conecte-se conosco


Medicina e Saúde

Segunda dose da vacina contra a Covid-19 começou a ser aplicada no Espírito Santo esta semana

Publicado

A aplicação da segunda dose da vacina contra o novo Coronavírus (Covid-19) no Espírito Santo teve início esta semana para o grupo prioritário de trabalhadores da saúde, indígenas aldeados, pessoas maiores de 60 anos residentes em instituições de longa permanência e pessoas maiores de 18 anos com deficiência que vivem em Residências Inclusivas.

A população deste grupo foi a primeira a receber as doses da vacina Coronavac, do Instituto Butantan, que chegaram ao Estado no último dia 18 de janeiro. As doses já foram distribuídas aos municípios, que deverão realizar as ações de vacinação.

“A Coronavac apresenta o esquema de duas doses para completar a imunização contra a Covid-19, que precisam ser administradas em intervalo de quatro semanas. O Estado reservou na Central de Rede de Frio as segundas doses, como orientado pelo Ministério da Saúde e, desde o último dia 10 de fevereiro, iniciamos a distribuição para todos os municípios poderem começar a segunda dose no tempo oportuno”, explicou a coordenadora do Programa Estadual de Imunizações e Vigilância das Doenças Imunopreveníveis da Secretaria da Saúde (Sesa), Danielle Grillo.

A coordenadora ressaltou também a importância de a população não esquecer de completar o esquema de vacinação da Coronavac para garantir a imunização contra a Covid-19.

“A vacina do Instituto Butantan garante a proteção contra as formas graves e óbitos pela Covid-19 após a aplicação da segunda dose. Então, é importante que todos aqueles que receberam as doses há 28 dias, atentem-se aos dias para a aplicação da segunda dose, que serão realizadas pelos municípios em suas ações”, disse.

A imunização completa da Coronavac, para a proteção contra as formas graves e óbitos causados pela Covid-19, acontece em torno de 15 dias após a aplicação da segunda dose.

Dia de felicidade no Hospital Jayme

Há um mês, a técnica de Enfermagem Iolanda Brito da Silva Santos, de 55 anos, recebia a primeira dose da vacina contra a Covid-19, sendo a primeira capixaba a ser vacinada. Nesta quinta-feira (18), foi mais um dia de emoção para a profissional, que pôde completar o esquema de vacinação.

“Espero que toda a população se conscientize e procure se vacinar quando for a hora certa. Hoje vivo meu dia de glória, podendo completar a vacinação contra a Covid-19”, afirmou Iolanda Brito da Silva Santos.

Além da técnica de Enfermagem, os profissionais que foram imunizados no dia 18 de janeiro também receberam a segunda dose da vacina, a fisioterapeuta da unidade, Thais Fonseca Silva e o médico Romerson Ribeiro Silva.

Esta quinta-feira (18) foi o primeiro dia de vacinação da segunda dose contra a Covid-19 no Hospital Dr. Jayme. Ao longo dos próximos dias, há uma programação com horários e áreas para que todos os demais funcionários sejam contemplados.

Leia mais:  Cinco alimentos ricos em magnésio para reforçar ossos e músculos
publicidade

Medicina e Saúde

Beber esta quantidade de café por dia eleva risco de demência, diz estudo

Publicado

Uma nova pesquisa realizada por um grupo de investigadores da University of South Australia sugere que beber muito café pode ser nocivo para a saúde cerebral
No maior estudo do gênero feito até ao momento, pesquisadores apuraram que a ingestão excessiva de café está associada a um maior risco de desenvolvimento de alterações neurológicas prejudiciais e de demência, reporta um artigo publicado no site News Medical Life Sciences.

Uma equipe de cientistas da University of South Australia analisou os registos médicos de mais de 17 mil voluntários registrados no UK Biobank, uma base de dados médicos de cidadãos britânicos.

Consequentemente, os investigadores discerniram que os indivíduos que consumiam sete ou mais xícaras de café diariamente, apresentavam uma predisposição mais elevada de até 53% de virem a sofrer de demência.

Kitty Pham, neurocientista e líder do estudo, afirma que o novo estudo é extremamente relevante para a saúde pública.

A demência é uma condição degenerativa do cérebro que afeta a memória, o raciocínio, comportamento e a habilidade de executar tarefas simples do dia-a-dia. Sendo que a Organização Mundial de Saúde (OMS) estima que em todo o mundo mais de 50 milhões de indivíduos sofram da patologia.

“Tendo em conta todas as variáveis possíveis, descobrimos através da análise de múltiplas evidências que o consumo excessivo de café estava significativamente associado a uma redução notória no volume cerebral”, disse Pham.

“Ou seja, beber mais de seis chávenas de café por dia pode colocá-lo em risco de doenças cerebrais, como demência e AVC’s”, concluiu. 

Leia mais:  Vacinação contra Influenza para idosos e professores tem início nesta terça-feira (11)
Continue lendo

Medicina e Saúde

Adolescentes entre 12 a 17 anos serão incluídos na vacinação contra covid

Publicado

Adolescentes com comorbidades serão os primeiros a serem imunizados

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, anunciou hoje (27) que adolescentes de 12 a 17 anos serão incluídos no Plano Nacional de Imunização (PNI) contra a covid-19. A inclusão será iniciada após envio da primeira dose para a vacinação de adultos com mais de 18 anos. Adolescentes com comorbidades serão os primeiros a serem imunizados.

A medida foi acertada durante reunião entre o ministério e representantes de estados e municípios.

Também foi definido que, após a distribuição da primeira dose dos imunizantes para todo o país, o ministério deve decidir sobre a antecipação do intervalo entre as duas doses da Pfizer, que, atualmente, é de 90 dias. Na bula do fabricante, o intervalo é de 21 dias.

A redução é estudada para acelerar a imunização diante do crescimento dos casos de pessoas infectadas com a variante delta do vírus da covid-19.

“Nossa expectativa é atingir a população acima de 18 anos vacinada até o começo de setembro. A partir daí, vamos discutir a redução no intervalo da dose da Pfizer, assim a gente avançaria com a segunda dose em um número maior de pessoas e também os abaixo de 18 anos”, explicou o ministro.

Os estados e municípios ainda deverão seguir as orientações do Ministério da Saúde sobre os intervalos entre as doses de vacinas e outras recomendações do PNI. 

Fonte: Agência Brasil

Leia mais:  Cinco alimentos ricos em magnésio para reforçar ossos e músculos
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana