conecte-se conosco


São Mateus

População acha estranho prefeito decretar estado de emergência em São Mateus

Publicado

Normalmente um governante decreta estado de emergência quando a situação é de descontrole ou de tragédia que afeta diretamente a população e prejudica as ações e impossibilitando a municipalidade tomar uma atitude de atendimento, uma vez que seus recursos específicos para aquela atividade são limitados e impeditivos.

Não é o caso do município de São Mateus. O prefeito Daniel Santana (PSDB) baixou decreto de calamidade pública com o objetivo de enfrentar o coronavírus com ações preventivas da Prefeitura, deslocando recursos de outros setores para esse combate, como se o município enfrentasse uma situação de calamidade e a sua população estivesse em estado de letargia e sofrimento diante de tal situação referente a doença. Na verdade, a situação caótica que a população de São Mateus enfrenta dura quase quatro anos, desde que o novo governante deu início a sua administração. Nenhum investimento foi feito para sanar problemas da cidade, fortalecer a economia ou gerar emprego e renda. Nem os serviços básicos são oferecidos de maneira sistemática ao cidadão mateense. Falta tudo no município exceto vultosos recursos para eventos musicais que favorecem exclusivamente aos negócios do prefeito, que é empresário do ramo de entretenimento e também é proprietário de trios elétricos.

Com a decretação de situação de calamidade pública, serviços estarão dispensados de licitação e recursos poderão ser “desviados” para setores não prioritários. E o raio de ação dessa iniciativa de decretar tal situação no município vai até o final deste ano, certamente pensando em promover festas, incluindo aí da Festa da Cidade. Na chegada ao balneário de Guriri foi feita a “barreira sanitária”, que se limita a uma mocinha vestida como se fosse uma promoter de prospectos de anúncio de lançamento de algum imóvel que costuma ficar em semáforos de cidades.

Chamar a atenção do Ministério Público para essa possibilidade e para ficar atento as manobras da atual administração mateense, não se tem a certeza de que tomará alguma providência, até porque até aqui nada ou pouco se fez para coibir a farra com o dinheiro público e as denúncias de corrupção e desvios de recursos da municipalidade em detrimento de resolver questões de suma importância para a população.

O novo coronavírus em São Mateus não é justificativa para ser decretado estado de emergência ou calamidade pública. A grande calamidade é o que se tem no município hoje. Em São Mateus prospera a corrupção, a incompetência, a violência, o achincalhe ao cidadão de bem, a omissão de órgãos que deveriam estar na defesa do cidadão que paga seus impostos e exige retorno desses impostos em benefícios. O desprezo das autoridades para com a população é a verdadeira calamidade que está instaurada no município de São Mateus, sob o olhar omisso de autoridades e órgãos que teriam a obrigação de tomar alguma atitude em favor da população mateense.

Leia mais:  13º Batalhão em São Mateus divulga balanço dos 3 dias de Operação Carnaval 2021
publicidade

São Mateus

Guarda municipal de São Mateus ganha viaturas novas

Publicado

A Secretaria Municipal de Defesa Social recebeu da Prefeitura, nesta sexta-feira (14), três viaturas 0 km, além de 15 notebooks. Nos próximos dias serão entregues mais 14 veículos para a Pasta.

De acordo com o secretário municipal de Defesa Social, Cilmar Quartezani, as viaturas ficarão à disposição da Guarda Municipal para atender a população e reforçar a segurança no Município. Os veículos são do modelo Chevrolet Spin Premier, com sete lugares. 

Os veículos e os equipamentos foram adquiridos através de emenda da senadora Rose de Freitas.

 

Leia mais:  São Mateus vence o Atlético Itapemirim e é vice-líder do Campeonato Capixaba 2020
Continue lendo

São Mateus

São Mateus segue em risco moderado pelo novo Mapa de Risco Covid-19

Publicado

O Governo do Estado anunciou, nesta sexta-feira (14), o 55º Mapa de Risco Covid-19, que terá vigência desta segunda-feira (17) até o próximo domingo (23). Dos 78 municípios capixabas, 18 estão classificados em Risco Baixo, 32 em Risco Moderado e outros 28 em Risco Alto. Com o fim da regra da conurbação dos municípios da Grande Vitória, a classificação dos municípios passa a ser feita de forma individual.

Também foi anunciada a liberação total do transporte intermunicipal e interestadual, além da ampliação do horário do serviço de transporte público coletivo na Região Metropolitana de 5h à meia-noite.


A Matriz de Risco de Convivência considera no eixo de ameaça: o coeficiente de casos ativos por município dos últimos 28 dias, além da quantidade de testes realizados por grupo de mil habitantes e a média móvel de óbitos dos últimos 14 dias. Já o eixo de vulnerabilidade considera a taxa de ocupação de leitos potenciais de UTI exclusivos para tratamento da Covid-19, isto é, a disponibilidade máxima de leitos para tratamento da doença. A estratégia de mapeamento de risco teve início em abril do ano passado.

O Mapa de Risco segue as orientações dos boletins epidemiológicos do Ministério da Saúde e recomendações da equipe de especialistas do Centro de Comando e Controle (CCC) Covid-19 no Espírito Santo, que é composto pelo Corpo de Bombeiros Militar, Defesa Civil, Secretaria da Saúde (Sesa), Instituto Jones dos Santos Neves (IJSN) e da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes). As decisões adotadas pelo Governo do Estado seguem parâmetros técnicos.

Confira a classificação de todos os municípios capixabas:

RISCO BAIXO: Águia Branca, Baixo Guandu, Bom Jesus do Norte, Colatina, Governador Lindenberg, Iconha, Itaguaçu, Itarana, Jaguaré, João Neiva, Mucurici, Muqui, Piúma, Ponto Belo, Santa Maria de Jetibá, São Domingos do Norte, São Roque do Canaã e Vila Pavão.

RISCO MODERADO: Afonso Cláudio, Água Doce do Norte, Alfredo Chaves, Alto Rio Novo, Aracruz, Atílio Vivácqua, Barra de São Francisco, Brejetuba, Castelo, Divino de São Lourenço, Domingos Martins, Dores do Rio Preto, Ibatiba, Ibiraçu, Ibitirama, Iúna, Jerônimo Monteiro, Laranja da Terra, Mantenópolis, Marechal Floriano, Marilândia, Mimoso do Sul, Muniz Freire, Nova Venécia, Pancas, Rio Novo do Sul, Santa Leopoldina, Santa Teresa, São Gabriel da Palha, São Mateus, Sooretama e Vitória.

RISCO ALTO: Alegre, Anchieta, Apiacá, Boa Esperança, Cachoeiro de Itapemirim, Cariacica, Conceição da Barra, Conceição do Castelo, Ecoporanga, Fundão, Guaçuí, Guarapari, Irupi, Itapemirim, Linhares, Marataízes, Montanha, Pedro Canário, Pinheiros, Presidente Kennedy, Rio Bananal, São José do Calçado, Serra, Vargem Alta, Venda Nova do Imigrante, Viana, Vila Valério e Vila Velha.

Leia mais:  Carlos Alberto alerta para o perigo da volta às aulas na pandemia
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana