conecte-se conosco


Cidades

Procon-ES intensifica fiscalização de preços nos supermercados da Grande Vitória

Publicado

O Instituto Estadual de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon-ES) está intensificando as fiscalizações nos supermercados para verificar abusos nos preços dos produtos. Desde o início da pandemia do novo Coronavírus (Covid-19), o órgão tem realizado importantes ações de combate aos abusos nas relações de consumo e já fiscalizou 113 supermercados na Grande Vitória e no interior do Estado.

Além do trabalho fiscalizatório, o órgão notificou distribuidoras de laticínios do Estado, além da Associação Capixaba de Supermercados (Acaps), para que orientem os seus associados a se absterem de elevar, sem justa causa, os preços dos produtos.

O diretor-presidente do Procon-ES, Rogério Athayde, informou que a especulação de alguns comerciantes que aumentam injustificadamente o preço dos produtos é prática condenada pelo Código de Defesa do Consumidor (CDC) e pode configurar abuso de direito e ato ilícito, conforme previsto no artigo 187 do Código Civil.

“A definição de preços depende de cada estabelecimento. Entretanto, o CDC proíbe o fornecedor de elevar os preços de produtos e serviços sem que haja um justo motivo, como o aumento dos custos, que seja capaz de refletir no preço final”, ressaltou Athayde.

O diretor-presidente do Procon-ES pediu ainda que os consumidores sejam parceiros nesse trabalho de fiscalização, denunciando aumentos repentinos e elevados, para que os órgãos de defesa do consumidor possam apurar.

As denúncias podem ser feitas pelos telefones 151 e (27) 3332-2011, por meio do App Procon-ES (Android) ou do Fale Conosco, disponível no site www.procon.es.gov.br (iPhone).

Leia mais:  ES Solidário entrega doações de roupas para pessoas em situação de rua
publicidade

Cidades

Navio encalhado é retirado de Porto em Aracruz

Publicado

A operação aconteceu na noite de sexta-feira (22); a embarcação, carregada de celulose, seguia para Singapura

O navio mercante Saga Morus, carregado de celulose e que havia encalhado ao tentar uma manobra de saída do Porto de Barra do Riacho, em Aracruz, foi retirado do local na noite de sexta-feira (22). 

A embarcação seguia para Singapura e, segundo a Capitania dos Portos do Espírito Santo, assim que houve o anúncio do encalhe, foram deslocadas duas equipes até o local, sendo uma por terra e outra por via marítima. 

A análise da Capitania concluiu que o navio não oferece risco à navegação. Também não foram encontrados indícios de danos estruturais ou vazamento de resíduos poluentes. Os tripulantes passam bem.

Em razão do acidente, foi instaurado inquérito administrativo para apurar as causas, circunstâncias e responsabilidades do ocorrido. 

Segundo o site Marine Traffic, o navio tem bandeira de Hong Kong e atracou em Portocel na última quarta-feira (20), vindo do Porto de Vila do Condé, no Pará.

Leia mais:  Saiba sobre as mudanças de Rematrícula e Transferência Interna da Rede Estadual para 2021
Continue lendo

Cidades

Enfermeira de hospital em Vitória será investigada após dizer que só tomou vacina para viajar

Publicado

Ela publicou um vídeo nas redes sociais debochando da eficácia do imunizante CoronaVac, dizendo que havia “tomado água”

Uma enfermeira do Hospital da Santa Casa de Misericórdia de Vitória será investigada por dizer que só tomou a vacina CoronaVac porque “precisava viajar”. Nathanna Faria Ceschim publicou um vídeo nas redes sociais, após ter sido vacinada, debochando da eficácia do imunizante. Ela também postou vídeos em que aparece trabalhando no hospital sem o uso da máscara. Nathanna foi denunciada junto ao Conselho Regional de Enfermagem do Espírito Santo. 

A profissional atua com pacientes infectados por coronavírus e recebeu a vacina na última terça-feira (19). O vídeo foi publicado nesta sexta (22). “Tomei por conta que quero viajar, e não para me sentir mais segura. Uma vacina que dá 50% de segurança para mim não é uma vacina. Tomei foi água”, diz Nathanna.

Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) informou que lamenta o posicionamento de qualquer profissional da saúde que desacredite da ciência em prol da vida. 

Ela se referia ao índice de eficácia da CoronaVac. Na verdade, o imunizante possui 50,38% de eficácia geral, para todos os casos. Além disso, a vacina tem 77,96% de eficácia contra manifestação de sintomas e 100% contra casos graves da doença, segundo o Instituto Butantan.

Leia mais:  Banestes anuncia condições imperdíveis na Blue Week
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana