conecte-se conosco


Brasil

Portocel firma parceria com Multilift Logística para embarcar ferro gusa

Publicado

As duas empresas estão finalizando os detalhes da parceria e a operação está prevista para começar no segundo semestre

Aracruz (ES) – Como parte de sua estratégia de diversificação de cargas, Portocel está firmando parceria com a Multilift Logística, que passará a utilizar o porto, localizado em Barra do Riacho (Aracruz/ES), para movimentar ferro gusa. As empresas estão negociando os detalhes da operação, cujo início está previsto para ocorrer no segundo semestre deste ano.

A operação está alinhada à estratégia de Portocel de se consolidar como um porto de negócios e como opção logística diferenciada, a partir da sua reconhecida excelência operacional. Para a Multilift, Portocel é uma importante alternativa logística que possibilita uma solução de valioso diferencial para a carga. O calado mais profundo e uma infraestrutura dedicada elevam o grau de competitividade do Terminal, e consequentemente do mercado capixaba, a um patamar de relevante expressão.

Visualização da imagem“Estamos abertos a buscar novas parcerias estratégicas. Esse projeto materializa a construção de uma solução logística desenvolvida em parceria com a Multilift, que detém know-how e expertise nessa operação. As atividades serão realizadas em consonância com os padrões exigidos pelo cliente, pelo mercado e pelos órgãos reguladores”, destaca Alexandre Billot Mori, gerente geral de Operações Portuárias da Portocel.

“A exportação de ferro gusa pelos portos capixabas é de extrema relevância na balança comercial dos Estados de Minas Gerais e do Espírito Santo, gerando valor em diversas cadeias produtivas destes estados há cerca de 60 anos. A parceria entre a Multilift, principal operador portuário dos produtores de ferro gusa no Porto de Vitória, e Portocel, um terminal portuário de alta performance e padrão de qualidade classe mundial, trará mais competitividade à solução de exportação pelo Espírito Santo e se integrará às demais infraestruturas que atualmente atendem o setor de ferro gusa”, complementa Rafael Fattorelli, diretor-presidente da Multilift Logística.

Leia mais:  Fundação Renova: Produtores rurais de Rio Casca ampliam faturamento e acesso ao mercado com o Projeto Feijão

O presidente do Sindicato da Indústria do Ferro no Estado de Minas Gerais (Sindifer), Fausto Varela Cançado, reforça o significado da parceria. “Para os produtores de ferro gusa de Minas Gerais e do Espírito Santo, esta parceria entre o Portocel e a Multilift, com certeza, será uma solução de grande importância para a exportação de seus produtos, pois abre uma nova opção de embarque, principalmente, para navios de maior porte, com qualidade de operação e excelente infraestrutura”, comenta ele.

O presidente do Sindifer e o diretor-presidente da Multilifit estiveram no Portocel nesta última semana, onde se reuniram com executivos do Terminal e conheceram detalhes da infraestrutura e da capacidade operacional do Portocel.

Sobre a Multilift Logística – Atuando desde 1995 em armazenagem, operações portuárias e intermodais, a empresa tem atividades diretamente ligadas ao comércio exterior e à importação e exportação de produtos e insumos, tendo posição consolidada como um dos principais operadores portuários do Porto de Vitória. Opera em portos do Espírito Santo e conta com terminais rodoferroviários no estado capixaba, Minas Gerais e Bahia, estando integrada à malha rodoviária e ferroviária dos principais portos e centros econômicos do país. Atualmente a empresa é parte integrante do Grupo MIP, que atua no Brasil há 60 anos nos setores de montagem industrial, incorporações e construção civil, saneamento e energia, além do segmento logístico, e é formado também pelas empresas MIP Engenharia, MIP Construtora e MIP Investimentos.

Leia mais:  ‘Carnaúba que chora’ impressiona e espanta moradores no Piauí; veja vídeos

Sobre Portocel – Com capacidade para embarcar 7,5 milhões de toneladas/ano de cargas, Portocel é reconhecido por sua eficiência na movimentação de produtos florestais e outras cargas, dispondo de completa infraestrutura logística, instalações e equipamentos integrados a diferentes modalidades de transporte: importação e exportação, longo curso e cabotagem, cargas gerais, projetos, granéis e operações de oil & gas. O porto é controlado por dois grandes players do setor de celulose e papel: a Suzano e a Cenibra. Com localização privilegiada no município de Aracruz (ES), o terminal está conectado por malha rodoviária e ferroviária aos principais centros produtivos e de consumo do país.

publicidade

Brasil

Setores de petróleo e minério puxam queda da produção industrial capixaba 

Publicado

Ainda que negativo, o resultado do ES no semestre (-1,2%) foi melhor do que a média nacional, que teve retração de 2,2% no mesmo período  

A indústria geral capixaba retraiu 1,2% no primeiro semestre do ano, na comparação com o mesmo período do ano passado. A queda foi resultado do desempenho da indústria extrativa (-12,6%), que foi impactada pela menor produção de petróleo, gás natural e minério de ferro.  

Ainda que negativo, o resultado do Espírito Santo no semestre foi melhor do que a média nacional que teve recuo de 2,2% no mesmo período. Os dados da Produção Industrial Regional (PIM-PF) foram divulgados na terça-feira (9/8) pelo IBGE e compilados pelo Observatório da Indústria da Findes. 

De acordo com dados da Agência Nacional de Petróleo (ANP), a extração de óleo no Espírito Santo recuou 30,1% no primeiro semestre deste ano, enquanto a de gás natural reduziu em 31,9%.  

A presidente da Findes, Cris Samorini, explica que a expectativa para o desempenho da indústria nacional e capixaba para os próximos meses é mais positiva.  

“Temos alguns bons indicadores que estamos acompanhando. Entre eles a criação de mais de 200 mil postos de trabalho formais na indústria nacional e de 4,8 mil apenas no nosso Estado.” 

Cris pondera ainda que caso as medidas governamentais de estímulo fiscal sejam mantidas, como a redução do IPI, isso irá contribuir para fortalecer a indústria capixaba e nacional.  

“O governo federal havia anunciado a redução do IPI, mas nesta semana fomos surpreendidos com a decisão liminar do ministro do STF Alexandre de Moraes de suspender os benefícios. Isso muito nos preocupa, uma vez que trará grande impacto na indústria nacional, afetando o ritmo de retomada da economia e, por consequência, a geração de empregos.” 

Cenário nacional 

Os ramos industriais que registraram os piores desempenhos foram: veículos automotores, reboques e carrocerias (-5,4%); produtos de metal (-12,1%); produtos de borracha e de material plástico (-10,0%); e máquinas, aparelhos e materiais elétricos (-14,6%).

Por Siumara Gonçalves, com informações do Observatório da Indústria da Findes 

Continue lendo

Brasil

Petrobras reduz em R$ 0,22 o preço do diesel nas distribuidoras

Publicado

Decisão derruba de R$ 5,41 para R$ 5,19 o valor de venda do combustível a partir desta sexta-feira (12)

A Petrobras anunciou nesta quinta-feira (11) uma redução de 4,07% no preço do diesel A (puro) nas distribuidoras a partir de amanhã (12). Com a segunda redução em uma semana, o valor do combustível passará R$ 5,41 para 5,19 por litro, uma redução de R$ 0,22 por litro.

Considerando a mistura obrigatória de 90% de diesel A e 10% de biodiesel para a composição do diesel vendido nos postos, a Petrobras afirma que a parcela que recebe do valor final do preço ao consumidor passará de R$ 4,87, em média, para R$ 4,67 a cada litro vendido na bomba.

De acordo com a estatal, a nova redução “acompanha a evolução dos preços de referência, que se estabilizaram em patamar inferior para o diesel, e é coerente com a prática de preços da Petrobras, que busca o equilíbrio dos seus preços com o mercado global, mas sem o repasse para os preços internos da volatilidade conjuntural das cotações internacionais e da taxa de câmbio”.

Leia mais:  STJ nega pedido de João de Deus para anular provas

As duas reduções no preço do combustível no período de sete dias ocorrem após um intervalo sem reajustes no preço do combustível desde o início de maio do ano passado. Com as determinações, o preço do diesel nas distribuidoras caiu 7,5% (R$ 0,42), de R$ 5,61 para R$ 5,19.

Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana