conecte-se conosco


Entretenimento

Repórter da Record descobre que está infectada com covid-19 ao vivo

Publicado

Por essa, Kelly Borges, repórter da Record TV, não esperava. A jornalista descobriu que estar infectada com o novo coronavírus, durante uma reportagem ao vivo no Balanço Geral Joinville, que foi ao ar na última segunda-feira, 15.

Junto com a equipe técnica, a profissional mostrava ao público como era simples fazer o ‘teste rápido’ da covid-19, disponível para a população até em terminais de ônibus. Trata-se de um exame com metodologia imunocromatográfica, que gera uma cor diferenciada após reagir quimicamente com antígeno (substância estranha ao organismo) e o anticorpo (elemento de defesa).

Kelly se submeteu ao teste para mostrar o passo a passo do exame, que colhe uma pequena amostra de sangue do dedo do paciente. Contudo, o que ela não imaginava, é que o resultado – revelado 30 minutos depois – era positivo.

O telejornal, então, não retomou o contato com a repórter depois que ela soube do resultado, e contou o desfecho da história no dia seguinte, explicando o sumiço da funcionária.

A NDTV tomou todas as providências para garantir o isolamento dela, conforme orientações dos profissionais de saúde. Desde o começo da pandemia, todas as pessoas que trabalham aqui cumprem medidas de restrição e normas”, garantiu a apresentadora Sabrina Aguiar.

Segundo o telejornal, após o resultado inesperado do exame, o cinegrafista e três outras profissionais que tiveram contato com Kelly foram submetidos ao teste, que deram negativo.

Já isolada em casa, a repórter comentou sobre o ocorrido: “[…] Quando eu sentei ali para fazer o exame, não imaginei mesmo [que testaria positivo], apesar de nós estarmos vivendo a pandemia […] Por ter tomado todos os cuidados, não imaginei que iria testar positivo”.

Leia mais:  Marília Mendonça sofre tentativa de golpe: 'R$ 12 mil no cartão'
publicidade

Entretenimento

Whindersson Nunes envia 217 cilindros de oxigênio a Manaus

Publicado

Engajado com os problemas da saúde no norte do Brasil, Whindersson Nunes compartilhou uma foto mostrando que enviou mais cilindros de oxigênio a Manaus, no Amazonas.

“Embarque de 217 cilindros feito hoje às 6h30, chegam hoje às 10h30 em Manaus. Já acordei suave, man”, postou o humorista. “Estamos engajados em salvar vidas”, completou.

Whindersson já havia iniciado as ações na semana passada. No sábado (16), ele mostrou que 60 respiradores seriam distribuídos em seis hospitais. “Mandei pra Manaus pra garantir que nenhum arrombado desvie os aparelhos, hoje em dia está difícil confiar”, postou.

A capital amazonense entrou em colapso em meio à pandemia do novo coronavírus por conta do aumento de pacientes infectados pela Covid-19. Até o balanço divulgado em 16 de janeiro, o Amazonas havia contabilizado 229.367 infectados e 6.123 mortes causadas pelo coronavírus.

Leia mais:  Angélica curte texto de jornalista com crítica ao programa 'Se Joga'
Continue lendo

Entretenimento

Companheira de Paulinho do Roupa Nova briga na Justiça por herança

Publicado

Elaine Soares Bastos Mendes entrou com ação solicitando reconhecimento de união estável com cantor, que morreu há pouco mais um mês; ela alega que os filhos do artista a deixaram de fora do inventário; Twigg, primogênita de Paulinho, afirma que não procede a alegação da ex-companheira do pai

A psicóloga e advogada Elaine Soares Bastos, de 52 anos, companheira de Paulinho, vocalista do grupo Roupa Nova que morreu há um mês e quatro dias depois de complicações da Covid-19, entrou na Justiça contra Twigg de Souza Santos e Pedro Paulo Castor dos Santos, filhos do músico, a fim de solicitar o reconhecimento de união estável com Paulinho. Elaine afirmou que os os dois não a incluíram no inventário sobre a questão da divisão de bens do vocalista do Roupa Nova. A notícia foi dada em primeira mão pelo portal Grande Tijuca, do Rio.

“Soube que eles abriram o inventário logo depois da morte do pai, no dia 16 de dezembro, na 7ª Vara da Comarca da capital, e não me incluíram. Desde o início, queria fazer tudo de forma consensual, não queria, nem quero, briga nem confusão. Vivi durante 16 anos com o Paulinho uma vida marital. Nosso acervo de fotos de viagens já mostra. A vida do Paulinho era eu e ele era a minha vida. Ele era totalmente dependente emocionalmente de mim e eu também dele”, afirmou.

Elaine afirmou que vivia para o músico, por quem era apaixonada. “O Paulinho me chamava de ‘namorada’. Sou dependente dele no IRPF desde 2006 e já dei entrada no INSS para ter direito à pensão. O que estou fazendo é uma regulamentação de união estável, mas os filhos dele estão dificultando porque querem que eu vá para a rua, virar mendiga”, afirmou.

A psicóloga disse estar extremamente abalada com a perda do companheiro e que está vivendo à base de remédios psiquiátricos. “Tudo o que fiz foi por amor e faria novamente. O Paulinho começou com o linfoma em 2017. Em agosto do ano passado, foi internado no CHN (hospital em Niterói) para fazer o transplante. Fiquei 33 dias com ele no hospital. Quando ele teve alta, pegou Covid-19. E eu também. A maior preocupação dele era como ia ficar o meu padrão de vida, ele queria montar algo para mim. Fiquei muito surpresa por não ter sido incluída no inventário porque não esperava. Fiquei 16 anos casada com ele. Estou vivendo o meu luto. Só saio de casa para ir ao psiquiatra e volto”, falou.

 

Leia mais:  Ronaldinho Gaúcho é detido no Paraguai por uso de documento falso
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana