conecte-se conosco


Cidades

PMV e “Cores que Acolhem” lançam catálogo da ação que coloriu as ruas do Centro

Publicado

O prefeito Lorenzo Pazolini reforço que a gestão está traçando, junto com a cultura, a educação e a assistência social um novo caminho para a sociedade

Quem percorre as ruas do Centro histórico da capital percebe que há algo de diferente desde o final do último mês de abril. As praças e avenidas ganharam novas cores e os espaços antes depredados, por pichação e outros problemas, agora são telas de ricas obras de arte. Este foi o resultado do trabalho da Secretaria Municipal de Cultura (Semc) em parceria com o coletivo “Cores que Acolhem”.

De janeiro a abril deste ano, o grupo se dedicou à missão de colorir o Centro de Vitória por meio de murais temáticos inspirados nas tradições do bairro, tendo como base o diálogo com os moradores e pesquisas realizadas no Arquivo Público do Estado do Espírito Santo.

O resultado pode ser conferido nos muros, casas, escadarias, praças da região e também em um catálogo online lançado oficialmente na tarde desta terça-feira (10), na sala de reuniões do gabinete do prefeito de Vitória, Lorenzo Pazolini.

“Nós trabalhamos por uma capital cada vez mais plural e que deixe para as futuras gerações um legado. Estamos traçando, junto com a cultura, a educação e a assistência social um novo caminho para a sociedade. Temos o compromisso de construir na nossa gestão um futuro de oportunidades iguais para essas crianças e jovens. Ver estudantes envolvidos nesse projeto e o Centro vivo, revitalizado é motivo de muito orgulho para nós”, afirmou Pazolini.

Além do prefeito estiveram presentes ao evento o secretário municipal de Cultura, Luciano Gagno, a secretária municipal de Educação, Juliana Rohsner, diversas autoridades, e, aproximadamente, 50 estudantes das Escolas Municipais de Ensino Fundamental (Emef) Álvaro de Castro Mattos e Anacleta Schneider Lucas, além de moradores dos bairros da Piedade e da Fonte Grande.

Conhecido reduto da música a quadra da Piedade também recebeu as intervenções artísticas.

“Talvez hoje seja um dos dias mais felizes da minha vida. Ver um projeto como esse ganhando força, integrando a educação dessas crianças muito nos alegra. Vocês são o futuro da nossa sociedade! Esta foi uma oportunidade de possibilitar a vocês novos saberes, novos conhecimentos sobre história e arte. Ficamos felizes quando soubemos que o ‘Cores envolveu crianças diretamente no DNA dessa atividade. Estamos muito felizes com essa parceria que deu tão certo”, disse Luciano.

Leia mais:  Deputado Paulo Foletto consegue pavimentação para estrada entre Colatina e Linhares

Ao todo foram 2,7 mil metros quadrados de pinturas que compõe um corredor de arte a céu aberto.

O catálogo

Produzido em formato de e-book, o catálogo de 70 páginas mostra o trabalho do Projeto Cores que Acolhem, “Edição Colorindo o Centro de Vitória”, por meio do qual os integrantes do coletivo pintaram mais de 2,7 mil metros quadrados de murais no Centro histórico da Capital, criando um corredor de arte a céu aberto que percorre os espaços públicos do bairro.

O material já está disponível no site da prefeitura, por meio do link https://sistemas.vitoria.es.gov.br/docOficial/operacoes/exibirDocumento.cfm?cod=18602 e também pode ser acessado por meio de um QR code afixado em placas orientadoras nos murais.

Quem visitar o catálogo online terá uma ideia do conteúdo dos painéis e da história do Centro de Vitória, com seus personagens e arquitetura marcantes: a baía de Vitória, o Morro do Penedo, os catraieiros, a fauna e a flora da Mata Atlântica, a luta indígena, os prédios históricos, a Fafi, a Academia Espírito-santense de Letras, o Bonde da Capixaba, as mulheres notáveis, o berço do samba, a força e devoção do povo negro, o Chafariz da Capixaba e a vocação portuária de Vitória – “A cidade portuária mais linda do Brasil”, conforme descreve a pintura da Escadaria Ranulpho Gianordoli.

O material reúne textos e fotos dos dez murais temáticos produzidos pelo grupo que compreende a Rua Graciano Neves, a estação de força da EDP, o Arquivo Público do Estado do Espírito Santo, a Praça da Fonte Grande, a quadra da escola de samba Unidos da Piedade, a Praça Irmã Josefa Hosanah, o muro da Cesan, a Escadaria Ranulpho Gianordoli, a Escadaria do Rosário e o caminho da Fonte de São Benedito.

Com textos da coordenadora jurídica e muralista do “Cores que Acolhem”, Renata Nunes, o catálogo on-line traz informações detalhadas sobre cada uma das obras,  ilustrado com fotos e a ficha técnica das pinturas.

Há ainda uma versão da publicação em Libras, proposta em vídeo, armazenada no Youtube, garantindo acessibilidade às obras.

Estudantes

A ação “Colorindo o Centro de Vitória” contou com a participação de estudantes da Emef Álvaro de Castro Mattos, integrantes do projeto “Porão a Sonhar”, colocaram as “mãos nas tintas” na pintura do mural “Água, fonte de vida e de história”.

Na Emef Álvaro de Castro Mattos, na sala de recursos para estudantes com altas habilidades chamada “Porão a Sonhar”, os professores trabalham com projetos específicos dos estudantes que frequentam o espaço e estão matriculados em diversas unidades de ensino da rede. Alguns desses estudantes trabalham com desenho e pintura em murais. Na escola, as atividades são executadas nos espaços disponibilizados pela direção.

Leia mais:  Jaguaré recebe árbitro internacional de karate neste final de semana

“A parceria com o projeto ‘Cores que Acolhem’ permite que as crianças ocupem espaços públicos para a execução de murais. Alguns dos murais pintados, por exemplo, no Centro de Vitória, foram projetos por mim, que sou artista plástico, e um deles foi executado pelos estudantes do ‘Porão a Sonhar’. As crianças aprendem sobre delimitação e todo o processo de coloração na execução desses murais. E esse projeto oportuniza os estudantes a participarem de um projeto maior, que é a revitalização do Centro da capital, além de vivenciar a produção coletiva, que é muito importante, e o pertencimento à cidade onde moramos”, ressaltou o professor e artista plástico Israel Scardua.

Um tour guiado pelo conjunto das obras também foi realizado na primeira semana de abril com os estudantes da Emef Anacleta Schneider Lucas. O objetivo da visitação, de acordo com Renata, foi reiterar a conexão entre arte e educação sempre presente nos trabalhos do Cores que Acolhem.

Para o diretor do coletivo, Stefan Marques, este foi o maior projeto realizado pelo grupo até o presente momento. “O sentimento é de felicidade ao poder agregar essas pinturas ao Centro de Vitória. Fica a gratidão pela oportunidade de mostrar nosso trabalho e nossa arte nesse espaço, e por ter concluído o projeto com sucesso”, afirma Stefan.

“O principal aprendizado foi a compreensão de que nós nos  completamos nas diferenças. Sem a união dos integrantes essa entrega não teria sido possível. O sentimento é de gratidão”, completa Renata.

O projeto “Colorindo o Centro” foi selecionado pelo Edital de Chamamento Público 004/2021 de Seleção de Proposta de Intervenção Artístico-Urbana da Prefeitura Municipal de Vitória, por meio do Fundo Municipal de Cultura da Semc, com recursos da Lei de auxílio cultural Aldir Blanc.

Renata Nunes, muralista e coordenadora jurídica do Cores que acolhem, lembrou que o principal aprensizado é que todos se completam nas diferenças.

publicidade

Cidades

Banestes lança laboratório próprio de inovação com foco no mercado capixaba

Publicado

Na tarde dessa quarta-feira (29), foi oficialmente lançado o hub de inovação do Banestes, chamado de Baneshub. O laboratório terá uma sede física, com instalações na Enseada do Sua, em Vitória, com capacidade para cerca de 90 pessoas trabalharem em diferentes projetos de inovação e também com espaço para realização de eventos, treinamentos, pílulas de inovação, dinâmicas, dentre outras atividades.

Recentemente, a área passou a integrar a diretoria de Tecnologia da instituição, vinculada à gerência de dados e de inovação, sob o comando do diretor Tasso Lugon. Desde então, o projeto de concretizar a existência de um laboratório de inovação próprio do Banestes pôde se concretizar.

O diretor-presidente do Banestes, Amarildo Casagrande, reforçou que esse é mais um importante marco na história de 85 anos do Banestes. “Pela primeira vez, o banco dos capixabas passa não só a integrar o ecossistema de inovação como também a ser uma referência, com a existência do seu próprio hub e desenvolvimento de atividades próprias que irão proporcionar a expansão dos negócios, novas parcerias com startups e fintechs, amplitude aos processos de digitalização, entre outras oportunidades. Nós temos trabalhado internamente em prol do fortalecimento da cultura de inovação, e o lançamento do Baneshub é fruto do trabalho de diversas pessoas e equipes que se conectaram, desde 2019, ao desafio proposto. Uma grande vitória para todo o time Banestes”, ressaltou.

Leia mais:  Jaguaré recebe árbitro internacional de karate neste final de semana

O lançamento aconteceu com a realização de um evento de apresentação, na sede do hub de inovação de engenharia e construção capixaba, o Base27, que tem parceria firmada com o Banestes. Participaram do evento a diretoria do Sistema Financeiro Banestes, convidados e lideranças de áreas diversas do banco.

Durante a apresentação da nova iniciativa do banco, o diretor de Tecnologia, Tasso Lugon, destacou ainda que o objetivo não é exclusivo à digitalização, e sim, ao movimento de transformação digital com foco na melhoria da experiência do cliente. “A área de inovação, apesar de vinculada à diretoria de tecnologia do Banestes, não visa somente à transformação digital. Os meios digitais, com o avanço tecnológico, permitem que o Baneshub seja um ambiente que vai fomentar a inovação para toda a estrutura do banco, cooperando com o desenvolvimento e evolução de novos serviços e também com frentes de análise de dados, que irão garantir uma experiência ainda melhor aos clientes, que visam suas necessidades reais. A transformação digital faz parte desse processo, mas o centro da inovação permeia também o contato humano, as necessidades primordiais dos clientes, as facilidades e benefícios que podemos agregar ao dia a dia dos capixabas”, disse Lugon.

Leia mais:  Infraestrutura e segurança para Guaçuí e Divino de São Lourenço

Também realizaram apresentações a gerente de Dados e Inovação do Banestes, Camila Zacche, e Francisco Carvalho, um dos criadores do Base 27. Camila Zacche apresentou detalhes dos projetos e principais iniciativas que serão desenvolvidas com o início das atividades. “É importante olharmos para dentro, para incentivarmos a cultura de inovação, mas também é importante reforçarmos o nosso olhar para fora, para as necessidades dos clientes, com foco na transformação inovadora vinculada ao digital. A utilização de dados propicia tomadas de decisão que geram valor e, portanto, aperfeiçoamento do relacionamento com o cliente. Com isso, vamos desenvolver projetos como digitalização de documentos, desburocratização, faq inteligente, novos canais de comunicação interna com foco em inovação, e outros. Estamos inseridos no ecossistema de inovação e temos excelentes parceiros para o desenvolvimento das iniciativas”, enfatizou a gerente.

Continue lendo

Cidades

Banestes realiza nova edição do Feirão Acordo Fácil

Publicado

Começa nesta sexta-feira (1º) mais uma edição do Feirão Acordo Fácil Banestes. Os clientes terão acesso a descontos de até 100% em juros, correção e multa, além do parcelamento da dívida em até 120 meses. É a melhor condição para renegociação de dívidas da história da instituição.

A ação vai ocorrer com atendimento presencial nas agências e de forma on-line, pelo site Banestes. O cliente deve acessar o menu “Créditos” e escolher a opção “Renegociação de Dívidas”, ou clicar direto no link www.banestes.com.br/feiraoacordofacil. Após preencher o formulário, o usuário receberá retorno pelo telefone ou endereço de e-mail informado para negociação.

Podem solicitar a renegociação clientes pessoa física ou jurídica, com dívidas judicializadas ou não. O Banco se disponibiliza a avaliar a concessão de até 100% de desconto em todos os juros, correção e multa, além de definir um novo prazo de parcelamento da dívida, que pode chegar a 120 meses. É importante lembrar que os descontos são sempre maiores para quem decide pagar à vista.  

Leia mais:  Estado recebe nova remessa de vacinas contra a Covid-19 nesta quarta-feira (24)

Podem ser renegociados todos os produtos oferecidos pelo Banestes. Por exemplo, contratos de antecipação de Imposto de Renda, crédito pessoal, microcrédito, antecipação do 13º salário, cheque especial e cartão de crédito.

É necessário que a dívida não ultrapasse o valor de até R$ 500 mil para clientes pessoa física (PF) e R$ 1 milhão para clientes pessoa jurídica (PJ). Em ambos os casos, o atraso precisa ser superior a 60 dias. O Feirão Acordo Fácil vai até 30 de setembro.

Serviço:

Feirão Acordo Fácil Banestes

  • Período: de 1º de julho a 30 de setembro.
  • Públicos-alvo: pessoas físicas ou jurídicas, com dívidas judicializadas ou não, com valor de até R$ 500 mil para clientes PF e de até R$ 1 milhão para clientes PJ, e com atraso superior a 60 dias.
  • Benefício: condições diferenciadas de negociação, como até 100% de desconto em todos os juros, correção e multa, além de opções de parcelamento em até 120 meses.
  • Link para renegociação: www.banestes.com.br/feiraoacordofacil

Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana