conecte-se conosco


Camisa 10

São Caetano desiste de disputar a Série D do Brasileiro

Clube alega que medida é para resguardar a saúde financeira em meio à pandemia

Publicado

O São Caetano anunciou nesta quarta-feira, em comunicado, que solicitou à Federação Paulista de Futebol que seja retirado da disputa da Série D do Campeonato Brasileiro. Segundo o clube do ABC, a medida é consequência da Covid-19, o novo coronavírus.

A Federação confirmou ao GloboEsporte.com a desistência do São Caetano.

Diz o comunicado do clube:

“Em virtude da pandemia do Covid-19, o São Caetano Futebol Ltda encaminhou ofício nesta quarta-feira, junto à Federação Paulista de Futebol (FPF), solicitando a sua desistência da Série D do Campeonato Brasileiro. Competição que estava programada para iniciar em maio.

Esta foi uma medida bastante pensada e extrema, que infelizmente precisou ser tomada, em decorrência dos problemas e todas as incertezas que envolvem o futebol brasileiro e o seu calendário de competições.

Queremos desta forma preservar a saúde financeira do clube em um momento de grande dificuldade para honrar compromissos já estabelecidos com jogadores, comissão técnica e todo o quadro de funcionários.”

São Caetano pede para não jogar a Série D

O São Caetano garantiu vaga como campeão da Copa Paulista do ano passado, tendo o XV de Piracibaba como vice, e pôde escolher entre uma vaga na Série D ou na Copa do Brasil. Preferiu a Série D, deixando o outro torneio para o XV. O terceiro colocado foi o Mirassol, que já está na Série D, e o quarto foi o EC São Bernardo, que joga a Série A3 paulista.

A Federação Paulista de Futebol disse ao GloboEsporte.com que definirá nesta quarta-feira quem tem direito à vaga e aí consultará o clube para saber se ele tem interesse.

O Azulão integra o Grupo 8 da competição nacional, ao lado de equipes do Sul do Brasil e de outro paulista, o Novorizontino. São 68 clubes participantes. Os quatro melhores sobem para a Série C.

O São Caetano, que já foi finalista do Brasileirão e da Libertadores, também está na Série A2 do Campeonato Paulista. A disputa está paralisada em função do novo coronavírus. Foram realizadas 12 rodadas, e o Azulão ocupa a sexta colocação.

publicidade

Camisa 10

Atlético-MG depende de tropeço do Flamengo para ser campeão nesta terça-feira; veja as contas

Publicado

Caso Flamengo não vença o Ceará, nesta noite, Galo garante o título nacional; vitória na quinta-feira, diante do Bahia, também faz o time mineiro assegurar o título, independentemente do rival

Na liderança do Brasileirão, a torcida do Atlético-MG pode soltar o grito de “É campeão” na noite desta terça-feira. Para isso o Galo depende de um tropeço do Flamengo diante do Ceará, no jogo de logo mais, às 20h (de Brasília), no Maracanã.

Com a vitória sobre o Fluminense, no último domingo, o Galo chegou a 78 pontos na ponta do Campeonato Brasileiro (confira a tabela atualizada). O time mineiro abriu 11 de vantagem para o Flamengo, que tem 67 e um jogo a menos.

Se não vencer o Ceará, o Flamengo poderá fazer no máximo 77 pontos, e o Atlético, primeiro colocado com 78, será o novo campeão nacional!

Caso o Flamengo derrote o Ceará, uma vitória do Atlético diante do Bahia, na próxima quinta-feira, ou em cima do Bragantino, no domingo, dia 5 de dezembro, no Mineirão, garante o título ao time mineiro, independentemente dos resultados do rival rubro-negro.

Ainda faltam três jogos para Atlético no Brasileirão 2021 (Bahia, Bragantino e Grêmio). Se somar mais dois pontos nessa reta final, o Galo chega a 80 e também assegura a conquista. Dessa forma, mesmo que o Flamengo vença as quatro partidas restantes, poderá atingir, no máximo, 79 pontos e não conseguiria superar o time mineiro.

Leia mais:  Jéssica Bate-Estaca desafia Valentina Shevchenko pelo cinturão
Continue lendo

Camisa 10

Messi vence 7ª Bola de Ouro e se iguala a Pelé como maior campeão

Publicado

Argentino do Paris Saint-Germain superou Lewandowski como o melhor jogador de 2021 em eleição da revista France Football

Sete vezes Lionel Messi. O argentino do Paris Saint-Germain recebeu nesta segunda-feira (29) a Bola de Ouro, prêmio concedido pela revista France Football, em evento realizado em Paris. Ele superou Robert Lewandowski, do Bayern de Munique, segundo lugar.

Como “prêmio de consolação”, o polonês venceu a disputa pelo título de atacante do ano. Ao todo, ele marcou 63 gols e deu dez assistências.

Jorginho, brasileiro naturalizado italiano, campeão da Eurocopa e também da Champions League com o Chelsea, ficou com a terceira posição. Fora ele, o brasileiro mais bem colocado foi Neymar, na 16ª posição. Pentacampeão da premiação, Cristiano Ronaldo ficou apenas na sexta posição.

Como não houve Bola de Ouro no ano passado, devido à pandemia de Covid-19, Messi havia sido o último vencedor, já que, em 2019, quando ainda jogava pelo Barcelona, ele conquistou a Bola de Ouro. O craque argentino, agora, se iguala a Pelé como o maior campeão do prêmio. Ele venceu em 2009, 2010, 2011, 2012, 2015, 2019 e 2021, enquanto o brasileiro foi eleito em 1958, 1959, 1960, 1961, 1963, 1965 e 1970, em prêmios entregues posteriormente, já que a France Football elegia apenas jogadores que atuavam na Europa na época.

Apesar de Messi não ter conquistado muitos títulos na atual temporada, pelo PSG e pelo Barcelona, pesou muito a sua grande atuação na Copa América, quando ele foi o grande responsável por encerrar um longo jejum de conquistas da Argentina. Ao todo, ele fez 41 gols e distribuiu 14 assistências.

Messi levou toda a família para a premiação

Vale lembrar que o prêmio não tem relação com o The Best, promovido pela Fifa.

Confira como ficou a lista final da Bola de Ouro em 2021:

1º Lionel Messi (Argentina/Paris Saint-Germain)
2º Robert Lewandowski (Polônia/Bayern de Munique)
3º Jorginho (Itália/Chelsea)
4º Karim Benzema (França/Real Madrid)
5º N’Golo Kanté (França/Chelsea)
6º Cristiano Ronaldo (Portugal/Manchester United)
7º Mohamed Salah (Egito/Liverpool)
8º Kevin De Bruyne (Bélgica/Manchester City)
9º Kylian Mbappé (França/Paris Saint-Germain)
10º Gianluigi Donnarumma (Itália/Paris Saint-Germain)
11º Erling Haaland (Noruega/Borussia Dortmund)
12º Romelu Lukaku (Bélgica/Chelsea)
13º Giorgio Chiellini (Itália/Juventus)
14º Leonardo Bonucci (Itália/Juventus)
15º Raheem Sterling (Inglaterra/Manchester City)
16º Neymar (Brasil/Paris Saint-Germain)
17º Luis Suárez (Uruguai/Atlético de Madrid)
18º Simon Kjaer (Dinamarca/Milan)
19º Mason Mount (Inglaterra/Chelsea)
20º Riyad Mahrez (Argélia/Manchester City)
21º Bruno Fernandes (Portugal/Manchester United)
21º Lautaro Martínez (Argentina/Inter de Milão)
23º Harry Kane (Inglaterra/Tottenham)
24º Pedri (Espanha/Barcelona)
25º Phil Foden (Inglaterra/Manchester City)
26º Nicolò Barella (Itália/Inter de Milão)
26º Rúben Dias (Portugal/Manchester City)
26º Gerard Moreno (Espanha/Villarreal)
29º César Azpilicueta (Espanha/Chelsea)
29º Luka Modric (Croácia/Real Madrid)

Clube do ano

O Chelsea, campeão da última Uefa Champions League, foi eleito o clube do ano. O time é o atual líder da Premier League e foi muito bem também no futebol feminino.

Bola de Ouro feminina

Entre as mulheres, a vencedora foi a espanhola Alexia Putellas, multicampeã com a camisa do Barcelona. Alguns meses atrás, ela já havia sido eleita a melhor jogadora da Europa pela Uefa.

Troféu Yashin

O melhor goleiro do mundo foi o italiano Gianluigi Donnarumma, campeão da Eurocopa com sua seleção. O jovem de 22 anos, que recentemente trocou o Milan pelo Paris Saint-Germain, foi o único da posição entre os 30 finalistas à Bola de Ouro.

No Troféu Yashin, ele superou o senegalês Édouard Mendy (Chelsea), o esloveno Jan Oblak (Atlético de Madrid), o brasileiro Ederson (Manchester City) e o alemão Manuel Neuer (Bayern de Munique).

Entre as mulheres, a vencedora foi a espanhola Alexia Putellas, multicampeã com a camisa do Barcelona. Alguns meses atrás, ela já havia sido eleita a melhor jogadora da Europa pela Uefa.

A meia superou a também espanhola Jenniffer Hermoso (Barcelona), a australiana Sam Kerr (Chelsea) e as holandesas Lieke Martens (Barcelona) e Vivianne Miedema (Arsenal).

Troféu Kopa

O prêmio dado ao melhor jogador sub-21 do mundo foi para o também espanhol Pedri, mais um que atua no Barcelona. Em 2021, o meia de 19 anos disputou a Eurocopa, os Jogos Olímpicos e também a Liga das Nações por sua seleção.

Ele superou os quatro outros finalistas: Jude Bellingham, Mason Greenwood, Nuno Mendes e Jamal Musiala.

Leia mais:  Neymar com coronavírus. Preço por curtir Ibiza sem máscara?
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana