conecte-se conosco


Últimas Noticias

Retirada do barramento em Linhares é concluída

Obras vão permitir a retomada do curso normal do rio Pequeno

Publicado

A Fundação Renova informa que foi concluída a retirada do barramento em Linhares, que vai permitir a retomada do curso normal do rio Pequeno, que liga a lagoa Juparanã ao rio Doce.

As intervenções começaram no dia 3 de dezembro e foram concluídas no último dia 16.

Por medida de precaução, a Fundação Renova orientou que as cinco famílias que estavam na avenida Beira-Rio deixassem suas casas na sexta-feira (13) por algumas horas até que o risco estivesse mitigado. Assim, elas puderam retornar em segurança para suas residências.

Como medida complementar de proteção, foi realizado um tratamento de ensacarias (com solo e cimento) próximo à primeira casa da avenida Beira-Rio.

Atualmente, com a retirada do barramento, o nível do rio Pequeno está em 6,93 metros e a vazão, em 40 metros cúbicos por segundo. O fluxo de água é considerado normal devido ao represamento de água no local, que está acima do nível do rio Doce. Essa situação é temporária e deve atingir um equilíbrio até o fim de janeiro de 2020.

Leia mais:  SECRETÁRIO E PRESIDENTE DO CONCIDADE EXPLICAM A VEREADORES REVISÃO DO PDM - URUSSUQUARA

Sobre o descomissionamento

O descomissionamento do barramento do rio Pequeno, em Linhares, foi realizado em cumprimento à decisão judicial proferida pela 12ª Vara Federal de Belo Horizonte (MG), que determinou a remoção da estrutura em duas etapas, após análises realizadas por empresas especializadas apontarem riscos estruturais.

A remoção do barramento aconteceu após a conclusão da primeira etapa de instalação da base da ensecadeira na parte jusante (abaixo) da estrutura, com a aprovação da Aecom, empresa que atua como perito judicial.

A ensecadeira é uma estrutura provisória que impede o contato das águas do rio Doce com a lagoa Juparanã. Caso o nível do rio Doce aumente, a ensecadeira será alteada (elevada).

A atuação da Fundação Renova para garantir a segurança das obras e das famílias em seu entorno é realizada por profissionais das áreas de Infraestrutura, Engenharia, Diálogo, Saúde, Proteção Social, Meio Ambiente, Segurança e Contingência.

Sobre a Fundação Renova

A Fundação Renova é uma entidade de direito privado, sem fins lucrativos, constituída com o exclusivo propósito de gerir e executar os programas e ações de reparação e compensação dos danos causados pelo rompimento da Barragem de Fundão.

Leia mais:  Inscrições para Nossa Bolsa 2020 começam na próxima quarta (05)

A Fundação foi estabelecida por meio de um Termo de Transação de Ajustamento de Conduta (TTAC), assinado entre Samarco, suas acionistas Vale e BHP, os governos federal e dos estados de Minas Gerais e do Espírito Santo, além de uma série de autarquias, fundações e institutos (como Ibama, Instituto Chico Mendes, Agência Nacional de Águas, Instituto Estadual de Florestas, Funai, Secretarias de Meio Ambiente, dentre outros), em março de 2016.

publicidade

Últimas Noticias

Mãe reencontra filho após mais de 10 anos em hospital de Cachoeiro

Publicado

Silvano Ote Aguiar está internado na Santa Casa há cerca de 100 dias, após sofrer um acidente de trânsito. Hospital conseguiu localizar a mãe, que mora em MG

Um momento de emoção e esperança. Após ficar 100 dias internado sem identificação na Santa Casa de Misericórdia de Cachoeiro de Itapemirim, no sul do estado, um paciente conseguiu reencontrar a mãe. O momento foi proporcionado após o hospital localizar a família. A mãe não tinha notícias do filho há mais de 10 anos.

O paciente Silvano Ote Aguiar deu entrada no hospital no dia 4 de janeiro, após sofrer um acidente de trânsito. Ele foi encontrado no município de Vargem Alta, também no sul do estado, sem documento e sem conseguir se comunicar.

Trabalho de busca

Antes da emoção, veio o trabalho duro. A enfermeira Gisele Queiroz foi a responsável pela busca dos familiares de Silvano. Ela conta que entrou em contato com as prefeituras depois que o paciente conseguiu informar o nome e sobrenome. A partir daí, as buscas foram direcionadas a municípios vizinhos e, depois de quase 60 dias, a mãe do paciente foi localizada.

“Eu não aceitava ele sair daqui sem ter a família por perto. Isso me motivou a iniciar a procura, junto com o Serviço Social, para devolver a identidade dele e entregá-lo para a família. Agora estou muito realizada e feliz”, contou a enfermeira.

A mãe do paciente, Marly Ote, mora em Minas Gerais e há mais de 10 anos não tinha notícias do filho. Após viajar mais de 9 horas de carro, o reencontro foi só emoção. Após ver o filho depois de tanto tempo, Marly contou que nem conseguiu dormir no dia anterior, de tanta ansiedade.

“Valeu a pena esperar e fazer essa viagem para encontrá-lo. Deus deu uma segunda chance para ele viver e agora vou levá-lo para casa, cuidar com muito amor e carinho”, disse.

Assim que saiu do hospital, a mãe de Silvano agradeceu o empenho de toda a equipe e o cuidado que tiveram com seu filho durante o período em que ficou internado.

“Lá na minha cidade já tinham dito que esse hospital é maravilhoso e que ele estava sendo muito bem cuidado aqui. O que quero é agradecer por tudo e desejar muita saúde para todos vocês”, afirmou.

Fonte: Folha Vitória.

Leia mais:  Salário de servidores do ES com reajuste de 3,5% cai na conta antes do Natal
Continue lendo

Cidades

Vira-lata salva avó e neto de ataque de pitbull em Guarapari e acaba ferido

Publicado

Chamado de Covid, por aparecer no bairro durante a pandemia, o cachorro ficou muito machucado e ficará com sequelas; avó e neto saíram ilesos

A máxima que fala que o “cachorro é o melhor amigo do homem” foi colocada a prova no bairro de Meaípe, em Guarapari, no mês de agosto. O vira lata Covid, nome adotado por ele ter aparecido no bairro durante a pandemia, enfrentou um pitbull para defender uma senhora e o neto que moram no local.

Covid é querido por todos e recebe cuidados dos moradores. “Ele foi abandonado na nossa rua, estava todo maltratado e tinha muito medo das pessoas. Meu esposo, Juarez Fernandes, passou a cuidar dele dando comida, atenção e carinho. Logo começou a se identificar com as pessoas da vizinhança”, contou Cleide Fernandes.

Há cerca de um mês, a vizinha de Cleide, Elida Nascimento, foi passear com o neto e o vira lata foi atrás. “Eles estavam indo pescar na lagoa, no caminho um pitbull da vizinhança fugiu e foi em direção deles para atacar. Por sorte Covid estava perto e não aconteceu uma tragédia. Ele foi para cima do cachorro e defendeu os dois até que um homem que passava ajudou a separar a briga e tocou o pitbull para longe”.

Após o ato heroico, Covid ficou muito machucado. O vira lata foi atacado no pescoço e na pata com mais intensidade. “Ele ficou com sequelas, o tendão foi atingido. Já levamos no veterinário e todo possível foi feito. Está bem, mas ficará mancando daqui para frente”

“Ele foi incrível, o que seria de mim e do meu neto, que é uma criança, se Covid não estivesse lá? Esse cachorro salvou nossas vidas, graças a Deus”, agradeceu Elida.

Leia mais:  Vira-lata salva avó e neto de ataque de pitbull em Guarapari e acaba ferido
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana