conecte-se conosco


Camisa 10

Premiação de cerca de R$ 150 milhões esquenta ainda mais a Libertadores

Publicado

Premiações milionárias pela hegemonia do futebol da América, hoje, às 17 hora, no Maracanã. Santos e Palmeiras merecem o privilégio

Cerca de R$ 150 milhões de premiação, no total, para o clube que for campeão.

O vencedor disputará o Mundial de Clubes, em fevereiro, no Catar.

Palmeiras e Santos farão uma final histórica da Libertadores, e com grandes consequências, hoje, às 17 horas no Maracanã.

Infelizmente, por conta da Covid, sem acesso aos torcedores.

Mas, a irresponsável Conmebol, permitirá o acesso de cinco mil pessoas. A esmagadora, convidados com laços políticos com a entidade.

Menos mal porque o governo carioca avisou que permitiria até oito mil pessoas juntas, em plena pandemia.

Membros de organizadas prometem ficar perto do estádio, para festejar a chegada dos clubes. 

E, principalmente, comemorar a vitória, após o jogo.

Desprezando a Covid.

Mas esse absurdo ficará em segundo plano.

Abel Ferreira e Cuca travarão um duelo que tem tudo para ser espetacular.

Eles resgataram seus elencos, que estavam desacreditados nas incompetentes mãos de Vanderlei Luxemburgo e de Jesualdo Ferreira.

O milionário grupo de jogadores palmeirenses se transformou em um time moderno, intenso, objetivo e confiante, que arrasou seus adversários na Libertadores. E sofreu a única derrota contra o River Plate, na semifinal. Mas a classificação veio dentro da Argentina, quando humilhou o time de Gallardo.

Já Cuca transformou a limitação financeira, com direito até à punições por calote, do Santos. Conseguiu unir seus atletas na desgraça. Os fez entender que, sem vitórias, seus salários continuariam não sendo pagos.

Marinho. Pode até não ganhar o prêmio. Mas foi o melhor jogador, disparado, da Libertadores

E acreditando no conceito de dedicação plena, física e tática, mais o potencial técnico de Marinho e Soteldo, vivendo o auge de suas carreiras, o Santos se transformou na maior surpresa da Libertadores de 2020.

Abateu seus adversários, sofreu uma só derrota, para a LDU, nas oitavas de final. Mas garantiu a classificação na altitude equatoriana. Na semifinal, despachou o Boca Juniors, sem piedade.

O destino presenteou os dois clubes, preservando todos seus principais jogadores.

Os times que entrarão em campo, daqui a pouco, são os que Abel e Cuca sonhavam ter nas mãos em uma decisão tão importante.

Neste confronto, a hegemonia do futebol brasileiro está mantida.

Mas a vitória será do futebol paulista.

Jamais um clássico de um estado deste país decidiu a competição mais importante da América do Sul.

Um clube chega pela força financeira, de um bilionário patrocinador completamente envolvido no futebol. Cuja dona será sua presidente.

E no outro, foi pela superação de um treinador e um grupo abnegado e talentoso. Independente da incompetência administrativa. Cuca conseguiu ser o escudo, blindar seu time da própria diretoria.

Weverton, fundamental, a segurança do Palmeiras na histórica campanha da Libertadores 2020

O favorito tecnicamente deveria ser o Palmeiras.

Por ter mais opções de jogo, por conta de seu elenco recheado de jogadores importantes.

Deveria, porque o Santos é o time mais objetivo, mais letal nos contragolpes da América do Sul.

Será um confronto sem dono antecipado.

Decidido pela tática e improviso dos jogadores no Maracanã.

Fator que jamais deve ser desprezado é o dinheiro.

O Santos destinará R$ 15 milhões aos jogadores, se for tetracampeão da Libertadores.

Já o Palmeiras, tem a promessa de R$ 24 milhões pelo eventual bicampeonato.

Metade da patrocinadora.

E metade vinda do clube, que retirará da premiação.

É muito dinheiro.

Mas os jogadores, tanto de Santos como do Palmeiras, sabem.

O que importará ainda mais mais será a consagração.

Ter a hegemonia do futebol da América.

Representar o Brasil no Mundial de Clubes.

Se tudo der certo, desafiar o Bayern na decisão.

A Libertadores de 2020 terá a final que merece.

Leia mais:  Inter perde para o Sport e desperdiça chance de disparar na ponta
publicidade

Camisa 10

Flamengo ultrapassa Palmeiras e é o líder do ranking dos clubes da CBF

Publicado

Tabela foi divulgada pela entidade que dirige o futebol nacional, nesta segunda-feira, antes da definição da Copa do Brasil, da qual o alviverde é um dos finalistas

A conquista recente do título brasileiro colocou o Flamengo na liderança do ranking de clubes da CBF, ultrapassando o Palmeiras. A tabela foi divulgada pela entidade que dirige o futebol nacional, nesta segunda-feira, antes da definição da Copa do Brasil.

O time da Gávea soma 16.768 pontos, enquanto o alviverde paulista, campeão da Copa Libertadores, acumula 16.110. O Grêmio, adversário do Palmeiras na final da Copa do Brasil, é o terceiro colocado, com 15.180.

Vice-campeão brasileiro, o Internacional pulou do nono para o quarto lugar (13.310 pontos), seguido pelo Athletico-PR, que tem 12.968. Já o Cruzeiro, que atuou o ano de 2020 na Série B do Brasileiro e não conseguiu o acesso, caiu do quarto para o décimo posto, com 11.768 pontos.

Outros três times paulistas estão entre os dez primeiros. Finalista da Libertadores, o Santos é o sexto colocado (12.776 pontos), à frente do Corinthians, que tem 12.032. O oitavo colocado é o São Paulo (11.870), seguido pelo Atlético-MG, com 11.789 pontos.

O ranking de clubes da CBF, além de posicionar os times com melhor campanha na temporada, também serve para classificar times menores nas várias competições nacionais.

Uma nova versão será divulgada na semana que vem, após a definição da Copa do Brasil, com o segundo jogo entre Palmeiras e Grêmio, no Allianz Parque, domingo.

Leia mais:  Jorge Jesus volta ao Brasil e afirma que 'grande equipe' o motiva'
Continue lendo

Camisa 10

Brasileirão: R$ 27 milhões de prejuízo com portões fechados; veja a renda líquida negativa de cada clube

Publicado

20) Sport – prejuízo de R$ 144,40 em 19 partidas em casa. O clube pernambucano não divulga o borderô completo, somente os valores do seguro-torcedor.

18) Atlético-GO – prejuízo de R$ 796.613,80 em 18 partidas em casa.

17) Athletico-PR – prejuízo de R$ 858.465,61 em 18 partidas em casa.

17) Athletico-PR - prejuízo de R$ 858.465,61 em 18 partidas em casa.

16) Red Bull Bragantino – prejuízo de R$ 960.923,66 em 18 partidas em casa.

15) Coritiba – prejuízo de R$ 1.111.454,86 em 19 partidas em casa.

14) Internacional – prejuízo de R$ 1.138.320,86 em 18 partidas em casa.

12) Corinthians – prejuízo de R$ 1.150.352,26 em 19 partidas em casa.

7) Bahia - prejuízo de R$ 1.227.866,67 em 18 partidas em casa.

11) Santos – prejuízo de R$ 1.165.632,23 em 19 partidas em casa.

10) Fortaleza – prejuízo de R$ 1.168.619,23 em 19 partidas em casa.

7) Bahia – prejuízo de R$ 1.227.866,67 em 18 partidas em casa.

5) Palmeiras – prejuízo de R$ 1.588.166,49.

4) Botafogo – prejuízo de R$ 1.804.113,33 em 19 partidas em casa, sendo que o borderô de uma delas (contra o São Paulo) ainda não foi divulgado.

2) Flamengo - prejuízo de R$ 3.234.340,85 em 19 partidas em casa, sendo que os borderôs de duas delas (contra Corinthians e Internacional) ainda não foram divulgados.

2) Flamengo – prejuízo de R$ 3.234.340,85 em 19 partidas em casa, sendo que os borderôs de duas delas (contra Corinthians e Internacional) ainda não foram divulgados.

1) Fluminense – prejuízo de R$ 3.355.612,27 em 18 partidas em casa.

Leia mais:  Tensa com coronavírus, Fifa pode liberar futebol só em junho
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana