conecte-se conosco


Segurança

Prefeitura de Jaguaré lança projeto “Homem que é Homem” em parceria com Polícia Civil

Publicado

Projeto tem a finalidade de reduzir a reincidência de violência doméstica contra a mulher; autoridades estaduais destacaram interesse da Prefeitura para minimizar problema

A Prefeitura de Jaguaré aderiu, nesta quarta-feira, 08, ao “Projeto Homem que é Homem”, numa parceria entre a Polícia Civil do Espírito Santo – PCEES e a Secretaria Municipal de Assistência Social, Cidadania e Segurança Pública. O objetivo do projeto é reduzir a reincidência de violência doméstica contra a mulher sob a coordenação da Divisão Especializada de Atendimento à Mulher – Div-Deam, da Polícia Civil.

Em Jaguaré o projeto, que passa a ser coordenado pelo Creas – Centro de Referência Especializado em Assistência Social, foi assinado em evento realizado no auditório do Centro de Referência da Assistência Social. Participaram do evento o prefeito Marcos Guerra, o vice-prefeito Elder Sossai, a primeira dama e secretária de Turismo, Vera Backer, o secretário municipal de Assistência Social, Cidadania e Segurança Pública, Atevaldo Inácio Gabriel, o Zico, a delegada Claúdia Demattê, chefe da Divisão Especializada de Atendimento à Mulher e Gestora da Seção de Projetos Educacionais, Prevenção e Estudo da Violência; e do Projeto Homem que é Homem, a delegada Gabriela Zaché, chefe da Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher e respondendo pela Delegacia de Polícia de Jaguaré e Vila Valério.

Também estiveram presentes a delegada Natália Tenório Sampaio, assessora da Gerência de Proteção à Mulher da Secretaria Estadual de Segurança Pública – Sesp, a juíza de Direito da Comarca de Jaguaré, Elaine Cristine de Carvalho Miranda, a promotora de Justiça do Ministério Público da Comarca de Jaguaré, Graziella Maria De Prá Bittencourt, delegado chefe da 18ª Delegacia Regional de São Mateus, Leonardo Aksacki Malacarne e o comandante da Polícia Militar de Jaguaré, capitão Jun San Lee, além de vereadores e secretários municipais.

O “Projeto Homem que é Homem” foi criado no ano de 2015, idealizado por psicólogas e assistentes sociais da Polícia Civil, com o objetivo de enfrentamento à violência contra a mulher e contribuir com a prevenção e redução do índice de reincidência das diversas violências cometidas contra a mulher no Espírito Santo.

A violência contra as mulheres é uma das principais formas de violação dos direitos humanos, do direito à vida, à saúde e à integridade física e psicológica, praticada contra mulheres pelo fato de serem mulheres.

As ações do Projeto são direcionadas a homens que cometeram algum tipo de violência doméstica. Pretende-se promover espaços de reflexão sobre temas para além da violência de gênero. O objetivo é desconstruir concepções e comportamentos machistas, sexistas, preconceituosos e misógino, de ódio às mulheres.

Leia mais:  Sargento da PM é baleado durante tentativa de assalto

O prefeito Marcos Guerra destacou que homem e mulher devem ser tratados com igualdade e que o projeto é uma excelente oportunidade de ressocialização e que, cada homem deve avaliar a sua conduta frente à sua esposa e família.

“Todos nós somos iguais e eu quero lembrar o conceito bíblico de amar ao próximo como a si mesmo. E amar é cuidar! Para isso temos políticas públicas, como o projeto homem que é Homem. Estamos levando a assistência social pra dentro dos bairros, para as pessoas. Fizemos a adesão ao projeto com muita alegria e quero parabenizar à Polícia Civil por essa iniciativa e dizer que podem contar com a Prefeitura de Jaguaré, pois, também entendemos que melhor orientar do que punir. Isso é cuidar das pessoas”, ressaltou o prefeito.

A equipe do “Projeto Homem que é Homem” em Jaguaré será composta pelas servidoras Nalu Martins da Silva, Assistente Social, pós-graduada em Políticas Sociais e em Atenção Básica em Saúde, Fernanda Renata Pacheco de Souza Sabino, Assistente Social, pós-graduada em Administração e Planejamento de Projetos Sociais e Caline dos Santos Rufino, Psicóloga, pós-graduada em Psicopedagogia clínica e institucional.

“Foi de grande importância, a adesão ao “Projeto Homem que é Homem” no município de Jaguaré, visto que o número de mulheres vítimas de violência doméstica e familiar é considerável. Esse projeto tem o propósito de levar os agressores a fazerem uma reflexão desse sentimento e induzir ao questionamento de suas atitudes violentas e tentar desconstruir ideias patriarcais, machistas, dominadoras e o sentimento de posse. Estar à frente desse grupo reflexivo é desafiador para nós, pois, estaremos lindando com práticas de violência que para muitos é considerada normal”, afirma Nalu Martins.

A Delegada Claúdia Demattê, destaca que a violência é fruto de machismo, de uma estrutura patriarcal. “Os homens acham que as mulheres são seus produtos. É preciso falar mais sobre esse assunto pra coibir e prevenir a violência doméstica. Para enfrentar esse problema o homem agressor tem que responder pelo seu crime. A repressão apenas não é a solução! Ele precisa refletir e entender que o ato dele é um erro. Essa é a importância do “Homem que é Homem”. Temos muito orgulho dos gestores públicos que instalam esse projeto em seus municípios, pois, entendem que isso é gestão. Violência não é e não será jamais uma forma de resolução de conflitos. O diálogo é”, destaca Cláudia Demattê.

Depoimentos

Atevaldo Inácio Gabriel – Secretário de Assistência Social:
“Recebemos notícias ruins todos os dias. E eu fico pensando, vamos só ficar olhando? Então, a nossa determinação é de um olhar atento e constante. A equipe da Secretaria – que é muito competente vai se envolver nesse tema com muita profundidade”.

Leia mais:  Eleições 2020: eleitores não podem ser presos a partir de hoje

Vera Backer – Secretária de Turismo:
“Os números são absurdos. Registrados oficialmente são 75, mas, tem aquelas tantas que não denunciam. Esse projeto vai ajudar a trabalhar a cabeça de alguns homens para que eles mudem e passem a ver as esposas com outros olhos”.

Natália Tenório Sampaio – Assessora da Gerência de Proteção à Mulher da Sesp:
“Quando Jaguaré nos busca para implantar esse projeto, lança luz para o interesse e a qualidade do poder público em resolver esse problema. Sabemos que é complexo, é grave e cultural. Nossa sociedade é estruturalmente machista, então, oferecemos uma oportunidade de tratar o problema de forma estratégica. Depois que o homem agressor cumpre sua pena, queremos que esses homens se tornem um novo homem, com um nível de reflexão muito bom”.

João Francisco Filho – Superintendente de Polícia Regional Norte:
“Quero parabenizar Jaguaré por ter abraçado esse projeto que traz um aprimoramento social e agradecer à Prefeitura pelo apoio à Polícia Civil aqui no município, aos nossos projetos que ajudaram a reduzir em 50% o número de homicídios. O “Homem que é Homem” é mais uma faceta do sucesso dessa parceria”.

Gabriela Zaché – Chefe da Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher e da Delegacia de Jaguaré e Vila Valério
“Aqui em Jaguaré estamos conseguindo fazer a rede de proteção à mulher funcionar. O homem sendo reeducado pode replicar o aprendizado e se tornar um incentivador de melhores comportamentos. Esse projeto vai fazer a diferença em Jaguaré”.

Elaine Cristine Carvalho Miranda – Juíza de Direito da Comarca de Jaguaré:
“Estou muito animada. Esse projeto vai ter resultado, sim. Quantas famílias desestruturadas temos por esse problema? Quando a prevenção não funciona vai parar no Judiciário, e isso é triste por que a prevenção não resolve todos os problemas, e nós temos limites! Daí a importância desse projeto para Jaguaré”.

Graziela De Prá – Promotora de Justiça:
“Quero agradecer muito à Prefeitura pelo engajamento na solução desses problemas. Essa é uma circunstância que está em todas as classes sociais independente de cor, idade. Nós naturalizamos agressões à mulheres ao não deixar a mulher falar, não considerar sua opinião e de outras formas. Então esse projeto será muito importante para a sociedade de Jaguaré”.

publicidade

Segurança

Pacotes falsos: agente de turismo é preso por aplicar golpes de viagens no ES e no Rio de Janeiro

Publicado

As investigações apontam que mais de 40 pessoas foram vítimas do agente de viagens que atuava em Marataízes, no Sul do Espírito Santo

Um agente de turismo, de 31 anos, foi preso no bairro Acapulco, em Marataízes, no Sul do Espírito Santo. Segundo a polícia, o homem teria ofertado, por meio de uma agência de viagens, falsos pacotes de excursões para pessoas do Espírito Santo e do Rio de Janeiro com valores abaixo do mercado.

A prisão foi realizada, na última segunda-feira (27), em cumprimento a um mandado de prisão preventiva. As investigações da Polícia Civil apontam que mais de 40 pessoas foram vítimas do homem.

O titular da Delegacia de Marataízes, delegado Renato Barcellos, disse que diversos procedimentos investigativos foram abertos para apurar os golpes praticados pelo suspeito.

Além disso, segundo a polícia, o suspeito tem diversas petições protocoladas por advogados e várias reclamações no Instituto Estadual de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon-ES) sobre os pacotes de viagens ofertados para clientes e que não foram realizados. 

Leia mais:  Sargento da PM é baleado durante tentativa de assalto

De acordo com o delegado, o homem aplicava o mesmo golpe desde 2019. 

“Os pacotes ofertados abaixo do valor de mercado eram comprados por terceiros, sem nenhuma garantia de que seriam cumpridos. O suspeito ofertava as viagens aos clientes com base na cotação do dia, referente a milhas que são comercializadas livremente em sites da internet. Antes de efetivar as compras, os clientes pagavam pelo valor indicado, porém, quando os compradores iriam de fato adquirir essas milhas correspondentes à viagem prometida pelo valor flutuante, já pago por eles, já havia subido ou as milhas tinham sido vendidas a outros negociantes”, explicou.

O suspeito, segundo o delegado, mesmo sabendo da probabilidade de frustração do acordo com as vítimas, mantinha os clientes no erro. As vítimas só descobriam o golpe no dia do embarque.

“O passo seguinte do investigado era tentar, por alternativas mais baratas, até que os clientes desistissem ou aceitassem outros pacotes totalmente diversos do que ele oferecia, uma vez que já estavam vulneráveis, obtendo, dessa forma, vantagem em cima das transações efetuadas pelas vítimas”, acrescentou o delegado.

Leia mais:  Governo do Estado lança Operação Patrulha da Comunidade na Grande Vitória

O suspeito mantinha uma agência de viagens no bairro Cidade Nova, em Marataízes, e tinha o registro de pessoa jurídica no cartório. Além disso, segundo a polícia, a empresa tinha redes sociais, por onde mantinha contato com os clientes e fazia propagandas para atrair a atenção deles. 

Após o suspeito ser detido, o estabelecimento teve as atividades encerradas e foi encaminhado um ofício ao Instagram para a suspensão da conta.

O suspeito, de acordo com a polícia, vai responder pelo crime de estelionato. Ele foi encaminhado para o Centro de Detenção Provisória de Marataízes e está a disposição da Justiça.

Continue lendo

Segurança

Suspeitos de abuso e exploração sexual infantil na internet são presos durante operação no ES

Publicado

As prisões fazem parte da Operação Luz na Infância, deflagrada pela Polícia Civil, por meio da Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes Cibernéticos (DRCC)

Dois suspeitos foram presos em flagrante nesta quinta-feira (30) por abuso e exploração sexual, no ambiente virtual, no Espírito Santo. As prisões fazem parte da Operação Luz na Infância, deflagrada pela Polícia Civil, por meio da Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes Cibernéticos (DRCC).

O títular da Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes Cibernéticos (DRCC), delegado Brenno Andrade, afirmou que as duas prisões já realizadas foram efetuadas nos municípios de Vitória e Vila Velha. Se condenados, os presos podem cumprir até dez anos de prisão.

“Foram conduzidas para a unidade policial, vamos lavrar o procedimento e encaminhar ao Poder Judiciário. Com elas foi encontrado material de abuso extremamente bárbaro. A Polícia dá prioridade a isso porque afeta não só as crianças, mas o entorno dela, o crescimento da criança, os pais, familiares, o ambiente escolar. Queremos prender esses criminosos e levar à Justiça”, afirmou a autoridade policial.

De acordo com informações da PC, estão sendo cumpridos mandados de busca e apreensão em três municípios do Estado nesta quinta (30). 

Leia mais:  Eleições 2020: eleitores não podem ser presos a partir de hoje

A ação faz parte de uma mobilização nacional para combater crimes de abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes na internet e foi articulada pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública por meio da Secretaria de Operações Integradas (Seopi). Ao todo, são 162 alvos no Brasil e mais 6 países, incluindo os Estados Unidos.

Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana