conecte-se conosco


Pinga fogo

Pinga-Fogo – Janeiro

Publicado

Por Zene Lagace

Fiscalização da aplicação dos recursos

Uma das atribuições dos vereadores é fiscalizar a aplicação dos recursos orçamentários pelo Executivo. Os recursos provenientes do Governo Federal foram deforma emergencial, o que não isenta de responsabilidade o Legislativo de fiscalizar a sua aplicação.

A Câmara de Vereadores de São Mateus poderia se empenhar em apurar como foi e está sendo a aplicação do dinheiro que veio de Brasília para o combate do vírus da covid-19 pela Prefeitura. A amizade e parceria do Legislativo com o prefeito não exime os vereadores de se empenhar nessa apuração. O padrão é a população e não o mandatário de plantão.

===================================================================

Para esclarecer

Emendas parlamentares e obras de governos não são favores de pessoas, são obrigações para com aqueles que pagam seus salários para os representar e gerenciar a empresa do povo que é o município, o estado e o país. É enganador quando um político se arvora em se nomear como pai de uma benfeitoria para a população. Os impostos são arrecadados para se fazer obras e pagar as despesas com a máquina administrativa, mesmo para alguns que lá estão e nada fazem.

Oposição

Após as eleições, onde havia um montueiro de candidatos a prefeito de São Mateus (uns fakes e outros de verdade), deixaram algumas interrogações. Por onde anda a oposição? Todos se juntaram num só balaio?

Hoje o maior nome da oposição à atual administração municipal de São Mateus é o radialista Carlinhos Lyrio, do Podemos. O que o credencia a esse patamar foi o número de votos recebidos na eleição, mesmo sendo – a maioria deles – taxados como voto útil. É a voz que se espera que se levante diante de tudo que for preciso para cobrar transparência do governo municipal. Vamos ver se a oposição mateense vale mesmo o que se pesa e se anuncia.

Concorrência

Como se não bastasse a enorme quantidade de urubus voando sobre suas cabeças em diversos bairros da cidade, atrás do lixo acumulado pelas ruas, agora são os mosquitos que, com seus voos rasantes miram as pessoas para chupar o seu sangue.

Com relação a sugar sangue, a população mateense foi vítima dessa ação nos últimos quatro anos por atuação “competentíssima” da administração pública agora reeleita. É preciso quebrar esse paradigma.

Vamos dar uma espiada?

O setor da saúde municipal de São Mateus é muito complicado no que se refere a sua gestão. Existem denúncias de desvio de material e é um prato cheio para a ““posição” pedir apuração, não a relacionada a vereadores, mas aquela que disputou as eleições contra o atual governo mateense. Apuração pela Câmara de Vereadores é obrigação e se assim não o fizer é omissão e conivência.

Sei não…

O que chama a atenção no trecho que liga o bairro Park Washington ao da Aviação é o valor da obra e a ausência de residências às suas margens. Dizem que está programada a construção de um condomínio. Os bancos são proibidos de venda casada…

Boca, boquinha, bocão

Às eleições de 2022 estão – aparentemente – longe, mas a campanha para alguns interessados dela participarem já está nas ruas. Não é novidade a lista dos pretendentes a uma vaga (ou mamata?) em nível do legislativo. Temos candidatos a tudo. Em São Mateus, além das conhecidas figurinhas carimbadas apareceram outras que acredita na renovação decantada antes e esquecida depois ao se elegerem.

EM TEMPO

• Jornalismo é informação e não militância.

• A população capixaba pode esperar um legislativo independente ou conivente? Como será o de São Mateus?

• Urubus agora têm companhia para fazer companhia ao cidadão mateense: os pernilongos. São vistas nuvens desses insetos em tour pelos bairros.

• A preocupação com a pandemia é tanta que fecham escolas e permitem ônibus lotados. Conhecimento torna uma ameaça, pois povo esclarecido tem dificuldade em votar nos espertalhões.

• Os gastos do governo federal que os maldosos alardeiam como ato de corrupção, se referem a aquisição de alimentos para todos os ministérios e órgãos federais. Querem a qualquer custo atacar o presidente sem tomar o cuidado em fazer conta. Matemática não é tão difícil assim, né?!

• A disputa pela presidência da Câmara dos Deputados e do Senado virou uma guerra.

Leia mais:  Pinga-Fogo - Setembro
publicidade

Pinga fogo

Pinga-Fogo – 1ª Quinzena de Outubro

Publicado

Por Zene Lagace

Salada, saladinha, saladão dos omissos mateenses

A prisão do prefeito Daniel da Açaí, do município de São Mateus, vem mostrar que ter mandado não é passaporte para praticar atos ilícitos, como se a prefeitura fosse de sua propriedade. Até mesmo aquelas pessoas que ficavam como guardiãs do mandatário, destratando pessoas que precisavam dos serviços da municipalidade. Tudo isso virou uma torre de babel levando o prefeito e sua gangue para a prisão.

Mas a prisão do prefeito não isenta instituições estaduais, lideranças locais e partidos políticos da sua atitude omissa em relação às ações criminosas do mandatário festeiro mateense. Até um fato emblemático de um promotor de justiça sobre um trio elétrico rasgando seda para o prefeito foi testemunhada pela multidão que frequentava, naquele momento, o balneário de Guriri.

E a Câmara de Vereadores, o que fez? O que fiscalizou? E agora, são culpados pela omissão por não exercerem o princípio máximo do legislativo que é fiscalizar o Executivo na aplicação dos recursos orçamentários?

Para fazer justiça, vale destacar que, apenas o movimento SOS São Mateus, composto por cidadãos comuns, desde a sua criação, combateu as insanidades da administração pública de São Mateus. Não se viu nenhuma autoridade participarem de suas reuniões, apenas faziam chacota do movimento. E agora, não seria o momento de trocar os omissos por aqueles corajosos integrantes do SOS São Mateus? Ali estava a verdadeira bandeira do combate a sacanagem e a defesa dos cidadãos de bem do município de São Mateus. Ter mandato não significa grande coisa quando não o dignifica. O cidadão de bem tem mais valor que um mandatário que usa métodos pouco republicanos para se eleger.

====================================================================

Disputa cabeluda

Não há nenhuma informação sobre a corrida para a disputa em conseguir as mexas dos cabelos do prefeito Daniel, dono de uma vasta cabeleira. É que todo preso tem seus cabelos raspados, daí o interesse no material usado para confeccionar perucas.

Cerveja choca

Em São Mateus todo o mundo político sabia que o João da Antártica era a eminência parda da administração do prefeito Daniel da Açaí. Com a operação policial que o levou para a cadeia, já tem gente dizendo que colocaram água no chope do João.

Balaio de gatos, um legado…

Não custa lembrar. Afinal recordar é sofrer duas vezes com alguns prefeitos. A prisão do atual prefeito e das irregularidades encontradas em seu governo, não nos permite esquecer, que a prática da corrupção não é novidade no município de São Mateus. É coisa antiga. A diferença é que agora “deu ruim” para o Daniel e sua turma. O assalto foi muito escancarado, talvez achando que algum poderoso pudesse garantir suas ações criminosas. O legado de outras

administrações é extenso, mas a omissão das autoridades que deveriam combater as irregularidades, o saque aos recursos públicos, também.

EM TEMPO

• O prefeito Daniel, dono de trios elétricos, dançou!

• Os paladinos da moralidade agora vão aparecer “cagando regras”. Se esconderam todo o tempo, deixando as denúncias para poucos mateenses. Vale lembrar que no próximo ano tem eleições.

• Daniel Santana, prefeito preso de São Mateus, não praticou nada que não tivesse sido praticado em outras administrações. Vamos deixar de hipocrisia. Só que tem profissionais competentes em lesar o Erário. A atual administração usou amadores ou incompetentes no trato com o ilícito. Deu ruim!

• Omar Aziz, Renan Calheiros, Lula, José Dirceu… o time é uma seleção de gatos, gatunos e gatões.

• Vou parar para não “roubar” a paciência e o tempo do leitor. O STF pode mandar nos prender.

Leia mais:  Pinga-Fogo - 1ª Quinzena de Julho
Continue lendo

Pinga fogo

Pinga-Fogo – Setembro

Publicado

Por Zene Lagace

Sucata eletrônica

A propaganda veiculada pelo Supremo sobre a segurança e eficiência das urnas eletrônicas pode ser definida como fake? A Polícia Federal tem um relatório do próprio Supremo que fala da invasão do sistema por um hacker. Isso quer dizer que ela não é segura, não é auditável e não tem nenhuma segurança. O que impede de melhorar o sistema eleitoral com urnas confiáveis e de tecnologia mais avançada como fizeram vários países que usam as urnas?

As atuais urnas eletrônicas brasileiras são obsoletas e não confiáveis, exceto para aqueles que tem a intenção de fraudar resultados eleitorais.

==============================================================

Picadeiro

Para quem assiste as sessões da CPI da Covid, cujo objetivo é investigar a omissão do governo federal no combate a pandemia, não passa de uma ação eleitoreira, que usa o palco da CPI para apenas investigar adversários do governo e finge não vê aonde está a verdadeira corrupção, como o Consórcio do Nordeste. Chega a ser irritante a postura dos sete senadores, a cara-de-pau desses “nobres representantes” da nação brasileira. Uma vergonha.

Sem noção

Nada mais justifica a ausência dos deputados estaduais capixabas nas sessões daquela Casa de Leis. Se podem participar das sessões de dentro dos seus veículos no trânsito, porque não seguem em direção a Assembleia para cumprir com sua obrigação de representar os capixabas? Chega a ser hilário, para não dizer vergonhosa essa atitude. Vamos botar essa gente para trabalhar!

Aliás, representatividade política dos cidadãos não existe. Cada parlamentar, com raríssimas exceções, representa seus interesses, seu grupo e dos seus apaniguados (ou puxa-sacos).

No próximo ano vão aparecer na porta do eleitor, muitos candidatos a santo e, o eleitor desmemoriado, deve reconduzi-los a permanecerem no paraíso parlamentar. De quatro em quatro anos essa missão é realizada País a fora e abençoada por leis que não servem mais, exceto sacramentar uma representatividade que não representa coisa alguma.

EM TEMPO

•. Assistir nossos deputados participando das sessões na Assembleia Legislativa, tem-se a impressão que estão em Marte, falando ou defendendo coisas incompreensíveis e de pouca relevância para a vida do cidadão capixaba. As exceções são raras.

• O politicamente correto emburreceu o Brasil e os brasileiros. Basta atentar para o que se privilegia, o que se ouve de música e o que se prega de moralidade. Tudo às avessas.

• Por que o servidor público tem o privilégio de ter mais vantagens do que o trabalhador da iniciativa privada, aquele que, verdadeiramente, produz as riquezas para que o País prospere e as castas de barões da República usufruem do suor desses brasileiros comuns?

• Qual a lógica para cada parlamentar, aqui e em Brasília, terem veículos pagos pelo contribuinte? Que cada um use o aplicativo e chame o Uber ou use seu carro particular. E não pode ter qualquer garantia trabalhista, até porque política não é profissão.

• Os verdadeiros poderes constitucionais da República deveriam ser apenas aqueles em que a população vota em seus membros: Executivo e Legislativo. O Judiciário deveria ser apenas um órgão de estado?

Leia mais:  Pinga-Fogo – Abril
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana