conecte-se conosco


São Mateus

Prefeito capricha na festa e deixa os bairros e a população de ressaca

Publicado

Por Paulo Borges

Gostar de carnaval e até realizá-lo com o apoio da municipalidade não é nenhum problema. O verdadeiro problema está no fato de um governante só investir em festas, trios elétricos, bandas de gosto e talento duvidosos contratadas a peso de ouro e um carnaval milionário. Mas não para aí. Do outro lado fica a população pagando seus impostos e não recebendo nenhuma benfeitoria para seus bairros. E mais, tudo isso sob os auspícios da omissão do Ministério Público, de entidades e autoridades constituídas que cruzaram os braços e não promovem ações para mudar o cenário vivido pela população. E tem mais ainda para fomentar toda essa insanidade. Trata-se das lideranças em nível estadual e federal que, infelizmente, trabalham futuras candidaturas, achando que a população hoje abandonada vai lhes dar o direito de continuar nos seus mandatos. Na ocasião é compromisso de muitos relembrar daqueles que estiveram contra e dos que se colocaram ao lado da população.

Tudo isso vem se passando no município de São Mateus, onde a desordem levou ao caos político-administrativo que se instalou há pouco mais de três anos. A economia despenca, os investimentos não aportam no município e os que ainda insistem em investir no lugar já estão pensando em mudar de ares, procurar outras regiões para efetivar futuros projetos de vida e profissional.

Para quem chega à cidade de São Mateus se assusta com o que vê. A começar pela praça Mesquita Neto, no centro, perto da rodoviária. Ali é o paraíso da esculhambação, das drogas, da imundice, dos camelos e suas barracas e da sujeira. Aliás, o retrato da desordem político-administrativa implantado pelo governo municipal.

Mas não é só na praça. O “paraíso” se estende aos bairros, principalmente aos periféricos onde o tal “prefeito da periferia” não levou nenhuma benfeitoria. Em todos os bairros o abandono é quem se instalou. Os serviços não existem e, quando não a coleta deficiente do lixo. Postos de saúde sem médicos, atendimento deficiente por falta de profissionais e as escolas que só funcionam a contento por competência e esforços de professores, diretores e os pais de alunos.

O prefeito de São Mateus, Daniel Santana (PSDB), é empresário de eventos e proprietário de trios elétricos. Nesse segmento ele investe pesado. O balneário de Guriri tem sido “vítima” desse investimento. Vítima porque os moradores não usufruem desse pseudo-investimento coletivo que não passa de favorecimento ao prefeito e seus asseclas. Só a orla foi cuidada, pois por ali circulam os cinco trios contratados a peso de universo com a justificativa de se fazer o melhor carnaval do estado. Uma justificativa cínica, covarde para com a população mateense que assiste petrificada seus recursos indo para o ralo da incompetência, da irresponsabilidade de um prefeito que a grande obra do seu governo é a destruição do município e dos seus valores morais e éticos.

O carnaval está passando. O rescaldo quando for feito causará consequências desastrosas para São Mateus, que mesmo tendo nome do santo não está conseguindo conter tanto descalabro administrativo e melhorar a qualidade de vida da sua população.

Leia mais:  Câmara reforça articulação com Rigoni para agilizar exploração de sal-gema
publicidade

São Mateus

Falta de sinalização no centro de São Mateus deixam motoristas totalmente perdidos

Publicado

Por conta das eternas obras de ‘melhorias’ algumas das principais vias da cidade estão interditadas

São Mateus – As longas e intermináveis obras de melhoria nas galerias pluviais do Centro da cidade estão causando transtornos não apenas para pedestres e comerciantes. Pela cidade são muitas queixas e críticas por contas das obras sem fim, e que expõe uma certa desconfiança por parte da população na administração Municipal.

“Estas obras demonstram não só a incapacidade do atual prefeito e sua equipe, mas também de administrações anteriores, pois esse problemas se repete a anos e nunca tem solução permanente”, disse um senhor que passava pelo local.

Os motoristas reclamam muito da falta de sinalização no trânsito e nos desvios para fugir da obra. Sem acesso nas vias principais o transtorno é maior ainda para os motoristas que vem de fora da cidade.

“Estou em Guriri à passeio e precisei vir até o Centro para resolver umas coisas no meu banco e dei várias voltas para ter acesso a rodovia que leva ao balneário de Guriri”, disse um turista de Vitória.

A prefeitura de São Mateus por sua vez, interditou as vias, mas não informou quanto a falta de sinalização para indicar os desvios e melhor alternativa aos acessos interrompidos. Tentamos contato com os representantes da prefeitura mas ainda não tivemos retorno.

 

Leia mais:  Assenor e grupo de empresários tem encontro com prefeito Caffeu para projetar desenvolvimento econômico

Continue lendo

São Mateus

Câmara inicia adaptação de prédios para retorno ao centro de São Mateus

Publicado

Após a assinatura do termo de cessão de uso e da entrega formal das chaves dos prédios nº 40 e 70 da Avenida Jones dos Santos Neves, o vereador presidente Paulo Fundão realizou uma visita técnica aos imóveis, acompanhado de servidores do Legislativo e, em parte da agenda, do colega parlamentar Delermano Suim.

A expectativa é grande – de vereadores, servidores e a população em geral – para o retorno da Câmara Municipal ao centro da Cidade. A inauguração da nova sede do Parlamento está programada para o meio do ano, por isso estão sendo agilizados os trâmites para reforma e adaptação dos dois imóveis cedidos pelo Poder Executivo. Após a assinatura do termo de cessão de uso e da entrega formal das chaves dos prédios nº 40 e 70 da Avenida Jones dos Santos Neves, o vereador presidente Paulo Fundão realizou uma visita técnica aos imóveis, acompanhado de servidores do Legislativo e, em parte da agenda, do colega parlamentar Delermano Suim.

Para os primeiros levantamentos, estiveram presentes ainda a arquiteta Andreia Norbim e a engenheira Thais Palmas, ambas da Prefeitura, que ficará responsável pela licitação das obras, com recursos destinados pela Câmara Municipal. A previsão inicial é de, no prédio que abrigou o Fórum Estadual, instalar o Plenário (com espaço para assistência popular), a Mesa Diretora (completa ou parcial) e as secretarias Legislativa e de Comunicação, inclusive com cabine para transmissão ao vivo das sessões plenárias.

No edifício ao lado, que possui estacionamento privativo e foi uma tradicional sede do Executivo, devem ser instaladas as demais secretarias de apoio legislativo, a recepção e gabinetes para os vereadores –individuais, se possível, ou coletivos. A primeira impressão dos espaços visitados foi bem positiva, possibilitando revitalizar os dois imóveis que fazem parte da história recente de São Mateus, com impactos positivos também no comércio do entorno.

Com muita confiança na competência das profissionais envolvidas, a expectativa entre vereadores e servidores é contar com uma estrutura que permita ampliar a sinergia, num sistema de cooperação, com a sociedade mateense neste retorno ao Centro.

Neste processo, uma das preocupações é adequar os prédios às exigências de acessibilidade, além, é claro, de potencializar o atendimento dos munícipes, com melhor ambiente de trabalho aos profissionais envolvidos. Essas recomendações foram reforçadas pelo diretor-geral Roberto Motta Gomes e pelo secretário de Administração Dierlisson Santos Justiniano.

A determinação do presidente Paulo Fundão é agilizar os trabalhos para que a mudança para o novo endereço já possa ocorrer em junho ou julho.

SEDES PROVISÓRIAS
Concretizando-se finalmente na gestão do vereador presidente Paulo Fundão, o sonho de construção de uma sede própria para a Câmara de São Mateus atravessa gerações. No início de sua instalação, inclusive, havia o costume de os vereadores realizarem as reuniões na casa do parlamentar que presidia o Legislativo.

O tempo foi passando e a Câmara Municipal fixou endereço na descida do Porto, em imóvel do saudoso Joãozinho Figueiredo, no Centro. Na gestão do prefeito Gualter Loureiro, no início da década de 1980, a Câmara teve sua sede provisória na Rua Coronel Mateus Cunha, em imóvel do empresário Ademilson Pimentel, que inclusive posteriormente foi eleito vereador.

Mais tarde, na administração Amocim Leite, a Casa de Leis funcionou em imóvel do ex-prefeito Danilo Pirola, que acabou adquirido por Dinair Brisson Santos para abrir a Farmácia Santos, na Praça São Benedito, conforme levantamento da Secretaria de Administração.
Com o fim do contrato de aluguel no endereço anterior, a Câmara passou a funcionar no segundo andar do prédio histórico que abriga atualmente o Museu de São Mateus, na Praça Nossa Senhora da Conceição (Praça Municipal). No térreo funcionavam à época o Instituto Nacional Colonização e Reforma Agrária (Incra) e o Gabinete Oficial do Prefeito.

Em 1990, ano em que aprovou a Lei Orgânica Municipal, já na gestão do prefeito Pedro dos Santos Alves, a Câmara mudou-se para um dos casarões do Sítio Histórico Porto de São Mateus, em imóvel tombado no Largo do Chafariz.

Em 2002, na presidência do vereador Edio Miranda e com comodato firmado pelo prefeito Lauriano Zancanela, a Câmara Municipal passou a ter sua sede provisória no antigo complexo da Aracruz Celulose (atual Suzano), no Bairro Santo Antônio, onde permanece funcionando até a mudança para a sede definitiva.

Leia mais:  Grupos políticos se digladiam pelo poder em São Mateus
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana