conecte-se conosco


Cidades

‘Sensação de enxugar gelo’: médicos lamentam aglomerações enquanto UTI’s estão lotadas

Publicado

Os médicos Bruno Valory e Sara Soares Lima, que atuam em uma UTI para covid-19, assistiram a vídeos que flagram o desrespeito às regras de distanciamento social

Enquanto muitos estão nas ruas frequentando comércios lotados, indo à praia e a bares ou curtindo uma festa em uma casa de show, outros tantos lutam pela vida em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) exclusiva para o tratamento de pacientes infectados pelo novo coronavírus. Se para um cidadão comum, que tem ideia do risco que esse tipo de comportamento representa, essas cenas são lamentáveis, imagine para aqueles que presenciam diariamente o drama de quem tenta sobreviver em um leito de UTI e que se sacrificam para tentar ajudar essas pessoas.

E sentimentos como tristeza, revolta e sensação de estar ‘enxugando gelo’ foram vivenciados por dois médicos que trabalham na UTI exclusiva para covid-19 do hospital Jayme dos Santos Neves, na Serra, após assistirem a vídeos de pessoas se aglomerando nas mais diversas situações — e, para piorar, sem máscara, na maioria dos casos. Os flagrantes foram feitos em praias, bares, boates, comércios lotados, terminais rodoviários, entre outros.

Enquanto assistiam às imagens, os médicos Bruno Valory e Sara Soares Lima comentavam sobre a falta de consciência de algumas pessoas, que aparentemente acreditam que o pior da pandemia já passou. Entretanto, não é o que os números apontam. 

Segundo a atualização mais recente do Painel Covid-19, da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), nesta terça-feira (22) o Espírito Santo registrou a maior quantidade de óbitos, em 24 horas, desde o dia 1º de julho: 43. Além disso, mais de 2,3 mil novos casos da doença foram contabilizados no estado entre esta segunda e terça-feira. E essa grande quantidade de novos casos registrados diariamente tem como resultado o crescimento do número de pacientes internados em hospitais de todo o estado.

“A sensação é de enxugar gelo. A gente está trabalhando e todo dia dando notícia ruim para um pai ou para um filho, e as pessoas sem ter noção do que está acontecendo ou querendo não acreditar ou negar o que está acontecendo”, lamentou Bruno.

Sara ressaltou o contraste que há entre o comportamento da pessoa que ignora os riscos de contaminação e sai para se divertir em ambientes cheios, e de quem se sacrifica diariamente para salvar justamente essas pessoas que ignoraram o distanciamento social ou algum parente.

“Nós não temos cansaço, a gente não tem ‘tô de saco cheio da pandemia’, a gente não tem ‘quero férias, preciso ir para uma festa’. Nós não temos férias, não temos feriado, não temos ano novo, não temos final de semana para ir à praia, porque nós estamos lá cuidando desses que estão aí ou dos familiares deles. A sensação é de que parece que as pessoas não têm realmente consciência do que é humanização”, afirmou.

Para quem ainda duvida da gravidade da covid-19 e acha que todo esse discurso de isolamento social possui viés político, Bruno Valory deixa um recado. “[A doença] É real, existe e é grave. Não dá para politizar uma situação tão grave. A gente vê todo dia, a gente vivencia todo dia. É muito grave. Então a gente não está aqui falando para ficar em casa por outros motivos, e sim pelo motivo que a gente vê: pacientes jovens morrendo de forma muito grave. Uma doença que castiga o paciente, castiga a família, que fica sofrendo dias, castiga os profissionais de saúde: psicólogos, enfermeiros, técnicos, todos. A gente sofre muito com isso”, ressaltou.

“Não é bonito você ver um familiar saindo de dentro de um hospital com um caixão lacrado, sem nunca mais você ver o rosto dele. Não é feliz. O recado que eu dou é: pense direitinho na hora de você achar que a festa do final do ano vai te trazer uma alegria, porque ela pode te trazer choro em 2021. Então comemore o ano, comemore que você está vivo, comemore que sua família está viva, mas de maneira consciente. De maneira justa com todo mundo”, acrescentou Sara.

Fonte: Folha Vitória

Leia mais:  Detran responde dúvidas frequentes sobre a troca da placa para o padrão Mercosul
publicidade

Cidades

Iconha: Casagrande visita obras de reconstrução da cidade

Publicado

Um ano após as fortes chuvas que atingiram a região sul capixaba, o Governo do Espírito Santo segue trabalhando na reconstrução da infraestrutura das cidades atingidas. Nesta sexta-feira (15), o governador Renato Casagrande esteve novamente em Iconha, uma das cidades mais atingidas pelo desastre, para visitar as obras emergenciais já concluídas ou que estão em fase final para conclusão. O Estado investiu mais de R$ 130 milhões na reconstrução de estradas, pontes e contenções, além do fornecimento de horas máquina para limpeza da cidade e do Cartão Reconstrução ES para 466 famílias atingidas pelas chuvas.


“O trabalho que nós fizemos aqui durante esse um ano foi importante. A chuva literalmente destruiu Iconha. Essa rodovia até Vargem Alta foi praticamente toda refeita. Construímos oito pontes e vários muros de contenção. Sob coordenação da nossa Assistência Social, atendemos quase 500 famílias do município. Vamos seguir fazendo investimento. Estamos buscando recursos junto ao Banco Mundial para obras que diminuam o impacto das chuvas. Temos tarefas gigantescas pela frente, mas vamos seguir reconstruindo Iconha e as outras 24 cidades atingidas pelas chuvas do ano passado”, afirmou o governador.


Desde a ocorrência do desastre, nos primeiros do ano de 2020, o governador acompanha de perto toda a mobilização para recuperação das cidades da região sul capixaba. Na manhã seguinte às chuvas mais intensas, Casagrande esteve em Iconha e nos municípios vizinhos para acompanhar os trabalhos das equipes da Defesa Civil Estadual, Corpo de Bombeiros e demais órgãos envolvidos no atendimento às vítimas.

No dia 25 de janeiro, o Governo do Estado organizou um Mutirão Solidário, que contou com centenas de voluntários, para a limpeza das ruas e de estruturas afetadas pelas chuvas em Iconha. Nas semanas seguintes, o Estado organizou escritórios itinerantes para auxiliar moradores e empresários locais para o recebimento de assistência social, consultoria contábil e financeira, além de apoio para captação de linhas de financiamento emergencial. O Governo também concedeu isenção de ICMS na compra de máquinas e equipamentos para quem teve prejuízo com as chuvas.

Desta vez, o cenário encontrado em Iconha foi de esperança, com a retomada das atividades econômicas e a reconstituição da infraestrutura em todo município. Vários órgãos do Governo do Estado participaram deste processo. O Departamento de Edificações e de Rodovias do Espírito Santo (DER-ES) esteve à frente dos trabalhos de reconstrução, bem como na elaboração de projetos já prontos para que as prefeituras da região pudessem captar recursos federais de reconstrução, devolvendo aos cidadãos a dignidade e a estrutura necessárias.

Em Iconha, as obras emergenciais contemplam 13 grandes contenções com execução de cortina atirantada com quase 650 metros já executados, além de gabião em caixa. Além disso, a cidade recebeu 8 novas pontes (Ponte Duas Barras II, Ponte Duas Barras I, Ponte Laranjeiras, Ponte São José, Ponte Morada Vale, Ponte Açougue, Ponte Ilha de Santo Inácio e Ponte André Bagatoli). Também está sendo construída uma nova sede da Creche Municipal Sinhá Rosa, no bairro Jardim Jandira, que vai permitir a ampliação na oferta de vagas para crianças entre zero e três anos de idade.

O diretor presidente do DER-ES, Luiz César Maretto, enfatizou a importância das obras emergenciais. “No começo do ano passado, o Governo do Estado se apresentou à população de Iconha e se propôs a resolver a situação. Encontramos uma cidade praticamente destruída, mas com muito trabalho e boa vontade, estamos devolvendo à sociedade iconhense uma cidade totalmente reconstruída e segura”, disse.

Além das obras de infraestrutura e ações para recuperação econômica dos municípios atingidos, o Governo do Estado também voltou sua atenção para as famílias afetadas pelo desastre. Foi reativado o Cartão Reconstrução, que permitiu a doação de R$ 3 mil para compra de material de construção/reforma, eletrodomésticos e compras de móveis, ou outro bem e mercadoria danificados pelas chuvas. Somente em Iconha, o benefício foi concedido a 466 famílias de baixa renda, cadastradas pela Prefeitura.

O benefício também foi concedido ainda a moradores de Alfredo Chaves, Rio Novo do Sul, Vargem Alta, Conceição do Castelo, Iúna, Alegre, Apiacá, Bom Jesus do Norte, Cachoeiro de Itapemirim, Castelo, Divino de São Lourenço, Dores do Rio Preto, Domingos Martins Guaçuí, Ibitirama, Irupi, Jerônimo Monteiro, Marechal Floriano, Mimoso do Sul, Muniz Freire e São José do Calçado.

A secretária de Estado de Trabalho, Assistência e Desenvolvimento Social, Cyntia Figueira Grillo, lembrou a participação da pasta no trabalho de reconstrução da cidade. “Aproveitamos esse momento para fortalecer a parceria de sempre do Governo do Estado com os municípios. E naquele momento estivemos presentes com toda a estrutura de recursos humanos da Secretaria em um dos municípios mais afetados. A intersetorialidade do Governo, com várias pastas investindo no nosso território vai fazer a diferença sem sombra de dúvida dentro dos desafios que temos que enfrentar durante este ano e em 2022”.

Novas obras

Leia mais:  Disputa acirrada para a Prefeitura de Aracruz

Durante a agenda oficial em Iconha, o governador Renato Casagrande anunciou mais uma obra para o município. Foi dada Ordem de Serviço para a realização da obra no entroncamento da BR-101, no Morro da Palha, que faz parte do Programa Caminhos do Campo – da Secretaria da Agricultura, Abastecimento, Aquicultura e Pesca (Seag). Com mais de dois quilômetros de extensão, o valor do investimento passa de R$ 2,7 milhões. O prazo de conclusão das obras é de até 180 dias.

“É a segunda vez que dou ordem de serviço dessa estrada. A primeira foi em nosso mandato anterior, mas infelizmente o governo que veio depois deixou essa obra congelada. Gosto de produzir resultados e vamos fazer um Caminhos do Campo para qualificar esse trecho e resgatar o tempo em que essa obra ficou parada. Com boa gestão fiscal, nosso Estado tem capacidade para realizar investimentos. Fizemos um governo de muitas entregas e agora estamos realizando diversas entregas neste nosso segundo governo”, pontuou Casagrande.

O subsecretário de Estado de Infraestrutura Rural, Rodrigo Vaccari, explicou mais sobre o programa. “Estamos oferecendo às áreas com maior densidade da agricultura familiar uma melhor trafegabilidade para que os veículos possam realizar o escoamento da produção de forma segura e com rapidez, além de facilitar a mobilidade da comunidade, especialmente a rural”, disse.

O prefeito de Iconha, Gedson Paulino, agradeceu a parceria do Governo do Estado com o município, seja no trabalho de reconstrução como em novos investimentos para melhorar a vida da população. “É uma alegria para nós de Iconha recebermos essa Ordem de Serviço de uma obra do Caminhos do Campo, que teve início ainda na primeira gestão do governador Casagrande, que retorna agora para dar continuidade. Passamos por uma tragédia e estamos reconstruindo a cada dia. Somos um povo trabalhador”, exclamou.Gedson Paulino continuou: “Saiu a lama e agora estamos tirando a cidade da lama com obras estruturantes. Iconha tem um parceiro que é o Governo do Estado. Não existe na história do Estado um governador que fez mais pelo nosso município do que Renato Casagrande. Nesse momento de tragédia, todas as pontes, muros de contenção, maquinário e assistência social foram feitas pelo Governo do Estado.”.

Leia mais:  Detran responde dúvidas frequentes sobre a troca da placa para o padrão Mercosul
Continue lendo

Cidades

Escolas Estaduais recebem recursos financeiros para atender demandas ao longo de 2021

Publicado

A Secretaria da Educação (Sedu) liberou um repasse de recursos financeiros aos Conselhos de Escola, por meio da conta do Programa Estadual de Gestão Financeira Escolar (Progefe), no valor de quase R$ 40 milhões, para atender as despesas ao longo de 2021. A Portaria nº 005 – R, que dispõe sobre as regras, foi publicada no Diário Oficial do Estado desta sexta-feira (15).

A gestão dos recursos financeiros deverão abranger demandas de acordo com o contexto em que cada unidade escolar está inserida, tais como: despesas com contador, manutenção, material de expediente, aquisição de material de consumo, realização de pequenos reparos, adequações e serviços necessários à manutenção, conservação e melhoria da estrutura física da unidade escolar, implementação de projeto pedagógico, contratação de Internet, videomonitoramento, desenvolvimento de atividades educacionais, entre outras demandas.

Confira a  Portaria nº 005-R.

Leia mais:  Começa preparação do Teatro da Paixão de Cristo de Nova Venécia
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana