conecte-se conosco


Segurança

Polícia Militar realiza formatura do Curso de Aperfeiçoamento de Sargentos

Publicado

A Polícia Militar do Espírito Santo (PMES) realizou, na manhã desta quinta-feira (19), a formatura de 80 policiais militares que participaram do Curso de Aperfeiçoamento de Sargentos. A cerimônia teve a presença do governador do Estado, Renato Casagrande, e de outras autoridades e foi realizada na sede da Academia da Polícia Militar, no município de Cariacica.

O curso, que teve duração de três meses e quinze dias, teve como objetivo o aperfeiçoamento, atualização e aprimoramento da capacitação dos militares para o exercício das atividades operacionais, técnicas e administrativas. Os policiais tiveram a oportunidade de atualizar seus conhecimentos com disciplinas como Gestão de Pessoas, Direito Militar, Uso da Força e Armas de Fogo, Planejamento Operacional e Gerenciamento de Crises, dentre outras.

Em seu discurso, o governador destacou o trabalho de reestruturação das forças de segurança pública do Espírito Santo, iniciado em 2019. “Quando chegamos ao governo encontramos as forças de segurança diminuídas e desmotivadas. Desde então, estamos fazendo a recuperação da estrutura, do efetivo e até da motivação da tropa, inclusive, com a adição de mais tecnologia. O sargento é a patente mais estratégica, pois faz a ponte entre o operacional e o comando, que traça a estratégia. É muito bom estarmos formando novos 80 sargentos aperfeiçoados”, pontuou.

Casagrande lembrou dos desafios impostos pelos tempos atuais, inclusive, com o alongamento da pandemia do novo Coronavírus (Covid-19) e seus reflexos. “Vivemos um momento difícil, de muita dificuldade para governar, um tempo de intolerância e permeado pelas fake news (notícias falsas). A gente combate isso mostrando resultados. O salto para o futuro já está acontecendo, inclusive na segurança pública, com a diminuição dos índices de criminalidade. Queria agradecer a dedicação das nossas forças de segurança, de nossos policias militares nesse combate diário contra o crime, nesse momento em que todos nós precisamos nos esforçar um pouco mais”, afirmou.

O comandante-geral da PMES, coronel Douglas Caus, fez questão de ressaltar como o empenho desses militares, que exercem atividade de maior responsabilidade dentro da instituição, é importante para a sociedade capixaba e também para inspirar aqueles que estão sob seus comandos. “O papel que exercem é referência para o exercício do bem, é influência sadia, pois o líder tem que ser corajoso e tem que se posicionar pelo que é certo e legal. Por isso, somos um polícia legalista e cidadã”, destacou.

O coronel Caus lembrou ainda que o Curso de Aperfeiçoamento de Sargentos foi o primeiro ministrado exclusivamente em plataforma de Educação a Distância (EaD), sendo apenas as avaliações aplicadas de modo presencial na Academia, e fez questão de agradecer ao secretário de Estado da Saúde, Nésio Fernandes, pelo apoio indispensável “por meio de visitas constantes aos centros de ensino e estabelecimento de regras, para que a instituição pudesse continuar ofertando cursos importantes para a carreira dos militares, mesmo durante a pandemia”.

Também presente na solenidade, o secretário de Estado da Segurança Pública, coronel Alexandre Ramalho, reforçou a fala do comandante da PMES sobre situação de pandemia e reafirmou o compromisso do Governo do Estado com os profissionais, que sob justificativa fiscal, poderia ter suspendido ou adiado as promoções, mas se manteve firme seguiu conforme o planejamento.

“Temos um Governo em dia com os cursos e promoções da Polícia Militar e uma reestruturação importante em andamento, que estão sendo autorizados por um líder que tem apreço pela Segurança Pública. Não deixem que esse momento dos senhores seja entristecido por notícias falsas, fake news que só servem para trazer sentimento ruim. Lembrem-se da trajetória que os trouxe até aqui, um curso que leva até o posto mais alto de um praça na Polícia Militar. Parabéns a todos e aos familiares, que apoiaram e são o alicerce de todos nós”, frisou o secretário.

Leia mais:  Governo do Estado lança Operação Patrulha da Comunidade na Grande Vitória
publicidade

Segurança

Ex-funcionário da Santa Casa de Vitória é preso por suspeita de desvio financeiro

Publicado

Homem trabalhava no setor de Recursos Humanos do hospital e é suspeito de desviar recursos por meio de funcionários fantasmas

Um homem suspeito de promover desvios financeiros enquanto trabalhava no setor administrativo da Santa Casa de Misericórdia de Vitória foi preso nesta sexta-feira (24) em Marechal Floriano, Região Serrana do Estado.

Ele foi encaminhado para o Complexo Penitenciário de Viana, conforme confirmado pela Secretaria de Estado da Justiça.

Fontes ligada à Santa Casa de Vitória revelaram que o investigado se apropriava dos repasses feitos para o hospital filantrópico, desviando essas quantias para o pagamento de funcionários fantasmas. 

A Polícia Civil informou que ainda não vai dar detalhes sobre a prisão, por isso o Folha Vitória não irá divulgar o nome dele. 

A Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de Vitória confirmou, por nota, que “foram constatadas inconsistências na gerência de faturamento e que foram enviados à polícia todos os documentos disponíveis para apuração dos fatos”. 

A direção da instituição não quis, no entanto, detalhar quais seriam essas inconsistências e nem o valor que teria sido desviado.  

Suspeito apresentou diploma falso em 2015

O ex-funcionário da Santa Casa já foi alvo de investigação em janeiro de 2015 pelo Conselho Regional de Administração do Espírito Santo (CRA-ES). 

Ele foi indiciado junto ao Ministério Público Estadual por ter apresentado diploma falso de conclusão de curso de Administração para obter registro no CRA. 

Na época, ele atuava como gerente financeiro do Hospital Estadual Jayme Santos Neves.

Fonte: Folha Vitória.

Leia mais:  Governo do Estado lança Operação Patrulha da Comunidade na Grande Vitória
Continue lendo

Segurança

Operação Maria da Penha prende 14 mil pessoas em todo o Brasil

Publicado

Ação conjunta entre estados, DF e União atendeu 127 mil mulheres vítimas de violência doméstica e instaurou  37 mil inquéritos 

Uma operação conjunta entre estados, Distrito Federal e União prendeu 14 mil pessoas por violência doméstica, descumprimento de medidas protetivas, dentre outros crimes contra a mulher. Coordenada pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública, a ação atendeu mais de 127 mil mulheres em um mês, entre 20 de agosto e 20 de setembro deste ano. Os dados foram divulgados em entrevista coletiva, nesta sexta-feira (24), na sede do ministério, em Brasília.

“A operação teve o engajamento de diferentes instituições para qualificar o atendimento às vítimas, reforçar o cumprimento de medidas protetivas e conscientizar a população sobre a importância de denunciar as agressões. Os resultados mostram a importância de um olhar integrado para coibir casos de violência contra a mulher e prevenir a ocorrência de feminicídios”, afirma o ministro da Justiça e Segurança Pública, Anderson Torres.

A Operação Maria da Penha, que carrega o mesmo nome da lei que garante a punição aos agressores, contou com a atuação de 108 mil profissionais das forças das seguranças estaduais que acompanharam mais de 40 mil medidas protetivas de urgência, em 35 mil diligências.

A partir disso, foram quase 37 mil inquéritos instaurados e 349 apoios prestados a oficiais de justiça para intimação das medidas protetivas de urgência. Essa é a primeira vez que os oficiais receberam apoio exclusivo de policiais para entregar esses mandados. Normalmente, isso só acontece por meio de solicitação do Judiciário.

No DF
Na capital federal, 224 pessoas foram presas e mais de 3.500 mulheres vítimas de violência doméstica foram atendidas. Além disso, foram expedidas 1.339 medidas protetivas de urgência. Ao todo, os policiais realizaram 1.012 diligências e 1.116 inquéritos foram instaurados.

Leia mais:  Governo do Estado entrega 106 novas viaturas a Polícia Militar
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana