conecte-se conosco


Rumos da Política

Rumos da Política – 2ª Quinzena de Maio

Publicado

Por Paulo Borges

O circo armado no Senado

A CPI da Covid é o que chamamos de coisa inútil, palco para alguns malandros da política aparecerem em mídia nacional mostrando uma seriedade que não têm. Tudo comandado pelo cangaceiro Renan Calheiros (MDB-AL). Para quem tem a paciência de assistir as sessões da CPI, é preciso ter ao lado um arsenal de sal de frutas para combater a azia. Ouvir senadores inquirindo os depoentes apenas com intuito de humilhá-los e incriminar o presidente chega às raias da insanidade. Acho que o problema e o alvo das investigações deveriam pautar governadores e prefeitos para se explicarem o que fizeram com os repasses substanciais para o combate ao Covid-19.

A CPI nos deu a oportunidade de reencontrar velhos corruptos como Renan e Humberto Costa (PT-PE), além dos cínicos Randolfe Rodrigues (Rede-AP), Omar Aziz (PSD-AM) e Rogério Carvalho (PT-SE). Também apareceram para nos assustar, as múmias como Tasso Jereissati (PSDB-CE) e Otto Alencar (PSD-BA). E ainda tem um dos nossos senadores, o Contarato, que no café da manhã era situação e, ao se eleger virou oposição, enganando a maioria dos seus eleitores capixabas.

Mas nem tudo está perdido. Temos senadores como o Marcelo Rogério (DEM-RO), Eduardo Girão (Podemos-CE), Luiz Carlos Heinze (PP-RS) e Ciro Nogueira (PP-PI).

***

Impossível

Alguém em sã consciência pode respeitar um ex-presidente que comandou um dos maiores assaltos aos cofres públicos de todo o mundo? Um homem que mente descaradamente, é arrogante e ainda posa de bom moço enganando trouxas e a classe humilde? Lugar de bandido é na cadeia e é justamente lá que o Lula deveria sentar praça.

***

Inventário

Para todos aqueles que defendem o comunismo deveriam assumir de vez essa ideologia que não deu certo em lugar algum e só nivelou por baixo a sociedade, exceto seus líderes, que vivem nababescamente. No Brasil existem apenas os “comunistas gourmet”.

Curiosidade

Fala-se tanto nos filhos do presidente e o filho ajudante de zoológico do Lula que ficou bilionário, por onde anda? O STF nunca teve interesse em saber dele?

E por falar em STF, vale destacar que essa instituição importante, porém, composta por uma turma desqualificada, rasga a Constituição em vez de ser o seu guardião. Em atos monocráticos e inconstitucional, mantem dois jornalistas e um deputado preso por cometerem crimes que não há tipicidade constitucional. No entanto, mantem solto o Lula, condenado e um dos maiores chefes de um roubo monumental contra a Nação brasileira. E o Zé Dirceu e tantos outros? O Brasil não tem Suprema e nem Alta Corte com uma turma dessa como membros. Temos um baixa corte, de corte e costura política que se tornou cúmplice de malandros e bandidos já condenados e, por sua obra e desgraça estão livres, leves e soltos.

Leia mais:  Rumos da Política – 2ª Quinzena de Março
publicidade

Rumos da Política

Rumos da Política – 1ª quinzena de junho

Publicado

Por Paulo Borges

Sem rumo

O município de São Mateus padece de bons políticos. Parece que as melhores cabeças estão de fora do processo do desenvolvimento do município. Por omissão, desinteresse ou mesmo por opção do eleitorado que vem apostando em candidatos que mais aparecem na mídia do que mostram em capacidade e serviço prestado ao município.

Não vemos nenhum projeto de desenvolvimento, nenhuma ação empreendedora, de transformação em prol do progresso, da geração de emprego. Não há um terreno fértil preparado para abrigar projetos desenvolvimentista que tragam investimentos. O que se vê são projetos cobra d’água, solicitação de calçamento de ruas, de uma coisa aqui, outra acolá. Tudo que uma prefeitura tem obrigação de fazer. É o mesmo do mesmo. O que o município necessita é algo muito maior e nisso temos sidos menores. Não aparece ninguém para pensar a cidade, o município como um todo. Quando aparece, não consegue sensibilizar o eleitorado e, com isso, perdemos a oportunidade de avançarmos na busca da mudança, do progresso.

Somado a isso, temos os covardes, os que se escondem esperando alguém fazer por ele para depois aparecerem como o paladino da sabedoria, do conhecimento e que vai resolver todos os nossos problemas. Passa todo o tempo atrás da bomba. Como forjar um líder de verdade? Todas as nossas esperanças se esvaíram.

Ainda somado a isso, o papel das igrejas, algumas, evidentemente, vendem moralidade, pregam a justiça a postura ética e cristã e, no entanto, acabam por se juntar àquele que pode lhe oferecer vantagens. Normalmente vantagens aos seus líderes e não aos fiéis. Vimos algumas dessas designações “cantarem em louvores” que não se envolvem em política e, no entanto, apoiaram candidaturas que não podemos dizer que são sérias. Infelizmente.

E os poderes constituídos? Isso não vale quando se fala em fazer a coisa séria. Costumam estar no mesmo balaio do oportunismo, da omissão, da bajulação.

No próximo ano teremos eleições. Vamos assistir muita coisa que não desejamos. Cabe uma mobilização para evitar o pior. A fraude está na pauta… Voto impresso já é um dos antídotos.

***

A vacinação em São Mateus tem sido organizada. Os problemas são pontuais, mas existe uma organização e bom atendimento. Os esforços são louváveis.

***

Ainda nessa linha, temos a afirmar que os servidores municipais da Prefeitura de São Mateus são gentis, prestativos e sempre procuram atender e resolver as demandas que chegam e que estão ao seu alcance. A questão política fica na cúpula. O corpo que faz a municipalidade funcionar não tem coloração política. Tem serviço a prestar a sociedade.

***

Vale a pena lembrar aos “nobres” vereadores que ser aliado não é o mesmo que ser submisso. A Câmara é um poder independente e o seu presidente tem o mesmo status de importância do chefe do Executivo. Aliás, tem até mais. Prefeito não cassa vereador, mas o inverso é fato.

***

Com relação a esse clamor da população para que se apure o que fizeram com grande parte dos recursos repassados pelo Governo Federal as prefeituras e estados, não se deve levar a sério a

CPI instalada no Senado, uma vez que o objetivo é apenas culpar o presidente. É inacreditável um Omar Aziz e Renan Calheiros inquirindo os depoentes. Deveria se apurar nos estados, através das assembleias legislativas e nos municípios já suspeitos de irregularidades, às câmaras municipais.

***

Ouvi dizer que não se deve votar em candidato de fora. Mas isso não é de hoje. Sou de opinião que só justifica votar em marciano quando este demonstra ter feito algo relevante para o município. Se isso não é fato, o de fora tem que ficar de fora. Em São Mateus temos bons nomes, basta o eleitor consciente buscar que vai encontrar. É procurar uma agulha no palheiro, mas acaba achando. Mesmo não sendo uma Brastemp.

***

O presidente da Câmara Municipal, vereador Paulo Fundão (PP), proferiu discurso alfinetando o ex-prefeito Amadeu Boroto e o ex-presidente do Legislativo, Carlos Alberto (PSB). Do ex-prefeito falou que ele mentiu ao dizer que ficaria quatro anos e acabou por ficar oito no mandato. Quanto ao ex-presidente, a denúncia foi que ele estava realizando reuniões políticas e definindo parceria para o próximo pleito. Nos dois casos não existe nenhuma irregularidade. Faz parte do universo político brasileiro. Onde todos mentem e muitos roubam usando o cargo como pano de fundo. De qualquer maneira, o atual presidente da Câmara vem procurando estabelecer diálogo com o Executivo e algumas realizações estão acontecendo, coisa que durante quatro anos o prefeito nada fez. Hoje existe uma unidade no Legislativo mateense, mas é preciso ter em conta que o sagrado dever de fiscalizar e legislar não encerra com essa unidade e apoio ao prefeito.

***

E por falar em fiscalizar, não seria o caso de o Legislativo levantar os gastos e aplicação dos recursos vindos da União para o combate ao coronavirus?

***

Caso aconteça mesmo a visita do presidente Bolsonaro a São Mateus, o cavalo do Laurinho Barbosa já está escovado, lustrado e, dizem, envernizado para conduzir o presidente por alguns metros. A ansiedade é grande. Do cavalo e da população.

***

O ex-senador Magno Malta, tem procurado sensibilizar o pastor Nilis Castberg (PL) a sair candidato a deputado federal nas eleições do próximo ano. Sem as coligações, é importante o fortalecimento das agremiações partidárias com a participação dos candidatos com alguma densidade eleitoral para que se faça legenda.

***

Quem também está buscando seu espaço para uma possível candidatura é o ex-vereador Carlos Alberto. Por enquanto ele está no PSB, mas já está fazendo as malas para mudar de partido. No PSB ele não está satisfeito faz muito tempo. Além disso, o partido tem no deputado estadual Freitas, um pré-candidato a federal, o mesmo interesse que tem Carlos Alberto. Para o ex-vereador, existe muito pré-candidato a estadual daí o seu desejo de tentar uma cadeira na Câmara dos Deputados e isso só pode ser feito em outra agremiação partidária. Pelo menos é o que ele acredita.

***

A fila de pré-candidatos a deputado estadual em São Mateus é extensa. Tem representante de todos os matizes e ideologias. Aliás, falar em ideologia em São Mateus é muito difícil. Não existe essa coloração muito definida. O que existe é um arco-íris. Tem pré-candidato de todas as cores.

***

O antigo Clube Ouro Negro, localizado no centro da cidade de São Mateus, está abandonado. A Justiça não decide o seu destino e as denúncias improbidades em diretorias passadas é grande. Algum tempo atrás levantei dados junto ao João Cabecinha, falecido recentemente, informações importantes sobre a situação do antigo clube e, com dados convincentes ele falou das barbaridades que foram feitas por pessoas que estiveram à frente daquela antiga instituição socioeducativa.

Leia mais:  Rumos da Política - 1ª Quinzena de Março
Continue lendo

Rumos da Política

Pinga-Fogo – 1ª Quinzena de Maio

Publicado

Por Zene Lagace

Estamos de olho

Muitos políticos de cidades do interior pensam que estão fora do raio de ação da imprensa. Por pensar assim é que agem de maneira pouco ortodoxa achando que seus maus feitos não serão descobertos e divulgados. São Mateus está nesse radar da imprensa séria, sem compromisso com camarilhas que só se preocupam em levar vantagens e para isso miram ascender ao poder político do seu município.

Em época de campanha fazem promessas e até se dizem oposição para depois se jogarem no colo do vencedor, numa clara traição aos eleitores que pensavam estar votando na oposição ao mandatário que venceu ou que se reelegeu. Depois quando sai nos jornais sua ação, reclamam, levantando princípios que, durante a campanha diziam ter. Poupe-nos!

====================================================================

Mudança?

O prefeito de São Mateus foi reeleito para um mandato de mais quatro anos. O morador do município tem visto movimentos, mas não tem ainda noção de qualquer mudança real em suas vidas. Ano que vem tem eleições e alguma coisa vai ser feita para garantir a eleição ou reeleição dos gafanhotos que costuma passar pelo município à caça de votos e do apoio aos que preferem votar no estranho do que no conhecido e comprometido com o município.

O paraíso é aqui.

A Polícia Federal tem investigado o desvio de recursos federais destinados ao combate ao coronavirus. Estados e municípios estão na mira e já existem relatos de crime. É possível que a CPI se interesse por isso. Será que a PF vai andar por São Mateus? Talvez não encontre nada, pois pelo histórico de impunidade local, aqui é um paraíso em que corrupção é apenas conversa de botequim. Viva nós!

Monitoramento

Quando se falou em monitorar ruas e avenidas da cidade de São Mateus, as manchetes tomaram com estardalhaço as páginas de jornais. Parece que ficou só nas páginas dos periódicos. O projeto está abandonado e a bandidagem vibra por não aparecer na telinha dos órgãos de vigilância. Estão no camarim fazendo a festa!

A ratoeira, o rato e o vereador

Logo que a sede da Câmara de Vereadores se transferiu do Porto para a antiga Aracruz Celulosa, no bairro Santo Antônio, alguns frequentadores estranharam a aparição de uns bichos silvestres. Chegou aos ouvidos do presidente da época que o vigia, que ficava na guarita de entrada da sede, costumava armar uma ratoeira que em vez de rato pegava alguns bichinhos desavisados.

O presidente tinha um assessor de imprensa que se caracterizava pela sua capacidade de criar cenários engraçados e que nem sempre era admirado, principalmente pelas suas vítimas.

Acontece, porém, que, certo dia, quando o presidente e seu assessor saíam juntos da Câmara, ele resolveu parar seu carro e perguntar ao vigia se a ratoeira já havia sido desativada. Ele disse ao presidente que sim, o que não era verdade. O assessor então saltou do carro e foi conferir. Voltou dizendo que a ratoeira estava ativa, desarmou e pegou um vereador, que estava lá agarrado. Ninguém achou graça da situação, até porque só poderia ser molecagem e gozação do assessor de imprensa. Afinal, em São Mateus político sempre foi sério e honestíssimo. Jamais seria ingênuo de se deixar aprisionar em uma ratoeira de fabricação caseira, Made in Sama.

Como castigo, o assessor passou a escrever sobre horóscopo, porque notícias relacionadas a política foram proibidas de serem divulgadas em releases oficiais.

EM TEMPO

• Será que vamos ter alguma novidade nos pretendentes a um cargo no legislativo? O eleitor reclama, mas continua apostando no mesmo dos mesmos.

• Por que ninguém perguntou ao Mandetta, quando da sua participação na CPI da Covid, sobre as consequências da sua orientação para que todos só procurassem os hospitais quando já estivesse com dificuldades de respirar?

• Os procedimentos adotados no Espírito Santo para o enfrentamento da Covid-19 nos presídios são exemplos de boa prática e ganharam destaque em publicação do Departamento Penitenciário Nacional (Depen), uma revista do órgão vinculado ao Ministério da Justiça e Segurança Pública. A experiência está relatada no dossiê “Saúde no sistema prisional: política pública, assistência à saúde e a pandemia do Covid-19”.

Leia mais:  Rumos da Política – 2ª Quinzena de Abril
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana