conecte-se conosco


Segurança

Segurança colheu demandas de todas as regiões do ES em 2019

Publicado

Audiências e visitas técnicas do colegiado embasaram mais de 130 indicações no ano como as que já garantiram ampliação de vagas para PMs e bombeiros do Estado

A Comissão de Segurança da Assembleia Legislativa (Ales) já comemora resultados práticos das audiências públicas e outras ações realizadas em 2019 pelo colegiado em todas as regiões do estado. De acordo com o presidente do colegiado, deputado Delegado Danilo Bahiense (PSL), foram produzidas 136 indicações – a maioria direcionada ao Poder Executivo – algumas já atendidas, como as que resultaram na ampliação do número de vagas nos cursos de formação de soldados e de oficiais da Polícia Militar (PMES) e do Corpo de Bombeiros (CBMES), referentes a concursos de 2018.  

Conforme informações do parlamentar as vagas no âmbito da PM subiram de 250 para 650 (soldados); e de 30 para 80 (oficiais). Nos bombeiros, as vagas de soldados foram ampliadas de 120 para 190; e as de oficiais foram de sete para 14.

O parlamentar adianta que em 2020 a Comissão de Segurança seguirá na mesma linha de atuação, buscando ampliar as contratações no concurso da Polícia Civil em andamento, além de acompanhar a questão do processo seletivo para novas vagas de delegado de polícia.

Combustíveis

Outros avanços do colegiado se referem às cotas de combustíveis para viaturas dos plantões da Polícia Civil: “Fizemos indicações e conseguimos aumentar o valor da cota de 500 reais para 1 mil reais”, diz o presidente.

O parlamentar destaca ainda que, por meio das demandas apresentadas no âmbito da comissão, os servidores do Instituto de Atendimento Socioeducativo do Espírito Santo (Iases) e da Secretaria de Estado de Justiça (Sejus) agora têm acesso ao sistema da “Delegacia Online”.

A ferramenta permite registro pela internet de furto e roubo de celular, notebook, dinheiro, e equipamentos em geral, além de perda e extravio de documentos, cheques e cartões bancários. “Isso é importante porque os sistemas socioeducativo e penitenciário sofrem com déficit de pessoal, bem como as polícias e os bombeiros”, observa.

Bahiense destaca também entre as conquistas viabilizadas com apoio das atividades do colegiado a implantação de novas delegacias de polícia nos município de Cachoeiro de Itapemirim e de Aracruz.

O deputado acrescenta que mediante pedido do colegiado o governo do Estado se estruturou para ter de volta o Afis Criminal, plataforma digital que identifica a vida pregressa de criminosos.

Atividades

Ao longo de 2019 a Comissão de Segurança encaminhou mais de 1.200 ofícios e elaborou 136 indicações ao Poder Executivo, sendo que 94 dessas já estão protocoladas no sistema Ales Digital.

O colegiado promoveu 20 audiências públicas, 13 visitas técnicas, 19 reuniões ordinárias e quatro extraordinárias. Além de audiências na sede do Legislativo estadual, em Vitória, houve debates nos municípios de Colatina, Cachoeiro de Itapemirim, Vila Velha, Aracruz, Linhares, Fundão, Rio Novo do Sul, Guaçuí, Ecoporanga, Presidente Kennedy, Guarapari, São Mateus e Castelo.

Confira um resumo das principais demandas apresentadas nas audiências públicas, com exceção da necessidade de reforços nos efetivos policiais, pois esta questão é comum em todos os municípios:

ColatinaBaixos salários dos integrantes das corporações e as condições insalubres das unidades policiais estiveram entre as questões mais abordadas, além de deficiências nas estruturas dos prédios do Serviço Médico Legal (SML) e da delegacia regional de Colatina. 

Cachoeiro de ItapemirimMelhorias de infraestrutura e de logística nas unidades policiais e a necessidade de mais colaboração da comunidade no combate ao crime e à violência na região.

Vila VelhaHouve pedido para a implantação de delegacia de polícia na região da Grande Terra Vermelha, que abrange também os balneários de Ponta da Fruta e Barra do Jucu.

AracruzOs moradores pediram o término das obras de construção da sede própria da delegacia regional de Aracruz. Solicitaram ainda o fim da superlotação do Centro de Detenção Provisória de Aracruz (CPDA).

LinharesOs moradores e os comerciantes do município pediram, entre outras coisas, a construção de um complexo para integrar as forças de segurança que atuam na região de Linhares. 

FundãoMoradores e comerciantes reivindicaram, além de investimentos nas polícias, implantação de programas de ocupação social e melhorias na educação como forma de diminuir a criminalidade na região.

Rio Novo do SulMoradores pediram enfrentamento da criminalidade não apenas na cidade, mas também nas comunidades rurais, onde há alta incidência de roubo de gado e de produtos agropecuários. Eles reivindicaram ainda instalação de câmeras de vídeo monitoramento e o armamento da guarda municipal.

GuaçuíA instalação urgente de uma delegacia da mulher na região do Caparaó foi uma das reivindicações apresentadas na audiência pública promovida em Guaçuí. Houve ainda pedido para implantação de unidade de Serviço Médico Legal (SML), pátios para guardar veículos aprendidos, clínica e fazenda terapêutica para dependentes químicos e melhorias no atendimento na área do Judiciário.

EcoporangaO promotor de Justiça Geraldo Vasconcelos pediu a instalação na região de uma delegacia policial especializada em narcóticos para combater o tráfico de drogas, que vem dos municípios vizinhos de Minas, principalmente de Ataléia. Houve ainda solicitação de providências para reduzir o acúmulo de processos nos fóruns de Ecoporanga e Barra de São Francisco, além de segurança noturna para universitários que retornam para Nova Venécia.

Presidente KennedyMoradores pediram mais policiamento no limite de Presidente Kennedy com São Francisco do Itabapoana – município do Rio de Janeiro, em decorrência da ação de criminosos vindos do estado vizinho. A população reivindicou também providências para que a guarda civil do município possa usar armamento.

GuarapariOs moradores solicitaram implantação urgente de uma guarda municipal, para reforçar o combate à violência e a fiscalização do trânsito. Houve pedidos ainda para o fim da superlotação no Centro de Detenção Provisória de Guarapari, que estaria com excedente de 427 presos numa unidade que comporta apenas 580.

São MateusFoi solicitado implantação de vídeo monitoramento e reforço no policiamento durante o verão, pois a região, que agrega o balneário de Guriri, atrai muitos turistas. Patrulhamento na área rural e investimentos em programas de ocupação social também foram reivindicados.

CasteloHouve pedido para criação de uma guarda civil municipal e a instalação de uma companhia independente da PM na cidade. Programas de ocupação social para menores em situação de vulnerabilidade social e pessoas que vivem nas ruas também estiveram na pauta das reivindicações.

Leia mais:  Programa Estado Presente é um dos três melhores projetos corporativos do País no Prêmio 2021 da Revista Mundo PM
publicidade

Segurança

Homem com peruca e máscara invade centro espírita e deixa 3 baleados no Sul do ES

Publicado

Um dos baleados, que segundo a polícia era o alvo principal, estava foragido da Justiça e usou a identidade do irmão para tentar despistar os militares

Três pessoas foram baleadas durante uma festa em um centro espírita, no bairro Zumbi, em Cachoeiro de Itapemirim. De acordo com a polícia, um homem usando máscara e peruca invadiu o local e atirou contra algumas pessoas.

Testemunhas relataram para a polícia que um outro homem tentou intervir e entrou em luta corporal com o criminoso, mas ele atirou várias vezes.

Além dos dois homens, uma mulher também foi baleada na perna. As vítimas foram encaminhadas ao Hospital Santa Casa de Misericórdia.

Uma das vítimas estava foragida da Justiça

Após serem levados para o hospital, uma das vítimas, que segundo a polícia seria o alvo principal, informou uma identidade diferente das informações passadas por testemunhas.

Um levantamento foi feito e os policiais descobriram que o homem estava foragido da Justiça, e usou a identidade do irmão para tentar despistar a PM.

Buscas foram realizadas, mas o homem que efetuou os disparos não foi localizado até o momento. A ocorrência foi encaminhada à Polícia Civil para investigação.

Em nota, a Polícia Civil informou que o caso seguirá sob investigação da Delegacia Especializada de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) de Cachoeiro de Itapemirim.

 Até o momento, nenhum suspeito foi detido e detalhes da investigação não serão divulgados, por enquanto.

Leia mais:  Programa Estado Presente é um dos três melhores projetos corporativos do País no Prêmio 2021 da Revista Mundo PM
Continue lendo

Segurança

Operação da PF no ES apreende pau-brasil ilegal que renderia até R$ 242 milhões a traficantes

Publicado

20 mandados de busca e apreensão são cumpridos nos municípios de Joao Neiva, Santa Teresa, Aracruz e Linhares

Uma operação policial dedicada a reprimir a ação de uma organização criminosa com ramificação internacional que vinha atuando no norte capixaba e era especializada na exploração comercial ilegal de espécies da flora brasileira ameaçadas de extinção, em especial, o Pau-Brasil, foi deflagrada, na manhã desta terça-feira (30), por Policiais Federais, em conjunto com servidores do Ibama do Espírito Santo.

Estão sendo cumpridos 20 mandados de busca e apreensão expedidos pela 1ª. Vara Federal Criminal de Vitória, nos municípios de Joao Neiva (07), Santa Teresa (02), Aracruz (07) e Linhares (04).

Em razão da grande quantidade de mandados a serem cumpridos, além dos Policiais Federais lotados na Delegacia de Repressão aos Crimes contra o Meio Ambiente (DELEMAPH), a operação contou com a participação de outro 85 (oitenta e cinco) policiais do Espírito Santo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e São Paulo.

O objetivo das ações, além do cumprimento das ordens judiciais, é obter novos elementos de provas úteis para desmantelar o grupo criminoso dedicado ao cometimento de Crimes Contra à Flora, Outros Crimes Ambientais e Contra à Administração Ambiental.

Investigações começaram após ações do Ibama

As investigações se iniciaram após ações fiscalizatórias realizadas pelo Ibama no âmbito da Operação “DÓ RÉ MI” que resultaram em apreensões de mais de 42 mil varetas feitas de Pau-brasil, além de mais de 150 toretes avaliados em mais de dois milhões de reais.

Há fortes indícios que apontam para a atuação de uma organização criminosa estruturada com divisão de funções que envolvem extratores, intermediários, atravessadores, arqueiros e empresas de produção de instrumentos musicais, atuando para beneficiar o Pau-Brasil extraído clandestinamente de Unidades de Conservação Federal, visando a comercialização do produto acabado em formato de arcos de violino/contrabaixo para o exterior, sem qualquer controle das autoridades brasileiras.

O arco é o produto final produzido a partir da vareta. No Brasil as varetas são adquiridas por valores que giram entre R$ 20 e R$ 40 reais, ao passo que os arcos podem ser comercializados no exterior por até U$ 2.600,00 (R$ 14.600,00).

Lucro poderia ultrapassar R$ 240 milhões

Tendo como referência somente as 42 mil unidades de arcos/varetas já apreendidas no curso da investigação e considerando um valor final de mercado médio de US$ 1 mil por cada arco de violino comercializado no exterior, estima-se que esses instrumentos representariam no mercado internacional algo em torno de R$ 232.884.890,00.

Trata-se de uma avaliação módica já que esses instrumentos podem alcançar valores de mercado muito maiores como os verificados em algumas lojas americanas que negociam o produto feito de Pau Brasil por até US$ 2.600,00, ou seja, mais de R$ 14.000,00.

Investigação conta com peritos do Amazonas

Apoiando as investigações, dois Peritos Criminais da PF do Amazonas vieram ao Estado e utilizarão um novo procedimento para determinar a procedência da madeira apreendida ao longo das ações da polícia. Trata-se da técnica conhecida por análise de isótopos estáveis.

De posse de amostras da madeira, é possível aos Peritos determinar de onde realmente foram extraídas, no caso, se vieram de unidades de conservação onde a retirada das árvores é terminantemente proibida.

Agência internacional presta apoio

Buscando o maior alcance possível, a PF no Espírito Santo estabeleceu parceria com a U.S. Fish and Wildlife Service, agência do Governo dos Estados Unidos dedicada à repressão dos crimes envolvendo a pesca, a vida selvagem e os habitats naturais.

Como os arcos produzidos com Pau-Brasil ilegalmente extraído são destinados ao exterior, em grande parte, aos Estados Unidos, a agência foi acionada para apoiar as ações da PF naquele país visando verificar a legalidade das importações e a existência de ramificações do esquema criminoso em território norte-americano.

Uma equipe da FWS se encontra no Espírito Santo acompanhando as ações de hoje e simultaneamente, estão sendo ouvidos várias pessoas nos Estados Unidos que guardam relação de interesse com a investigação brasileira.

Leia mais:  Menina de 10 anos é atingida por bala perdida dentro de creche em Jardim da Penha
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana