conecte-se conosco


Política e Governo

Rede Inova Café desenvolve pesquisas para maior qualidade e produção no Estado

Publicado

O desenvolvimento progressivo e duradouro da atividade cafeeira no Espírito Santo e o maior controle da qualidade dos cafés são os principais objetivos da Rede Inova Café. Criada pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Agricultura, Abastecimento, Aquicultura e Pesca (Seag), a Rede é coordenada pelo Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper) e é também composta pela Universidade Federal do Espírito Santo (UFES), Universidade Vila Velha (UVV) e pesquisadores da Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro (UENF). 

 A Rede Inova Café é composta por nove projetos de pesquisa, com o total de 53 pesquisadores envolvidos, sendo constituída por três eixos interconectados: Boas práticas e manejo; Absorção, efeitos e degradação; e Transferência de tecnologia. Os estudos realizados pela Rede desenvolvem metodologias para o maior controle de plantas daninhas no cafeeiro, além de entender o metabolismo que ocorre nas plantas. As pesquisas são desenvolvidas com o propósito de difundir o conhecimento científico e a capacitação de técnicas de manejo em campo entre cafeicultores e seus grupos associativos. O financiamento das pesquisas, no total de R$ 2,6 milhões, é realizado pela Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Espírito Santo (Fapes), somado com o patrocínio da Nescafé. 

 Um dos fatores que mais afeta o rendimento do café é a ocorrência das plantas daninhas. Elas ocorrem no ambiente agrícola competindo com as culturas de valor econômico, como no caso do café, e afetam diretamente a sua produtividade e depreciam a qualidade final do produto, além de elevar o custo da produção, dificultar a colheita e servirem de hospedagem para pragas e doenças.

 Os projetos de pesquisa estudam e avaliam os níveis de resíduos dos herbicidas, usados no controle das plantas daninhas, a fim de fornecer evidências objetivas dos impactos nos grãos do café. A Rede tem ainda o objetivo identificar boas práticas agrícolas para o manejo adequado dos defensivos agrícolas nas lavouras cafeeiras do Estado e criar novas tecnologias para serem transferidas diretamente ao produtor capixaba. 

Transferência de tecnologia e conhecimento

Entre as metas da Rede está a realização de capacitações e treinamentos com os extensionistas do Incaper e técnicos de instituições parceiras a respeito das tecnologias geradas pelas pesquisas científicas. Dentre os nove projetos que compõem a Rede Inova Café, dois são coordenados por pesquisadores do Incaper.

 “A Rede aproxima o conhecimento científico gerado pelas pesquisas às necessidades dos agricultores familiares do Estado. Por isso, as principais ações de transferência de tecnologia e conhecimentos gerados através da Rede são coordenadas e executadas pelo Incaper”, disse o diretor presidente do Incaper, Antônio Machado. 

 “A partir do conjunto integrado da pesquisa com a disseminação das informações, além da parceria do sistema agrícola com as instituições, não tenho dúvidas que a qualidade do café, produto de uma das mais importantes atividades agrícolas do Estado, será superior este ano, proporcionando o aumento da produtividade, gerando emprego e renda para os produtores capixabas”, afirmou o secretário de Estado da Agricultura, Abastecimento, Aquicultura e Pesca, Paulo Foletto.

 A diretora técnica do Incaper, Sheila Posse, destacou que a integração dos serviços de Pesquisa e Assistência Técnica favorece uma verdadeira revolução na geração e difusão de tecnologias, uma vez que possibilita uma maior celeridade no processo de transferência de tecnologia. A diretora é pesquisadora e coordenadora do projeto intitulado “Capacitação, treinamento e transferência de tecnologia e inovação para o setor produtivo da cadeia do café capixaba quanto ao uso racional de herbicidas nas lavouras”.

Vídeos para capacitação de cafeicultores

O primeiro objetivo do projeto da pesquisadora é realizar uma campanha de conscientização com os técnicos e cafeicultores sobre a importância da qualidade da pulverização e boas práticas na aplicação de defensivos agrícolas, seguindo rigorosamente a dosagem recomendada, o tipo de bico, época de aplicação, regulagem e calibração dos equipamentos, dentre outras tecnologias de aplicação de defensivos recomendadas.

 Para atingir a meta, serão divulgados, neste mês de março, vídeos técnicos no canal do Incaper, no YouTube, que irão alertar os cafeicultores sobre as boas práticas de aplicação dos defensivos agrícolas. Posteriormente, também serão veiculados materiais gráficos em formato de folders e cartilhas impressas e na forma digital, para os cafeicultores capixabas. 

“Como forma de difusão de todas as informações geradas nessa Rede, o cafeicultor capixaba acompanhará uma série de vídeos técnicos que o auxiliarão no melhor manejo e convivência com essas plantas daninhas”, informou Sheila Posse.

Controle de plantas daninhas no cafeeiro

O coordenador de cafeicultura do Incaper, Abraão Carlos Verdin, coordena o projeto da Rede com o título: “Épocas de aplicação de herbicidas e princípios ativos no controle de plantas daninhas em cafeeiros”. O projeto consiste em verificar o manejo adequado de plantas daninhas nos cafeeiros a partir de diferentes épocas. A pesquisa também tem como propósito reduzir o uso de defensivos agrícolas ou apresentar resultados de inovação com substitutos e, até mesmo, criar alternativas viáveis de baixo custo aos produtores rurais.

Os estudos do projeto estão sendo desenvolvidos nas Fazendas Experimentais do Incaper em Marilândia e Venda Nova do Imigrante e em uma propriedade rural em Castelo. Os aspectos biométricos, fisiológicos, nutricionais e produtivos das plantas em lavouras de café serão avaliados em laboratórios do Incaper, Ufes, UVV e UENF. Posteriormente, outros estudos realizados pela Rede irão se completar ao projeto do pesquisador para reunir as informações de aspectos dos manejo, fisiologia e química dos grãos. 

“Estamos realizando levantamentos do uso de herbicidas em diferentes períodos e ambientes para serem feitas coletas de amostras para análises químicas. Com essas informações será possível verificar se o uso de defensivos causa efeitos sobre o metabolismo secundário do café, além de fornecer evidências objetivas dos impactos nos grãos de café”, explicou Abraão Carlos Verdin.

Desenvolvimento dos projetos de pesquisa

Os projetos de pesquisa da pela Rede Inova Café, coordenados pela UFES e UVV, estão em desenvolvimento e têm prazo de vigência até 2022. As expectativas são que os conhecimentos sobre as pesquisas científicas comecem a ser difundidos ainda neste ano de 2021, assim como a primeira meta do projeto de transferência de tecnologia.

“Nos últimos anos a capina manual nas lavouras de café deixaram basicamente de existir, passando quase que exclusivamente para a capina química com herbicidas. Os resultados da Rede visam a difundir o manejo adequado das plantas daninhas na lavoura do cafeeiro. As pesquisas estão buscando ainda identificar as boas práticas e manejo das plantas daninhas e conhecer os mecanismos de absorção, degradação e os efeitos dos herbicidas na produtividade e qualidade final da bebida do café”, completou a diretora técnica.

Leia mais:  Seag divulga resultado da avaliação dos pedidos de recurso do Funsaf
publicidade

Política e Governo

E-commerce de móveis e decoração anuncia implantação de centro de distribuição no Estado

Publicado

O governador de Estado, Renato Casagrande, se reuniu, nesta sexta-feira (23), por meio de videoconferência, com representantes da MadeiraMadeira, maior loja on-line de móveis e decoração da América Latina. A empresa anunciou investimento da ordem de R$ 10 milhões na construção de um centro de distribuição, no TIM´s, no município da Serra.

A empresa tem planos de expansão da malha logística pelo Brasil e escolheu o Estado para instalar sua operação. O investimento se trata de um Fullfillment com área de 17.700 metros quadrados, que é um centro de distribuição com maior proporção. A estimativa é a geração de 120 vagas de empregos diretos e outras 100 de forma indireta.

Para o governador Casagrande, a notícia da chegada da empresa é bem-vinda para os capixabas e para o Governo. “Estamos felizes com os planos da MadeiraMadeira em investir no Estado com o centro de distribuição. Desejo que a empresa se sinta acolhida pelos capixabas e pelo Governo do Estado também. O Espírito Santo é um estado que tem condições institucionais boas, temos capacidade de investimento e para receber investimento também. Temos o prazer de receber quem tem interesse em se instalar e expandir negócios aqui. Inovação é um assunto que nos interessa muito e estamos criando todas as condições para que tenhamos um ambiente favorável no Estado”, disse.

O secretário de Estado de Inovação e Desenvolvimento, Tyago Hoffmann, destacou que o Governo vem investindo em inovação e que a MadeiraMadeira pode futuramente contribuir e compartilhar sua expertise com os capixabas.

“A notícia da implantação do centro de distribuição confirma que estamos no caminho certo e a geração de empregos para os capixabas é extremamente importante para nós. O investimento está intimamente ligado à inovação, porque a MadeiraMadeira surgiu no mercado como uma startup e hoje é um case de sucesso. Trabalhamos firmemente sob o comando responsável do governador Renato Casagrande para que pudéssemos superar os desafios da pandemia, amenizando seus efeitos sobre a economia e conseguimos. Agora, nossa meta é apostar na inovação, olhar para frente e trilhar o caminho do desenvolvimento sempre com ações planejadas, como temos feito”, afirmou Hoffmann.

Segundo o co-fundador da MadeiraMadeira, Marcelo Scandia, além do fullfillment a empresa possui as guideshop, loja física com uma unidade aberta em Vila Velha, e que até o mês agosto será inaugurada outra unidade também no município. “Somos um e-commerce e marketingplace, trabalhamos com um modelo híbrido para oferecer melhores e mais opções produtos para os clientes. Com a instalação de um centro de distribuição no Estado, nossa intenção é estar mais próximo do público consumidor e atender parte de Minas Gerais e do Nordeste. A operação de instalação no TIM´s deve ter duração de dois meses”, explicou.

Sobre a empresa

Ao longo de 2020, a MadeiraMadeira, criada há cerca de 10 anos, triplicou o número de centros de distribuição, para os 15 atuais. Entre eles, um em Jundiaí (SP), com o qual faz entregas com prazo de um dia na Grande São Paulo. Outros centros deverão ser abertos ao longo deste ano.

A plataforma pretende ampliar a prateleira de produtos de marca própria, hoje com cerca de 400 itens, expandir a rede de lojas físicas. Atualmente, a empresa tem cerca de dois mil funcionários.

Leia mais:  Evair de Melo assume vice-liderança do governo na Câmara
Continue lendo

Política e Governo

Desenvolvimento das regiões norte e noroeste capixaba foi tema de evento com empresários e lideranças locais em Colatina

Publicado

A promoção do desenvolvimento em todas as regiões do território capixaba é um dos pilares do Governo do Estado, que, por meio da Secretaria de Estado de Inovação e Desenvolvimento (Sectides), coloca em prática um modelo de atração de investimentos, investe em qualificação profissional e na oferta de crédito para empreendedores, entre outros programas. Esses foram alguns dos assuntos tratados nessa quinta-feira (22), no auditório do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), em Colatina, por representantes da Sectides, durante evento com empresários e lideranças locais das regiões norte e noroeste.

No encontro, o secretário de Estado de Inovação e Desenvolvimento, Tyago Hoffmann, salientou o trabalho intenso do Governo do Estado para amenizar os impactos da pandemia do novo Coronavírus (Covid-19), de modo a preservar vidas e não prejudicar o desenvolvimento. 

“Vimos cenas em outros estados e em outros países de pessoas perdendo a vida, devido à falta de respiradores. Mas, aqui, fizemos um trabalho de enfrentamento muito relevante, muito importante para os capixabas, para que pudéssemos superar dias difíceis e ultrapassarmos este momento. Espero que de agora em diante possamos só olhar para frente e retomar as atividades econômicas. E por que digo isso? Porque o Estado é, sem sombra de dúvida, o com o melhor ambiente de negócios do Brasil. Conseguimos reunir o poder público, instituições representativas do setor privado, academia e setor empresarial para discutirmos os problemas, as soluções e as oportunidades de maneira republicana e, juntos, fazer o Estado ir para frente. Seguimos esta orientação do governador Renato Casagrande para que os capixabas tenham um Estado forte e equilibrado”, pontuou o secretário.

O diretor-presidente do Banco de Desenvolvimento do Espírito Santo (Bandes), Munir Abud de Oliveira, frisou a importância da concessão de crédito com condições facilitadas para a manutenção de empregos e apoio aos empreendedores para evitar maiores prejuízos à economia e ao desenvolvimento. “Estamos a conceder o crédito da forma mais simples possível, para que se possa atingir o maior número de empresas e, de fato, chegar à ponta daquele empreendedor que precise. Isso foi premissa máxima a nortear o trabalho do Bandes e entendemos que é crucial para fomentar a recuperação econômica do nosso Estado”, frisou.

“Temos aqui uma missão muito ampla que vamos trabalhar para a retomada econômica pós-pandemia. O Governo do Estado é o braço forte junto aos nossos municípios e junto às nossas instituições. Quanto ao desenvolvimento, temos uma dificuldade no País e no nosso Estado. Não é diferente com relação à qualificação profissional. Enquanto eu for parlamentar, quero trabalhar para encurtar esta distância entre os municípios e as instituições para ampliar a capacitação profissional. Este é o primeiro passo para a retomada econômica”, disse o deputado federal Josias Da Vitória.

Leia mais:  Governo do Estado apresenta medidas econômicas para manutenção de empregos durante enfrentamento à Covid-19
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana