conecte-se conosco


Segurança

Polícia Militar do Espírito Santo fomenta a fundação da Federação Estadual dos Conselhos Comunitários de Segurança Pública

Publicado

Um marco histórico foi alcançado na manhã de terça-feira (08), com a fundação da Federação Estadual dos Conselhos Comunitários de Segurança Pública do Espírito Santo (FECONSEG-ES), no auditório do Colégio Adventista, em Cariacica.

O evento contou com a coordenação integrada do Srº Paulo Henrique de Moraes, assessor especial da Gerência de Integração Comunitária e Institucional representando a Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social do Espírito Santo (SESP), do tenente-coronel Sandro Roberto Campos, diretor-adjunto da Diretoria de Direitos Humanos e Polícia Comunitária (DDHPC), oficiais e praça dessa diretoria e também representantes dos Conselhos Comunitários de Segurança Pública de diversas cidades do nosso Estado.

Esse projeto com atuação direta da PMES através da DDHPC foi apresentado previamente ao comandante-geral, coronel Douglas Caus. Ele deixou sua satisfação ao mencionar que nesta data a PMES estaria dando mais um importante passo na direção de uma abertura democrática ainda maior das comunidades capixabas poderem organizadamente debater em nível estadual, regional e local relevantes assuntos multissetoriais como: violência, criminalidade e ordem pública. Segundo ele, a polícia comunitária é um importantíssimo eixo estratégico que devemos manter e sempre aprimorar. “Espero que os Conselhos Comunitários saiam fortalecidos e, com isso, todo o Estado do Espírito Santo”, finalizou.

Para o tenente-coronel Campos, “esse momento foi histórico, representa a continuidade de valorosos oficiais que no passado compreenderam a importância da abertura institucional numa era recém-democrática através de nossa Constituição Federal de 1988. Esperamos que vença a mediação, o entendimento entre as lideranças eleitas nessa fundação e que juntos possam criar pontes, auxiliarem ao fortalecimento dos Conselhos em vigor e a criação de novos espaços. Há um novo horizonte que se desponta, voltado para capacitações, acolhimentos e novas políticas envolvendo ainda mais as comunidades nessa tão relevante área da sociedade”.

O presidente eleito, senhor Márcio Roney Correia acentuo “estamos muito felizes com a criação da Federação de Conselhos Comunitários de Segurança. O nosso objetivo é integrar os CONSEGs do nosso Estado que tem a missão de atuar junto às forças policiais, sempre enfatizando a identificação dos problemas locais, propondo soluções e estratégias de combate à violência e ajudando a promover uma cultura de paz”.

Breve Histórico

A PMES na década de 1990, no município de Guaçuí, implantou a Polícia Interativa, movimento pioneiro que na prática, fomentou e possibilitou a efetiva participação das comunidades nos debates e formulações de políticas e ações de segurança pública. Os organismos constituídos à época foram os Conselhos Interativos enquanto organizações não governamentais e autônomas com relação ao poder público em geral.

Esses espaços foram disseminados em todo o território capixaba, chegando a 114 notícias de Conselhos Interativos atuando junto a PMES e ao poder público local. Ao longo da década de 2000 houve acentuada queda desses espaços e da participação das comunidades e, a partir do ano de 2015, gradualmente, foi desenvolvido um trabalho de retomada dessas atividades por meio DDHPC-PMES.

Em outubro de 2019 foi realizada a apresentação de um diagnóstico aos Conselhos Comunitários ainda em atividade com a proposta de que os mesmos pudessem ser organizados através de uma Federação Estadual, ambos de organização não governamental, com a incumbência de norteá-los e promover todo o suporte de governança necessário. Através da comissão presidida pela DDHPC e representantes de comunidades que estudaram outras federações estaduais no Brasil, tiveram êxito na formação desse espaço nesta data.

A portaria nº 043, de 12 de abril de 2019 da Secretaria Nacional de Segurança Pública que lançou a Diretriz Nacional de Polícia Comunitária em sua diretiva nº 5, estabelece a relevância da estruturação dos Conselhos Comunitários enquanto organismos de interlocução com os órgãos policiais.

No âmbito estadual, o objetivo estratégico nº 7 do Planejamento Estratégico da PMES estipula a disseminação da filosofia de polícia comunitária enquanto viga de sustentação institucional de integração entre a Polícia Militar e as comunidades capixabas, justificativa associada ao parágrafo único do art. 124 da Constituição do Estado do Espírito Santo que assegura a participação da sociedade civil na formulação e discussão das políticas públicas de segurança e ao art. 144 da Constituição Federal que acentua ser a segurança pública dever do Estado, direito e responsabilidade de todos. Outros dispositivos legais estão inseridos nessas atividades e que remontam a relevância do terceiro setor e a atuação dos CONSEGs.

Outra relevante vertente é o projeto de lei de autoria da Excelentíssima senhora Deputada Federal Paula Belmonte que dispõe sobre o reconhecimento do relevante interesse coletivo e a importância social das atividades desempenhadas pelos Conselhos Comunitários de Segurança – CONSEGs e das suas respectivas Federações (Feconseg’s) e da Confederação Nacional das Feconseg’s do Brasil e seus filiados, e dá outras providências.

Leia mais:  Diretoras do Hospital Infantil recebem mensagens no celular com ameaça de morte
publicidade

Segurança

Detento é espancado até a morte em Penitenciária de Viana

Publicado

O homem de 41 anos foi morto por companheiros de cela após ser acusado por outros detentos de abusar de uma menina de 8 anos

Um detento foi espancado até a morte por companheiros de cela no Complexo Penitenciário de Viana. O homem de 41 anos foi morto no Centro de Detenção Provisória de Viana II no último sábado (18), porque teria abusado de uma menina de 8 anos.

De acordo com o Sindicato dos Inspetores Penitenciários do Espírito Santo (Sindaspes), os detentos acionaram os agentes após o ocorrido e afirmaram que espancaram Renato Silvares até a morte porque ele teria molestado uma criança e os internos não admitem tal comportamento.

O chefe da equipe solicitou uma enfermeira de plantão, que confirmou a morte do detento na cela.

De acordo com a Secretaria de Justiça (Sejus), o homem estava preso desde maio de 2021 por roubo, mas já tinha três passagens na polícia por ameça, furto e roubo com uso de arma de fogo, sendo a mais antiga registrada em 2017.

A equipe da Delegacia Especializada de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP) esteve no local para colher depoimentos e três presos foram convocados pelos agentes para prestar esclarecimentos.

A Polícia Civil informou que dois internos, de 23 e 33 anos, foram conduzidos ao plantão do Departamento de Homicídios e autuados em flagrante pelo crime de homicídio. O caso segue sob apuração na Delegacia De Crimes Carcerários.

Leia mais:  PM apreende adolescente com submetralhadora, munições e drogas em São Gabriel da Palha
Continue lendo

Segurança

Grupo é preso ao realizar ‘pescaria’ de dinheiro em caixas eletrônicos de Cachoeiro de Itapemirim

Publicado

Segundo a Polícia Federal, um série de furtos semelhantes estavam acontecendo em outras agências em Vitória e Vila Velha

Um grupo de criminosos, formado por dois homens e duas mulheres, foram presos em flagrante pela Polícia Militar, no último sábado (19). Eles tentavam “pescar” envelopes com dinheiro de um caixa eletrônico, em uma agência da Caixa Econômica Federal, em Cachoeiro de Itapemirim.

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) foi acionada e o veículo que os indivíduos estavam utilizando foi identificado. A partir dessa informação, foi possível localiza-los dentro da agência bancária no sul do Estado praticando novos furtos.

Após a identificação, a PM efetuou a prisão e não houve resistência por parte do quarteto. Com eles, foram encontrados valores dos furtos cometidos anteriormente em pelos menos outras quatro agências, além dos apetrechos utilizados para o cometimento dos crimes.

Segundo a Polícia Federal, um série de furtos semelhantes estava acontecendo em outras agências em Vitória e Vila velha. Juntamente com a área de segurança do banco, a PF conseguiu identificar o grupo que estava realizando os crimes.

Crime é conhecido como “pescaria”

De acordo com a polícia, essa modalidade de furto é conhecida no meio criminal como “pescaria”. Na ação, é utilizada uma ferramenta própria para penetrar os cofres dos caixas e retirar valores depositados em envelopes. Esse dispositivo mecânico é comumente chamado de “jacaré”.

Um fato curioso que chamou atenção dos policiais envolvidos na apreensão é que dois dos quatro detidos foram presos em flagrante, pelo mesmo crime, no dia 17 de junho deste ano, no Estado da Bahia.

Leia mais:  Morador de rua é atingido com um tiro na cabeça
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana