conecte-se conosco


Brasil

Saúde prevê início de vacinação contra covid-19 para 20 de janeiro

Publicado

Elcio Franco, secretário-executivo da pasta, diz que data considera melhor dos cenários, mas que depende de registro junto à Anvisa

O Ministério da Saúde informou nesta terça-feira (29), por meio de coletiva de imprensa, que deve dar início ao PNI (Plano Nacional de Imunização) contra a covid-19 em 20 de janeiro —considerando o melhor cenário. De acordo com Elcio Franco, secretário-executivo da pasta, o prazo, no entanto, pode variar entre o fim de janeiro e início de fevereiro de 2021, considerando que os imunizantes precisam, necessariamente, de registro junto à Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). 

Segundo o secretário, o cronograma depende de uma série de fatores, como a capacidade de oferta de doses por parte de fabricantes, viabilidade logística e, ainda, autorização do órgão federal de regulamentação.

“Nós precisamos que os fabricantes obtenham o registro junto à Anvisa, e que eles entreguem doses suficientes para que sejam distribuídas. Se o distribuidor obter o registro e eventualmente não tiver dose para distribuir… Entenda: o Ministério da Saúde tem feito a sua parte, fizemos o plano, estamos com a operacionalização pronta, nos preparando para esse grande dia, mas precisamos que os laboratórios solicitem o registro”, completou. 

Segundo o representante da pasta, durante coletiva de imprensa, nesta terça-feira (29), as exigências do órgão federal são as mesmas feitas pela FDA (Food and Drug Administration) —agência que regula e libera medicamentos nos Estados Unidos.

“Nos causou surpresa o laboratório [Pfizer], que na data de ontem veio esclarecer que estava com dificuldades pela grande quantidade de solicitações da Anvisa. Os aspectos solicitados pela Anvisa para autorização de uso emergencial são os mesmos solicitados pelo FDA, nos Estados Unidos. Nós vamos buscar um maior diálogo com o laboratório”, explicou o secretário.

Ontem, a empresa farmacêutica afirmou que não pretendia submeter sua vacina contra o novo coronavírus para avaliação de uso emergencial no Brasil. Por meio de nota oficial, a fabricante afirmou que o imunizante desenvolvido em parceria com a BioNTech será apresentado em “processo de submissão contínua”, o que acredita ser “o mais célere neste momento”.

A Pfizer alega que a solicitação da Anvisa para analisar em caráter emergencial os dados específicos sobre os testes realizados em 3 mil voluntários brasileiros “demanda tempo e avaliações estatísticas específicas”. “Outras agências regulatórias que possuem o processo de uso emergencial analisam os dados dos estudos em sua totalidade, sem pedir um recorte para avaliação de populações específicas”, diz o texto.

Leia mais:  De cada 10 atendimentos por acidente no SUS, 8 são motociclistas
publicidade

Brasil

Acompanhado de apoiadores, Bolsonaro sai em motociata em São Paulo

Publicado

Ao sair para a motociata, acompanhado de um apoiador na garupa, Bolsonaro agradeceu o convite dos manifestantes e disse “acelera para Cristo”

O presidente Jair Bolsonaro está em passeata pela cidade de São Paulo, em manifestação organizada por integrantes de clubes de tiro e de motociclismo do interior de São Paulo e região. O ato começou na Zona Norte de São Paulo e deve seguir pela Marginal do Tietê até a Rodovia dos Bandeirantes, onde o grupo deve continuar até o quilômetro 62, próximo a Jundiaí, interior do Estado, e de lá deve retornar para a capital.

Ao sair para a motociata, acompanhado de um apoiador na garupa, Bolsonaro agradeceu o convite dos manifestantes e disse “acelera para Cristo”.

O número de manifestantes não foi confirmado pela PM. No entanto, o que se sabe é que a polícia teve de disponibilizar mais de 6 mil PMs para mitigar os impactos do ato no trânsito, uma vez que havia preocupação de a manifestação prejudicar o comércio neste 12 de junho, Dia dos Namorados, quarta data comercial mais importante do ano.

A Polícia Militar vai reforçar a vigília de pontes e viadutos por onde a motociata deve passar, para evitar que objetos sejam arremessados nos manifestantes. O ato foi divulgado por parlamentares da base aliada ao presidente e grupos que, em São Paulo, vinham organizando protestos contra o governador João Doria (PSDB) ao longo da semana.

No fim do ato, marcado para o Ibirapuera, um dos grandes símbolos da capital paulista, dois drones devem ser usados pela Agência Brasileira de Inteligência (Abin) para acompanhar a manifestação.

Leia mais:  De cada 10 atendimentos por acidente no SUS, 8 são motociclistas
Continue lendo

Brasil

Michelle Bolsonaro ganha casaca, panela de barro e come moqueca em visita ao ES

Publicado

Primeira-dama participou de evento organizado pelo Ministério Público do Trabalho (MPT), que estimula inclusão de pessoas com deficiência no mercado

Enquanto o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) foi participar de entrega de casas populares em São Mateus, no Norte do Estado, a primeira-dama Michelle Bolsonaro cumpriu agenda em Vitória nesta sexta-feira (11).  

Ea se reuniu com a vice-governadora do Espírito Santo, Jacqueline Moraes, e com a presidente da Federação das Indústrias do Espírito Santo (Findes), Cris Samorini. O encontro aconteceu na sede do Ministério Público do Trabalho no Espírito Santo (MPT-ES), em Vitória.

De acordo com a vice-governadora, Michelle foi presenteada com produtos artesanais do Espírito Santo: uma casaca (instrumento tradicional do congo), panela de barro (feito pelas paneleiras de Goiabeiras), colares feitos de escamas de peixe (feitos pelas artesãs de Anchieta).  

“As lembranças foram todas confeccionadas e feitas pelas nossas mulheres artesãs, que participam de programas de apoio feitos pela Agência de Desenvolvimento das Micro e Pequenas Empresas e do Empreendedorismo (Aderes)”, descreveu.

Jacqueline explicou que o encontro com a primeira-dama foi um convite vindo do MPT-ES. A Presidência da República não abriu nenhuma agenda com representantes do governo Casagrande. 

Projeto “Reconecta”

Na reunião, foram tratados detalhes e atualizações sobre o programa “Reconecta”,  do próprio MPT, que prevê a inclusão de pessoas com deficiência no mercado de trabalho. O evento é feito todos os anos e investe na divulgação de vagas de trabalho para este público.

Segundo a vice-governadora, Michelle Bolsonaro foi conhecer um projeto pioneiro feito pelo ministério no Espírito Santo que transpôs todo o conteúdo da Constituição Brasileira para o formato de vídeo, sendo narrado em libras. 

“Ela disse que ela estava ali por causa das pessoas com deficiência e que não estava preocupada com política ou com pautas ideológicas”, relatou.

Jacqueline Moraes aproveitou a ocasião e apresentou à primeira-dama políticas públicas do governo estadual para as pessoas com deficiência, entre elas a criação de uma central de libras.

Moqueca e camarão na Enseada do Suá

A primeira-dama almoçou no restaurante Papaguth, na Enseada do Suá, em Vitória. A comitiva com nove pessoas pediu moqueca capixaba e bobó de camarão.

Leia mais:  Plataforma inovadora vai permitir realizar transações financeiras com mais agilidade

Clientes que estavam no local abordaram Michelle e fizeram selfies. Ela atendeu a todos, ficando uma hora e meia no local.

Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana