandini na capital

Publicado

A primeira pesquisa Rede Vitória/ Futura na capital do Estado, para as eleições municipais deste ano, aponta um empate técnico entre João Coser, do PT, e Fabrício Gandini, do Cidadania. No entanto, o petista está um pouco à frente nas intenções de voto estimulado. Quando o eleitor é perguntado: “Se os candidatos fossem esses, em quem você votaria para prefeito de Vitória?”. O ex-prefeito da capital tem 17,5% da preferência do eleitor. Em seguida vem Fabrício Gandini (Cidadania) com 14,2%, dentro da margem de erro de quatro pontos para mais ou para menos. O Delegado Pazolini (Republicanos) com 9% das intenções de voto.

Ainda na pesquisa estimulada, Neuzinha (PSDB) aparece em quarto, com 6,2% dos votos, seguida de Capitão Assumção (Patriotas) que teve 5,5%, Sergio Sá (PSB) 2,7%, Coronel Nylton (Novo) 2,2%, Mazinho (PSD) 2,2%, Namy Chequer (PCdoB) 1,7%, Gilbertinho Campos 1,2% e Fábio Louzada (MDB) 1%. Os eleitores que não sabem, não responderam e indecisos são 20,8%. E aqueles que disseram que não votam em ninguém, branco ou nulo são 16%.

Quando a pesquisa é espontânea, com a pergunta: “Se a eleição fosse hoje, em quem você votaria para prefeito de Vitória”, o cenário aponta vantagem de Gandini, com 8,3% das intenções de voto. Coser vem em segundo, com 7% e Pazolini aparece em terceiro, com 4,3%.

Em quarto, aparece Capitão Assumção, com 2,2%, seguido de Neuzinha, com 2%, Sergio Sá com 1,8%, Mazinho, com 1,3%, Coronel Nylton com 0,8%, Namy Chequer com 0,5%, Gilbertinho Campos 0,5% e Eron Domingos 0,2%. O percentual de não sabe, não respondeu e indecisos é de 50%. Os eleitores que disseram que não votam em ninguém, branco ou nulo são 17,3%. Outro, 3,7%.

No levantamento sobre rejeição estimulada, a pergunta é “Em qual desses você não votaria em nenhuma hipótese?”. O mais citado pelos entrevistados é o candidato João Coser, com 25,5%. Em seguida vem Capitão Assumção com 17,7% e em terceiro Neuzinha com 8,3%.

Em seguida, no levantamento sobre rejeição, em quarto está Gandini, com 7,5%, seguido de Coronel Nylton, com 7,3%, Delegado Pazolini, com 5,5%, Namy Chequer com 5,3%, Mazinho com 2,8%, Sergio Sá com 2,8%, Fabio Louzada com 1,8%, Gilbertinho Campos (Psol) com 1,7%, Halpher Luiggi (PL) com 1,5%, Eron Domingos (PRTB) com 1,3% e Raphael Furtado (PSTU) com 1,2%. Dos entrevistados, 6,3% rejeitam todos os candidatos e 17,8% não rejeitam nenhum. Não sabem, não responderam foram 14,2%.

A pesquisa realizou 600 entrevistas, face a face, com o eleitor entre os dias 2 e 3 de outubro. Todas as medidas de prevenção e segurança preconizadas pelas autoridades sanitárias em função da pandemia de covid-19 foram respeitadas. A margem de erro é de 4 pontos percentuais para mais ou para menos e a confiabilidade é de 95%. A pesquisa está registrada no Tribunal Regional Eleitoral sob o número ES-04597/2020.

Fonte: Folha Vitória.

Leia mais:  TCE-ES repassa reserva financeira ao governo e Cartão ES Solidário vai de R$ 150 para R$ 200 mensais, além de beneficiar mais famílias
publicidade

Política e Governo

Casagrande tenta agendar vacina em Vitória contra covid-19, mas não consegue vaga

Publicado

Nesta sexta-feira, a prefeitura da Capital abriu 5.100 vagas para agendamento de idosos de 60 a 64 anos, mas as vagas foram preenchidas em três minutos

O governador Renato Casagrande tentou, mas não conseguiu fazer o agendamento no site da Prefeitura de Vitória para tomar a primeira dose da vacina contra o novo coronavírus. 

Nesta sexta-feira, a prefeitura da Capital abriu agendamento para idosos entre 60 a 64 anos, mas as vagas foram preenchidas rapidamente. Casagrande tem 60 anos e é morador de Vitória.

A assessoria de imprensa do governador confirmou que ele tentou fazer a marcação nesta sexta-feira, sem sucesso, e que Casagrande vai se vacinar seguindo o agendamento no site da Prefeitura de Vitória.

“O Governador irá vacinar seguindo o agendamento no site da Prefeitura de Vitória. Tentou agendar hoje (nesta sexta), porém não conseguiu”, informou por nota. 

Vagas esgotadas em minutos

O agendamento para a faixa etária de 60 a 64 anos, na Capital, começou às 15 horas desta sexta, mas acabou rapidamente. Ao todo, foram disponibilizadas 5.100 vagas. As marcações puderam ser feitas por meio do link agendamento.vitoria.es.gov.br ou pelo aplicativo Vitória On-line.

A Prefeitura de Vitória informou que foram contabilizados 17 mil acessos simultâneos ao sistema. Todas as vagas foram esgotadas em três minutos.

“A plataforma não apresentou instabilidade em momento algum. Isto porque a Sub-TI tem realizado alterações no sistema a fim de proporcionar aos usuários melhor navegabilidade, mesmo diante de um volume maior de acessos”, informou a prefeitura.

A aplicação das doses da vacina contra o novo coronavírus na Capital começam neste sábado (10). A vacinação acontecerá em oito unidades de saúde e em três postos volantes.

Neste momento estão sendo imunizados em Vitória, com a primeira dose, idosos com 65 anos ou mais. Também está sendo aplicada a segunda dose em idosos com 75 anos ou mais e trabalhadores da saúde que receberam a primeira dose da vacina Coronavac entre os dias 19 de janeiro e 16 de março.

Leia mais:  PSB nega que tenha perdido pré-candidatos e se enfraquecido para a disputa eleitoral
Continue lendo

Política e Governo

Governador Casagrande se reúne com Lula. ‘Aceno para 2022 está claro’, diz presidente do PT

Publicado

Segundo a assessoria do governador, a reunião, realizada na última terça-feira (06) foi da executiva do PSB e Casagrande participou apenas do início

Há pouco mais de um mês, o governador Renato Casagrande (PSB) foi anunciado como pré-candidato à Presidência da República para 2022. Especialistas entenderam o movimento como uma estratégia do PSB para ganhar musculatura nas discussões do cenário nacional. 

Afinal, é praticamente unânime a percepção de que o governador está muito mais inclinado à reeleição do que a uma aventura – difícil e arriscada – rumo ao Palácio do Planalto.

A candidatura à presidência é pouco provável. Entretanto, Casagrande não deve ficar de fora das discussões. Ele ocupa o cargo de secretário-geral do PSB Nacional e é uma voz importante dentro do partido. Além disso, ganhou projeção durante o combate à pandemia sendo, por diversas vezes, crítico à condução da crise sanitária pelo governo federal.

Lula e Casagrande

Ao que parece, a jogada do PSB já está surtindo efeito. No início desta semana, PT e PSB abriram caminho para o diálogo, com Lula e Casagrande conversando em reunião virtual organizada pelos dirigentes da executiva nacional das siglas.

Com Lula elegível, o PT ganhou fôlego nas últimas semanas e tem se movimentado no tabuleiro eleitoral sob a direção de seu maior líder. O principal objetivo, segundo integrantes da legenda, é dialogar com os partidos de esquerda e centro-esquerda em busca de apoio, principalmente, para um eventual segundo turno nas eleições.

“Temos que ter posições contrárias ao governo Bolsonaro e, neste sentido, PT e PSB têm muita convergência e, com isso, conseguem apresentar uma agenda comum. Então, o tom da conversa é um pouco isso. Se a gente tem convergência no agora, tudo sinaliza que a gente possa ter uma convergência para 2022. O diálogo foi de extrema importância, e pode render frutos para o futuro e começar a trazer um pouco mais de luz diante do cenário que a gente tem. O aceno para 2022 está claro”, disse a presidente do partido no Estado, Jackeline Rocha.

O governador evitou dar detalhes sobre o assunto. Segundo a sua assessoria, a reunião, realizada na última terça-feira (06), foi da executiva do PSB e Casagrande participou apenas do início do encontro. 

Já o PSB do Estado, informou que “a cúpula do PSB nacional, PT, PDT e outros partidos de esquerda, centro e centro-direita têm estabelecido diálogos no sentido de preparar ações para impedir o projeto de ultradireita de Bolsonaro à reeleição em 2022”.

Para o cientista político Aloísio Krohling, a aliança entre os partidos para as próximas eleições é uma possiblidade clara. Entretanto, apesar de o governador participar das discussões, não deve se colocar como protagonista no cenário nacional. 

“Existe um início de conversa, um movimento de aproximação. Casagrande deve tentar a reeleição, ainda mais que perdeu para Hartung da última vez. Apesar das críticas que se faz a ele na condução da pandemia, tem grande apoio aqui no Estado”, opina.

Leia mais:  Presidente da ALES ressalta harmonia entre Poderes
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana