conecte-se conosco


Cidades

Projeto vai selecionar 150 jovens talentos para desenvolver iniciativas sociais e ambientais

Publicado

Inscrições para O Futuro do Rio Doce Somos Nós, que terá 18 meses de duração, vão até 20 de março

Estão abertas as inscrições da segunda edição do projeto O Futuro do Rio Doce Somos Nós para selecionar 150 jovens que queiram atuar na reparação de sua região e desejam construir uma rede de transformadores ao longo da bacia do rio Doce.

O projeto, em parceria com o Instituto Elos, faz parte de iniciativas da Fundação Renova para o desenvolvimento de jovens talentos na bacia do rio Doce para capacitar, mobilizar e apoiar o desenvolvimento de iniciativas sociais, culturais e ambientais nos municípios impactados pelo rompimento da barragem de Fundão, em Mariana (MG).

Com duração de 18 meses de formação vivencial em ativismo e empreendedorismo social, o projeto irá selecionar jovens de 18 a 29 anos que morem em algum município impactado da bacia do rio Doce. As inscrições podem ser realizadas até 20 de março no site do Instituto Elos (link).

Primeira edição

primeira edição contou com 90 jovens e mais de 22 projetos implementados. Durante o programa, a juventude mobilizou mais de 4 mil pessoas na bacia do rio Doce. Mais de 68% de participantes acreditam que irão contribuir para a regeneração dessa região.  

Leia mais:  Detran suspende aulas e provas práticas de direção a partir desta sexta-feira (20)

Um dos projetos é o da moradora de Baixo Guandu (ES), Camila Aparecida Correa Miranda, de 27 anos, que propôs acompanhar a construção do Sistema de Esgotamento Sanitário (SES) no município, com recursos disponibilizados pela Fundação Renova, por meio do Banco de Desenvolvimento do Estado do Espírito Santo (Bandes).

Para apresentar seu projeto, Camila Miranda, que é formada em Tecnologia em Saneamento Ambiental e graduanda em Agronomia, organizou o 1º Fórum de Saneamento em Baixo Guandu, em 22 de agosto de 2019, para discutir o futuro do saneamento, com palestras e mesa redonda destinadas à discussão sobre o tema.

A cofundadora do Instituto Elos e coordenadora do Projeto Futuro do Rio Doce, Natasha Mendes Gabriel, destacou a participação da juventude nas tomadas de decisão. “Nosso sonho é que a juventude participante do Futuro do Rio Doce Somos Nós ocupe posições de decisão na região, seja na esfera pública ou privada, e influencie diretamente no processo de regeneração da bacia”. 

Para Iara Souza, Coordenadora de Estratégias Participativas da Fundação Renova, os jovens participantes do projeto terão a oportunidade de contribuir com o processo de reparação. “Os jovens participarão diretamente de projetos que contribuam para o processo de reparação em seus municípios, em prol da melhoria da qualidade de vida de toda a comunidade ao redor”, diz. 

Leia mais:  Prefeitura de Pedro Canário inaugura torre de telefonia móvel no distrito de Taquaras

 

Sobre a Fundação Renova

A Fundação Renova é uma entidade de direito privado, sem fins lucrativos, constituída com o exclusivo propósito de gerir e executar os programas e ações de reparação e compensação dos danos causados pelo rompimento da barragem de Fundão.

A Fundação foi estabelecida por meio de um Termo de Transação e de Ajustamento de Conduta (TTAC), assinado entre Samarco, suas acionistas Vale e BHP, os governos federal e dos estados de Minas Gerais e do Espírito Santo, além de uma série de autarquias, fundações e institutos (como Ibama, Instituto Chico Mendes, Agência Nacional de Águas, Instituto Estadual de Florestas, Funai, Secretarias de Meio Ambiente, dentre outros), em março de 2016.

 

publicidade

Cidades

Jaguaré atrai empresa agroindustrial

Publicado

Bom momento vivido pelo município é atrativo para empresa multinacional; grande produção de café conilon e perfil logístico também são fatores positivos para Jaguaré

Na manhã da última segunda-feira (16), o prefeito Marcos Guerra recebeu a visita dos representantes da empresa multinacional Eisa – Empresa Interagrícola SA. A empresa atua em atividades de armazenagem, industrialização e rebeneficiamento de café cru em grão e vai instalar uma unidade de produção na região norte do Estado. Os diretores apresentaram ao prefeito Marcos Guerra uma Carta de Intenções para a execução da empreitada.

Na oportunidade, participaram da visita o diretor comercial Carlos Santana, o diretor financeiro, Eudélio Oliveira, o gerente comercial em Vitória, Rodrigo Ernani, o presidente da Descamex, empresa de descafeinização do México, Demétrius Mogueira e Alejandro. Também participaram da reunião, o secretário municipal de Finanças João Marcos Preato Deolindo, o secretário de Desenvolvimento Econômico Cayo Casagrande e o controlador municipal interino Sorieldo Engelhardt.

O prefeito Marcos Guerra ressaltou que o município está aberto e que não há obstáculo nenhum para a instalação de novas empresas em Jaguaré e que, o objetivo é a geração de emprego e renda.

“Estamos trabalhando arduamente para atrair o desenvolvimento com geração de emprego e renda para Jaguaré, em especial para a área do Polo Industrial, tornando realidade esse sonho da população do município. Nós precisamos cuidar e manter o que nós temos. Mas, também, precisamos ampliar as possibilidades e, uma empresa como o Eisa, nos permitirá isso. Estamos preparados para o desenvolvimento em parceria saudável com a Câmara de Vereadores e com o Governo do Estado. Os nossos interesses são sempre transparentes e são para o município, tanto que convidamos a imprensa para fazer parte deste momento”, afirmou o prefeito referindo-se à presença de profissionais de imprensa na reunião.

Leia mais:  Deputado Federal Evair de Melo assina ordem de serviço da usina fotovoltaica do IFES de Alegre

O investimento

O investimento total para implantação do projeto é de aproximadamente cento e oitenta milhões de reais. Esse valor contempla a construção do armazém, infraestrutura, compra e instalação de maquinas e equipamentos. A Eisa estima a criação de 120 empregos diretos com a implantação do empreendimento e início das operações, com média salarial bruta estimada em R$1,800,00. Estudos mostram que, nesses casos, um emprego direto gera pelo menos 3 empregos indiretos podendo, nesse caso alcançar a geração de mais 360 empregos para prestadores de serviços de oficinas, de siderúrgica, mecânica, entre outros.

O diretor comercial da Eisa, Carlos Santana, destacou que Jaguaré apresenta condições excepcionais para a implantação da empresa. Entre elas o bom ambiente político vivido no momento, com boas relações com o Governo do Estado e a Câmara Municipal.

“Encontramos um ambiente muito sadio com alinhamento entre o Executivo e o Legislativo para a instalação de um investimento de cerca de 30 milhões de dólares na primeira fase. Trata-se do processamento do café conilon com a descafeinização do grão. E Jaguaré é o maior produtor de café conilon do Estado do Espírito Santo, que também produz cafés lavados, os arábicas das regiões serranas, e um bom café natural, além do conilon, ou seja, os três ingredientes que compõem o blend, o Estado produz. Vamos trabalhar com o comércio exterior com venda para vários países, além da venda da cafeína natural para a indústria de cosméticos. E vamos fazer isso com um critério de sustentabilidade muito forte”, destacou.

Leia mais:  Detran divulga calendário de vencimento do Licenciamento Anual em 2021

Estrutura

No projeto de instalação da unidade da multinacional, a Eisa planeja instalar um armazém para recebimento, armazenagem e rebeneficiamento de café cru em grãos e uma unidade para processos industriais no segmento de café verde. A capacidade inicial seria para armazenagem de 700 mil sacas de café cru em grãos. O rebeneficiamento será efetuado com máquinas de pré-limpeza, catadoras de resíduos, densimétricas, classificadoras e selecionadoras eletrônicas de grãos. Na área industrial serão utilizados tanques extratores, secadores e decantadores.

A Eisa é parte de uma multinacional, a Ecom, uma empresa agroindustrial de 180 anos, que atua no comércio de commodities e gestão de cadeia de suprimentos sustentável. Opera em 35 países produtores em todo o mundo e concentra a produção principalmente em café, algodão e cacau, além de participar de outros mercados de produtos agrícolas selecionados. A empresa figura entre os maiores comerciantes de café, está entre os quatro maiores comerciantes de cacau e os 5 maiores comerciantes internacionais de algodão.

Continue lendo

Cidades

Detran adequa sistema de Habilitação para emissão do novo modelo de CNH

Publicado

O Departamento Estadual de Trânsito do Espírito Santo (Detran|ES) informa que, devido à necessidade de parametrizar o sistema para expedição do novo modelo da Carteira Nacional de Habilitação (CNH), o sistema de Habilitação ficará paralisado temporariamente para o serviço de triagem de processo de Habilitação e não haverá emissão de Carteira Nacional de Habilitação (CNH) entre os dias 26 e 31 de maio em todo o Estado.  

A parada temporária é necessária para a adequação do sistema do órgão com a gráfica que emite o documento no Estado e realização de testes para a adoção do novo modelo da CNH a partir no dia 1º de junho de 2022, conforme estabelecido pela Resolução Nº 886, do Conselho Nacional de Trânsito (Contran). 

A medida não afeta a abertura de novos processos de Habilitação e a aplicação de exames teóricos e práticos, que serão feitos normalmente no período de parada programada. 

Os condutores que abrirem processos de Habilitação entre os dias 26 e 31 de maio terão a CNH emitida já no novo modelo a partir do dia 1º de junho de 2022, assim como poderão baixar a Carteira Nacional de Habilitação Eletrônica (CNH-e) no mesmo formato no aplicativo Carteira Digital de Trânsito (CDT) a partir dessa data. 

Leia mais:  Governo do Estado entrega cestas básicas para empreendedores do samba

Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana