conecte-se conosco


Segurança

Quase 16 mil celulares foram roubados ou furtados no ES no ano passado

Publicado

No Brasil, em 2020, o número de celulares roubados ou furtados ultrapassou a marca de um milhão

Um problema que, mesmo com a pandemia, continua fazendo vítimas em todo o Brasil, tem dado dor de cabeça aos capixabas. Os registros de roubos e furtos de celulares no ano de 2020 atingiu a marca de 1.400.000 em todo o Brasil. Só no Espírito Santo esse número chegou a 15.500 durante o ano, uma média aproximada de 44 celulares por dia.

Uma dessas vítimas foi uma empregada doméstica que entrou para as estatísticas. Ela teve o celular roubado às cinco horas da manhã no bairro Aribiri, em Vila Velha. Tudo aconteceu enquanto ela estava no ponto de ônibus indo para o trabalho.

A mulher prefere não se identificar, mas ela contou que quando estava no ponto de ônibus, dois criminosos chegaram a bordo de uma moto vermelha e além do celular, a dupla levou todos os pertences da diarista.

“Eles passaram de moto e um começou conversar entre eles perguntando se ‘era por ali ou não’ aí eles retornaram, chegaram perto de mim e me encurralaram puxando a bolsa”, relembrou a vítima.

A vítima ainda conta que após o crime, a neta dela chegou a telefonar para o aparelho roubado, ela conversou com os assaltantes que ficaram bravos e disseram para não serem perturbados. Sendo assim, a única alternativa foi fazer o bloqueio do aparelho para impedir que ele seja utilizado por outra pessoa.

Problema repetido

Há alguns anos, o filho desta mesma diarista também se tornou vítima da criminalidade e teve o celular roubado. “Os três foram do fundo do ônibus para o meio do ônibus e o primeiro já botou a 12 na minha cabeça pedindo para eu tirar o celular da cintura e depois foram fazendo a limpa no resto do ônibus”, contou.

De acordo com o coordenador da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), Rafael Araújo, a pandemia teve forte influência para a queda nos registros de roubos e furtos a celulares. Ele ainda explicou que a agência conta com uma ferramenta que detecta quando algum aparelho é adulterado.

“No momento em que o celular é adulterado por um meio inválido ele já é detectado na rede e começa a receber mensagens SMS avisando que o celular está em desconformidades com a lei e que ele vai ser bloqueado então se não conseguir sanar essa adulteração, o aparelho será bloqueado. Trata-se de um mecanismo automático e não é solicitado pelo usuário”, explica.

O delegado Marcelo Nolasco faz um alerta sobre pessoas que compram aparelhos celulares sem saber a real procedência e lembra que a receptação de produtos roubados é crime.

“Quando você compra um celular, por um site, em uma praça de um desconhecido e esse celular está sendo vendido para você sem caixa, sem fone de ouvido, preço baixo, você deve imaginar que aquilo ali é ilícito. Isso configura um crime de receptação chamada de culposa onde essa pessoa é responsabilizada criminalmente com uma pena reduzida”, disse.

Leia mais:  BPMA apreende 500 metros lineares de rede de espera na Lagoa Juara
publicidade

Segurança

Hacker suspeito de criar vírus que controla celulares é preso no ES com R$ 7,2 milhões em casa

Publicado

O suspeito foi solto após pagar uma fiança no valor de R$ 110 mil

Um homem de 32 anos suspeito de liderar uma quadrilha responsável por fraudes bancárias, e considerado um dos maiores hackers do Brasil, foi preso no início do mês pela Polícia Federal em um condomínio de luxo localizado em Cachoeiro do Itapemirim, no Espírito Santo. Segundo informações passadas pela PF, o homem era responsável por um vírus que oferece ao invasor controle total sobre os smartphones por meio de acesso remoto.

De acordo com a Folha de São Paulo, os agentes apreenderam a maior quantia em espécie da história da PF no combate a fraudes bancárias. Foram encontrados na casa do suspeito, R$ 7,2 milhões, separados em bolos de notas de R$ 100 e de R$ 50. No local, os agentes também descobriram 1 kg de ouro em barras.

Para a polícia o dinheiro encontrado na casa do suspeito faz parte dos esquemas de invasões a celulares. O suspeito estava sob o radar da Polícia Federal desde maio de 2015.  O programador foi solto após pagar fiança no valor de R$ 110 mil.

Leia mais:  Presos confeccionam máscaras de tecido para prevenção ao COVID-19

Continue lendo

Segurança

Polícia prende principal suspeito do assassinato do diretor do Sine de Nova Venécia

Publicado

A Polícia Civil, com o apoio do serviço de inteligência do segundo batalhão da Polícia Militar de Nova Venécia, conseguiu localizar e prender o principal suspeito de assassinar o diretor do Sistema Nacional de Emprego (Sine) de Nova Venécia, Dionízio Gonzaga de Oliveira, de 42 anos.
  
O delegado de Polícia Civil de Nova Venécia, William Dobrovosk Simonelli Daniel, titular da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa, confirmou a prisão. De acordo com informações, o assassino é acusado de cometer outros homicídios e reside no município de Pinheiros. Entretanto, ele estava escondido na cidade de Boa Esperança.
O suspeito será encaminhado para a 17ª Delegacia Regional de Nova Venécia, onde será ouvido. A Polícia Civil deverá conceder uma entrevista coletiva ainda na tarde desta sexta-feira (26), para falar sobre o caso.

Leia mais:  Polícia identifica suspeito de enviar ameaças ao Secretário de Segurança Pública do ES
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana