conecte-se conosco


Entretenimento

Qual o risco de não desativar o WhatsApp de uma linha de celular cancelada?

Blog também responde dúvida sobre ativação de chip para outra pessoa que vive no exterior.

Publicado

Conta do WhatsApp perdida após chip desativado

Minha esposa tem o WhatsApp cadastrado em um chip pré-pago, que ela usa mais no Wi-Fi em casa. Ela não colocou mais créditos no chip, e a operadora cancelou a linha, mas minha esposa continuou usando o WhatsApp no Wi-Fi.

Ontem, quando mandei uma mensagem pra ela, a conta do Whatsapp já estava com outra pessoa. Segundo essa pessoa, ela comprou o chip novo com o mesmo número que a operadora tinha cancelado da minha esposa, cadastrou o WhatsApp e ficou com todos os contatos da minha esposa. Acho que a operadora ou o WhatsApp falharam. De quem é a falha? – Pacífico Guerra.

Essa é uma questão bastante complexa. Em resumo, a falha é da sua esposa que deixou a linha ser cancelada sem também cancelar a conta do WhatsApp. Mas, dependendo dos prazos envolvidos, o processo pode ter sido irregular.

O WhatsApp utiliza o número de celular como “usuário”. Logo, se você perdeu a linha, você deve cancelar (apagar) a conta do WhatsApp para garantir que nenhuma informação – como mensagens de grupos, por exemplo – seja passada a outra pessoa.

Quem está trocando a linha e migrando para um novo número deve utilizar a opção “Mudar número” para que a conta seja transferida ao novo número.

Função 'Mudar número' do WhatsApp transfere grupos e outras informações para migrar sua conta em caso de mudança de número de telefone — Foto: ReproduçãoFunção 'Mudar número' do WhatsApp transfere grupos e outras informações para migrar sua conta em caso de mudança de número de telefone — Foto: Reprodução

Função ‘Mudar número’ do WhatsApp transfere grupos e outras informações para migrar sua conta em caso de mudança de número de telefone — Foto: Reprodução

O WhatsApp deve apagar uma conta automaticamente se ela permanecer inativa por mais de 30 dias, mas, como sua esposa continuou usando o WhatsApp após perder a linha, não houve tempo para que a remoção automática da conta fosse acionada antes de outra pessoa ser autorizada a utilizar o mesmo número de telefone.

É claro que, se o uso do WhatsApp não for interrompido nesse período, a desvinculação não ocorrerá.

As combinações de números de telefone são limitadas. Como não existe nenhum compromisso de longo prazo para permanecer com uma linha, especialmente no serviço pré-pago, é normal que a linha seja reaproveitada e cedida a outra pessoa após o fim dos prazos legais.

Em serviços on-line de maneira geral, o “usuário” é quase sempre o endereço de e-mail. Alguns provedores de e-mail, como o Google, não reciclam endereços de usuários inativos. Outros provedores, como o Yahoo e a Microsoft, no entanto, podem ceder o endereço a novos usuários.

Contas “abandonadas” são um problema não só para quem as perde, mas também para quem as obtém. No caso de números de celular, quem pega um número “reciclado” pode receber diversas chamadas – inclusive de cobranças – direcionadas ao antigo dono da linha. No e-mail, você pode acabar recebendo spam e informativos.

Ou seja, embora quem abandona uma conta ou número seja responsável por minimizar o impacto desse processo – tanto para si como para quem vai pegar o e-mail ou número no futuro –, essa ainda é uma questão delicada.

WhatsApp pode ser ativado em qualquer telefone, desde que o código correto recebido por SMS seja fornecido. Mas é preciso ficar atento para não ser envolvido na má conduta de outras pessoas.  — Foto: Petr Kratochvil/CC Public DomainWhatsApp pode ser ativado em qualquer telefone, desde que o código correto recebido por SMS seja fornecido. Mas é preciso ficar atento para não ser envolvido na má conduta de outras pessoas.  — Foto: Petr Kratochvil/CC Public Domain

WhatsApp pode ser ativado em qualquer telefone, desde que o código correto recebido por SMS seja fornecido. Mas é preciso ficar atento para não ser envolvido na má conduta de outras pessoas. — Foto: Petr Kratochvil/CC Public Domain

Qual o risco de autorizar o WhatsApp para terceiros?

Um amigo que mora em Dubai me pediu para comprar um chip aqui no Brasil, pois ele quer usar o aplicativo com número daqui. Ele me explicou que eu só preciso comprar um chip desbloqueado e enviar o código pra ele assim que instalar no meu celular. Ele disse que depois posso voltar a usar o meu chip normalmente. Gostaria de saber se isso oferece algum risco de clonagem do meu celular e das informações contidas nele. – Morgana.

Leia mais:  Músico do Demônios da Garoa, Izael Caldeira morre de Covid-19 em SP

Esse procedimento não oferece nenhum risco técnico para o seu celular ou seus dados, Morgana. Mas a operação não está livre de riscos.

É preciso se atentar sobretudo para possíveis problemas legais. Caso ele pratique algum crime ou outra ilegalidade usando esse número, é importante que o número esteja cadastrado no nome dele, e não no seu.

Caso isso não seja possível, a linha ficará em seu nome e qualquer uso indevido do aplicativo pode criar complicações para você: quando a operadora for obrigada pela Justiça a ceder os dados cadastrais da linha, esses dados serão seus.

Não consigo imaginar nenhuma vantagem ou legitimidade no uso de um número de WhatsApp de outro país, ainda mais por alguém que não viaja regularmente para aquele país e não tem condições de adquirir uma linha pessoalmente. Sem a posse do chip, não é possível receber torpedos SMS e chamadas, o que torna a linha ainda mais ilegítima.

Por fim, confira a pergunta respondida acima. Como você vai cadastrar um chip para o seu amigo, ele deverá realizar recargas periódicas nesse número para não perder a linha. Do contrário, outra pessoa pode acabar comprando um chip quando o número for reaproveitado. E ele vai perder a conta no aplicativo.

Pense muito bem se você confia nessa pessoa e nas razões para ativar o número brasileiro. Se as razões forem válidas e a pessoa for de confiança, você não terá problemas. Mas a dúvida que você enviou já mostra que você está com alguma desconfiança – e, nesse caso, é melhor não prosseguir.

publicidade

Entretenimento

Após muita polêmica, chegou ao fim o casamento de Medina e Yasmin

Publicado

O casal arrumou muita briga com a família dele

Depois de muita polêmica chegou ao fim a linda história de amor entre Gabriel Medina e Yasmin Brunet. O casamento, que aconteceu de forma discreta no fim de 2020, acabou.

Medina e YasminOs dois já estão vivendo em casas separadas.

A assessoria de Yasmin confirmou o fim da relação!

O relacionamento dos dois causou briga na família do surfista. Simone Medina e o marido, Charles Saldanha, padrasto de Gabriel, cortaram relações com o atleta meses após ele assumir o romance com Yasmin. O surfista diminuiu o repasse mensal que dava à família e cedeu a Simone imóveis avaliados em milhões de reais. Ela foi proibida de explorar comercialmente a imagem do filho, fechou o Instituto Gabriel Medina e pôs à venda o prédio que o abrigava.

Amigos próximos dizem que Gabriel não está nada bem psicologicamente e que o afastamento dele do mundial de surf tem também relação com o final do casamento.

Leia mais:  Renata Banhara luta contra tumor após infecção grave no cérebro
Continue lendo

Entretenimento

“Bloqueado”: Gusttavo Lima é processado por donos de celulares

Publicado

Hit de cantor que cita número de telefone tem causado problemas para proprietários da linha

O que você faria se Gusttavo Lima lançasse uma música cantando o seu número de celular? Pior: se a música atingisse a marca de 40 milhões de visualizações só no YouTube?

Pois o sertanejo está sendo alvo de alguns processos por conta justamente do hit “Bloqueado”. 

Proprietários da linha telefônica citada na música dizem não aguentar mais ligações, mensagens e trotes após o lançamento do cantor, e resolveram apelar para Justiça. Sim, mesmo sem falar o DDD do número na canção e nem ser o compositor da música,  Gusttavo está sendo processado por pessoas que tem o mesmo número de telefone da sofrência que está estourada em todo o país.

Como a canção não cita um DDD específico, diversos brasileiros podem ser donos do mesmo número. Há confusões na Justiça envolvendo proprietários de linhas telefônicas no Mato Grosso, Rio de Janeiro e Minas.

O número em questão é citado no trecho “99…, olha eu recaindo outra vez. Lembrei que tô bloqueado, é muita raiva misturada com tristeza”…

Há quem alegue que chega a receber mais de 2 mil mensagens por dia desde o lançamento da música, isso sem contar as ligações. Os envolvidos também dizem que não podem trocar o número telefônico pois usam a linha para trabalho, o que atrapalharia ainda mais a vida deles e traria prejuízos.

Na maioria dos casos, os proprietários das linhas telefônicas pedem indenização por danos morais.

Leia mais:  Viúva de Gugu vai à Justiça para ser reconhecida como herdeira: 'Nunca tive outro homem'
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana